2006-2009: Conformismo

2006-2009Na segunda metade da década de 2000, três eventos importantes afetaram o universo da perfumaria. Um deles foi a crise financeira de 2007-2008 – nunca uma crise mostrou tão bem o quanto as repercussões de um país poderia afetar o mundo todo, em todos os setores. O resultado foi insegurança e falta de credibilidade. O segundo fenômeno foi a limpeza dos componentes restritos pela IFRA (Associação Internacional de Fragrâncias), tendo expirado o prazo de dez anos para reformulação. E, finalmente, muitos designers decidiram focar na moda e vender suas licenças de fragrâncias para grandes grupos como LVMH, Estée Lauder, L’Oréal, Procter & Gamble e Puig. Com exceção de Chanel, Dior, Cartier, Hermès e Guerlain, a criação de perfumes foi toda terceirizada, ficando mais distante do histórico e valores da marca. Desta forma, novas fragrâncias começaram a ser criadas com base em dois critérios principais: agradar o maior número possível de pessoas e seguir um briefing que possa ser executado com matérias-primas aprovadas. Mas o ideal mesmo seria lançar variações (flankers) de perfumes que já deram certo, reduzindo risco e custo. O resultado foram lançamentos “pastéis” e um número sem precedentes de Flankers.

Nota: Marcas de cosméticos, nacionais, celebridades e flankers têm sua página dedicada: CosméticosNacionais, Celebridades e Flankers. Veja também a página de Descontinuados.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

Encre1. Encre Noire (Lalique, 2006). Famosa por seus cristais, a Lalique resolveu se aventurar no mundo dos perfumes e sempre foi aclamada por críticos e usuários. Como o próprio nome diz (tinta preta em francês), Encre Noire é uma fragrância esfumaçada, seca e amarga. Carregada de três tipos de vetiver, ela geralmente assusta na primeira tragada, mas é um gosto adquirido e difícil de abandonar depois de testada umas vinte vezes. Sua melhor descrição? É como vestir um casaco luxuoso que ficou anos guardado para uma ocasião especial.

Amour2. Amour (Kenzo, 2006). Seguindo sua temática de viagens, Kenzo criou esta fragrância unindo notas exóticas de arroz tailandês, chá chinês e flor de cerejeira japonesa. Amour abre com um delicioso aroma de pão de ló, resultante da interação da nota de arroz com baunilha, jasmim-manga e heliotrópio. Chá e flor de cerejeira no topo garantem um toque romântico e delicado, enquanto incenso e almíscar aquecem e suavizam a composição na secagem. Amour é um perfume tátil e carinhoso que amana sentimentos de puro afeto. A versão parfum (frasco vinho) é mais carregada em incenso.

VPourHomme3. V pour Homme (Valentino, 2006). Criado para os Casanovas modernos, V pour Homme é um oriental amadeirado de nuances picantes e adocicadas. Com uma saída revigorante de cítricos, manjericão, pimenta rosa e tamarindo, o perfume evolui para um centro seco de cedro, sândalo e musk. No dry-down, V pour Homme exibe um acorde envolvente de cominho, heliotrópio, patchouli, baunilha, cacau e âmbar. Romantismo e sensualidade em harmonia.

AngeDemon4. Ange ou Démon (Givenchy, 2006). A casa Givenchy sempre criou perfumes ousados e Ange ou Démon é mais um excelente exemplo. O lado angelical está presente nas notas de mandarina, baunilha e fava tonka, enquanto o lado diabólico se revela num buquê de flores mortas com um toque especiado e animálico. O resultado é pesado, obscuro e estranho e, por isso, polarizante. Alguns percebem Ange ou Démon como sensual e outros como mórbido. Curiosamente, o perfume foi lançado em alguns países com o nome Ange ou Étrange – um bom nome e que não ofende sensibilidades religiosas.

BlackOrchid5. Black Orchid (Tom Ford, 2006). Gótico, misterioso e excêntrico, este perfume de Tom Ford aposta no tema da escuridão e reúne notas como chocolate, orquídea, gardênia, trufa (fungo) e groselha – todas em sua variação negra. A saída floral fresca logo abre caminho para um coração de orquídea negra, especiarias diversas e notas frutadas. Na secagem, surge um aspecto esfumaçado de incenso em meio a notas gourmandes de chocolate amargo e baunilha. Intenso e opulento, Black Orchid cai melhor à noite e requer autoconfiança.

Londo6. London for Men (Burberry, 2006). Revestido com tecido no padrão da marca, o frasco é uma atração em si. Esta fragrância tem um lado aromático especiado (lavanda, bergamota e canela), outro herbáceo e mentolado (musgo de carvalho e hortelã) e outro amadeirado-ambarado (couro, opoponax, tabaco e gaiaco). London for Men é um perfume que divide opiniões. Alguns acham que a lavanda incomoda e desequilibra seu caráter oriental, outros acham que ele serve como um aconchegante casaco que protege do frio. Mas todos concordam que não dá pra ficar indiferente.

7. PrincessPrincess (Vera Wang, 2006). Feito para meninas de gosto doce, Princess vai do fresco e cintilante ao gourmand e cremoso. O perfume abre com um acorde cítrico-aquático rodeado de maçã e damasco. O aroma frutado vai se encorpando com notas de goiaba, tuberosa, tiaré e chocolate amargo. Princess tem um dry-down polvoroso e açucarado, agregando uma base de baunilha, âmbar e madeiras nobres. O perfume acaba sendo uma opção diferente para quem não abre mão de um gourmand.

Terre8. Terre (Hermès, 2006). Terre d’Hermès nasceu da ideia de conceber um perfume que contivesse em si a origem, o solo, as raízes. A partir daí, seu perfumista conseguiu harmonizar elementos provocantes como a laranja e a pimenta com elementos austeros como o vetiver. A combinação é amalgamada com a doçura de resinas. O resultado é um perfume fresco e denso, brincalhão e sério, moderno e clássico. Terre d’Hermès desempenha bem em todos os quesitos e pode ser usado em todas as ocasiões, principalmente para o trabalho.

Perles9. Perles (Lalique, 2006). A nota de patchouli pode ser trabalhada tanto com um ângulo úmido e terroso como cacau quanto fresco e canforado como menta. Lalique escolheu a segunda opção e adicionou pimenta e musgo do carvalho para enfatizar o aspecto orgânico do perfume. Notas polvorosas de íris e rosa constituem o coração da fragrância, que tem como base patchouli, vetiver, madeira de caxemira e almíscar. Perles não é um perfume feito para “causar”, mas sim para acalmar e reconfortar.

FemmeMB10. Femme (Montblanc, 2006). Femme de Montblanc é um moderno oriental floral com nuances tropicais e gourmands. Com uma saída frutada e picante de bergamota, abacaxi, framboesa, pêssego, cardamomo e canela, o perfume segue com um buquê atalcado de rosa, jasmim, heliotrópio e flor de laranjeira. Na evolução, um acorde oriental de patchouli, âmbar, vetiver e musk deixa para trás um delicioso rastro de chocolate amargo.

StellaInTwoPeony11. Stella in Two Peony (Stella McCartney, 2006). Três anos depois do incrível sucesso de sua fragrância assinatura, Stella, a designer inglesa resolve lançar uma nova criação, mantendo o tema de rosa, porém acrescentando uma nota marcante de peônia. Trata-se de um buquê de rosa e peônia temperado com pimenta preta e apoiado sobre uma base terrosa e encorpada de cedro, patchouli, âmbar e musk. O resultado é um aroma floral denso e potente, moderno e envolvente.

LHomme12. L’Homme (Yves Saint Laurent, 2006). Por ser ancorado no gengibre, este perfume é um amadeirado especiado bem versátil, de pungência moderada. Notas cítricas dão um tom fresco, assim como notas de manjericão e folha de violeta dão um tom aromático. Vetiver e cedro aparecem como notas de fundo que dão textura e sustentam toda a composição. L’Homme é também perfeito para usar no trabalho sem causar polêmica. Seu flanker La Nuit de l’Homme é, todavia, muito mais conhecido.

TheOne13. The One (Dolce & Gabbana, 2006). Feito para chamar atenção, The One é um perfume floral frutado com muita baunilha. As frutas funcionam como nota de topo e exalam suculência e frescor – pêssego, ameixa, lichia, mandarina e bergamota. O cerne da fragrância consiste de flores brancas, criando uma aura feminina exuberante. Para valorizar a suavidade das frutas, a madeira escolhida para a base é o vetiver. Baunilha, âmbar e almíscar completam a criação com um rastro macio e polvoroso de creme de pêssego.

PradaMen14. Prada Amber pour Homme (Prada, 2006). Este perfume é ancorado num acorde âmbar rico e complexo com notas de labdanum, baunilha, patchouli e fava tonka. Esta é uma fragrância multifacetada. Além do seu acorde principal, também tem um lado aromático com um aspecto soapy (gerânio, vetiver, flor de laranjeira e mirra), um lado cítrico-picante (bergamota, mandarina, néroli e cardamomo) e um lado couro-amadeirado (couro, sândalo e açafrão). Prada Amber é um perfume refinado, com um clima metade limpo e metade chique.

JuicyCouture15. Juicy Couture (Juicy Couture, 2006). A marca pode ser pouco conhecida no Brasil, mas seu perfume assinatura foi o vencedor do prêmio FiFi de melhor fragrância em 2006. A saída é bem refrescante e aquática com notas de melancia, maracujá, mandarina e folhas verdes. O coração é floral (tuberosa e muguê) e evolui para uma base doce e cremosa de baunilha, caramelo e patchouli. Juicy Couture é complexo e multifacetado, deixando um delicioso rastro de crème brûlée por onde passa.

LLolita16. L de Lolita (Lolita Lempicka, 2006). Praticamente um gourmand, L de Lolita é uma interessante fragrância que produz um aroma de biscoitos assados. O acorde de immortelle e canela é implacável e ressaltado por uma base rica em baunilha, fava tonka, sândalo e musk. L de Lolita é mais indicado a quem realmente gosta de perfumes doces e que sempre sentiu falta de um toque mais picante. Apesar de intenso, não é um perfume que deixa grande rastro.

EuphoriaMen17. Euphoria Men (Calvin Klein, 2006). Depois do incrível sucesso de vendas de Euphoria, Calvin Klein prossegue com Euphoria Men, um discreto e elegante amadeirado especiado. Com uma saída adstringente e especiada de sálvia, manjericão, gengibre e pimenta preta, a composição aos poucos revela um corpo mais seco e amadeirado de cedro, patchouli, camurça, âmbar e musk. Do verde e mentolado, Euphoria Men se torna quente e macio, porém sem o mesmo impacto que o Euphoria feminino.

Code18. Armani Code for Women (Armani, 2006). Este é um perfume intoxicante, especialmente com sua saída melíflua e atalcada. As notas mais dominantes são mel, baunilha, laranja e flores brancas que, trabalhando juntas, produzem um efeito doce e floral quase gourmand. A saída de sândalo adiciona cremosidade à composição, deixando um rastro sensual no ar. Por sua potência e doçura, Armani Code for Women é mais recomendado para a noite, quando se quer impressionar ou seduzir.

DonnaKaranGold19. Donna Karan Gold (Donna Karan, 2006). Esta esquecida fragrância de Donna Karan, lançada antes da explosão de sua segunda marca DKNY, trata-se de um sofisticado oriental floral. De um lado, uma nota de lírio ilumina a composição; de outro, o âmbar seduz com seu calor inerente. Para conferir complexidade, Donna Karan Gold leva também folha de violeta, jasmim, acácia, cravo-da-índia e patchouli. Feminino e potente.

Inside20. Inside (Trussardi, 2006). Com um frasco revestido de pele de crocodilo (marca registrada da casa), Inside aposta na sofisticação das madeiras, adicionando um acorde semigourmand. Assim, o perfume abre luminoso com bergamota, néroli e pimenta vermelha, antes de fazer emergir uma dupla intoxicante de café e amêndoas. Tudo isso é sustentado por um fundo de madeira teca, âmbar e musk que apenas conserva e valoriza o aroma literalmente gostoso da fragrância.

RockNRose 21. Rock’n Rose (Valentino, 2006). Anunciado como um perfume romântico e provocante, Rock’n Rose de Valentino gira em torno de uma rosa iluminada por flores brancas (lírio-do-vale, gardênia, flor de laranjeira). A composição ganha um topo refrescante de cítricos, folhas verdes e cassis, enquanto é sustentada por um acorde base polvoroso e adocicado de heliotrópio, orris, sândalo, baunilha e musk. Uma fragrância bem mais madura e elegante do que se propõe.

Selection22. Boss Selection (Hugo Boss, 2006). O designer alemão possui uma linha diferenciada de roupas chamada “Selection”, o que acabou sendo uma ótima desculpa para lançar mais uma fragrância. Mantendo o DNA limpo e genérico de Hugo Boss, o perfume é rico em cítricos (bergamota, mandarina, toranja) e almíscares sintéticos. Um toque de anis, pimenta rosa, gerânio e patchouli confere um pouco de personalidade. Boss Selection é uma fragrância neutra, feita para quem não quer ser notado por ela.

Rumeur23. Rumeur (Lanvin, 2006). Também conhecida por “Rumeur 2” (o original, completamente diferente, foi lançado em 1934), esta fragrância é um suave floral musky. Assinado por Francis Kurkdjian, Rumeur gira em torno de uma rosa “ameixada” com toques luminosos de aldeídos, magnólia, flor de laranjeira, muguê e jasmim. Sua base fica a cargo de um acorde moderno de patchouli, âmbar e musk. Limpo, bonito e delicado.

FByFerragamo24. F by Ferragamo (Salvatore Ferragamo, 2006). F by Ferragamo busca capturar a essência das flores mais populares da perfumaria: rosa e jasmim. A primeira é enriquecida com violeta, enquanto a segunda ganha a companhia de flor de laranjeira. Uma alta dose do sintético aurantiol confere um efeito de bala de uva à composição, o que pode ser um motivo para amá-la ainda mais, ou simplesmente detestá-la.

TFMen25. Tom Ford for Men (Tom Ford, 2007). Assim como o pior filme de Almodóvar consegue ser melhor do que a média, Tom Ford for Men agrada mesmo sendo o perfume mais tímido do designer. Trata-se de um amadeirado especiado feito para um típico homem na faixa dos 30 a 50 anos que apenas busca uma fragrância agradável e elegante. Tom Ford for Men é uma composição simples e eficiente com notas marcantes de laranja, gengibre e tabaco, apoiada sobre uma base seca e amadeirada. Não deixe de provar a versão intensa, Tom Ford for Men Extreme.

CH26. CH (Carolina Herrera, 2007). Com uma salada de frutas tropicais na saída, CH em minutos revela um coração floral oriental com notas de jasmim, rosa, canela e praline. Mesmo com a mistura de frutas com chocolate, a fragrância não se torna tão doce quanto pode parecer, provavelmente por causa da harmonia com as notas cítricas e florais. Cashmeran na base traz maturidade e classe à composição. O resultado é um perfume sexy e cremoso para uma mulher adulta e decidida.

TrussardiInside27. Inside for Men (Trussardi, 2007). O espírito italiano de ser está embutido nesta fragrância do designer de artigos de couro Trussardi. Seu frasco é revestido de uma ilustração de pele de crocodilo, a marca registrada da casa. A estrutura de Inside for Men é resultante da harmonia entre as notas amadeiradas (cashmeran e teca) e a nota estridente de café. A saída é bastante fresca e aromática, constituída de notas de bergamota, yuzu e manjericão. Na secagem, aparecem as notas de pimenta branca e musk. É bom. É fino. É caro.

Elle28. Elle (Yves Saint Laurent, 2007). Difícil de não gostar deste macio e delicado floral almiscarado. Elle é construído ao redor da rosa, agregando notas de lichia, pimenta rosa e frésia para ressaltar o caráter frutado da flor. Um acorde de limão siciliano, gardênia e jasmim ajudar a compor uma atmosfera fresca e cintilante, enquanto uma base de madeiras secas e musk confere um aspecto limpo e sedoso. Elle é o perfume feito para o dia a dia da menina-moça, casual e sofisticado.

KellyCaleche29. Kelly Calèche (Hermès, 2007). A essência da casa Hermès – famosa por seus produtos à base de couro – é ilustrada nesta fragrância inspirada na famosa bolsa Kelly. O perfume tem uma sofisticada nota de couro cercada de toranja, rosa e íris, que conferem suavidade e delicadeza à criação. Kelly Calèche é uma ótima opção para mulheres mais jovens que já desenvolveram um gosto refinado e elegante e que querem se diferenciar do aroma floral-frutado ou gourmand dos perfumes mais batidos.

FuelForLife30. Fuel for Life Homme (Diesel, 2007). A melhor opção da marca Diesel para homens, Fuel for Life Homme é capaz de seduzir as mocinhas com sua nota fantasia de morango. Digo fantasia porque é praticamente impossível (ou inviável) transportar o aroma do morango natural para uma fragrância, mas há meios de criá-lo sinteticamente. O segredo de Fuel for Life Homme é que por trás desse morango está o acorde clássico de cumarina, lavanda e anis. Este é um daqueles perfumes que, inspirados no clássico, encontraram seu espaço no mundo moderno.

FuelForLifeMen31. Fuel for Life (Diesel, 2007). À primeira vista, Fuel for Life lembra muito o Coco Mademoiselle – um chipre moderno com mandarina no topo e muito patchouli na base – mas evolui de forma diferente. O perfume abre cítrico com uma pimenta rosa adstringente, revelando um coração de jasmim com noz-moscada. A base amadeirada aparece pouco tempo depois, sustentando o acorde floral-frutado-especiado com uma nuance verde de vetiver. Devido ao marcante patchouli na base, Fuel for Life não é para meninas e sim para mulheres maduras.

Funny32. Funny (Moschino, 2007). Este é um perfume energizante e revitalizante, daqueles que você aplica e já se empolga. Esse efeito é devido à eficiente combinação de pimenta rosa com laranja amarga. Depois de alguns instantes a fragrância evolui para um tom reconfortante de chá e jasmim com um fundo gostoso de cedro, âmbar e musk. Apesar do nome despretensioso, Funny tem ótima silagem e é perfeito para o ambiente de trabalho pois não incomoda ninguém.

NarcisoHim33. Narciso Rodriguez for Him (Narciso Rodriguez, 2007). Assim como todos desta seleção, este perfume é polarizante, dividindo opiniões por conta de sua enorme nota de folha de violeta. Sabe aquele cheiro forte e amargo de folha espessa e aveludada? Tudo bem que outras fragrâncias tenham essa nota, mas no caso do Narciso Rodriguez For Him ela é bem crua e pode intimidar. O âmbar e o patchouli dão um toque de chocolate extra-amargo e o almíscar dá uma amaciada em tudo isso. Este perfume certamente colocará você no centro das atenções.

VersaceFemme34. Versace pour Femme (Versace, 2007). Donatella Versace queria lançar um perfume moderno e descolado e o resultado foi Versace – um floral frutado construído por notas de flores exóticas e frutas tropicais. A fragrância abre com uma sensação fresca e úmida de orvalho da manhã por conta da combinação de goiaba, groselha e lilás. No centro da composição detectamos notas florais de jasmim, flor de lótus, orquídea e azaleia. A secagem se revela macia com um toque de madeira de caxemira e almíscar.

GucciPHII35. Gucci pour Homme II (Gucci, 2007). Esta fragrância é daquelas que têm um cheiro espetacular, mas que duram apenas três ou quatro horas na pele. Mas por que está nesta seleção? Porque é tão boa que vale a pena transferir para um porta-perfume e reaplicar durante o dia. Gucci pour Homme II é uma fragrância única que mescla dois opostos: o fresco através de notas de chá preto, folhas de violeta e bergamota e o intenso através de notas de tabaco, mirra e pimenta malagueta, tudo isto envolto num cobertor de almíscar. O resultado é elegante e moderno, difícil de ser rejeitado.

Daisy36. Daisy (Marc Jacobs, 2007). Investindo num frasco estiloso com duas margaridas na tampa, Marc Jacobs propõe um floral musky e aquático. Aqui o nome do perfume é pura fantasia, já que a composição não leva nota de margarida, mas sim um acorde de violeta, gardênia e jasmim. Para refrescar, notas de toranja, folha de violeta e morango trazem um aspecto agridoce e ozônico. Simples de tudo, Daisy conclui com musk e baunilha, deixando um rastro delicado e polvoroso no ar.

Amethyst37. Amethyst (Lalique, 2007). Aprofundando a ideia de frutas vermelhas já ensaiada em sua fragrância assinatura, Lalique apresenta este floral frutado com notas marcantes de morango, groselha, amora e cassis. Depois de uma saída intensamente púrpura como o nome, a fragrância parte para um centro floral inebriante e corpulento de rosa, ylang-ylang e pimenta preta. A base composta de madeiras nobres, baunilha e musk equilibra bem o potential aspecto de xampu com um clima de sofisticação.

BlackSun38. Black Sun (Salvador Dalí, 2007). Para fazer uma interpretação olfativa escura do sol, o perfumista Antoine Lie mesclou acordes aromáticos e balsâmicos. De um lado, notas herbáceas como manjericão, sálvia, gerânio, abeto, cedro, e vetiver propiciam uma aura seca e especiada; de outro, notas encorpadas de labdanum, fava tonka e baunilha formam um aspecto cremoso e adocicado. Black Sun resulta num oriental especiado bem próximo ao Code masculino da grife Armani.

Montaigne39. Montaigne (Caron, 2007). Montaine é um oriental floral construído em torno da multifacetada nota de mimosa (acácia). Um tanto old school, a composição abre adstringente com tangerina e coentro, anunciando um centro floral inebriante de mimosa, narciso e cassis. Montaigne segue com seu estilo vintage e tem um dry-down balsâmico de sândalo, âmbar e baunilha. O perfume deixa para trás um rastro doce, powdery e melífluo. Elegância feminina clássica.

MoonSparkle40. Moon Sparkle (Escada, 2007). A linha de fragrâncias da grife alemã Escada de nada lembra seu passado de elegantes e maduros chipres e fougères. Nos últimos dez anos, Escada tem eleito meninas-moças como seu público-alvo, criando perfumes florais frutados com frascos bem decorados e quase sempre beirando ao aroma de xampu. Seu maior best-seller hoje em dia é Moon Sparkle, uma combinação de maçã, framboesa, morango, rosa, jasmim, sândalo, âmbar e musk. Moon Sparkle é um xampu sabor bubblegum – daí o motivo do sucesso.

FByFerragamoPH41. F by Ferragamo pour Homme (Salvatore Ferragamo, 2007). Concebido por Olivier Polge, a fragrância assinatura da grife italiana é um fougère oriental que equilibra notas frescas e quentes. A partir de um acorde refrescante de maçã verde e lavanda, F by Ferragamo pour Homme esquenta com uma pimenta preta inserida no centro da composição. Na secagem, o perfume evolui para um fundo balsâmico de labdanum, couro e âmbar. Ou seja, F by Ferragamo pour Homme é um daqueles que mudam muito na pele e podem enganar ao provar na fita.

HappySpirit42. Happy Spirit (Chopard, 2007). Esta composição de Dominique Ropion é um floral musky de traços frutados e balsâmicos. Com um agradável topo refrescante de laranja amarga e framboesa, Happy Spirit segue com um delicado centro floral de madressilva, osmanthus e magnólia. A fragrância é sustentada por uma base de sintéticos como ambroxan, cashmeran e outros musks. O resultado final cumpre com a promessa de ser um perfume romântico e otimista.

LightBluePH43. Light Blue pour Homme (Dolce & Gabbana, 2007). Com muito menos sucesso comercial que a versão feminina, Light Blue pour Homme é um genérico cítrico aromático. A composição abre efervescente com um acorde de bergamota, toranja e mandarina, anunciando um centro herbáceo e especiado de zimbro, alecrim e pimenta preta. Para manter sua transparência durante a evolução, Light Blue pour Homme incorpora um fundo seco e esfumaçado de musgo de carvalho, incenso e musk. Sintético e comum.

Man44. Man (Calvin Klein, 2007). Simples e minimalista como seu nome, Man de Calvin Klein é um amadeirado especiado de nuances ozônicas e esfumaçadas. Abrindo com um acorde revigorante de cítricos, alecrim e folha de violeta, o perfume logo revela seu centro quente e especiado de louro, noz moscada, menta e incenso. Tudo isso é apoiado sobre uma base seca e amadeirada de cipreste, gaiaco, sândalo, âmbar e musk. Apesar do inusitado tom aquoso da nota de folha de violeta no começo, Man mantém o DNA limpo, fresco e inofensivo da marca.

XX45. XX (Hugo Boss, 2007). Feito para mulheres maduras e glamourosas, este é um descontraído floral frutado com leves toques gourmands. Abrindo alegre com notas de mandarina, lichia e cassis, XX logo passa a exalar um centro feminino de jasmim e rosa. Seu fundo fica a cargo de um acorde macio e confortável de arroz, sândalo, âmbar e musk. XX é uma fragrância leve e discreta, ideal para quem gosta de usar perfume apenas para si mesmo.

XY46. XY (Hugo Boss, 2007). O par masculino de XX é um amadeirado aromático um tanto sintético e comum. XY abre cítrico e adocicado com notas de bergamota e pera, trazendo na evolução um aspecto herbáceo e refrescante de menta e manjericão. Com um fundo de cedro, patchouli e musk, o perfume conclui com uma aura terrosa e esfumaçada, infelizmente genérica e esquecível. Vale a pena somente se estiver em promoção.

Diamonds47. Diamonds (Armani, 2007). Thierry Wasser compôs este perfume pouco antes de se tornar perfumista-chefe da casa Guerlain. Seguindo o gênero oriental floral, Diamonds inicialmente exala um acorde suculento de framboesa e lichia. Instantes depois, sua composição faz emergir um centro moderno de rosa e patchouli com nuances luminosas de flores brancas. Diamonds conclui com um equilibrado fundo de vetiver, âmbar e baunilha. Uma fragrância suave e despretensiosa para o dia a dia.

HeWood48. He Wood (DSquared2, 2007). Áspero e ozônico, He Wood é uma aposta da grife canadense ao colocar um acorde amadeirado como centro de um perfume. Em torno do acorde crispy e esfumaçado de vetiver e cedro, He Wood incorpora um topo floral aquoso de violeta (flor e folha) e um fundo balsâmico de abeto, labdanum e musk. Simples e linear, trata-se de uma fragrância sintética e transparente que, apesar de tecnicamente funcionar bem, não se destaca na multidão.

Infusion49. Infusion d’Iris (Prada, 2007). Este perfume abusa de íris e incenso para compor um dos melhores cheiros de banho do mercado. Infusion d’Iris tem um aspecto atalcado bem marcante e é perfeito tanto para ambientes mais descontraídos quanto para o escritório. Para quem gosta de se sentir limpo o dia todo, o Infusion d’Iris é tiro certeiro. Se você prefere fragrâncias mais secas, recomendo a versão masculina (Infusion d’Homme) – embora haja a divisão comercial ambos são bastante compartilháveis.

DiamondsForMen50. Diamonds for Men (Armani, 2008). O par masculino de Diamonds da grife Emporio Armani troca o foco nas frutas vermelhas pelo cacau. Criado por Jacques Cavallier, Diamonds for Men é inicialmente seco e levemente especiado graças às notas de bergamota, pimenta preta, gaiaco, vetiver e cedro. Meia hora depois da aplicação, o perfume traz à tona um delicioso aroma doce e cremoso de chocolate amargo. Com grande projeção e longevidade, Diamonds for Men é mais apropriado para a noite ou dias de inverno.

SheWood51. She Wood (DSquared2, 2008). Enquanto He Wood se trata de uma fragrância puramente amadeirada, a versão feminina adota o tema aquático com notas atalcadas. Inicialmente floral fresco com notas de limão siciliano, néroli e jasmim, She Wood evolui rapidamente para um coração polvoroso de heliotrópio, violeta e musk. O aspecto sintético é minimizado com uma base de vetiver, cedro e âmbar, que mantém a fragrância seca e macia. Feito para mulheres que usam perfumes masculinos.

InfusionDHomme52. Infusion d’Homme (Prada, 2008). Infusion d’Homme abusa de íris, neróli e vetiver para compor um dos melhores perfumes com cheiro de banho tomado que conheço. Tem um aspecto atalcado bem marcante sem se tornar feminino. Perfeito tanto para ambientes mais descontraídos quanto para o escritório. Para quem gosta de se sentir limpo o dia todo, o Infusion d’Homme é tiro certeiro. Se você prefere menos vetiver e mais íris, recomendo a versão feminina (Infusion d’Iris), que é perfeitamente compartilhável. Em 2015, o perfume foi renomeado para Infusion de Cèdre.

TheBeat53. The Beat (Burberry, 2008). Feito para ser um perfume vibrante como sugere o nome, The Beat tem uma saída adstringente de bergamota, mandarina, cardamomo e pimenta rosa. Em seguida, a composição parte para um delicado centro atalcado de chá e íris, anunciando um fundo seco e transparente de cedro, vetiver e musk. Feminino e atalcado, The Beat é uma fragrância agradável e equilibrada, apropriada para qualquer ocasião.

TheBeatForMen54. The Beat for Men (Burberry, 2008). O par masculino de The Beat é este amadeirado especiado que busca manter o mesmo aspecto simultaneamente macio e picante da versão feminina. Com um topo de violeta e pimenta preta, The Beat for Men desenvolve um centro herbáceo e ligeiramente soapy de tomilho e gerânio. Um fundo de vetiver e madeiras nobres fica responsável por manter a composição limpa e suave durante a evolução. O perfume, contudo, pode desapontar aqueles que preferem algo mais potente.

Pure55. Pure (Hugo Boss, 2008). Com a pretensão de ser uma fragrância intensamente refrescante, Pure de Hugo Boss emprega em seu topo notas cítricas de mandarina, toranja e limão siciliano, além de um suculento toque de figo. Na evolução, lírio aquático e jacinto formam um acorde floral aquoso que traz transparência à composição. Infelizmente, a base altamente sintética de Pure não consegue sustentar o perfume por mais de duas horas. Indicado para quem gosta de fragrâncias ao estilo de Biotherm.

OceanLounge56. Ocean Lounge (Escada, 2008). A cada ano a grife alemã lança uma fragrância para o verão. Em 2008, Escada apostou num frutado de nuances aquáticas. Ocean Lounge conta com um topo de pera, lichia, ameixa e morango, um centro de jasmim, violeta e mimosa, e uma base de madeira teca, âmbar e baunilha. Ocean Lounge é uma boa opção para quem busca um aquático adocicado.

EssencePorscheDesign57. The Essence (Porsche Design, 2008). Notas herbáceas e picantes são utilizadas neste aromático especiado para valorizar o contraste entre o gelado e o quente. De um lado, um acorde de mirtilo, zimbro, coentro e agulhas de pinho propicia uma aura verde e refrescante. De outro, um acorde de pimenta preta, incenso e patchouli constitui um aspecto balsâmico e esfumaçado. Apesar do frasco moderno e estiloso, The Essence acaba caindo no lugar comum das fragrâncias frescas sem muita personalidade.

Glamour58. Glamour (Moschino, 2008). Esta fragrância de Moschino propõe um interessante contraste entre o doce e o salino, entre o transparente e o encorpado. Abrindo com notas de tangerina, artemísia e sal, Glamour segue com um centro floral aquoso de lírio aquático, orquídea e hibisco. Na secagem, o perfume traz à tona um fundo ambarado e musky. Quando foi lançada, a pouco usual nota salina não favoreceu a aceitação da fragrância – talvez hoje ela teria tido maiores chances.

Adventure59. Adventure (Davidoff, 2008). Inspirado pela natureza indômita do homem, Adventure foi criado pelo perfumista Antoine Lie com notas amadeiradas e especiadas. A composição abre com um acorde refrescante e adstringente de bergamota, mandarina, limão, chá, pimenta preta e mate. Em seguida, Adventure desenvolve um inusitado centro de gergelim e pimentão apoiado sobre um fundo seco e amadeirado de cedro, vetiver e musk. Infelizmente, o resultado não é tão potente quanto se espera. Uma curiosidade: toda publicidade do perfume foi baseada em fotos da floresta amazônica.

Jeanne60. Jeanne Lanvin (Lanvin, 2008). Para compor um floral frutado romântico e delicado, Anne Flipo estabeleceu para Jeanne Lanvin um topo refrescante de limão siciliano, pera, framboesa e amora, um centro luminoso de frésia, peônia e rosa, e um fundo consistente de sândalo, âmbar e musk. Bem equilibrada, Jeanne Lanvin se torna uma fragrância bastante usável e apropriada para diversas situações.

Play61. Play (Givenchy, 2008). Adotando o gênero cítrico aromático, Play acabou ofuscado pelo seu flanker intenso, lançado ao mesmo tempo. Apesar do diferencial da nota central de flor de café, o perfume é basicamente uma mistura genérica de cítricos (bergamota, laranja, limão e mandarina) e pimenta preta sustentada por um fundo de patchouli e vetiver. Acaba parecendo um rascunho para o delicioso Play Intense.

B62. B (Boucheron, 2008). Apresentado em comemoração aos 150 anos da marca de joias e 20 anos da linha de fragrâncias, B de Boucheron foi concebido como um delicado floral frutado. A partir de um acorde brilhante e adocicado de damasco, osmanthus e flor de laranjeira, o perfume evolui para um centro quente e atalcado de rosa e especiarias. Uma combinação de cedro, sândalo e patchouli constitui a base da composição. B é um perfume seguro e harmonioso, feito para mulheres mais discretas.

HommExceptionnel63. Homme Exceptionnel (Montblanc, 2008). Ao contrário do que seu nome implica, Homme Exceptionnel é um perfume bom porém nada excepcional. Trata-se de um agradável amadeirado com saída intensa de laranja e coração genérico de menta, gengibre, lavanda, sálvia e café. Sua base constituída de cedro, sândalo, patchouli e musk oferece uma elegância discreta e inofensiva. Provavelmente a criação olfativa mais fraca e esquecível da grife alemã.

InsolenceEDP64. Insolence Eau de Parfum (Guerlain, 2008). Insolence é uma mistura de maquiagem com coquetel de frutas. As notas de cabeça consistem de frutas vermelhas e cítricas que logo abrem alas para um coração com cheiro de batom (acorde rosa-violeta). O perfume conclui sua performance com uma base balsâmica e polvorosa de íris, sândalo, fava tonka e almíscar. Uma ou duas borrifadas são suficientes para o dia todo. A versão EDT tem menos íris e é menos doce, porém tão espetacular quanto. Insolence é uma verdadeira obra-prima moderna da Guerlain.

DirtyEnglish65. Dirty English (Juicy Couture, 2008). Feita para os bad boys, Dirty English abre com notas frescas de mandarina, bergamota, cipreste e cardamomo. Seu coração consiste de notas de manjerona, sândalo e couro. O efeito impactante é garantido pela base de notas de cedro, vetiver, oud, ébano, musgo e almíscar. Aproveite porque Dirty English sai bem em conta. Vista sua jaqueta de couro e impressione as garotas.

MaDame66. Ma Dame (Jean-Paul Gaultier, 2008). Esta é uma fragrância que divide opiniões: alguns a consideram comum, outros inovadora; alguns reclamam do desempenho na pele, outros elogiam. De toda forma, Ma Dame fez sucesso enquanto esteve ativo no mercado, especialmente entre mulheres que curtem um floral delicado. Para fugir do lugar comum, o perfumista Francis Kurkdjian elegeu o acorde de romã e rosa como o coração da composição, ressaltando seu frescor com uma saída de laranja e preservando sua suculência com uma base de cedro e musk. Minimalista e incrível.

GucciByGucciPH67. Gucci by Gucci pour Homme (Gucci, 2008). Gucci by Gucci pour Homme é um chipre amadeirado com notas marcantes de tabaco e violeta. Na saída, o perfume exala um aroma cítrico e aromático de bergamota e cipreste, antes de se aprofundar num acorde de jasmim e tabaco. Durante o dry-down, a composição se aquece e se torna esfumaçada graças a um acorde de couro, âmbar, patchouli e elemi. Apesar do aspecto um tanto sintético, Gucci by Gucci é equilibrado e funciona bem na pele.

WhitePatchouli68. White Patchouli (Tom Ford, 2008). Tom Ford mantém sua assinatura limpa nesta interpretação da nota de patchouli. Em vez do típico aroma terroso, úmido e canforado, White Patchouli apresenta uma atmosfera fresca, delicada e brilhante. Este chipre floral moderno ressalta flores brancas como peônia, gardênia e jasmim, acrescentando limão, coentro e incenso para produzir sensualidade. No geral, White Patchouli é uma fragrância relaxante e sofisticada, ideal para uso no dia a dia.

1Million69. 1 Million (Paco Rabanne, 2008).  1 Million contém a molécula Safraleine criada pela Givaudan para remeter a dinheiro. Isso mesmo, este componente com traços de couro e açafrão é parte do segredo do perfume. A composição agregou notas especiadas e doces para trazer a aura de sensualidade e um pouco de malandragem, requisitos para qualquer playboy. Depois de tantos sucessos clássicos, sempre seguindo a assinatura de metal do estilista, 1 Million fez Paco Rabanne ressuscitar e hoje o perfume conta com inúmeros flankers, além da versão feminina. Um sucesso inegável, embora odiado por muitos.

Feerie70. Féerie (Van Cleef & Arpels, 2008)Féerie é um gênero teatral francês que consiste de contos repletos de efeitos fantásticos de palco. Aqui Van Cleef & Arpels une um belíssimo frasco todo lapidado com uma fada de metal na tampa a um líquido que inspira sonhos e magia. Féerie toma como cerne o acorde rosa-violeta, adicionando groselha e mandarina no topo para suavizar e vetiver na base para sustentar sem alterar o caráter leve e delicado da fragrância. A versão EDP é mais marcante, porém não espere grande silagem.

GuerlainHomme71. Guerlain Homme (Guerlain, 2008). Aqui a estrela é o mojito (uma caipirinha feita com rum no lugar da cachaça). A casa Guerlain acertou em cheio ao criar uma fragrância fresca e moderna que equilibra bem notas frescas (menta e limão), amadeiradas (vetiver e cedro) e licorosas (rum). Fez tanto sucesso que a Guerlain lançou diversos flankers evidenciando cada uma de suas notas: L’Eau (menta), L’Eau Boisée (vetiver) e Intense (rum). Apesar da leve vibe de balada, acho Guerlain Homme bastante apropriado para o ambiente de trabalho.

PACK_CHLOE_QE.eps72. Chloé (Chloé, 2008). A primeira versão desta fragrância foi lançada em 1975 e se tratava de um floral branco (tuberosa) rodeado de aldeídos e musgo de carvalho. A versão de 2008 é completamente diferente e tem a rosa como tema central, iluminada por lírio-do-vale e magnólia. Chloé mostra um equilíbrio perfeito entre a feminilidade e elegância da rainha das flores e a suavidade e o conforto do acorde de flores brancas. É um perfume bem contemporâneo e apropriado para qualquer ocasião.

VPH73. Versace pour Homme (Versace, 2008). Notas elegantes como rosa e jacinto e revigorantes como gerânio, sálvia e néroli somadas a âmbar e muito almíscar fizeram deste perfume um sucesso de vendas. Quem não gosta de uma fragrância com cheiro de amaciante de roupas sofisticado exalando por horas a fio na pele? Versace Pour Homme é perfeito para o clima brasileiro, pois é macio e refrescante, marcado pelo odor ácido e amargo do néroli, bem no estilo Acqua Di Gio. Sintético até não poder mais, porém gostoso e inofensivo.

TheOneforMen74. The One for Men (Dolce & Gabbana, 2008). Facilmente reconhecível nas baladas, The One é uma fragrância misteriosa e romântica. Este perfume diferencia-se da maioria pela nota grave de tabaco e suas notas especiadas: coentro, gengibre e cardamomo, com um leve toque cítrico. Apesar de bastante masculino, muitas mulheres o adotaram como fragrância assinatura. A performance de The One é bem limitada em termos de projeção – use junto com A*Men de Thierry Mugler e crie uma bomba caseira.

Power75. Kenzo Power (Kenzo, 2008). Flores, especiarias e resinas. Power é uma criação inovadora do designer Kenzo, que ofereceu ao público masculino um raro floral oriental. Suave e cremoso, este perfume não foge de sua pretensa virilidade. O lado delicado produzido pelas notas de íris, rosa e violeta é contido por um acorde oriental (labdanum-cardamomo) e uma boa dose de almíscar. Como o próprio nome diz, esta fragrância é poderosa e pode ser enjoativa a muitos. Use com moderação.

VivaLaJuicy76. Viva la Juicy (Juicy Couture, 2008). Com uma aura mais lúdica, esta fragrância foi feita mais para meninas do que mulheres. No início, Viva la Juicy tem cheiro de bolo de frutas com todo o seu aspecto doce e farinhento. Após alguns instantes as notas de jasmim, gardênia e madressilva ameaçam exalar mas logo são abafadas por notas de chocolate e caramelo. Algumas horas depois Viva la Juicy produz um rastro delicioso de confeitaria decorada com flores brancas. Este é um gourmand divertido e sem medo de ser feliz.

Roadster77. Roadster (Cartier, 2008). Perfeito para os fãs de perfume mentolado, porém sem vibe de barbearia e com muita classe, Roadster pode ser apreciado até mesmo por quem não gosta de fragrâncias com uma nota marcante de hortelã. A fragrância traz a secura e a terrosidade do vetiver com patchouli e a doçura fresca da baunilha com bergamota. Certamente este não é um perfume para adolescentes, mas sim para homens maduros que se identificam com fragrâncias sérias e, ao mesmo tempo, casuais.

JasminNoir78. Jasmin Noir (Bvlgari, 2008). Concebido para mulheres acima de 30, Jasmim Noir é uma fragrância que combina o feminino com o masculino. De um lado, um acorde leve e delicado de notas verdes, alcaçuz, gardênia, jasmim e amêndoas; de outro, um acorde robusto e denso de patchouli, fava tonka, âmbar e madeiras nobres. O resultado é um luminoso jasmim coberto por uma atmosfera escura e misteriosa. O destaque de Jasmim Noir fica por conta da interação do jasmim com alcaçuz e amêndoas, que se mantém firme mesmo com uma base tão dominante.

Tokyo79. Tokyo (Kenzo, 2008). Descrito pelo designer japonês como as luzes da cidade à noite, Tokyo tem um acorde amarelo (gengibre, limão, toranja), um acorde verde (chá), um acorde vermelho (pimenta rosa, laranja amarga) e um acorde escuro (gaiaco, cravo-da-índia, noz moscada). O resultado é um agradável amadeirado especiado que equilibra bem seus lados aromático e oriental, tornando-se bastante versátil.

SexyLittleThings80. Sexy Little Things (Victoria’s Secret, 2008). A famosa grife de lingerie oferece às brasileiras aquilo que elas mais gostam: fragrâncias frutadas e frascos elaborados. Sexy Little Things abre com um coquetel de limão, maçã, pera, abacaxi, graviola, amora, cranberry, nectarina e ameixa. O aroma intoxicante ganha, em seguida, uma roupagem floral de rosa, orquídea, jasmim e lírio-do-vale, num misto de suculência e polvorosidade. A composição incorpora, no dry-down, uma base cremosa e amendoada de âmbar, fava tonka, baunilha, madeiras nobres e musk.

White81. Lalique White (Lalique, 2008). Lalique White, além de seu frasco extraordinário, tem aroma, projeção e fixação admiráveis. O acorde clássico de colônia recebe notas de especiarias (pimenta, noz moscada e cardamomo), além da exótica nota de tamarindo. Esta fragrância é limpa, refrescante e afiada, caindo bem em ambiente casual ou profissional. Quem gosta, mas sempre achou colônia coisa de velho, precisa experimentar Lalique White.

Essence82. Essence (Narciso Rodriguez, 2009). Seguindo a assinatura polvorosa de Narciso Rodriguez, o perfumista Alberto Morillas desenvolveu uma fragrância com a combinação de notas de íris, rosa, musk e benjoim. Essence é um desses perfumes fáceis de presentear, pois tem um aroma de sabonete misturado com talco, hidratante e amaciante de roupas. Ou seja, um cheiro limpo e confortável. A diferença é que o perfume não fica rente à pele como um creme, mas sim projeta uma aura poderosa.

Parisienne83. Parisienne (Yves Saint Laurent, 2009). Vinte e cinco anos depois do lançamento do icônico Paris, a grife Yves Saint Laurent decidiu reconvocar a perfumista Sophia Grojsman para criar uma versão mais agradável para a nova geração. Parisienne é um floral frutado que abre com amora e cranberry, além de uma esquisita nota de vinil que remete a nécessaire de maquiagem. No coração, um acorde de rosa, peônia e violeta mantém certa identidade com o original. Uma moderna base de sândalo, vetiver, patchouli e musk conclui a composição.

LolitaSi84. Sì Lolita (Lolita Lempicka, 2009). Em estilo retrô, Lolita Lempicka oferece este perfume de personalidade extravagante. Depois de uma curta abertura cítrica, Sì Lolita passa a exalar um acorde picante e amargo de pimenta rosa, ervilha de cheiro, heliotrópio, elemi e goivo. No dry-down, a composição se adoça com notas de patchouli, fava tonka e âmbar. Sì Lolita poderia facilmente ser uma fragrância masculina, pois seu aspecto é predominantemente seco, picante e ambarado.

CHMan85. CH Men (Carolina Herrera, 2009). A estilista venezuelana Carolina Herrera tem tantas criações com nomes similares que é fácil confundi-las. CH Men é aquele que tem o frasco envelopado preto com uma fita vertical vermelha. Na saída, ele é bastante fresco, com notas herbáceas e cítricas. Depois evolui para um coração floral-especiado de jasmim, violeta, açafrão e noz moscada. Na secagem CH Men mostra seu lado oriental quase gourmand, com notas de âmbar, baunilha, couro e madeiras nobres. Seu elemento secreto deve ser o aroma de cana-de-açúcar, que cai muito bem em um encontro romântico.

Idylle86. Idylle (Guerlain, 2009). Com a ambição de criar um néctar de flores, a casa Guerlain começou por escolher a rosa búlgara (em vez da fresca rosa de maio) por causa de seus tons frutados de framboesa e lichia. Foram adicionadas à composição notas de lírio-do-vale, lilás, peônia, frésia e jasmim. Idylle tem em sua estrutura o acorde chipre e uma boa dose de musk para produzir a sensação de conforto e relevo. O resultado é uma fragrância marcante e fresca, sensual e discreta, acima de tudo agradável e bonita.

GreyVetiver87. Grey Vetiver (Tom Ford, 2009). Para quem ainda não gosta de vetiver, este perfume é um bom ponto de partida. Apesar de o vetiver ser um tipo de capim com aroma tipicamente seco e amargo, Tom Ford deu um tratamento diferente a ele neste caso e deixou-o muito mais leve, a ponto de pessoas avessas à nota gostarem do resultado. O capim é suavizado com notas cítricas, amadeiradas e especiadas. Perfeito para o profissional que deseja ter uma imagem mais séria e moderna.

CoconutPassion88. Coconut Passion (Victoria’s Secret, 2009). A febre de Victoria’s Secret continua com esta composição floral lactônica e gourmand. Coconut Passion tem uma saída cremosa e intoxicante de coco, baunilha e amêndoas com um toque boozy de Malibu. Na evolução, o aspecto gourmand emerge como uma mistura de bolo, mel, cookies e bala toffee. Notas coadjuvantes de camomila e aloe vera trazem uma sensação lânguida e relaxante.

RicciRicci89. Ricci Ricci (Nina Ricci, 2009). Apresentado como uma fragrância para as heroínas urbanas e glamourosas, Ricci Ricci é um moderno chipre floral com uma faceta bastante amarga. Abrindo intensamente ácido e vegetal com um acorde de bergamota e ruibarbo (remete a talo de alface), a composição aos poucos vai revelando seu feminino centro de rosa e tuberosa. O fundo fica a cargo de um sofisticado dueto de sândalo e patchouli. Ao mesmo tempo em que a marcante nota de ruibarbo torna Ricci Ricci único, a mesma também o torna polêmico e controverso. Feito para mulheres maduras e elegantes.

OnlyTheBrave90. Only the Brave (Diesel, 2009). Na forma de um oriental amadeirado, esta fragrância de Diesel foi concebida para homens determinados e valentes. Brincando com opostos, o perfume combina um acorde aromático (bergamota, limão, coentro, violeta) e outro balsâmico (labdanum, benjoim, estoraque, couro). Assim, Only the Brave atenua sua tendência quente e envolvente, deixando-o equilibrado para uso diário. O resultado é uma fragrância juvenil, boa porém sem grande repercussão.

MariveGroove91. Marine Groove (Escada, 2009). Desta vez puxando mais para o lado floral que frutado, esta fragrância de Escada agrega uma nota de maracujá apenas como coadjuvante. O foco está mesmo em seu centro de peônia e jasmim, mantendo a aura tropical da saída. Devido a uma base fortemente sintética de musks, Marine Groove, assim como um xampu, não se sustenta por muito tempo e tem curta duração na pele.

EncreNoirePourElle92. Encre Noire pour Elle (Lalique, 2009). Enquanto a versão masculina teve grande repercussão por trazer o vetiver de volta à moda, além de explorar muito bem o efeito esfumaçado do sintético Iso E Super, a perfumista Christine Nagel decidiu colocar como protagonista de Encre Noire pour Elle a nota de rosa. Com toques luminosos de bergamota, frésia e osmanthus e musky de ambrette e Kephalis (entre outros sintéticos), o perfume resulta numa rosa densa e frutada que deixa para trás um rastro quente e incensado. Sofisticado e levemente retrô.

Challenge93. Challenge (Lacoste, 2009). Graças à atratividade da marca, Lacoste vendeu muitos frascos deste genérico amadeirado aromático. A partir de um topo cítrico e efervescente de bergamota, tangerina e limão siciliano, Challenge parte para um caminho mais aromático e luminoso de néroli, violeta, gengibre e lavanda. Infelizmente a alegria dura pouco, pois logo um fundo comum de madeiras sintéticas emerge, abafando a agradabilidade do perfume.

EauMega94. Eau Mega (Viktor & Rolf, 2009). Apostando num gênero pouco atraente para o público feminino em geral, a grife holandesa oferece um floral aquático de fortes traços verdes. Eau Mega abre refrescante e ozônico com um acorde de limão siciliano, pera, manjericão e folha de violeta. Em seguida, a composição mostra um centro feminino e delicado de jasmim e peônia sustentado por um fundo de sândalo e musk. Acima de tudo limpo e refrescante, Eau Mega é recomendado para amantes de perfumes de bem-estar.

Orange95. Orange for Women (Hugo Boss, 2009). A submarca Orange de Hugo Boss, que tem como alvo o público mais jovem e dinâmico, apresenta a versão feminina de um de seus maiores best-sellers. Inspirado em mulheres otimistas e cheias de energia, Orange for Women abre com uma nota refrescante de maçã, antes de adentrar um centro de flor de laranjeira. Na evolução, a fragrância se torna mais quente e encorpada graças a um acorde base de oliveira, sândalo e baunilha. Torta de maçã em formato perfume.

Free96. CK Free (Calvin Klein, 2009). Quem lê a lista de notas desta fragrância certamente espera algo interessante: zimbro, absinto, jaca, anis, café, tabaco, camurça, patchouli, carvalho… Infelizmente nada disso bate com o teste da vida real. CK Free é basicamente uma água perfumada comum e altamente sintética que só pode ter sido pensada para quem não entende ou não gosta de perfume. “Livre” de qualquer coisa, inclusive de cheiro.

Cascade97. Cascade (Chopard, 2009). Centrado no acorde de orquídea e cereus (flor de cacto), Cascade tem uma saída fresca e adstringente de mandarina, toranja e pimenta rosa. Na evolução, o perfume ganha um aspecto macio, cremoso e adocicado graças ao seu fundo de madeiras nobres, âmbar e musk. O resultado é um floral tropical de aura polvorosa e agradável, ainda que ganhe um tom sintético e enjoativo em suas últimas horas.

MidnightInParis98. Midnight in Paris (Van Cleef & Arpels, 2009). Este perfume da joalheria Van Cleef & Arpels veio para dar uma modernizada em sua linha de fragrâncias masculinas. Seu frasco merece ser mencionado como um dos mais bonitos da perfumaria. Midnight in Paris tem uma vibe quase gourmand e arrisca-se no couro. Como o próprio nome diz, é um perfume para a noite, repleto de notas doces como fava tonka, benjoim e amêndoas e algumas mais leves como chá e frutas cítricas. Foi um dos últimos a serem descontinuados, mesmo com a indignação de milhares de fãs.

CoutureCouture99. Couture Couture (Juicy Couture, 2009). Este é um feminino oriental floral construído em torno do acorde ameixa-jasmim. Com uma saída refrescante de bergamota, toranja e flor de laranjeira, Couture Couture exibe seu tema central apoiado sobre uma base de sândalo, âmbar e baunilha. Com seu aspecto inebriante e suculento, o perfume tem uma vibe ligeiramente retrô e oitentista, porém amenizada com sua faceta frutada mais moderna. Fresco, adocicado e equilibrado.

Lola100. Lola (Marc Jacobs, 2009). Este floral frutado de Calice Becker é um divisor de opiniões. Com seu extravagante frasco de cor roxa e tampa com enormes pétalas plásticas, Lola se apresenta como uma fragrância para mulheres que sabem o que querem e vão atrás. O perfume abre cintilante com notas de toranja, pera e pimenta rosa, logo desabrochando um delicado buquê de rosa (dominante), peônia e gerânio. No dry-down, Lola se torna doce e quente graças ao seu fundo de fava tonka, baunilha e musk. Doce e floral, sem qualquer novidade.

Anterior: 2000-2005

Próximo: 2010-2013

6 pensamentos sobre “2006-2009: Conformismo

  1. Fico impressionada com o que é gasto em embalagens, nas perfumarias de griffe. Quem dera eu tivesse acesso a vidraria fina…

  2. Ney Maciel, 30/11/15

    Olá Daniel; parabéns pelo seu trabalho. Gostaria de saber o significado de afiada para uma
    fragrância, assim como outros como crisp em sites como basenotes.

    Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s