2010-2013: Extremos

2010-2013Os primeiros anos desta década mostraram uma melhora no que era bom e uma piora no que era ruim. Marcas sérias e renomadas como Guerlain, Tom Ford, Lalique, Elie Saab, Bottega Veneta, Cartier, Hermès, Viktor & Rolf e Givenchy lançaram, no período, fragrâncias originais e bem elaboradas. A novidade do chipre moderno da década anterior ganhou criatividade por meio de licenças poéticas (uma nota de mel aqui, uma nota de chocolate ali). Da mesma forma, os orientais gourmands se tornaram complexos e multifacetados, com notas de guloseimas mais harmonizadas com o resto da composição. Por outro lado, nunca se vendeu tanto perfume de celebridade com aspecto genérico e sem graça. Na perfumaria masculina, a situação não é muito diferente. Parece que designers têm aproveitado a aceitação dos homens por fragrâncias mais comuns e sintéticas e levado isso ao extremo. Aromas de borracha queimada, giz em pó e musk salino-adocicado estão cada vez mais comuns e, surpreendentemente, endossados pelos usuários – um verdadeiro retrocesso aos anos 90. Todavia, sabe-se que a maioria dos clientes da perfumaria de nicho consiste de homens. Isto é, o público masculino está ainda mais polarizado que o feminino: ou se contenta com pouco, ou vai atrás do melhor do melhor.

Nota: Marcas de cosméticos, nacionais, celebridades e flankers têm sua página dedicada: CosméticosNacionais, Celebridades e Flankers

(ordem cronológica por ano de lançamento)

Bleu1. Bleu de Chanel (Chanel, 2010). Embora seja usado por muitos homens para o dia, Bleu de Chanel é ousado e cai bem à noite como sua própria campanha publicitária insinua. O que faz dele sexy? Pitadas de incenso, pimenta vermelha, gengibre e noz moscada envoltas numa atmosfera aquática. Para mim Bleu de Chanel remete à imagem de um homem moderno, com um look afiado e de intenções bem definidas. As mulheres adoram e só deve usar quem sabe dar conta.

FanDiFendi2. Fan di Fendi (Fendi, 2010). Curte um floral frutado sem abrir mão de sofisticação? A Fendi preparou para você uma fragrância à base de couro com notas florais e frutadas que dão um ar mais casual à coisa toda. Fan di Fendi abre bem frutado com um aroma cítrico e suculento (sem ser enjoativo) formado pelas notas de tangerina, pera e groselha. Depois de alguns minutos o perfume esquenta e revela notas intensas de jasmim, tuberosa e rosa. Na secagem, Fan di Fendi se mostra macio e amanteigado com um fundo de couro e patchouli.

StrictlyPrivate3. Strictly Private (Baldessarini, 2010). Mirando nos homens de alto nível, a marca exclusiva de Hugo Boss introduz um luxuoso frasco contendo um opulento oriental especiado. Com uma saída adstringente de bergamota, manjericão, zimbro e pimenta rosa, Stricly Private adentra um elegante acorde de rosa e patchouli. O perfume conclui com um fundo balsâmico de resinas e baunilha, com um toque de crême brulée. Sexy e refinado na medida certa.

Beauty4. Beauty (Calvin Klein, 2010). Ao contrário de Obsession e Euphoria que foram feitos para seduzir, Beauty é um perfume leve e delicado para mulheres maduras e sofisticadas. Sua composição minimalista trabalha em cima da nota de jasmim para realçar toda sua feminilidade. Cedro e musk compõem uma base seca e firme, porém macia e suave. Como indica também seu frasco curvilíneo, Beauty é uma homenagem à mulher.

FerrariUomo5. Ferrari Uomo (Ferrari, 2010). Com Ferrari Uomo, a marca italiana se inspira na aura mediterrânea, incorporando notas típicas da região, como bergamota, limão siciliano, zimbro e cedro. Todavia, para trazer sofisticação, o perfume recorre a um acorde seco e esfumaçado de couro, patchouli, fava tonka e labdanum. Ferrari Uomo é um excelente chipre couro modernizado.

LoveChloe6. Love (Chloé, 2010). Esta fragrância feminina e sofisticada tem como tema central notas polvorosas como íris, violeta, lilás, jacinto, heliotrópio e glicínia. Depois de uma curta saída de flor de laranjeira com pimenta rosa, Love gradualmente evolui para uma textura saponácea e macia de notas florais atalcadas. Horas depois da aplicação o perfume se torna bastante atalcado e macio com notas de arroz e musk. Love é um daqueles perfumes intimistas que pedem uma aproximação para serem bem apreciados.

Voyage7. Voyage d’Hermès (Hermès, 2010). Outro perfume com frasco notável, Voyage tem um inventivo formato de pen drive. Cardamomo é o grande protagonista da composição, que leva também notas cítricas, amadeiradas, almiscaradas, especiadas e chá. Infelizmente cardamomo é uma especiaria pouco utilizada na culinária brasileira, então pouco a conhecemos. Seu aroma canforado, cítrico e amargo combina com receitas de bolo e biscoitos. Versátil como o nome indica, Voyage é unissex e cai bem em qualquer ocasião.

LadyMillion8. Lady Million (Paco Rabanne, 2010). Dois anos depois da criação do famoso 1 Million, esta fragrância é lançada com um frasco em formato de diamante dourado ao invés de barra de ouro. Lady Million começa com um sopro fresco de laranja, framboesa e néroli e evolui para um corpo narcótico e doce de flores brancas e mel. Uma base de patchouli e âmbar acrescenta volume e doçura ao perfume. Lady Million projeta como uma bomba e é uma excelente escolha para os ambientes lotados de boates.

BvlgariMan9. Bvlgari Man (Bvlgari, 2010). Este é um complexo oriental amadeirado que une notas secas (folha de violeta, flor de Lótus, vetiver e cashmeran) a notas doces (pera, fava tonka, mel, âmbar e sândalo). A combinação cheia de contrastes propicia um interessante efeito: às vezes o perfume parece fresco; às vezes oriental. Notas de almíscar sintético na base deixam a secagem com uma gostosa aura de limpeza. Recomendado para quem curte fougères orientais.

Womanity10. Womanity (Thierry Mugler, 2010). Rumores dizem que este perfume foi inspirado no órgão sexual feminino, justificando a escolha incomum de suas notas – figo e caviar. Pode-se dizer que de um lado encontra-se um aroma lactônico, suculento e doce, e de outro um aroma salgado, denso e metálico (a nota fantasia de caviar é apenas uma maneira descolada de dizer sal). Essas duas polaridades constroem um efeito que pode ser tanto repelente quanto atraente. Womanity é, de qualquer forma, inventivo e revolucionário.

Eaudemoiselle11. Eaudemoiselle (Givenchy, 2010). Clássico e romântico, Eaudemoiselle é um perfume mais maduro e sério. A fragrância abre ácida com tangerina e manjericão, recebendo um coração de rosa e ylang-ylang – flor que costuma remeter a composições mais clássicas. A base de fava tonka e musk enriquece e traz cremosidade à criação. O resultado final é um perfume sofisticado, “classudo” e, acima de tudo, discreto. Eaudemoiselle é complexo e diferente.

Bombshell12. Bombshell (Victoria’s Secret, 2010). Refrescante e tropical, Bombshell tem um topo fresco e agridoce de tangerina, maracujá, cranberry, abacaxi e morango, anunciando o acorde central e floral de orquídea, peônia, jasmim e lírio-do-vale. Notas secas e esfumaçadas de musgo de carvalho, madeiras nobres e musks sintéticos são utilizadas na base para equilibrar a composição, evitando deixá-la enjoativa e funcional (aspecto de xampu).

Balenciaga13. Balenciaga (Balenciaga, 2010). Depois de ter descontinuado toda a sua linha clássica, a casa espanhola firma parceria com a Coty e lança este moderno chipre floral com nuances ozônicas e polvorosas. Concebida por Olivier Polge, Balenciaga é construída ao redor da folha e flor de violeta, portanto transmitindo um aspecto metálico e ozônico, limpo e macio. Uma nota de cravo é adicionada ao centro para trazer corpo e pungência, enquanto cedro e patchouli formam a base realisticamente natural e terrosa.

Flora14. Flora (Gucci, 2010). Esta é uma fragrância floral fresca (praticamente um chipre moderno) rica em notas cítricas e amadeiradas. A casa italiana segue a linha escura e terrosa com uma composição construída sobre uma base de patchouli e sândalo, porém desta vez com maior foco no dueto central de rosa e peônia. Um topo de cítricos e osmanthus confere um aspecto ao mesmo tempo vibrante e lânguido, misturando o casual com o sofisticado. Acima de tudo, Flora é um perfume alegre e feminino.

Guilty15. Guilty (Gucci, 2010). Com um chamativo frasco todo dourado com os Gs de Gucci entrelaçados, Guilty foi concebido para moças sexies e glamourosas. Depois de uma saída fresca de mandarina e pimenta rosa, a fragrância evolui para um equilibrado coração floral frutado de pêssego, lilás e gerânio. Um acorde de patchouli e âmbar sustenta a composição. Suave e atalcado, Guilty cai bem para o dia a dia.

FerrariRed16. Ferrari Red (Ferrari, 2010). Mesmo com um cítrico aromático, a marca italiana quis criar impacto. Para tanto, construiu Ferrari Red com um topo intensamente fresco e amargo de cítricos, gálbano, verbena, menta e petitgrain, um centro soapy e especiado de gerânio, jasmim, íris e noz moscada, e um fundo seco e macio de musgo de carvalho, cedro, sândalo e baunilha. Apesar de deixar um gostinho de quero mais em termos de fixação, Ferrari Red é uma fragrância competente dentro do que propõe.

Pure17. Pure DKNY (Donna Karan, 2010). Este delicado floral oriental de Donna Karan propõe momentos de pura diversão e relaxamento. Por trás dele está um projeto humanitário da grife que escolheu a baunilha da Uganda como tema principal para ajudar as mulheres daquele país. Pure DKNY conta também com notas de flor de lótus, rosa, jasmim, frésia, orquídea, sândalo e âmbar. Todo o material envolvido na confecção do frasco e embalagem do perfume é ecológico.

Bang18. Bang (Marc Jacobs, 2010). O designer americano Marc Jacobs se envolveu diretamente na confecção deste perfume, criado para o “homem contemporâneo que, mesmo não sendo jovem, tem um espírito jovial”. Adotando o gênero amadeirado especiado, Bang abre adstringente com notas de pimenta preta e rosa, seguindo para um centro seco de patchouli, vetiver e madeiras nobres. Na secagem, um acorde balsâmico de musgo de carvalho, incenso e benjoim traz o impacto sugerido pelo nome. Bang é uma fragrância competente para o dia a dia.

PlayForHer19. Play for Her (Givenchy, 2010). Dois anos depois de Play, a casa Givenchy decide lançar sua versão feminina. Seguindo o gênero floral oriental, Play for Her é centrado num buquê atalcado de orquídea, flor de tiaré, magnólia e amyris. Para trazer graça e leveza, a fragrância incorpora uma saída de bergamota, pêssego, flor de laranjeira e pimenta rosa. Na finalização, Play for Her faz emergir uma base quente e encorpada de sândalo, patchouli, benjoim, fava tonka e musk. Um perfume agradável e elegante.

AcquaDiGioia20. Acqua di Gioia (Armani, 2010). Quinze anos depois do lançamento de Acqua di Gio, a grife Armani decidiu criar uma versão mais refrescante de seu best-seller floral aquático, adicionando uma adstringente nota de menta ao acorde de açúcar e limão. Acqua di Gioia poderia ser confundido com aromatizador de ambientes se não fosse o bom uso das notas de jasmim e peônia, inicialmente abafadas pelas notas de cabeça. O fundo de cedro, labdanum e pimenta rosa segura lindamente uma composição descomplicada e fácil de gostar.

MarryMe21. Marry Me (Lanvin, 2010). Nenhuma outra fragrância foi tão direta com seu nome quanto Marry Me (“Case Comigo”). Previsivelmente romântica, a composição gira em torno de um cintilante buquê de frésia, magnólia, jasmim e rosa. Notas de laranja amarga e pêssego trazem frescor, enquanto um fundo de cedro, âmbar e musk confere um aspecto sedoso e delicado. Minimalista e com excelente performance, Marry Me é recomendado para mulheres (e homens) que curtem florais luminosos.

Oriens22. Oriens (Van Cleef & Arpels, 2010). Na forma de um chipre moderno de nuances gourmands, Oriens se apoia na estrutura mandarina-jasmim-patchouli. Uma nota de framboesa agrega doçura e leveza na saída, enquanto um acorde de âmbar, chocolate ao leite e baunilha propicia um aspecto cremoso e encorpado no dry-down. Oriens se mantém harmonioso do começo ao fim, equilibrando suas facetas de menina-moça e mulher madura.

Champion23. Champion (Davidoff, 2010). Com um frasco no formato de peso de academia, Champion é um chipre amadeirado de traços verdes e terrosos. Abrindo com notas cítricas de bergamota e toranja, o perfume adentra um coração herbáceo de gálbano e sálvia. Finalmente, Champion conclui com um acorde amadeirado de musgo de carvalho, cedro e musk. O resultado é comum e genérico, deixando a composição mais com cara de acorde do que perfume.

Attimo24. Attimo (Salvatore Ferragamo, 2010). Do italiano “momento”, Attimo é um translúcido floral aquático. A partir de um leve acorde de pera e flor de lótus, a composição desabrocha um buquê de peônia, gardênia e jasmim-manga. Tudo isso é sustentado por um fundo robusto de patchouli, cedro e musk. Attimo é um perfume limpo e refrescante, feito para mulheres delicadas e românticas que não estão à caça de elogios.

AttimoPH25. Attimo pour Homme (Salvatore Ferragamo, 2010). Attimo pour Homme é um perfume que busca equilibrar o fresco e o quente. De um lado, um acorde aromático de mandarina, cardamomo, menta, sálvia, manjerona e vetiver produz um efeito seco e revigorante. De outro, um acorde oriental de pimenta preta, açafrão, incenso, labdanum, patchouli e musk traz textura e sensualidade. Apesar de tecnicamente funcionar bem na pele, Attimo pour Homme não traz grande novidade.

FleurDeCristal26. Fleur de Cristal (Lalique, 2010). Concebido em homenagem aos 150 anos do nascimento do fundador da casa, René Lalique, Fleur de Cristal é um perfume que enfatiza a feminilidade por meio de um acorde luminoso de jasmim, ylang-ylang, cravo e lírio-do-vale. Um topo de bergamota e pimenta rosa traz frescor e leveza à composição, enquanto um fundo de sândalo, âmbar, cashmeran e musk confere conforto e sensualidade. Limpo e transparente, Fleur de Cristal exala como um sopro primaveril, infelizmente com curta longevidade na pele.

GuiltyPourHomme27. Guilty pour Homme (2011). Enquanto a versão feminina é mais macia e atalcada, seu par é um amadeirado aromático de caráter seco e refrescante. Sem muita novidade, Guilty pour Homme abre com um acorde de limão siciliano e lavanda, aos poucos revelando uma nota central de flor de laranjeira. A base é constituída de cedro e patchouli, firme o suficiente para garantir a performance do perfume por muitas horas. Não deixe de conferir a versão intense.

Signorina28. Signorina (Salvatore Ferragamo, 2011). O designer italiano de sapatos encomendou esta fragrância floral frutada concebida para moças chiques e descoladas. Signorina tenta capturar o espírito da Itália com notas femininas e sensuais. Depois de uma saída de pimenta rosa e groselha, a composição evolui para um exuberante buquê de jasmim, rosa e peônia. Com uma atmosfera floral frutada pronta, Signorina recebe na base um acorde doce, macio e cremoso de patchouli, panna cotta e musk.

Forever29. Moschino Forever (Moschino, 2011). O nome se deve ao estilo clássico e atemporal de Moschino. A fragrância é um aromático fougère original que abre com um sopro energizante de bergamota, kumquat e anis. Já o centro da composição apela para a sensualidade por meio de um acorde picante de sálvia, pimenta e fava tonka. Para manter-se limpo e fresco, Moschino Forever recebe uma base de vetiver, sândalo e musk. É uma ótima opção para o trabalho em dias quentes.

EspritOscar30. Esprit d’Oscar (Oscar de la Renta, 2011). Extensamente comparado a L’Heure Bleue de Guerlain, este perfume abre com um acorde cítrico-vetiver-heliotrópio, que lhe confere um aspecto de torta de limão coberta com merengue. Em seguida, Esprit d’Oscar apresenta notas atalcadas de íris e violeta, com um fundo de flores brancas (tuberosa, jasmim e flor de laranjeira). Como é de se esperar, a secagem é macia e polvorosa. Esprit d’Oscar é uma fragrância que invoca romantismo e melancolia com muita classe.

Venezia31. Venezia (Laura Biagiotti, 2011). O grande sucesso dos anos 90 é relançado, e com pouca diferença na reformulação. Venezia continua sendo um grande oriental floral de ombros largos. O perfume abre com uma nota de ameixa picante, transitando rapidamente para um acorde central de osmanthus, ylang-ylang, jasmim e rosa. No dry-down, uma base de sândalo, benjoim e baunilha emerge com um aspecto boozy de licor. Com a grandiosidade de uma verdadeira diva italiana, fica claro que Venezia não é um perfume qualquer.

Candy32. Candy (Prada, 2011). Uma palavra para descrever este perfume: caramelo. Depois de alguns dias usando Candy dá para pensar também em pipoca doce, bala toffee, açúcar queimado e doce de leite. Além da nota principal, apenas outras duas são citadas: benjoim e almíscar – a primeira dá corpo e substância, enquanto a segunda dá maciez e cremosidade. Um excelente exemplo de gourmand, Candy é recomendado apenas para quem gosta de perfume com cheiro de sobremesa. Ou para quem gosta de dormir aromatizado.

ElieSaab33. Elie Saab Le Parfum (Elie Saab, 2011). Fragrância de estreia do estilista libanês Elie Saab, esta é uma criação aparentemente simples porém superelaborada. Le Parfum abre doce e atalcado, porém iluminado por uma nota de flor de laranjeira no topo. O perfume evolui para um coração formado basicamente por jasmim, rosa e mel nada enjoativo. O aroma de jasmim cremoso se mantém ativo sobre uma base quente e obscura de cedro e patchouli. O rastro floral melífluo é bem equilibrado e transmite pura finesse.

Potion34. Potion (DSquared2, 2011). Uma opção sensual, Potion propõe uma alquimia de desejos carnais. Criado pela grife ainda pouco conhecida no Brasil DSquared2, foi bastante ofuscado pelos sucessos He Wood e He Wood Rocky Mountain da mesma marca. A fragrância chama atenção basicamente por três notas: canela, pimenta e âmbar. Prestando mais atenção, dá pra sentir patchouli, almíscar, menta, rosa e tomilho, tudo isso com um fundo amadeirado. Ótima opção também para a balada.

Body35. Body (Burberry, 2011). Body de Burberry é um perfume leve e versátil, talvez mais indicado para o dia a dia no escritório. Basicamente construída ao redor da rosa, a composição combina notas de pêssego e íris para trazer um efeito atalcado à flor. Almíscar e madeira de caxemira formam a base, tornando-o um perfume quase tátil, gostoso de sentir no corpo. A versão EDP é menos polvorosa e mais ambarada, perfeita para eventos noturnos.

BaiserVole36. Baiser Volé (Cartier, 2011)O nome do perfume não poderia ser mais romântico – beijo roubado em francês. Baiser Volé é construído ao redor da nota fantasia do lírio, com nuance floral, fresca e polvorosa. A fragrância abre brilhante, limpa e arejada com uma aura cítrica e verde. O coração revela um romântico lírio com um leve tom doce e esfumaçado, nada enjoativo. Na secagem, sentimos um rastro doce e atalcado. A versão EDT tem uma saída aldeídica e se apresenta, como um todo, mais fresca que a EDP. Baiser Volé é simples e perfeitamente equilibrado como o amor verdadeiro.

DahliaNoir37. Dahlia Noir (Givenchy, 2011). A casa Givenchy caprichou no storytelling para inspirar esta fragrância na flor fatal – a Dália Negra. A ideia era criar um chipre de aspecto atalcado para ilustrar uma mulher fascinante e misteriosa que seduz sem mostrar muito. Na saída, Dahlia Noir é fresco com suas notas de mandarina, pimenta rosa e acácia. Depois revela um coração de rosa, íris e patchouli. A base fica por conta das notas de sândalo, baunilha e fava tonka. De noir não tem nada – apesar da aura sexy, Dahlia Noir é um perfume bem carinhoso.

Valentina38. Valentina (Valentino, 2011). Este perfume poderia ser classificado como floral frutado ou oriental floral, mas é um oriental vanilla porque a nota de baunilha domina. A saída é bem interessante e conta com bergamota e trufa (o tubérculo, não o chocolate), que confere um aspecto terroso. Depois sentimos uma explosão de flores brancas (tuberosa, jasmim e muguê) com morango, combinação que resulta num delicioso aroma de chiclete. Valentina cai bem em qualquer ocasião por não ser nem muito leve nem muito pesado.

Miss Dior39. Miss Dior (Dior, 2011)Este é um dos perfumes que mais foram reformulados e cuja referência inicial perdeu-se completamente. Bem distante do Miss Dior original lançado em 1947, esta é a versão moderna (previamente chamada Miss Dior Chérie) e voltada para as mulheres jovens, espirituosas e elegantes. Miss Dior abre com um sopro de notas frescas e frutadas, preparando o terreno para a vivacidade e espontaneidade das notas de jasmim e rosa. A sofisticação do patchouli e o conforto do almíscar concluem uma composição doce e feminina que permite compreender muito bem a categoria dos chipres modernos.

Loverdose40. Loverdose (Diesel, 2011). Sempre oferecendo fragrâncias afrodisíacas, Diesel desta vez trabalha num oriental vanilla com nuances anísicas. Na saída, Loverdose exala um aroma de mandarina e anis, antes de revelar um coração de jasmim, gardênia e alcaçuz. Uma base oriental de âmbar, baunilha e madeiras nobres confere um aspecto doce e polvoroso, mantendo a composição feminina e sensual. Indicada para as meninas que curtem perfumes ao estilo de Lolita Lempicka.

Legend41. Legend (Montblanc, 2011). Se você gosta de perfumes na linha de Fierce (Abercrombie & Fitch) e Boss Bottled, provavelmente vai gostar também de Legend de Montblanc. Trata-se de um aromático leve e fresco com notas de frutas, especialmente abacaxi e maçã. Inicialmente cítrico efervescente com limão e verbena, Legend assume um caráter fougère com lavanda, gerânio, rosa e fava tonka, apoiado sobre uma base de musgo de carvalho, sândalo e musk. Bom e inofensivo.

VioletBlonde42. Violet Blonde (Tom Ford, 2011). Esta fragrância é recomendada para mulheres (e homens) que curtem um floral verde à base de íris e violeta sem abrir mão de projeção e silagem. Desta forma, Violet Blonde não é um perfume suave – esta é uma verdadeira bomba sensual. A fragrância abre com aroma de batom ou laquê antes de evoluir para o coração atalcado e terroso. A base tem um interessante efeito tridimensional por conta das notas ozônicas, além de camurça e musk. Irresistível quando usado na ocasião certa.

Nilang43. Nilang (Lalique, 2011). Lalique revisita esta fragrância originalmente composta em 1995. Por um lado, Nilang é um floral frutado delicado e cristalino, explorando um acorde de mandarina, lótus, frésia, mirtilo, pêssego e melão. Por outro, a fragrância incorpora uma base oriental de cravo-da-índia, sândalo, patchouli, âmbar, baunilha e musk. A contraposição entre o fresco-limpo e o gourmand-sexy chama atenção por sua ousadia, o que inevitavelmente torna o perfume controverso. Há quem ame e também quem odeie.

Especially44. Especially (Escada, 2011). Descrita por Escada como uma fragrância “deliciosa, luxuosa e puramente feminina, concebida para mulheres divertidas, espontâneas e glamourosas”, Especially é uma rosa aquática mais madura do que as mais recentes criações da grife alemã. A composição ganha também notas de pera, ylang-ylang e ambrette para dar mais corpo, maciez e luminosidade. Especially é um perfume contemporâneo e fácil de agradar.

Madly45. Madly (Kenzo, 2011). Esta fragrância insiste no tema floral oriental de aspecto polvoroso que se tornou o DNA da marca, a exemplo das criações Flower e Amour. O diferencial aqui é a nota de incenso que permeia a combinação de pimenta rosa, flor de laranjeira, rosa, heliotrópio, cedro, baunilha e musk. Se por um lado Madly é um perfume inovador, por outro assusta os mais conservadores.

Kokorico46. Kokorico (Jean-Paul Gaultier, 2011). Desta vez feito em colaboração com os perfumistas Olivier Cresp e Annick Ménardo, Kokorico assume a forma de um amadeirado aromático focado no patchouli. A erva de caráter aromático e amadeirado é explorada com notas de folhas de figo (para energizar), cacau (para estimular) e vetiver (para fortalecer). A intenção dos perfumistas foi estabelecer um aroma afrodisíaco, com “kokorico” simbolizando o grito de um homem cheio de prazer.

TrussardiDonna47. Trussardi Donna (Trussardi, 2011). Para comemorar o jubileu de 100 anos da casa, Trussardi encomendou à perfumista Nathalia Lorson este complexo oriental floral. Abrindo com um acorde cítrico (limão e yuzu) e aquoso (melão e melancia), Trussardi Donna segue com um coração de flor de laranjeira, chá de jasmim e lótus. O contraponto aparece no dry-down, composto por notas secas e adocicadas de cedro, patchouli, sândalo e baunilha. Confortável e sofisticado.

AvantGarde48. Avant Garde (Lanvin, 2011). A casa Lanvin introduz um moderno e inovador oriental fougère construído em torno do acorde de tabaco e cera de abelha. A composição abre picante com bergamota, zimbro, pimenta rosa e pimenta preta, porém logo fazer emergir um coração de lavanda, cardamomo e noz moscada. A surpresa fica por conta de uma base oriental de vetiver, tabaco, cera de abelha, âmbar e benjoim. Apesar os ingredientes pesados, Avant Garde resulta num aroma macio e inofensivo.

BottegaVeneta49. Bottega Veneta (Bottega Veneta, 2011). A marca italiana de produtos de luxo lançou recentemente sua primeira fragrância. Por estar no mercado de couro, a composição escolhida foi um chipre à base dessa nota para ressaltar a exclusividade e sofisticação da marca. A inspiração foi uma casa de campo no interior da Itália com assoalho de madeira, muitos livros e uma brisa fresca vinda do jardim. Assim, Bottega Veneta abre com notas de bergamota e pimenta rosa, combinação que pode remeter ao cheiro de uva, passando por um acorde chipre-jasmim e deixando um aroma de couro e patchouli como rastro. Inspirador.

Hommage50. Hommage à l’Homme (Lalique, 2011). Como sempre a tradicional casa de cristais Lalique arrasa com seus frascos sem deixar o conteúdo para trás. É uma fragrância incomum, com notas de violeta (aspecto atalcado) e folhas de violeta (aspecto verde) misturadas a oud, fava tonka e especiarias. O lado floral de Hommage à l’Homme transmite um ar romântico enquanto o lado adocicado e especiado dá aquele ar de malandragem para um encontro.

TajSunset51. Taj Sunset (Escada, 2011). Para o verão de 2011, Escada preparou este floral frutado de aura intensamente tropical. Para tanto, a composição recebe um topo suculento de laranja-de-sangue, nectarina e manga, um centro aquoso de framboesa, maçã estrela, lírio aquático e flor de lótus, e um fundo lactônico de sândalo, coco e musk. Apesar de seu aspecto sintético, o perfume consegue concretizar a fantasia de uma tarde de verão à beira do mar.

Orange52. Orange (Hugo Boss, 2011). A marca alemã mantém o DNA olfativo de notas frutadas, especiarias quentes e baunilha. No caso de Orange, a inspiração foi o “homem livre, otimista e espirituoso com um misto de paixão e espontaneidade”. Assim, a fragrância conta com uma saída refrescante de maçã e coentro, seguida de um coração quente de pimenta e incenso. Uma base de madeiras nobres e baunilha confere uma doçura considerada prazerosa para uns, enjoativa para outros. A palavra “Orange” refere-se a uma linha de roupas da grife e não à nota de laranja.

Vanitas53. Vanitas (Versace, 2011). A casa Versace oferece um floral refrescante e tropical que remete à atmosfera do Mediterrâneo. Depois de uma saída ardida de limão tahiti, Vanitas segue com um acorde central de frésia e flor de tiaré. A maciez da composição é garantida por um fundo de cedro e fava tonka. Vanitas é um perfume suave e inofensivo, feito para mulheres (ou homens) que buscam algo mais discreto e voltado para o bem-estar.

YuzuMan54. Yuzu Man (Caron, 2011). A tradicional casa francesa aposta no gênero cítrico e, em especial, no fruto japonês de odor intensamente ácido, fresco e amargo chamado “yuzu”. Yuzu Man traz também notas de verbena, manjericão, figo, lentisco, pistache, especiarias quentes, cedro e sândalo. Simples e minimalista, a fragrância consegue se manter refrescante e luminoso por diversas horas na pele. Além de ser um ótimo perfume, Yuzu Man tem um preço irresistivelmente em conta.

Eros55. Eros (Versace, 2012). Se você conhece e acompanha o design da marca Versace, já pode imaginar que tipo de fragrância seja essa. Donatella Versace queria que Eros transmitisse o DNA da casa, ou seja, com a sensualidade masculina sempre em primeiro lugar, tendo como fundo símbolos da Grécia antiga. Além da baunilha como nota principal, esta fragrância traz o frescor da menta, do limão siciliano e da maçã verde. A molécula sintética ambroxan entra para dar a maciez que todo herói da mitologia grega merece.

Manifesto56. Manifesto (Yves Saint Laurent, 2012). Uma mistura bem balanceada de notas verdes e doces é o segredo por trás desta fragrância criada para mulheres espontâneas, independentes e corajosas. A dramática saída herbácea com bergamota e groselha desperta logo a curiosidade. Em seguida, Manifesto exala um acorde floral de jasmim e muguê. Na secagem, o perfume se torna polvoroso devido às notas de cedro, sândalo, fava tonka e baunilha. Manifesto é feminino e ousado, saindo do lugar comum.

Spicebomb57. Spicebomb (Viktor & Rolf, 2012). Indicado apenas para quem não tem diabetes, Spicebomb é um dos perfumes mais doces para homens entre os últimos lançamentos. Foi publicamente anunciada como a fragrância que reúne dois acordes em desacordo: o viciante (pimenta chili, açafrão, vetiver, couro e tabaco) e o explosivo (bergamota, toranja, elemi e pimenta vermelha). O frasco é uma granada, embora pudesse ser um ovo de páscoa. É gostoso, é sexy, é pegajoso. Só sai com exfoliação.

Dot58. Dot (Marc Jacobs, 2012). Bem intencionado e com um frasco chamativo que remete a joaninha, Dot é um floral frutado de aura tropical. Arriscando-se na controversa nota de coco, o perfume inicialmente exala um topo de frutas vermelhas e madressilva. Na evolução, um acorde floral lactônico de flor de laranjeira, jasmim e coco emerge, apoiado sobre um fundo de madeira molhada, baunilha e musk. Dot divide opiniões – uns acham agradável e inofensivo, outros acham enjoativo e “sujo”.

Noir59. Noir (Tom Ford, 2012). O designer à frente da casa Gucci lançou Noir dentro de sua linha pessoal como alternativa masculina ao feminino Violet Blonde, buscando produzir uma atmosfera ao mesmo tempo sexy e elegante, viril e delicada. Tudo isso devido a um incrível equilíbrio entre notas robustas e masculinas (âmbar, vetiver, patchouli e especiarias) e femininas e suaves (íris, violeta, gerânio e rosa). A secagem é sexy e distancia-se da média dos perfumes com vibe de banho tomado, indo mais para um tom resinoso e animálico do que floral e fresco.

FanDiFendi60. Fan di Fendi pour Homme (Fendi, 2012). Assim como todo perfume à base de couro, Fan di Fendi pour Homme é bem masculino, sofisticado e misterioso. Por outro lado, esta criação de Fendi tem aspecto mais fresco e moderno do que o habitual. A nota de couro é combinada com notas amadeiradas, especiadas e cítricas em perfeito equilíbrio. O frasco coberto de um anagrama da marca em metal já é uma atração em si.

DGFemme61. Dolce & Gabbana pour Femme (Dolce & Gabbana, 2012). Originalmente lançada em 1994, esta fragrância foi totalmente reconstruída e passou de floral aldeídico para floral frutado gourmand. As notas de jasmim e flor de laranjeira formam a coluna vertebral da fragrância, enquanto uma nota de framboesa traz sabor ao volumoso acorde marshmallow-baunilha. Dolce & Gabbana pour Femme deixa um rastro aveludado e sensual por onde passa.

Florabotanica62. Florabotanica (Balenciaga, 2012). A tradicionalíssima casa Balenciaga decidiu mudar sua imagem barroca ao lançar esta fragrância com vibe moderna, tanto no líquido quanto na embalagem. Florabotanica foi concebida para atrair a nova geração de jovens descoladas que desconhecem suas icônicas criações do passado. Para tanto, a fórmula é simples e basicamente construída ao redor da nota de rosa, com um toque refrescante de menta e cannabis.

LPRN63. La Petite Robe Noire (Guerlain, 2012). A casa Guerlain sabiamente lançou em 2009 uma edição exclusiva de La Petite Robe Noire para gerar expectativa do público, até que ele finalmente foi lançado em massa três anos depois. A fragrância foi inspirada na elegância atemporal de um pequeno vestido preto (tradução literal do nome), embora ela não tenha vocação para ser discreta e sóbria. La Petite Robe Noire abre com um aroma de cereja, passa pelo acorde rosa-íris-alcaçuz-anis e finaliza com patchouli, baunilha e fava tonka. É um licor de cereja em formato de perfume.

RobertoCavalliEDP64. Roberto Cavalli Eau de Parfum (Roberto Cavalli, 2012). O estilista italiano lançou dez anos antes a versão EDT deste perfume – um floral amadeirado insípido. Aqui vamos falar apenas da versão EDP (frasco oval e dourado). Roberto Cavalli é um oriental floral que abre cremoso e levemente picante com flores brancas e pimenta rosa. O aroma fresco da flor de laranjeira é forte e permanece ativo por horas. A secagem fica por conta da baunilha e do benjoim, que acrescentam classe e sofisticação à fragrância.

Première65. Gucci Première (Gucci, 2012). Inspirado nos vestidos da linha couture Gucci Première, esta fragrância reúne o frescor cítrico, a beleza das flores brancas e o conforto do musk. Com uma saída de bergamota e cassis, a composição segue para um coração delicado de gardênia e flor de laranjeira. A base de sândalo, patchouli, couro e almíscar sintético transmite a sofisticação que a marca propõe. Gucci Première é um perfume simples e inofensivo, feito para mulheres elegantes e discretas.

MyLand66. My Land (Trussardi, 2012). My Land é pouco conhecido no Brasil, devido à limitada distribuição das fragrâncias da marca Trussardi. O perfume foi concebido para ilustrar olfativamente o senso de elegância, poder e sensualidade do homem italiano. Trata-se de um distinto fougère aromático com um topo de bergamota e mandarina, um centro de lavanda, violeta e notas aquáticas, e uma base de vetiver, fava tonka, couro e cashmeran. O aspecto marinho é mínimo, evitando que a composição se torne enjoativamente salina.

MademoiselleRicci67. Mademoiselle Ricci (Nina Ricci, 2012). Flor, fruta e musk – esses foram os acordes escolhidos pelo perfumista Alberto Morillas para compor este floral atalcado feito para moças delicadas. Abrindo ligeiramente adstringente com notas de louro, pimenta rosa e framboesa, Mademoiselle Ricci evolui para um coração floral de rosa, violeta e oleandro. No dry-down, torna-se evidente um acorde de madeiras leves, âmbar e musk. Feminino, suave e romântico.

HiM68. HiM (Hanae Mori, 2012). A japonesa Hanae Mori mantém a assinatura verde e natural da casa até mesmo quando segue o gênero amadeirado especiado. HiM representa o homem de verdade com toda sua força e solidez. A fragrância une notas cítricas, aromáticas (agulhas de pinho, folha de violeta e figo), especiadas (cardamomo, pimenta e canela), madeiras secas e âmbar. O resultado é um aroma masculino e cheio de personalidade, uma interpretação moderna dos chipres amadeirados dos anos 70.

SeeByChloé69. See by Chloé (Chloé, 2012). Inspirado na coleção de roupas See by Chloé da grife, esta fragrância é um floral frutado concebido para mulheres urbanas e modernas. Abrindo com bergamota e flor de macieira, a composição desabrocha um exuberante buquê de jasmim e ylang-ylang. Aos poucos, See by Chloé se torna mais encorpado e adocicado devido à base de sândalo, baunilha e musk. O resultado é um perfume luminoso e refrescante ao mesmo tempo em que transmite elegância.

LegendPourFemme70. Legend pour Femme (Montblanc, 2012). O par feminino de uma das fragrâncias mais vendidas do mundo é este floral musky inspirado em mulheres de elegância clássica. Legend pour Femme abre com um acorde efervescente de laranja amarga, pera e néroli, anunciando um coração luminoso de flores brancas como jasmim, lírio-do-vale e flor de laranjeira. Na secagem, o perfume faz emergir um fundo macio de madeiras nobres, baunilha e musk. Legend pour Femme é uma fragrância atalcada que equilibra bem o fresco e o adocicado.

PotionForWomen71. Potion for Women (DSquared2, 2012). Depois do sucesso de Potion, a marca canadense decide desenvolver uma fórmula específica para o público feminino. Potion for Women surge como um chipre moderno com nuances frutadas e polvorosas. A partir de um topo suave de bergamota, amora e violeta, a fragrância evolui para um centro brilhante de ruibarbo, jasmim, lírio-do-vale e rosa, sustentado por uma base sedosa de patchouli, âmbar gris, baunilha e musk. A nota de ruibarbo (seca e amarga) impede que o perfume se torne enjoativo.

Encounter72. Encounter (Calvin Klein, 2012). A marca Calvin Klein é conhecida por lançar perfumes que agradam numa rápida cheirada na loja, mas que depois desapontam no uso diário – Encounter não foge à regra. A composição mescla especiarias (cardamomo, pimenta), madeiras (patchouli, cedro, oud) e notas boozy (rum, conhaque) para compor um aroma masculino e boêmio. O alto teor de sintéticos, todavia, vai cansando o nariz, fazendo com que deixemos o perfume de lado.

LILY73. L.I.L.Y. (Stella McCartney, 2012). Para conceber esta fragrância, Stella se inspirou em memórias de infância, quando passava o tempo em sua casa de campo. A composição gira em torno da nota de lírio-do-vale, conhecida por suas facetas brilhante, úmida e graciosa. L.I.L.Y. ganha um topo adstringente de pimenta rosa e preta, e descansa sobre um fundo chipre de musgo de carvalho, patchouli, ambrette e musk. Um perfume delicado e feminino, para moças românticas.

PleatsPlease74. Pleats Please (Issey Miyake, 2012). Pleats Please foi criado especialmente para a marca homônima do designer japonês Issey Miyake. Ao pé da letra “pregas, por favor”, trata-se de um leve floral frutado. A fragrância abre com uma nota úmida e adocicada de pera, anunciando um buquê de peônia com ervilha de cheiro. Para manter a composição seca e transparente, Pleats Please toma como base um acorde de cedro, patchouli e musk, com toques de baunilha. Um perfume típico da mulher asiática que prefere discrição e suavidade.

Enchanted75. Enchanted (Chopard, 2012). Apresentada pela casa de joias como uma fragrância lúdica e misteriosa, Enchanted combina a suculência da ameixa, a beleza do jasmim, a elegância do patchouli (aqui com um aspecto mais amargo e terroso) e o conforto da cashmeran. O núcleo de Enchanted é fortalecido com notas de especiarias quentes e traços de sintéticos animálicos. É o perfume da Cinderela moderna, feito para ser notado e elogiado.

CatchMe76. Catch Me (Cacharel, 2012). Catch Me é um suave floral branco de nuances amendoadas. O perfume abre com um acorde cítrico e verde de mandarina e petitgrain, deixando o par de jasmim e flor de laranjeira dominar o seu centro. Na evolução, Catch Me ganha corpo e doçura com uma base polvorosa de amêndoas, madeiras nobres e âmbar. Uma versão mais leve e jovial de Alien de Thierry Mugler.

1000Miglia77. 1000 Miglia (Chopard, 2013). Um tributo de Chopard ao seu parceiro Mille Miglia (corrida de carros vintages), este é um fougère aromático que tenta ser complexo e multifacetado. Depois de uma saída típica de bergamota, ervas finas e lavanda, o perfume foca no elegante acorde de folha de violeta e couro. No dry-down, um fundo de fava tonka com nuances de café emerge trazendo conforto. Infelizmente, 1000 Miglia resulta num aroma que carece de harmonia, além de ser altamente sintético.

SaharaNoir78. Sahara Noir (Tom Ford, 2013). Criada em homenagem ao incenso (que simboliza respeito e devoção em todas as religiões), Sahara Noir é uma fragrância opulenta e luxuosa feita para estimular os sentidos. A base composta de resinas (labdanum, benjoim, bálsamo egípcio, baunilha, âmbar e oud) sustenta um coração de rosa, jasmim, canela, incenso e papirus. Uma nota suculenta de laranja e outra animálica de favo de mel trazem ainda mais complexidade ao perfume. Emocionante e surpreendente, Sahara Noir é um sopro de vida na perfumaria moderna.

LanvinMe79. Me (Lanvin, 2013). Descrita pela Lanvin como o perfume da mulher despretensiosa porém autoconfiante, este é um floral frutado de traços anisados. Me gira em torno de um suave acorde rosa-tuberosa, que ganha um topo fresco e adocicado de mandarina, alcaçuz e mirtilo. Sua base consiste de uma combinação esfumaçada de sândalo, incenso e musk. Me perde pontos por ser demasiadamente sintético.

Honey80. Honey (Marc Jacobs, 2013). Apesar do nome, Honey tem tudo menos cheiro de mel. O perfume é um floral frutado com notas marcantes de mandarina, frutas tropicais, flor de laranjeira e baunilha apoiado sobre uma base amadeirada genérica. Ainda assim, Honey é uma fragrância que vende bem graças ao seu chamativo frasco no formato de uma abelha. Interessados em aromas melífluos devem ir atrás de Pure Honey de Kim Kardashian.

BottegaVenetaPH81. Bottega Veneta pour Homme (Bottega Veneta, 2013). Dois anos depois do lançamento do perfume assinatura da casa, a casa italiana especialista em artigos de couro apresenta sua primeira criação masculina. A fragrância foi inspirada no homem executivo e atarefado que passa os finais de semana nas florestas montanhosas e geladas. Estruturado em torno do couro, Bottega Veneta pour Homme abre ácido e terpênico com notas de bergamota, agulhas de pinho e zimbro. Na evolução, faz-se evidente um acorde pungente de pimenta vermelha e sálvia. Uma base chipre de labdanum, couro e patchouli conclui com requinte e masculinidade.

CherryInTheAir82. Cherry in the Air (Escada, 2013). Seguindo sua tradição, a casa Escada introduz mais uma fragrância frutada de personalidade lúdica e ingênua. Centrado na nota de cereja, Cherry in the Air incorpora também mandarina, framboesa, gardênia, orquídea, sândalo, carvalho, baunilha, camurça e musk, além de um acorde fantasia de marshmallow. Extremamente popular entre as mulheres adolescentes, o perfume não consegue sair do clichê de “cheiro de xampu” e perde pontos por seu aspecto funcional.

GentlemenOnly83. Gentlemen Only (Givenchy, 2013). O clássico Gentlemen de 1974 é modernizado, ficando praticamente irreconhecível. A rosa agora dá lugar à pimenta rosa, a canela à noz moscada, e a flor de laranjeira à laranja. A base terrosa e animálica de musgo de carvalho, vetiver, couro, âmbar e civet se transforma numa combinação de sintéticos que imita o acorde de vetiver, cedro, incenso e musk. Talvez a melhor forma de descrever Gentlemen Only seja “uma fragrância defumada e translúcida”. De fato, tem feito a alegria da moçada mais contemporânea.

MyName84. My Name (Trussardi, 2013). Depois do lançamento do par masculino My Land no ano anterior, Trussardi introduz My Name para o público feminino. Inspirado no estilo de vida da cidade de Milão, a fragrância gira em torno de um buquê atalcado de violeta, íris, heliotrópio e lilás. Tudo isso é apoiado sobre um fundo cremoso e macio de âmbar, baunilha e musk. Limpo e confortável, My Name transmite um ar romântico e nostálgico que de certa forma combina com a atmosfera da cidade retratada.

Downtown85. Downtown (Calvin Klein, 2013). Downtown foi concebido para as jovens executivas, esperando ser um sucesso comercial como Euphoria. No entanto, ao tentar ter ao mesmo tempo impacto e leveza, a composição resulta num genérico aroma floral aquoso com nuances frutadas de pera e ameixa. Inicialmente agradável, Downtown se torna áspero e insípido no dry-down. O perfume tampouco faz jus ao seu nome, já que combina mais com atividades informais.

MadeToMeasure86. Made to Measure (Gucci, 2013). Ao tentar oferecer um perfume masculino apropriado para o escritório, Gucci acabou criando uma bomba sintética e comum, indo na direção contrária do que sugere seu nome (“feito sob medida”). Ingredientes baratos como calone, dihidromircenol e melonal dominam a composição, deixando-a com um aspecto químico de aftershave barato.

Satine87. Satine (Lalique, 2013). Satique segue a moda dos perfumes com muita pimenta rosa, patchouli e fava tonka para criar esta composição oriental amadeirada de nuances canforadas. As notas de flores brancas (gardênia e jasmim) aparecem logo no início com um efeito polvoroso de pó de giz. Logo a fragrância se aquece com pimenta rosa, baunilha e fava tonka, antes de concluir com uma base de vetiver, sândalo e patchouli. Como o próprio nome indica, Satine é um perfume de pele bem romântico e delicado.

PlaceVendôme88. Place Vendôme (Boucheron, 2013). A casa de joias escolheu o local de sua sede para o nome deste oriental floral com nuances melífluas. Para representar o aroma sofisticado e glamouroso de Paris, Place Vendôme abre com um cintilante acorde de tangerina, pimenta rosa e flor de laranjeira, seguindo com um centro floral e intoxicante de jasmim, peônia, mel e chocolate ao leite. A base de benjoim e musk deixa para trás um rastro licoroso e semigourmand. Cheiro de mulher rica.

ZegnaUomo89. Uomo (Zegna, 2013). Mantendo o foco no estilo da perfumaria italiana, Zegna oferece mais uma fragrância para homens executivos e elegantes. A partir de um topo rico em bergamota (fruta típica da Calábria), Uomo parte para a essência amarga e revitalizante da folha de violeta. Na secagem, a composição traz a força de uma base crispy e macia de cedro, vetiver e musk. Um perfume simples e eficiente.

CarvenLeParfum90. Carven Le Parfum (Carven, 2013). A tradicional marca francesa, criadora de ícones dos anos 40 e 50 como Vétiver de Carven e Ma Griffe, retorna ao palco perfumístico com um moderno floral frutado musky. Do extremo retrô para o extremo contemporâneo, Carven apresenta uma composição construída em torno do jasmim e ylang-ylang, com topo de damasco, jacinto e flor de laranjeira, e base de sândalo e patchouli. Uma boa alternativa para quem gosta dos frutados discretos.

Si91. Sì (Armani, 2013)Doce e picante. Esses são os dois adjetivos frequentemente usados para descrever esta inovadora criação de Armani. Muitos a descrevem como um xarope de groselha por conta do acorde de folha de cassis e baunilha, mas, na verdade, a fragrância evolui na pele sem se tornar enjoativa. O lado floral de rosa e frésia logo aparece e, horas depois, Sì deixa um rastro de patchouli e musk. Este perfume ganha muitos pontos por abandonar o clichê chipre moderno e arriscar-se na fronteira com o gourmand de forma mais adulta.

Invictus92. Invictus (Paco Rabanne, 2013). Tendo caído nas graças dos homens brasileiros, Invictus é um perfume aromático inofensivo. Com uma saída marinha e cítrica (toranja), a composição passa a exalar notas de louro e jasmim. Sua base é amadeirada escura devido ao uso de gaiaco, patchouli e musgo de carvalho, além da nota fantasia de âmbar gris que acentua o aspecto ligeiramente salgado. Assim como 1 Million, Invictus é polarizante – sintético para alguns, perfeito para outros.

ElleLAime93. Elle L’Aime (Lolita Lempicka, 2013). Elle L’Aime é um corajoso floral lactônico e balsâmico que brinca com notas pouco usadas em conjunto. Na saída, a composição exala um aroma efervescente de bergamota, limão tahiti e néroli. Em seguida, podemos sentir um aspecto tropical devido ao acorde de coco, ylang-ylang e jasmim, formando um coração forte e inebriante. A base oriental emerge na evolução com notas de sândalo, mirra e baunilha.

MadameGrès94. Madame Grès (Grès, 2013). Na tentativa de ressuscitar a marca que já foi uma das mais influentes da perfumaria, a casa Grès lança uma fragrância batizada com o nome de sua fundadora, uma francesa conhecida por sua teimosia. Trabalhada no gênero oriental floral, Madame Grès tem uma saída suculenta e ácida de toranja, abacaxi e cardamomo. Minutos depois, o buquê central de frésia, peônia e magnólia se torna evidente. O acorde de patchouli e couro, DNA da marca, é usado na base juntamente a sândalo e baunilha.

BentleyForMen95. Bentley for Men (Bentley, 2013). Em 2013, a perfumista Nathalie Lorson ficou encarregada de criar uma linha de fragrâncias para a luxuosa marca de carros ingleses. Para a primeira composição, ela escolheu o tema oriental especiado, reunindo um topo de bergamota, louro e pimenta preta, um centro de sálvia, canela, madeiras nobres e rum, e uma base de patchouli, benjoim e couro. Apesar de ser um bom perfume, os flankers lançados posteriormente tiveram maior sucesso.

JustCavalli96. Just Cavalli (Cavalli, 2013). A segunda fragrância do designer Roberto Cavalli é um floral cremoso e adocicado. Just Cavalli abre com um acorde brilhante de bergamota e néroli, anunciando um elegante coração floral de tiaré. O perfume leva na base um acorde fantasia de pau rosa, que traz um aspecto levemente doce e muito confortável. O resultado é um equilíbrio entre o limpo e o sensual.

LAmour97. L’Amour (Lalique, 2013). Para esta criação feita em homenagem ao amor, a grife de cristais Lalique apostou num suave e elegante floral. Abrindo refrescante com um acorde de bergamota, néroli e rosa, L’Amour evolui para um exuberante coração de gardênia, jasmim e tuberosa. A base de cedro, sândalo e musk contribui para uma sensação de conforto e bem-estar. L’Amour é um perfume feminino e versátil, apropriado para qualquer ocasião.

Want98. Want (DSquared2, 2013). A grife canadense introduz Want como um novo pilar da sua linha de fragrâncias, desta vez sem ter um par masculino. Trata-se de um oriental floral com uma saída adstringente de mandarina, gengibre e pimenta rosa, um coração powdery de néroli, rosa e heliotrópio, e fundo cremoso de madeiras nobres e baunilha. O resultado é um perfume intenso, doce e picante, difícil de passar despercebido.

Flash99. Flash (Jimmy Choo, 2013). Flash foi concebido como um buquê de flores enriquecido com pimenta rosa e morango. Centrado num acorde de tuberosa, jasmim e lírio-do-vale, o perfume vai ganhando, na evolução, uma aura polvorosa de amêndoas. Notas de madeiras leves são usadas na base para manter a transparência e vivacidade do perfume. O resultado é um floral picante e adocicado para uso em qualquer ocasião.

Victoria100. Victoria (Victoria’s Secret, 2013). Victoria pode ser resumido como uma combinação de frutas vermelhas, rosa e caramelo. Fãs da grife de lingerie não vão se decepcionar, pois o perfume é tudo que se pode esperar: um aroma doce, frutado, cremoso e floral como um hidratante corporal. Porém, assim como o aroma de um hidratante corporal, Victoria fica a desejar em termos de projeção e longevidade.

Anterior: 2006-2009

Próximo: Lançamentos de Massa

3 pensamentos sobre “2010-2013: Extremos

      • Daniel, relutei muito em valer-me da réplica, pois sei que qualquer que seja meu comentário, você vai ser irônico, enfim…, sempre leio com atenção as suas matérias, e não raro, releio muitas delas, e sim, eu sei que o Azzaro Intense é um flanker, mas considerando o lançamento do Azzaro pour Homme (1978), e a diferença no aroma (opinião de vários colegas colecionadores), não vejo problemas em cita-lo. Por fim, repito, “Senti falta do Azzaro Intense”. Obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s