2000-2005: Diversidade

2000-2005A virada do milênio chegou repleta de expectativa. Fronteiras haviam caído, blocos econômicos haviam se formado e a globalização estava a todo vapor. Enquanto a internet engatinhou nos primeiros anos, foi nos anos 2000 que ela realmente obteve grandes proporções graças à banda larga. A partir daí surgia o conceito do marketing personalizado, enquanto cada vez mais as pessoas queriam ser ouvidas. O tráfego de informações caótico na década anterior agora começava a ser canalizado e processado. Esse fenômeno tornou o conceito de segmentação ainda mais importante: as preferências e características dos consumidores agora eram mais claras e com isso se poderia ganhar mais dinheiro. Na perfumaria, tudo isso resultou na diversificação das composições, com designers e perfumistas abordando diversos caminhos olfativos, sem que um ou dois prevalecessem. Dois novos genêros, no entanto, surgiram nos anos 2000: o chipre moderno e o floral frutado. Com a restrição do musgo de carvalho, o patchouli ganhou importância sem precedentes e as notas frutadas, antes nos bastidores, passaram para linha de frente. Outra novidade foi o boom dos perfumes de Celebridades, especialmente entre o público feminino movido por fantasias aspiracionais.

Nota: Marcas de cosméticos, nacionais, celebridades e flankers têm sua página dedicada: CosméticosNacionais, Celebridades e Flankers. Veja também a página de Descontinuados.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

Flower1. Kenzo Flower (Kenzo, 2000). Flower foi inspirado na papoula – uma flor quase inodora – e, apesar de ser um perfume de amor ou ódio, é um clássico moderno. Para compor o aroma fictício da papoula o perfumista tomou como base o acorde rosa-violeta e carregou a fórmula de baunilha, opoponax e musk. O resultado é um perfume ultrafeminino com cheiro de batom, porém incrivelmente quente, doce e atalcado. Kenzo Flower é um belíssimo exemplo de oriental floral que assumiu riscos e ganhou uma legião de fãs.

BLV2. BLV (Bvlgari, 2000). Este floral macio abre com um acorde de bergamota e gengibre, antes de revelar seu centro macio e polvoroso de lilás. Tal composição de estrutura minimalista encerra com uma base de sândalo, baunilha e musk. Por ser suave e delicada, BLV é uma daquelas fragrâncias apropriadas para o dia a dia, especialmente no trabalho, deixando uma sensação de frescor, limpeza e conforto.

TouchForMen3. Touch for Men (Burberry, 2000). Dois anos depois da introdução da versão feminina, a grife inglesa decide oferecer um equivalente para o público masculino. Para manter o caráter macio e translúcido, foram escolhidas para a composição notas verdes, secas e macias, com um toque discreto de especiarias. Touch for Men conta com um topo de mandarina, folha de violeta e artemísia, um centro de cedro, noz moscada e pimenta preta, e uma base de vetiver, fava tonka e musk. O resultado é limpo e inofensivo, ideal para homens que curtem perfumes discretos com cheiro de roupa lavada.

AuMasculin4. Lolita Lempicka Au Masculin (Lolita Lempicka, 2000). Homens que já sentiram um Lolita Lempicka nas mulheres podem se sentir intimidados. Não há o que temer – Au Masculin é um perfume oriental gourmand carregado de duas notas difíceis na vida real mas que descobri funcionar muito bem numa fragrância: alcaçuz e anis. Mais ao fundo você sente um cheirinho daquelas drágeas de chocolate recheadas de rum. Um perfume que vai muito bem num momento mais romântico.

Ralph5. Ralph (Ralph Lauren, 2000). Ralph é uma fragrância no estilo de Tommy Girl e Be Delicious, especialmente criada para adolescentes americanas que buscam algo mais “puro” e lúdico. O perfume abre fresco e frutado com mandarina, osmanthus e maçã, ganhando graça com um acorde central de magnólia, boronia e frésia. A base fica por conta de íris e musk, formando uma aura macia, limpa e polvorosa que preserva o aspecto cítrico, verde e floral fresco por muitas horas.

LadyCaron6. Lady Caron (Caron, 2000). A antiga casa Caron tenta aqui um meio-termo entre o clássico e moderno. Lady Caron é um chipre frutado que mescla notas suculentas e florestais. Girando em torno de um poderoso acorde de rosa e jasmim realçado com framboesa e pêssego, a fragrância ganha ainda notas cintilantes de néroli, magnólia e jasmim. Um fundo de sândalo e musgo de carvalho traz aquele ardidinho característico da perfumaria pré-anos 80. Um perfume potente e maduro.

Oxygene7. Oxygène (Lanvin, 2000). Primeira fragrância feminina da casa Lanvin desde o icônico Arpège, Oxygène é uma composição transparente para o dia a dia. Trata-se de um floral aquático com traços cremosos e apimentados, bastante original para o gênero. Depois de uma abertura de bergamota e pimenta, Oxygène mostra um coração atalcado de gardênia, rosa e íris. Um acorde de sândalo e leite, combinado com musk, propicia uma duradoura sensação de roupa lavada.

DesireForAMan8. Desire for a Men (Dunhill, 2000). A marca especializada em acessórios de luxo para homens decide começar o novo milênio com um perfume moderno e otimista. Desire for a Men é um oriental amadeirado com forte saída fresca de bergamota, limão siciliano, pera e néroli. O coração é formado por um acorde de rosa, patchouli e gaiaco cheio de personalidade e romantismo. Desire for a Men deixa um rastro cremoso e macio de baunilha e musk.

LoveSpell9. Love Spell (Victoria’s Secret, 2000). Love Spell é um talco doce em formato perfume. Feito para meninas e adolescentes, a fragrância tem notas marcantes de flor de cerejeira, lilás e musk. Como coadjuvantes, Love Spell emprega também um topo frutado de maçã e pêssego, um centro floral branco de jasmim e muguê, e um fundo crispy de madeiras nobres e almíscares sintéticos. Só para quem gosta dos enjoativamente doces.

LagunaHomme10. Laguna Homme (Salvador Dalí, 2000). Exatamente dez anos depois do lançamento do translúcido floral frutado Laguna, a casa resolve trazer o conceito para o mundo masculino na forma de um oriental amadeirado com traços marinhos. Laguna Homme abarca paz e harmonia, feito para as férias, especialmente à beira do mar. Topo de cítricos, sálvia e verbena, centro de rosa e jasmim e base de fava tonka, âmbar e musk.

HotCouture11. Hot Couture (Givenchy, 2000). Arisco e malandro, este perfume tem uma saída frutada de framboesa com fundo cítrico. Hot Couture logo evolui para um coração de magnólia com pimenta que casa perfeitamente com a saída fresca e levemente gourmand. A secagem é doce e quente com um tom defumado de couro em harmonia com notas de sândalo, vetiver, âmbar e musk. O resultado é um aroma seco, macio e sensual com silagem doce, terrosa e especiada.

Anarchiste12. L’Anarchiste (Caron, 2000). L’Anarchiste é um refrescante chipre amadeirado. O perfume abre com um potente acorde de aldeídos, limão tahiti, flor de laranjeira, menta e ervas finas. Em seguida, a composição desenvolve uma estrutura chipre com notas de musgo de carvalho, vetiver, cedro e gaiaco, com um toque quente de canela. Para preservar a atmosfera metálica e herbácea da fragrância, L’Anarchiste dispõe de uma base seca e macia de musk. É um bom perfume, mas comum tratando-se de um Caron.

VersaceWoman13. Versace Woman (Versace, 2000). Versace Woman poderia tranquilamente entrar na categoria de florais frutados não fosse seu aspecto amadeirado e musky. A saída é bem exótica com uma nota de rosa esfumaçada, mas logo a fragrância evolui e deixa a rosa mais nítida com um tom frutado de framboesa e ameixa. Apesar disso, a fragrância continua floral e, aos poucos, vai esquentando até relevar totalmente seu fundo de madeiras nobres e almíscares. Versátil e balanceado, é indicado para mulheres de qualquer idade.

LaliquePH14. Lalique pour Homme Equus (Lalique, 2000). Depois do sucesso de Lalique pour Homme Lion e seu estilo amadeirado aromático, a marca de cristais desta vez resolve abordar o gênero oriental amadeirado. A fragrância abre refrescante (limão) e frutada (marmelo), anunciando um acorde central de noz moscada, cardamomo, zimbro e folha de violeta. Com notas escuras de madeiras nobres, bálsamos e couro, Lalique pour Homme Equus deixa para trás um aroma florestal e sofisticado, sem perder sua transparência herbácea.

Truth15. Truth (Calvin Klein, 2000). Encerrando o milênio, Calvin Klein chega à hora da verdade com este oriental amadeirado de nuances florais. Truth mostra uma faceta fresca e luminosa com notas de limão, bambu, amora, peônia, acácia e lírio-do-vale, ao mesmo tempo em que seduz com uma base doce e balsâmica de vetiver, patchouli, âmbar, baunilha e musk. Truth conquista com sua excelente transição entre o casual-aquoso e o sensual-cremoso, perfeito tanto para o escritório como para um encontro romântico.

RomanceForMen16. Romance for Men (Ralph Lauren, 2000). Depois do sucesso comercial da versão feminina, a grife americana introduz Romance for Men. Mantendo o DNA fresco e macio de Ralph Lauren, o perfume abre com cítricos, lavanda, chá, gengibre e cassis. Na evolução, a fragrância mostra seu lado romântico com um buquê de gerânio, rosa e lírio-do-vale temperado com ervas finas. Para manter o aspecto aromático, Romance for Men adota uma base seca e terrosa de patchouli, musgo de carvalho, vetiver, agulhas de pinho e musk.

Sensations17. Sensations (Jil Sander, 2000). Para quem gosta da combinação de frutas vermelhas e amêndoas, a perfumista Nathalie Lorson preparou este delicioso oriental vanilla. A partir de um acorde de bergamota, mandarina e framboesa, Sensations se torna floral, exalando flores brancas como flor de laranjeira e jasmim. No dry-down, o perfume esquenta devido a um fundo de âmbar, fava tonka e musk. Acolhedor e relaxante, Sensations funciona quase como um creme corporal – o que para algumas pessoas pode ser enjoativo.

SalvatoreFerragamoPH18. Salvatore Ferragamo pour Homme (Salvatore Ferragamo, 2000). A grife italiana arriscou-se nas flores para conceber sua fragrância assinatura masculina. Salvatore Ferragamo pour Homme é um amadeirado musky com um topo efervescente de toranja, figo, gerânio, néroli, cardamomo e alcarávia, um centro delicado de íris, rosa, cravo e jasmim, e uma base seca de cedro, sândalo, vetiver, musgo de carvalho, couro e almíscar sintético. Um perfume confortável e elegante, apropriado para o dia a dia.

BossWoman19. Boss Woman (Hugo Boss, 2000). Depois do enorme sucesso comercial de Hugo Woman, a grife alemã decide lançar um perfume para sua marca principal. Boss Woman é um floral frutado concebido para a mulher dinâmica. O perfume abre com um acorde de tangerina, manga e kumquat, anunciando um coração de frésia, íris, violeta e passiflora (flor de maracujá). No dry-down, Boss Woman exala uma combinação suave de cedro e sândalo. Um perfume para o dia a dia.

PureSeduction20. Pure Seduction (Victoria’s Secret, 2000). A marca lista apenas três notas para esta fragrância: ameixa, melão e frésia. Isso só pode significar uma coisa – Pure Seduction é uma bomba de musk, fazendo com que suas notas florais frutadas reinem absolutas, sem sequer receber uma saída de cítricos. Mesmo sintético e minimalista, o perfume se tornou um hit entre as meninas adolescentes que curtem aroma de xampu em suas fragrâncias. Um nome mais apropriado seria “Pure Delight”.

BLV21. BLV pour Homme (Bvlgari, 2001). A casa italiana mantém seu estilo aromático e soapy com traços especiados e amadeirados. Um acorde fresco de notas verdes, zimbro e gengibre se contrapõe a um acorde de tabaco, madeira teca e sândalo. Discretas notas florais são adicionadas para conferir um aspecto elegante de barbearia. BLV pour Homme é fundamentalmente uma fragrância limpa e elegante, mas que pode ser enjoativa para quem não aprecia o contraste entre notas quentes e geladas.

s116570_large22. Coco Mademoiselle (Chanel, 2001). Os chipres clássicos frequentemente recebiam notas saponáceas de aldeídos, defumadas de couro e animálicas de almíscares, porém todos esses ingredientes estão hoje fora de moda. Coco Mademoiselle inovou ao trazer notas frutadas e musk, formando uma aura lúdica e macia, mais ao gosto contemporâneo. Este perfume abriu caminho para os chipres modernos e hoje a tendência é a adição de baunilha e outras notas ambaradas, trazendo o perfume cada vez mais próximo do gourmand e cada vez mais longe da ideia inicial de chipre. 

Nu23. Nu (Yves Saint Laurent, 2001). Em 2011 esta fragrância foi reformulada e entrou para La Collection – uma linha que reúne perfumes icônicos da casa YSL. Previsivelmente, a nova versão de Nu é menos opulenta – seja para baratear o custo de produção, seja para atender à demanda atual. Nu é um delicioso e potente perfume amadeirado e cremoso (sândalo) que abre com um aroma cítrico e evolui para um coração de jasmim e orquídea, deixando um rastro de incenso, cardamomo e almíscar no ar. Nu é um queridinho também dos homens.

Madness24. Madness (Chopard, 2001). No início incompreendido e rejeitado, Madness foi um dos primeiros perfumes a trazer um acorde marcante de pimenta rosa, lichia e rosa (além de hibisco), hoje extremamente popular. A fragrância de Christine Nagel conta com uma estridente nota cítrica de kumquat no topo, finalizando com uma base de flor de algodão e madeiras nobres. Um delicioso e elegante floral musky.

MichaelMen25. Michael for Men (Michael Kors, 2001). Esta fragrância à base de tabaco é simplesmente deliciosa. Pena que só combine com dias frios. Michael é bem docinho por conta das notas de ameixa e frutas secas. É ao mesmo tempo incensado, amadeirado (sândalo e patchouli) e especiado (anis, cardamomo, canela, coentro e alcarávia). Cerca de meia hora após a aplicação surge um traço aveludado, proveniente da nota de camurça. Este é um perfume bastante confortável e com potencial “seduzante”.

LightBlue26. Light Blue (Dolce & Gabbana, 2001). Limonada de jasmim com um toque de bambu e maçã verde – assim pode ser definida esta fragrância. Criada para evocar a atmosfera do verão siciliano, Light Blue é um floral frutado ultrafresco e informal carregado de almíscares. Com seu aroma sintético e potente, este perfume já serviu como inspiração a diversos produtos de limpeza, o que o tornou comum e batido. Light Blue é um dos perfumes mais vendidos no Brasil.

DeepRed27. Deep Red (Hugo Boss, 2001). Feito para mulheres fortes e ativas, Deep Red é uma comportada e deliciosa composição floral frutada. Na saída, o perfume abre com notas de laranja-de-sangue, frutas vermelhas, cassis e pera. Minutos depois da aplicação, podemos sentir um acorde floral de frésia, hibisco e tuberosa incrementado com gengibre. Para manter a fragrância fresca e arejada, Deep Red incorpora uma base de madeiras secas, baunilha e musk. Bastante feminino e casual.

PresencePH28. Présence (Montblanc, 2001). Présence é um oriental especiado que abre de cara com um acorde adstringente de limão, menta, cardamomo, gengibre e canela. Aos poucos a composição vai amaciando graças a um coração fresco e macio feito de maçã e heliotrópio. Présence mescla com competência notas ácidas e picantes, concluindo com uma base de sândalo, teca, âmbar, fava tonka e musk. É um perfume versátil, para uso tanto no escritório como na balada.

Higher 29. Higher (Dior, 2001). Talvez por ser tão limpo e inofensivo, este é um dos perfumes menos falados de Dior. Higher abre fresco e adocicado com um acorde de limão siciliano, pera, damasco e manjericão, antes de exibir um centro herbáceo e picante de alecrim, cipreste e especiarias quentes. Para manter os acordes aromático e especiado ativos por diversas horas, Higher recebe um potente fundo de musk, entre outros sintéticos. Levemente especiado e frutado, esta é uma opção para quem busca fragrâncias suaves e confortáveis.

Desnuda30. Desnuda (Ungaro, 2001). Esta pouco comentada fragrância de Ungaro trata-se de um oriental floral de aspecto suculento e powdery. “Nua” parte de um acorde frutado e picante de bergamota, mandarina, pêssego, cardamomo e pimenta preta para imediatamente exalar um centro floral de mimosa, osmanthus, frésia, jasmim, tuberosa, íris e rosa com nuances de ameixa. Desnuda esquenta no dry-down graças a uma base de canela, sândalo, fava tonka, baunilha e musk. A combinação de mimosa, canela e baunilha resulta num aroma ultrafeminino e sensual.

MarcJacobs31. Marc Jacobs (Marc Jacobs, 2001). Esta criação de Marc Jacobs foi uma das que iniciaram a tendência de utilizar a gardênia como protagonista de fragrâncias florais por ser mais fresca e leve do que os tradicionais jasmim e tuberosa – estas duas notas aparecem na fórmula, porém como coadjuvantes. Marc Jacobs também leva bergamota, madressilva, gengibre e pimenta para compor uma aura mais descolada, ainda que comportada. Cedro e almíscar seguram a performance deste perfume que funciona bem no dia a dia.

MarcJacobsForMen32. Marc Jacobs for Men (Marc Jacobs, 2002). Na primeira vez que provei este perfume, senti certa repugnância por causa da nota dominante de coco, que me remeteu a detergente. Provei novamente em outra ocasião e clima e a reação foi bem diferente – é realmente um achado. Não há nada igual: além das notas frutadas principais de coco e figo, sua composição leva notas florais (rosa e cíclame), aromáticas (cítricas, aquáticas e cipreste), amadeiradas (cedro, patchouli e musgo de carvalho) e especiadas (cardamomo e gengibre), além de fava tonka. Fique tranquilo, você não vai cheirar a detergente barato.

VeraWang33. Vera Wang (Vera Wang, 2002). Ganhador de um prêmio FiFi por sua embalagem concebida em parceria com a Swarovski, este perfume da estilista americana Vera Wang é uma opção moderna para mulheres que curtem um floral. Vera Wang é tão despretensioso que se torna sofisticado e muitas noivas americanas o escolhem para o dia de seu casamento. A fragrância é basicamente um buquê de gardênia e muguê, com toda a luminosidade e o romantismo que essas duas flores proporcionam. Excelente projeção e longevidade.

Baldessarini34. Baldessarini (Baldessarini, 2002). O slogan de Baldessarini já indica: “separa os homens dos garotos”. Ou seja, trata-se de uma fragrância mais madura e séria. Baldessarini abre luminoso e fresco com aldeídos, tangerina, laranja amarga e menta, antes de revelar um acorde central de camomila, zimbro e cravo-da-índia. A personalidade da fragrância fica a cargo da base e suas notas de tabaco, patchouli, sândalo e musk. Baldessarini equilibra bem seus lados picante, herbáceo e amadeirado para compor um perfume old school e sofisticado.

PresenceFemme35. Présence d’une Femme (Montblanc, 2002). Présence d’une Femme é uma fragrância madura e – como o próprio nome diz – com presença. A combinação de notas de baunilha, patchouli, sândalo e pau-rosa na base confere um potente odor cremoso e encorpado, praticamente abafando as notas florais no coração. Como coadjuvantes, pimenta e mandarina temperam a composição para não torná-la exclusivamente amadeirada e sem graça. Se existisse um cappuccino feito de rosas, ele teria o aroma deste perfume.

GivenchyPH36. Givenchy pour Homme (Givenchy, 2002). Confortável e elegante, Givenchy pour Homme é uma aposta segura para o público masculino. Adotando o gênero amadeirado aromático, o perfume conta com uma saída energizante de mandarina, toranja, coentro e violeta, seguindo com um centro relaxante de lavanda e vetiver. O dueto de cedro e labdanum no fundo garante o desempenho da fragrância por diversas horas na pele. Givenchy pour Homme é difícil de desagradar, porém tampouco foi feito para conquistar elogios.

Cabaret37. Cabaret (Grès, 2002). Não se engane pelo nome – Cabaret não é um floral bomba. Pelo contrário, trata-se de um chipre floral discreto com uma nota marcante de rosa em meio a um buquê de lírio-do-vale, peônia, violeta e íris. O fundo da composição consiste de patchouli, sândalo, âmbar, incenso e almíscar. Cabaret abre bem um aroma cítrico de rosa, antes de partir para um estado quente e polvoroso. Cabaret é glamour na medida certa.

TruthMen38. Truth for Men (Calvin Klein, 2002). Dois anos depois de Truth, feito para o público feminino, Calvin Klein lança seu equivalente na forma de um amadeirado especiado. Com um aspecto sintético e sem muita novidade, Truth for Men é uma combinação de cardamomo, pimenta preta, manjericão, patchouli, cedro vermelho e musk. O perfume acaba funcionando devido à contraposição entre acordes refrescantes e picantes, embora não dure muito tempo na pele.

Addict39. Addict (Dior, 2002). Com seu aroma único que remete a pudim, Addict é forte e intoxicante nos primeiros momentos da aplicação. A combinação do acorde floral e delicado (rosa, dama-da-noite, jasmim e flor de laranjeira) com o acorde doce e sexy (amora, baunilha, fava tonka e sândalo) resulta num aroma viciante como insinua o nome do perfume. Excelente opção para mulheres que gostam da nota de baunilha sem cair no lugar comum, uma ou duas borrifadas são o suficiente para o dia todo. 

Fierce40. Fierce (Abercrombie & Fitch, 2002). Bastou a marca de roupa mais “hypada” do século imprimir uma foto de um corpo sarado num vidro quadrado e simples para Fierce ser um best-seller. Confesso que quando foi lançado me rendi totalmente a ele. Além de me sentir holisticamente confortável, Fierce me deixava sexy – beijos e abraços começaram a demorar um segundo a mais. Tinha tudo de bom do CK One só que as notas pareciam mais nítidas, como se estivessem em alto relevo. Pena que um ano depois o mundo inteiro o conheceu.

841. 8 (Abercrombie, 2002). A proposta feminina da grife americana foi este floral frutado carregado de almíscar sintético e com um toque de baunilha. Abrindo efervescente com notas de tangerina, mandarina e toranja, 8 parte para um centro floral aquoso de melão, frésia, amarílis, violeta e lírio-do-vale. Na secagem, a composição ganha um corpo levemente doce e cremoso com notas de vetiver, baunilha, âmbar e musk. Agradável e inofensivo, 8 é um perfume que faz lindamente a transição do puritanismo dos anos 90 para a versatilidade do novo milênio.

ForeverEver42. Forever and Ever (Dior, 2002). Lançado em 2002 e reintroduzido em 2006, Forever and Ever é uma delicada composição floral com toques especiados. Construído em torno da rosa, o perfume exalta o lado fresco da rainha das flores com um acorde de hera, frésia, jasmim e gerânio, enquanto um acorde de noz moscada, amêndoas, baunilha e musk ressalta seu aspecto macio e aveludado. Forever and Ever resulta num aroma romântico e polvoroso, maduro e inofensivo.

BossInMotion43. Boss in Motion (Hugo Boss, 2002). Boss in Motion é um daqueles perfumes masculinos com ambição de ser ao mesmo tempo fresco e picante, versátil suficiente para ser usado no trabalho ou na balada. Assim, a composição conta com um topo aromático de cítricos, manjericão e folha de violeta, um centro especiado de pimenta rosa, cardamomo, noz moscada e canela, e um fundo amadeirado de vetiver, sândalo e musk. Por sua agradabilidade (e também por seu atraente frasco), Boss in Motion se tornou uma das fragrâncias mais vendidas do mundo.

LacostePH44. Lacoste pour Homme (Lacoste, 2002). A grife francesa segue com seu estilo sintético e genérico, oferecendo mais uma fragrância para homens que não querem arriscar e que apenas buscam conforto. A partir de um acorde fresco e levemente doce de toranja, maçã e ameixa, Lacoste pour Homme passa a exalar um centro picante de cardamomo e pimenta preta. No dry-down, a composição se torna boozy e cremosa devido à base de sândalo, labdanum, baunilha e rum. Vale a pena somente se estiver em promoção.

SexyGraffiti45. Sexy Graffiti (Escada, 2002). Fortemente frutado, Sexy Graffiti é um coquetel de tutti-frutti com predominância de frutas vermelhas (morango, framboesa, groselha). A saída é amenizada com um acorde de toranja e folha de cassis. Em seguida, o perfume traz à tona seu buquê discreto – o suficiente para não interferir na parte frutada – de peônia, violeta e muguê. Sexy Graffiti finaliza com um manto de cashmeran adoçado com baunilha. Cheiro de festa na piscina.

Chic46. Chic (Carolina Herrera, 2002). O centro desta fragrância é a rosa. A rainha das flores é aqui enriquecida com notas de flores brancas como tuberosa, jasmim, lírio-do-vale e frésia. Na evolução, Chic vai ganhando corpo graças a um fundo sólido e cremoso de sândalo e baunilha. Muitos reclamam que o perfume é forte demais, especialmente por sua alta dose de sintéticos. Rende elogios, mas pode ser um pesadelo para quem o usa.

Intrusion47. Intrusion (Oscar de la Renta, 2002). Os perfumistas Jacques Cavallier e Alberto Morillas assinam juntos este delicado floral frutado. Intrusion abre efervescente com um acorde de cítricos, anis e néroli, anunciando um buquê delicado de gardênia, lírio-do-vale, jasmim e peônia. Na evolução, a composição aquece e ganha corpo com uma base de patchouli, âmbar e musk. O resultado é um cheiro de sabonete limpo e refrescante.

RobertoCavalli48. Roberto Cavalli (Roberto Cavalli, 2002). Muito antes de Roberto Cavalli EDP, o designer havia lançado este floral almiscarado de traços frutados. Praticamente desconhecido pelo público brasileiro, o perfume de frasco rosa e esguio prioriza notas florais discretas como madressilva, orquídea, frésia e magnólia. Roberto Cavalli ganha o frescor de cítricos e maçã, além de um fundo sedoso de patchouli e musks. Versátil e inofensivo, para uso em qualquer ocasião.

Incanto49. Incanto (Salvatore Ferragamo, 2003). Com a ambição de retratar olfativamente a beleza feminina, Incanto se propõe a ser a fragrância da Cinderela moderna. A composição abre doce e suculenta com notas de pêssego e ameixa, aos poucos se fundindo com um macio e delicado buquê floral de peônia e jasmim. O toque de sensualidade vem com as notas de fundo, consistindo de sândalo, âmbar e musk. Apesar do bom equilíbrio entre frutas, flores e resinas, Incanto é um tanto comum, sem muita novidade.

Stella50. Stella (Stella McCartney, 2003). A estilista inglesa Stella McCartney (filha do ex-beatle) encomendou uma fragrância à base de rosa com a condição de que fosse bem delicada, sem ser doce ou forte. Apesar de a saída ser mais fresca por causa da nota de peônia, a rosa domina toda a fragrância e é ressaltada com uma base de patchouli e musk. O tom salgado de almíscar remete à sensação de pele e intimidade. Pragmática, a rosa aqui é apropriada para uso no trabalho ou eventos casuais. Stella foi o perfume que trouxe a nota em questão de volta à moda.

VersaceMan51. Versace Man (Versace, 2003). Este perfume amadeirado especiado foi concebido para homens carismáticos e temperamentais. Não poderia ser chamado de oriental, pois sua nota sexy de tabaco lhe confere um ar especialmente latino. Notas de néroli, bergamota e angélica exalam nos primeiros minutos, mas logo são dominadas pelas notas de açafrão e cardamomo. Sua base consiste do acorde âmbar-tabaco que predomina na secagem. É preciso muita autoconfiança e malandragem para sair andando com ele na pele.

VeryIrresistible52. Very Irrésistible (Givenchy, 2003). Depois de tantos clássicos do passado, Givenchy finalmente resolveu criar uma fragrância para a nova geração. Very Irrésistible foi tão bem-sucedido que acabou se tornando recordista de flankers (30 no total). Cinco variações de rosa foram utilizadas na fórmula deste perfume, tornando a nota mais rica e complexa. Na saída podemos sentir o frescor do anis com verbena e folha de cassis evoluindo para um coração rosáceo com notas de peônia e magnólia. Very Irrésistible deixa um rastro atalcado na medida certa.

ChicForMen53. Chic for Men (Carolina Herrera, 2003). “Chic” não é exatamente o termo que eu usaria para descrever esta agradável fragrância de Carolina Herrera. Chic for Men mistura notas aquosas e picantes para criar uma atmosfera ativa e revigorante. Com um topo cítrico e aquático, a composição se desenvolve com especiarias quentes para concluir com uma base oriental de cedro, sândalo, fava tonka, âmbar e musk. Chic for Men é o perfume do homem moderno, que transita entre o trabalho e a academia sem perder sua elegância.

Brit54. Brit (Burberry, 2003). Esta é uma excelente opção para mulheres que querem o melhor do clássico e do moderno. Brit abre com notas frescas de limão e pera, trazendo para a frente amêndoas açucaradas. O coração é inteiramente centrado na peônia – uma flor que parece ser o cruzamento entre rosa e gardênia. Logo a fragrância aquece, ressaltando notas resinosas de âmbar, fava tonka e baunilha. Brit é sexy e chique, balanceado e confortável, capaz de despertar o desejo sem chegar a ser gourmand.

L'Instant55. L’Instant (Guerlain, 2003). Esta é uma opção sofisticada para quem gosta da exuberância de um gourmand sem abrir mão da delicadeza das flores. L’Instant é um perfume complexo que funciona como um caleidoscópio – por um ângulo ele é doce e intenso como mel e âmbar, por outro é delicado e fresco como bergamota, mandarina e maçã e, finalmente, elegante e feminino como íris, magnólia, jasmim e ylang-ylang. Talvez o defeito deste perfume seja sua construção e desempenho impecáveis a ponto de fazê-lo parecer quase perfeito demais.

NarcisoHer56. Narciso Rodriguez for Her (Narciso Rodriguez, 2003). Em ambas versões EDT e EDP, o centro é o musk – componente escolhido pelo designer de origem cubana em homenagem às mulheres modernas que não têm medo de seduzir. A versão EDT (mais agressiva) recebe notas de laranja, osmanthus e âmbar com fundo de vetiver, baunilha e âmbar. Já a versão EDP (mais meiga) é centrada na nota de rosa e firmada sobre patchouli e sândalo. Seja qual for a versão escolhida, talvez as duas, elegância com um toque de sensualidade natural são as ordens do dia.

Omnia57. Omnia (Bvlgari, 2003). O nome do perfume significa em todo lugar em latim e talvez por isso tenha tantos flankers, que acabam por ofuscar a versão tradicional. Sua saída já surpreende com notas de mandarina, gengibre, açafrão, cardamomo e pimenta. No coração da composição, encontram-se notas de especiarias quentes, chocolate branco e masala chai – um chá indiano feito com especiarias e ervas. A nota de chá permanece ativa e interage com o sândalo e fava tonka na secagem. Indicado também para homens.

RGPH58. Rive Gauche pour Homme (Yves Saint Laurent, 2003). Embora Yves Saint Laurent seja um dos designers mais produtivos da perfumaria, por algum motivo Rive Gauche pour Homme foi esquecido aqui no Brasil. Uma injustiça, pois é um dos mais belos e modernos fougères. É um fougère light – sua nota de cumarina é ofuscada pela exuberância das notas frescas e especiadas (lavanda, gerânio, anis, cravo-da-índia, alecrim e bergamota). Sua base amadeirada (gaiaco, patchouli e vetiver) dá robustez a esta criação. Para usar com terno.

Chance59. Chance (Chanel, 2003). A casa Chanel decidiu apostar na fórmula da sedução de Angel: um acorde robusto e masculino de patchouli e baunilha combinado com um acorde delicado e feminino floral e frutado. Para tanto, a composição é construída ao redor do jasmim, temperado com pimenta rosa e limão e suavizado com íris e jacinto. O toque especial fica por conta da nota de abacaxi fresco que acompanha toda a evolução do perfume. Chance é picante e doce, ingênuo e sedutor, fresco mas com personalidade. É praticamente uma evolução do best-seller Coco Mademoiselle.

Magnetism60. Magnetism (Escada, 2003). Magnetism é um guloso oriental gourmand com notas frutadas (cassis, lichia, cereja, melão, abacaxi e morango) e doces (amêndoas, baunilha, caramelo e benjoim). O perfume abre como uma salada de frutas temperada com manjericão e pimenta, felizmente seguindo logo para um caminho mais floral frutado. As notas de íris, rosa, magnólia e jasmim são praticamente abafadas pelas frutas de um lado e resinas de outro. Magnetism é potente e pode se tornar enjoativo (e perturbador para os outros) se for aplicado em demasia.

AmorAmor61. Amor Amor (Cacharel, 2003). Não espere uma fragrância séria e madura, pois Amor Amor tem um ar lúdico e descontraído, mais voltado para o prazer pessoal do que para chamar atenção. Trata-se de uma bomba doce de frutas vermelhas com uma laranja no topo e notas florais (rosa, lírio-do-vale e jasmim) no coração. Combinado com uma base de cedro, fava tonka e musk, Amor Amor produz um efeito quente, porem inocente. Não é o melhor perfume da Cacharel, mas é divertido.

IndividuelPH62. Individuel (Montblanc, 2003). Individuel é um fougère oriental que remete a Joop Homme e Animale Animale com sua aura ao mesmo tempo refrescante e doce. A fragrância começa com um acorde herbáceo (zimbro, lavanda, menta e alecrim), frutado (abacaxi e framboesa) e picante (canela, cardamomo e coentro). Em seguida, notas de jasmim, flor de laranjeira, gerânio e violeta emergem, produzindo um aspecto soapy. Uma base gourmand de baunilha e chocolate amargo conclui a composição com um rastro cremoso e sexy!

Sicily63. Sicily (Dolce & Gabbana, 2003). Um exótico oriental floral, este perfume combina um coração floral aldeídico e uma base oriental. Sicily abre com um aroma tropical de banana, madressilva, bergamota e néroli, remetendo um pouco a xampu. Em seguida desabrocha suas notas de rosa, jasmim, jacinto e hibisco, criando um efeito soapy. Na secagem, a fragrância evolui para uma base de sândalo, heliotrópio e musk, remetendo a protetor solar. Sicily é um perfume intimista, para ser acima de tudo apreciado consigo mesmo.

LacosteFemme64. Lacoste pour Femme (Lacoste, 2003). Como todos os perfumes da Lacoste, o foco desta criação está no conforto e no bem-estar, sem sacrificar a elegância. O cerne da fórmula é floral e atalcado com notas de rosa, violeta e heliotrópio, enquanto maçã verde, frésia e jasmim na saída conferem brilho à fragrância. O rastro é cremoso, esfumaçado e picante devido às notas de sândalo, incenso, camurça e pimenta. Lacoste pour Femme é um perfume que faz você se sentir bem e com presença.

EssenzaZegna65. Essenza (Zegna, 2003). Hoje difícil de ser encontrado, o melhor e mais original perfume já lançado pela grife de Ermenegildo Zegna é este minimalista e complexo amadeirado aromático. Essenza não é a fragrância comum de duty-free, mas uma inusitada combinação de cardamomo e frutas, temperada com cítricos e apoiada sobre uma base esfumaçada de âmbar e musk. De aspecto folhoso e levemente salino, Essenza captura a essência do Mediterrâneo com pura sofisticação e masculinidade.

PacoRabannePourElle66. Paco Rabanne pour Elle (Paco Rabanne, 2003). O frasco quadrado com um orifício centralizado sugere um perfume feminino e sedutor. Paco Rabanne pour Elle foi concebido por Olivier Cresp e Jacques Cavallier como um picante floral frutado. A composição gira em torno de um buquê carnal de rosa, jasmim, ylang-ylang e tiaré, enriquecido com notas suculentas de ameixa e damasco e picantes de pimenta rosa e preta. Um caráter doce e lactônico é produzido por sua base de sândalo, coco e massoia. Envolvente mas também refinado.

AmberRomance67. Amber Romance (Victoria’s Secret, 2004). Amber Romance é provavelmente uma das opções mais em conta para amantes da nota fantasia de âmbar. O tema central ganha cor devido à contraposição de dois acordes: um herbáceo de aloe vera e camomila, outro gourmand de cereja e baunilha. Uma base cremosa de sândalo e lactonas amalgama toda a composição, que veste a pele como um creme luxuoso.

Apparation68. Apparition (Ungaro, 2004). Doce e viscoso, Apparition é como um batom em formato perfume. A composição faz bom uso do acorde rosa-heliotrópio ao incrementá-lo com a suculência da framboesa, a pungência da pimenta e a doçura da baunilha. Na base, notas de patchouli, sândalo e fava tonka propiciam textura e elegância. Apparition é quente e confortável, sexy e refinado.

IslandKiss69. Island Kiss (Escada, 2004). Inspirado nas ilhas gregas, Island Kiss é uma combinação ácida e suculenta de frutas como manga, laranja, maracujá, framboesa, pêssego e cranberry. Na evolução, transparentes notas florais de gardênia, magnólia e hibisco trazem graça, enquanto um encorpado acorde amadeirado de cedro, sândalo e musk propicia textura. Island Kiss tem cheiro do coquetel Sex on the Beach.

FemmeIndividuelle70. Femme Individuelle (Montblanc, 2004). As três notas principais desta fragrância são cor-de-rosa como o líquido: pimenta rosa, groselha e rosa. Este acorde floral-frutado leva uma nota herbácea e medicinal de louro no topo e um sólido trio de patchouli, âmbar e almíscar na base. Femme Individuelle passeia por várias famílias olfativas e justamente por isso é interessante. Seu aroma é maduro mas não datado, divertido sem ser bobo. Muito gostoso para uso no dia a dia.

Code71. Code (Armani, 2004). O grande sucesso deste perfume, que foge da mesmice cítrica-fougère-amadeirada, indica que os homens estão se aventurando mais nas composições marcantes. Sua base (couro, tabaco, cumarina e gaiaco) e cabeça (notas cítricas) são bem viris, mas a novidade está em seu coração: uma nota de flor de oliveira com anis. O segredo deve estar no equilíbrio de todas essas notas, porque o resultado é fabuloso. Um oriental masculino sexy e nada enjoativo. Dá para usar até no escritório.

PradaAmberIntense72. Prada Amber (Prada, 2004). Prada Amber foi o primeiro perfume de massa da casa italiana – antes dele o portfólio da Prada limitava-se a fragrâncias exclusivas vendidas somente em suas boutiques. Como o próprio nome diz, o tema central é âmbar, aqui trabalhado com notas de sândalo, patchouli, fava tonka, labdanum e benjoim. A composição é balanceada com uma saída cítrica (bergamota, mandarina e laranja amarga) e um coração floral (rosa, jasmim e ylang-ylang). Prada Amber é sedutor e autoconfiante.

LIDG73. L’Instant de Guerlain pour Homme (Guerlain, 2004). Desde a primeira vez em que coloquei minhas narinas sobre ele, já percebi que era uma fragrância muito chique e, portanto, menos versátil. A complexa combinação de notas cítricas (limão, bergamota e toranja), aromáticas (lavanda, anis e chá), florais (jasmim e hibisco) e um patchouli com aroma de cacau fazem de L’Instant de Guerlain pour Homme um perfume multifacetado, com excelente projeção e fixação. Ainda que sua versão extreme seja mais popular, ainda acho a versão tradicional mais refinada – não entrega o jogo de cara.

GucciEDPII74. Gucci Eau de Parfum II (Gucci, 2004). Esta é uma boa opção para aquelas mulheres que curtem um floral frutado sem querer importunar seus colegas no escritório. O acorde central de Gucci Eau de Parfum II consiste de frutas vermelhas e violeta, cercado de jasmim, muguê, frésia e peônia. A saída é fresca, com notas de folha de cassis e laranja. Na secagem, o perfume se torna seco e atalcado com notas de cedro, heliotrópio e almíscar. Gucci Eau de Parfum II é luminoso e comedido, marcante sem ser enjoativo.

VeraWangMen75. Vera Wang for Men (Vera Wang, 2004). Se você curte uma boa dose de tabaco na fragrância, posso recomendar esta criação da designer americana Vera Wang. Este é um perfume sedutor, na linha de The One de Dolce & Gabbana. Seu lado sério e chique é construído por notas de tabaco, couro e sândalo, enquanto seu lado lúdico e descontraído vem da mistura das notas de folhas verdes, noz moscada, anis e yuzu. Vera Wang For Men tem um ótimo desempenho na pele e além dela.

CrystalNoir76. Crystal Noir (Versace, 2004). É arriscado lançar um perfume com nota marcante de coco, principalmente no Brasil onde o aroma dessa fruta muitas vezes é associado a material de limpeza. Versace, no entanto, foi bem-sucedida com o lançamento de Crystal Noir. A fragrância abre fresca e picante com notas de cardamomo, pimenta preta e gengibre, mostrando em seguida seu coração luminoso de gardênia. Para formar seu caráter encorpado e cremoso, a base recebe notas de coco e sândalo, além de um delicado musk. Elegante sem ser opulento, é ideal para eventos noturnos.

Cinema77. Cinéma (Yves Saint Laurent, 2004). Embora o frasco metálico e dourado inspire flashes e holofotes, Cinéma não é um oriental escandaloso. Pelo contrário, é um perfume confortável com todas as notas muito bem dosadas e posicionadas. A saída gourmand é composta por tangerina, cíclame e amêndoas. No coração, notas de jasmim, peônia e amarílis trazem feminilidade e glamour. Na secagem, Cinéma produz um efeito balsâmico e polvoroso de baunilha, âmbar, benjoim e almíscar que fecha a obra com delicadeza.

michaelkors78. Michael Kors (Michael Kors, 2004). Procurando por um floral branco marcante e inovador? Prove Michael Kors. A nota principal de tuberosa recebe tons de incenso, musk e madeira caxemira, tornando-a misteriosa e sedutora. Aparecem como coadjuvantes notas florais de íris, peônia, lírio, osmanthus e íris. A secagem produz um efeito de limpeza e maciez, lembrando um pouco do aroma de xampu. Michael Kors permanece horas na pele e também por onde você passar.

LEauBleueDIssey79. L’Eau Bleue d’Issey pour Homme (Issey Miyake, 2004). Este amadeirado aromático concebido por Jacques Cavallier divide opiniões devido ao seu caráter extremamente herbáceo (por isso mesmo seu flanker “fraîche” foi lançado logo em seguida). L’Eau Bleue d’Issey pour Homme começa exalando um acorde cítrico de bergamota, mandarina e limão tahiti, antes de adentrar um centro quente-gelado de gengibre, zimbro, pimenta rosa, alecrim, lavanda e cipreste. Todo esse contraste é amenizado por um fundo de musgo de carvalho, sândalo, patchouli, cedro e âmbar. Perfeita harmonia.

BeDelicious80. Be Delicious (Donna Karan, 2004). Somente uma designer americana poderia lançar uma fragrância tão puritana e lúdica como Be Delicious. Construído em torno da nota de maçã verde, o perfume tem uma saída floral e fresca de toranja, pepino e magnólia. No coração, um acorde polvoroso de lírio-do-vale, violeta e rosa remete a cheiro de banho tomado. Uma base cremosa de sândalo e âmbar evita que a fragrância se torne funcional como xampu.

BeDeliciousMen81. Be Delicious Men (Donna Karan, 2004). O par masculino do best-seller Be Delicious mantém o foco no aromático. Be Delicious Men abre efervescente com toranja, maçã verde, zimbro e notas marinhas. Na evolução, a fragrância traz um inusitado acorde de jasmim e café apoiado sobre uma base terrosa de patchouli e madeiras nobres. Be Delicious é um perfume que divide opiniões – uns acham muito ácido e rançoso, outros gostam de seu frescor fora do comum.

StyleInPlay82. Style in Play (Lacoste, 2004). Possivelmente o melhor perfume da Lacoste em produção, Style in Play é um amadeirado aromático com nuances florais. Com uma saída suave de maçã e folhas verdes, a composição segue com um centro luminoso e canforado de jasmim e agulhas de pinho. Para manter seu aroma seco e firme durante muitas horas, Style in Play incorpora como notas de fundo vetiver, patchouli e musk. Agradável e inofensivo, é de fato uma fragrância para esporte e lazer.

Soul83. Soul (Hugo Boss, 2005). Adotando o gênero fougère oriental, Soul de Hugo Boss busca o choque entre acordes gelados e quentes. De um lado, notas de bergamota, mandarina, cardamomo, anis, coentro, lavanda e vetiver propiciam uma aura mais clara e fresca; de outro, pimenta preta, canela, noz moscada, fava tonka, âmbar e baunilha levam a composição para o obscuro e sensual. Tudo isso é amalgamado por uma boa dose de almíscar sintético. Soul é competente, porém genérico.

Serpentine84. Serpentine (Roberto Cavalli, 2005). Concebido por Jacques Cavallier como um perfume “feminino, sensual e perigosamente charmoso”, Serpentine divide opiniões por ser ousado e inovador. Este oriental floral abre tropical com um acorde de manga, seguindo com um buquê de jasmim-manga, flor de tiaré e violeta temperado com pimenta preta. Na secagem, Serpentine se torna envolvente e opulento graças a uma base balsâmica de sândalo, bálsamo tolu e âmbar. Curiosamente, o nome se refere ao mito brasileiro de que serpentes se alimentam de manga.

Essential85. Essential (Lacoste, 2005). Essential de Lacoste é tudo menos o que seu nome indica. Trata-se de uma fragrância masculina suave e discreta, praticamente servindo como uma colônia para o dia a dia. A partir de uma saída aromática de bergamota, tangerina, folha de tomate e cassis, o perfume passa rapidamente por um centro de rosa e pimenta preta que logo é dominado por um fundo genérico de sândalo, patchouli e musk. Limpo e sintético, Essential pode ser uma boa alternativa para a academia.

Starwalker86. Starwalker (Montblanc, 2005). Obra do perfumista Michel Almairac, Starwalker é um amadeirado especiado com um potente fundo de almíscar sintético. A composição é inicialmente cítrica e verde com notas de bergamota, mandarina e bambu. Minutos depois, Starwalker vai ganhando corpo com um acorde central de cedro e sândalo, seguido de um fundo de abeto, gengibre, noz moscada e âmbar. Uma camada de musk envolve o perfume durante toda sua evolução. Fresco e elegante.

HugoEnergise87. Energise (Hugo Boss, 2005). O designer alemão mantém seu DNA de frutas e especiarias com este amadeirado aromático sem grande expressão. Energise parte de uma saída refrescante de cítricos, abacaxi, kumquat, pimenta rosa, menta e cardamomo para logo esquentar com um centro de zimbro, sálvia, coentro e noz moscada. Nesse momento, um toque floral traz suavidade à composição. A base fica por conta de um sofisticado acorde de madeira teca, couro e baunilha. Agradável e inofensivo.

Flowerbomb88. Flowerbomb (Viktor & Rolf, 2005). O par feminino de Spicebomb é um floral oriental de fundo macio e terroso. Com um topo de bergamota, osmanthus e chá verde, Flowerbomb vai aos poucos desabrochando seu buquê de frésia, jasmim, flor de laranjeira, rosa e orquídea. Na evolução, o perfume se torna quente e adocicado devido à base de patchouli, baunilha e musk. Graças às notas de cabeça mais frescas e verdes, Flowerbomb evita se tornar uma fragrância enjoativa. Foi lançado posteriormente na versão EDT, mais leve e refrescante.

FloraBella89. Flora Bella (Lalique, 2005). A criação olfativa mais injustamente rejeitada de Lalique é este complexo floral picante e encorpado. Composto pelo perfumista Bertrand Duchaufour, conhecido por sua ousadia, Flora Bella é um imenso buquê atalcado de acácia, orquídea, cravo, lilás, jasmim-manga e tiaré. O topo consiste de aldeídos, bergamota e cassis, enquanto a base leva especiarias quentes, âmbar, baunilha e musk. Flora Bella é o cheiro de um jardim tropical em plena florescência.

{EF5943EF-D701-4A5B-895D-A0956AB58B73}_dior-homme_225px90. Dior Homme (Dior, 2005). Criado por Olivier Polge para a casa Dior, o perfume é uma composição inusitada de acordes diversos: lavanda-bergamota, íris-vetiver, couro-âmbar e patchouli-cacau. Como alguém poderia esperar que uma mistura dessas funcionasse? Dior Homme veio ao encontro das necessidades de um mercado metrossexual, ávido por algo mais ousado e multifacetado, usando a sutileza como forma de mistério e atração. Dior Homme brinca com as polaridades da delicadeza (lavanda e íris) e da substância (couro e patchouli), saindo vitorioso – as vendas não mentem: é um best-seller com inúmeros flankers bem-sucedidos.

Euphoria91. Euphoria (Calvin Klein, 2005). Existem fragrâncias sintéticas ruins e existe, como contraponto, Euphoria. O perfume passa a impressão de glamour e mistério com sua vibe floral escura e frutada doce. A combinação de orquídea negra e frutas vermelhas produz um aroma de cereja, contracenando com um acorde seco e esfumaçado de madeiras nobres. A nota de romã aparece para dar um efeito sofisticado de bebida alcoólica, enquanto especiarias e musk dão um toque sexy. Euphoria funciona bem e agrada muita gente, figurando entre os perfumes mais vendidos do mundo.

Z92. Z (Zegna, 2005). Zegna é sinônimo de sofisticação e sua segunda fragrância não poderia transmitir outra coisa. Embora Z tenha sido concebido para jovens executivos, acho bastante apropriado para homens mais maduros. O perfume abre bem frutado e fresco com notas de limão siciliano, zimbro, alecrim e íris, caminhando para um centro picante e sensual com notas de noz moscada e pimenta. Finalmente, a fragrância mostra seu lado amadeirado e sério por meio das notas almíscar, patchouli, musgo de carvalho e cashmeran.

Alien93. Alien (Thierry Mugler, 2005). Com um nome bastante inusitado para uma fragrância, Alien tem uma aura misteriosa e intrigante, em oposição à doçura e inocência de Angel. Na saída, sentimos uma onda luminosa de jasmim e flor de laranjeira que aos poucos vai cedendo espaço para a base de âmbar e madeiras nobres. Diferente de Angel, este perfume deixa um rastro mais seco e amadeirado do que doce e caramelizado. O frasco de Alien é um dos mais belos da perfumaria e foi supostamente inspirado na pedra filosofal.

Gaultier294. Gaultier2 (Jean-Paul Gaultier, 2005). Jean-Paul Gaultier é simplesmente incapaz de lançar um perfume convencional. Desta vez o estilista encomendou uma fórmula unissex que fosse doce e moderna. Ancorado em âmbar e baunilha, este perfume vai além da doçura – notas de almíscar dão uma maciez quase erótica à fragrância enquanto uma baunilha licorosa acrescenta boa dose de ousadia. Na secagem Gaultier2 tem um aspecto quase de chiclete, mas não chega a desandar. Ideal para temperaturas mais frias, este perfume deve ser usado com moderação.

LaliqueParfum95. Lalique Le Parfum (Lalique, 2005). Construído ao redor da nota de baunilha, Lalique Le Parfum é uma fragrância simples porém única. Sua originalidade já começa na saída com uma nota de bergamota e da exótica pimenta racemosa – uma erva com aroma adstringente e medicinal. Jasmim e heliotrópio formam a dupla presente no coração, conferindo um tom cremoso e amendoado. Finalizam a composição patchouli, sândalo, fava tonka e, naturalmente, baunilha. Lalique Le Parfum é opulento, sofisticado e confortável.

ArpegePH96. Arpège pour Homme (Lanvin, 2005). Nada tendo a ver com o icônico Arpège da Lanvin, este é um ousado floral masculino que segue a linha de Dior Homme. Sua saída é bem cítrica (mandarina, néroli e laranja) e levemente picante (noz moscada), logo revelando o acorde íris-violeta no coração. Na base, patchouli, fava tonka, baunilha e musk produzem um aspecto limpo, quente e sensual. Assim como Dior Homme, Arpège pour Homme é um perfume andrógino porém sofisticado, podem ser usado tranquilamento por mulheres.

Ferre97. Ferré (Gianfranco Ferré, 2005). Ferré é um perfume denso e elegante que abre com um néctar frutado de abacaxi e melão. Seu coração é formado por um buquê de flores nitidamente dominado por íris. A base da fragrância contém traços polvorosos de íris, baunilha, âmbar e arroz, que se fundem com um sândalo quente, macio e cremoso. Ferré exala sofisticação e feminilidade com todas as suas notas interagindo em plena harmonia. Seu frasco é um gigante bloco de vidro que requer cuidado no manuseio.

VeryIrresMen98. Very Irrésistible For Men (Givenchy, 2005). Este perfume da casa Givenchy é praticamente esquecido. Very Irrésistible For Men ignora a receita floral frutada gourmand da versão feminina e oferece uma composição oriental amadeirada mais ao gosto dos rapazes. O perfume busca contrapor dois acordes opostos: um aromático e revigorante de toranja e menta; outro oriental e sensual de café, gergelim e avelã. Very Irrésistible for Men resulta num aroma clássico, mas também original.

V99. V (Valentino, 2005). Para esta composição, o designer italiano vislumbrou uma “mulher camaleoa”, com todo seu poder, feminilidade e complexidade. Assim, V é um floral musky com uma saída refrescante de toranja, mandarina e figo, um corpo delicado de néroli, frésia e rosa, e uma base macia de cedro, sândalo e âmbar gris. V é limpo e confortável, sem abrir mão de seu lado elegante e sensual. Cai bem tanto para o dia como para a noite.

SilverShadow100. Silver Shadow (Davidoff, 2005). Prepare-se para um choque entre o fresco e quente, pois Silver Shadow coloca ênfase em sua dominante nota de laranja amarga ao mesmo tempo em que abusa da doçura e pungência de uma base de canela, cravo-da-índia, benjoim e âmbar. Um coração de patchouli e açafrão faz o meio de campo, trazendo uma textura seca e macia à composição. Um perfume romântico e sensual que apela à intimidade.

Anterior: Anos 90

Próximo: 2006-2009

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s