Nicho Árabe

NichoÁrabeEnquanto a perfumaria europeia começou apenas no século XVII, a perfumaria árabe existe há milhares de anos. Usando ingredientes disponíveis no Oriente Médio como rosa, incenso, mirra, sândalo, oud, âmbar, musk e especiarias, as fragrâncias árabes já nasceram intensas e potentes – diferente das europeias que começaram como colônias de baixa concentração, evoluindo para perfumes de verdade somente no final do século XIX. Os franceses tratavam suas criações como obras de arte, com construções trifásicas e dezenas de notas que se revelavam aos poucos; os árabes focavam na potência com construções minimalistas e monolíticas (excelentes para layering). Essas construções eram basicamente feitas sem álcool (chamadas attares) e naturais, ao passo que os europeus combinavam naturais e sintéticos com álcool para ampliar a difusão. Por serem mais concentrados, os perfumes árabes ganham em termos de fixação (lasting), mas são mais rentes à pele. Obviamente o estilo é oriental, com aspectos defumado, picante, doce e animálico, em diferentes proporções. Nos últimos anos, casas de perfumes da região do Golfo passaram a vender pela internet para o mundo todo com preços atraentes, ora mantendo a tradição à risca, ora adotando métodos ocidentais com o uso de álcool, sintéticos e estrutura piramidal.

Nota: Para perfumes lançados de 2015 em diante, consulte Lançamentos de Nicho.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

Gold1. Gold (Amouage, 1983). O primeiro perfume da casa Amouage foi Gold Woman, criado pelo perfumista Guy Robert. Trata-se de uma composição floral com saída aldeídica de jasmim, rosa e lírio-do-vale, tornando-se mais polvorosa e balsâmica com as notas de incenso, mirra e orris no coração. Sua base é ambarada com notas marcantes de sândalo, civet e almíscar. Guy Robert retornou à Amouage 15 anos depois para criar Gold Man. A versão masculina mantém os mesmos ingredientes, porém sem o aspecto aldeídico e polvoroso – o destaque fica para um dry-down balsâmico e animálico no maior estilo árabe.

Incense2. Incense (Norma Kamali, 1985). Este oriental balsâmico e esfumaçado abre denso e pungente com um aspecto viscoso e medicinal. Construído em torno da nota de incenso, o perfume projeta um aroma seco, rançoso e defumado de tabaco, bétula, mirra e olíbano com nuances herbáceas e amadeiradas. Notas de flores brancas e almíscar conferem uma aura orgânica e animálica. Incense é o suprassumo do mundo oriental, exalando o puro odor de incenso com o mínimo de aditivos sintéticos.

Ubar3. Ubar (Amouage, 1995). Criado apenas na versão feminina, Ubar é um oriental floral à moda antiga: carregado de aldeídos e flores brancas. Como Joy e Arpège, o perfume abre cítrico e cintilante, em poucos minutos revelando acordes florais complexos à base de flor de laranjeira, jasmim, lírio-do-vale, ylang-ylang e tuberosa. O aroma floral é ressaltado e enriquecido com notas de laranja e civet, conferindo uma aura mais natural e realística. A aura inicialmente chipre dá lugar a um aspecto oriental e cremoso, ligeiramente animálico, com notas de sândalo, âmbar gris e baunilha.

Aqaba4. Aqaba Classic (Aqaba, 1998). Feito em homenagem à cidade homônima na Jordânia, Aqaba Classic abre com um potente aroma de rosa combinado a incenso e especiarias, com nuances de pêssego e chá. No dry-down, a fragrância desemboca numa base mineral e amadeirada de olíbano e cedro. A versão masculina, Aqaba Men (2006) trabalha o couro com notas verdes, jasmim, conhaque e sândalo, criando uma aura limpa e sofisticada.

Dia5. Dia (Amouage, 2002). As criações Dia Man e Dia Woman são florais amadeirados feitos para serem usados durante o dia. Dia Man tem uma saída cítrica e balsâmica, evoluindo para um coração com notas de rosa, peônia e ameixa. Sua base de madeiras nobres (vetiver, patchouli e pau-rosa) e âmbar ajuda a manter a aridez e delicadeza da composição. Dia Woman abre cítrico, herbáceo e aldeídico, logo revelando notas florais (peônia, flor de laranjeira, rosa e íris). Na secagem, o perfume mostra-se polvoroso e esfumaçado com sândalo, incenso, heliotrópio, baunilha e musk.

Ciel6. Ciel (Amouage, 2003). Difícil de classificar, Ciel Man é frutado, aromático, floral, especiado, fougère, incensado e animálico – tudo ao mesmo tempo. De início, o perfume se mostra fresco e adocicado, porém é logo dominado por um acorde floral luminoso e picante, antes de finalizar com um dry-down quente e esfumaçado. Trata-se de uma composição dualística, contrapondo o frescor limpo e o calor selvagem. Já Ciel Woman busca a transparência celeste no aquoso por meio de notas florais luminosas como gardênia, violeta, lírio aquático, flor de pêssego, lótus e cíclame. Na evolução, o perfume se mostra mais quente e balsâmico.

Aoud7. Aoud (M. Micallef, 2003). Com uma fiel rendição da nota árabe de oud, este perfume de M. Micallef abre fortemente fenólico (cheiro de estábulo), com facetas animálica, especiada e medicinal. Minutos depois, notas de açafrão, noz moscada, mel e canela emergem, propiciando um interessante contraste entre o doce e o picante. Nuances de rosa também são detectadas. A base de patchouli e sândalo conclui a composição com uma atmosfera escura e natural.

PatchouliLeaves8. Patchouli Leaves (Montale, 2004). Este é o verdadeiro patchouli, envelhecido como tonéis de vinho, com aroma acentuado de mofo e terra. Os demais ingredientes entram para realçar a nota principal, como um labdanum encorpado, uma baunilha resinosa e um almíscar macio. O resultado é uma interpretação realística e tridimensional do aroma natural de folhas de patchouli, como se tivessem sido trazidas da Índia para proteger das traças os carregamentos de seda.

Gaiac9. Gaïac (M. Micallef, 2005). Grande best-seller da casa M. Micallef, esta composição faz uma rendição cremosa da nota escura e balsâmica de gaiaco. Gaïac abre com bergamota e cravo-da-índia, com um intenso fundo doce e amadeirado. Aos poucos o perfume vai crescendo e mostrando um aroma encorpado e açucarado com nuances picantes e defumadas. Gaïac é uma fragrância leve e delicada, mais para ser apreciada rente à pele do que para causar impacto.

VanilleAoud10. Vanille Aoud (M. Micallef, 2005). O acorde oud-baunilha é aqui trabalhado com notas marcantes de ameixa, ylang-ylang, benjoim e caramelo para propiciar um suntuoso efeito gourmand. Depois de uma saída pungente e medicinal, Vanille Aoud é suavizado graças a suas notas macias e adocicadas, caminhando para um intoxicante aspecto boozy. Do químico e plástico, Vanille Oud se transforma num confortável aroma suculento e cremoso.

Patchouli11. Patchouli (M. Micallef, 2006). Patchouli é um tributo à complexa e refinada à erva de odor amadeirado descoberta no transporte de seda do Oriente para o Ocidente. Com variantes da Índia e Java, o perfume incrementa seu ingrediente principal com um topo verde e aquoso de folha de violeta, e uma base oriental e quente de labdanum, benjoim, âmbar, baunilha e almíscar. A fragrância reproduz o aspecto terroso e natural do patchouli, conduzindo-o a um dry-down doce e polvoroso.

BlackAoud12. Black Aoud (Montale, 2006). Uma das maiores referências de perfume à base de oud, Black Aoud traz o melhor da tradição árabe ao combinar notas de oud, patchouli, rosa e almíscar. Com uma saída medicinal que inicialmente assusta, a composição se atenua e revela um acorde luxuoso de rosa e oud, com uma aura romântica e misteriosa. Quase ao ponto de ostentação, Black Aoud se mantém no limite do bom senso e elegância para se tornar alvo das atenções. Imperdível. Bravo, Montale!

BlueAmber13. Blue Amber (Montale, 2006). A nota fantasia de âmbar é trabalhada pela Montale com um lado seco e aromático de bergamota, gerânio e vetiver e outro lado cremoso e encorpado de labdanum, patchouli e baunilha. A ideia aqui é aferir uma atmosfera fresca e leve ao âmbar, o que é bem-sucedido devido à acertada escolha de ingredientes e suas proporções. Blue Amber não é o típico perfume oriental opulento, mas sim minimalista e delicado, para íntima apreciação.

 attar14. Attar (Montale, 2006). “Attar” é o termo utilizado para fragrâncias árabes livres de álcool, então é interessante ele ser usado aqui para o nome de um perfume Montale. O perfume oferece uma combinação clássica de rosa (búlgara), sândalo e oud. Na evolução, Attar ganha um leve aspecto powdery sobre uma base escura e misteriosa.

intensetiare15. Intense Tiaré (Montale, 2006). Saindo um pouco do DNA de oud (geralmente trabalhado com rosa, açafrão, couro e especiarias), Montale mostra aqui uma outra face completamente distinta. Intense Tiaré trabalha a flor de tiaré com um acorde inebriante de rosa, jasmim e ylang-ylang. Um acorde base de coco e baunilha compõe uma aura cremosa e adocicada. Sexy e feminino.

greyland16. Greyland (Montale, 2006). Adotando o gênero oriental especiado, Greyland, como o nome sugere, é bastante esfumaçado. A fragrância abre adstringente com notas de gengibre e pimenta preta, revelando em seu coração um elegante acorde de rosa e couro. A secagem fica por conta de um fundo de seco e defumado de vetiver, gaiaco, cedro, sândalo e musk.

ChocolateGreedy17. Chocolate Greedy (Montale, 2007). Montale levou a sério esta proposta de chegar o mais perto possível do aroma de uma confeitaria. Chocolate Greedy reúne notas de cacau, baunilha, café, fava tonka e frutas secas para produzir a autêntica atmosfera de bolos, tortas, macarons e chocolate quente. Viscoso e potente, o perfume é um gourmand ultradoce que só vai agradar quem realmente gosta do gênero. Os demais talvez prefiram encará-lo como um aromatizador de ambientes.

Sheik3318. Opulent Shaik Classic No. 33 (Shaik, 2007). A luxuosa casa do Bahrein apresenta este oriental floral e atalcado com notas predominantes de rosa e heliotrópio. O lado floral da composição é ressaltado com peônia e íris, enquanto notas de angélica, heliotrópio e musk compõem uma atmosfera polvorosa. O perfume conclui com uma base oriental de coentro, baunilha, fava tonka e sândalo. Opulent Shaik Classic No. 33 claramente usa sintéticos e se assemelha ao estilo Amouage.

Sheik7719. Opulent Shaik Classic No. 77 (Shaik, 2007). Remetendo aos perfumes ocidentais, Opulent Shaik Classic No. 77 não é exatamente um típico espécimen da perfumaria árabe. Muitos o comparam a Joop Homme e Le Mâle devido ao seu aspecto sintético. Este oriental fougère abre com notas de cítricos, manjericão, gerânio e lavanda, evoluindo para um coração de cravo-da-índia e canela com um fundo de maçã verde. A base fica por conta de patchouli, musgo de carvalho, labdanum e baunilha.

Alf20. Alf Lail o Lail (Ajmal, 2007). Fundada nos Emirados Árabes em 1951, Ajmal é uma das mais tradicionais casas do Oriente Médio e uma das que mais penetraram no Ocidente. Alf Lail o Lail é construído em torno do acorde oud-patchouli, mas diferente do que conhecemos. Ambas notas são naturais, selvagens e fenólicas, propiciando uma sensação ao mesmo tempo natural e intensa. Tabaco, rosa taif, sândalo, âmbar, especiarias e almíscar são coadjuvantes desta bomba oriental.

Sacrifice21. Sacrifice for Her (Ajmal, 2007). Sacrifice for Her é frequentemente descrito como uma versão arredondada de Alien de Thierry Mugler. Com basicamente os mesmos ingredientes (jasmim, flor de laranjeira, âmbar, baunilha e musk), a composição resulta num delicioso creme floral aveludado e adocicado. Sacrifice for Her difere-se de Alien por ser mais natural e rente à pele. Assim, talvez este perfume seja uma melhor opção para quem prefere uma fragrância mais intimista.

Reflection22. Reflection (Amouage, 2007). O par de fragrâncias Reflection de Amouage – talvez um dos menos comentados – é um tributo ao brilho das flores. A versão masculina abre com alecrim, pimentão e rosa, evolui para um centro de néroli, jasmim e íris, e conclui com uma base de cedro, vetiver, sândalo e patchouli. Apesar de conter notas tão diferentes, Reflection Man é muito parecido com Le Mâle de Jean-Paul Gaultier. Já a versão feminina é um delicado floral verde com topo de frésia, violeta e folhas tropicais, coração de magnólia e jasmim, e fundo de cedro, sândalo e âmbar. O resultado é translúcido e sofisticado.

Jubilation23. Jubilation (Amouage, 2008). Quando a casa Amouage fez 25 anos, foram encomendados Jubilation XXV (masculino) e Jubilation 25 (feminino), ambos com ênfase no mais limpo olíbano ou frankincense do Omã. Jubilation XXV é um oriental doce, balsâmico e esfumaçado rico em oud, especiarias e resinas (olíbano, opoponax, mirra e labdanum), além de notas de mel e amora. Jubilation 25 é um oriental floral, balsâmico e esfumaçado com um coração de rosa e incenso e uma base de âmbar, mirra e patchouli. Tanto a versão masculina quanto a feminina transmitem suntuosidade, bem ao estilo do Oriente Médio.

Lyric24. Lyric (Amouage, 2008). O par Lyric Man e Lyric Woman foi totalmente dedicado ao romantismo da rosa. A versão masculina abre verde e ácida com notas de limão, angélica, gálbano e flor de laranjeira. Na evolução, a nota principal é enriquecida com a picância aveludada do açafrão e noz moscada, além de uma pitada de gengibre. Para conferir virilidade, a base traz agulhas de pinho, sândalo, incenso, baunilha e musk. A versão feminina acrescenta jasmim, ylang-ylang e íris ao coração, e troca agulhas de pinho por patchouli, vetiver e musgo de carvalho na base.

AoudCuirArabie25. Aoud Cuir d’Arabie (Montale, 2008). Um dos mais controversos e originais perfumes da linha Montale, Aoud Cuir d’Arabie ignora todos os limites para atingir seus objetivos. Composto apenas por notas pesadas e escuras como tabaco, couro, bétula e oud, a fragrância começa e termina forte, intensa e animálica. Na secagem, Aoud Cuir d’Arabie se atenua para mostrar um acorde tabaco-couro sobre a base de oud. Um perfume de amor ou ódio, impossível de passar despercebido.

RedVetiver26. Red Vetyver (Montale, 2008). A abordagem desta fragrância à base de vetiver pela Montale não é leve e fresca como de costume, mas sim quente e picante. Red Vetyver tem uma saída leve e brilhante de toranja, evoluindo para um coração de vetiver e pimenta. A base de patchouli, cedro e bálsamo peru não dão espaço para a nota cítrica, dominando a composição com seu efeito amadeirado e balsâmico, seco e escuro. O vetiver permanece identificável até o final, numa bela interpretação.

SweetOrientalDream27. Sweet Oriental Dream (Montale, 2008). Um perfume obrigatório para os amantes dos gourmands, Sweet Oriental Dream é uma combinação de amêndoas, mel e baunilha, além de uma nota de rosa para trazer personalidade. Trata-se de uma composição doce e viscosa, realista como uma calda de sorvete, indicada somente para quem realmente aprecia as fragrâncias açucaradas e meladas como um doce turco. Alguns podem preferir usá-la apenas para dormir e sonhar gostoso.

RedAoud28. Red Aoud (Montale, 2008). Juntamente a Black Aoud e Dark Aoud, esta fragrância completa o trio dedicado à matéria-prima mais tradicional da perfumaria árabe. A sacada aqui foi dar prioridade a uma nota suculenta de rosa, temperada com açafrão, pimenta preta e cominho. Na evolução, Red Aoud torna mais evidente sua base de oud, sândalo e vetiver, com destaque a uma injeção polvorosa de orris para trazer romantismo ao perfume.

WhiteAoud29. White Aoud (Montale, 2008). A interpretação mais delicada do oud feita por Montale é este inusitado floral musky. White Aoud é mais atalcado que medicinal, incorporando um acorde central de rosa e jasmim com recortes aveludados e picantes de açafrão, cardamomo e patchouli. A base de oud leva notas suaves de vetiver, sândalo, incenso, âmbar e musk. O resultado é um perfume sedoso e encorpado, seco e polvoroso.

goldintensiveaoud 30. Gold Intensive Aoud (Mancera, 2008). Gold Intensive Oud é um oriental floral construído em torno do acorde rosa-oud. Com uma saída de notas cítricas e aquáticas, a composição evolui para um centro de rosa, gerânio e açafrão. Tudo isso é suportado por uma base de oud, gaiaco, madeira teca, âmbar gris e musk.

blackintensiveaoud31. Black Intensive Aoud (Mancera, 2008). Este perfume escuro e sofisticado segue o caminho oriental amadeirado. Abrindo com um acorde picante de pêssego, açafrão, pimenta e cravo-da-índia, Black Intensive Aoud desabrocha um elegante buquê de rosa, jasmim e íris com um toque de açúcar. O perfume ganha profundidade com uma base balsâmica de cedro, sândalo, oud e gurjan.

vanilleabsolu32. Vanille Absolu (Montale, 2008). Montale escolheu um tema especiado para a interpretação da popular nota de baunilha. Esta divide a cena com especiarias quentes como cravo-da-índia e canela, além de um fundo de madeiras nobres. O fato é que Vanille Absolu foca mesmo na cremosidade da baunilha, sem exagerar no aspecto açucarado ou picante.

mukhallat33. Mukhallat (Montale, 2008). O termo “mukhallat” designa uma combinação de óleos essenciais. Neste caso, Montale optou por um tema gourmand com a combinação de morango, amêndoas, bálsamo peru, baunilha e musk. Bastante diferente do DNA da marca, Mukhallat tem uma atmosfera pink mais a ver com o público feminino, porém também amado por usuários homens.

aoudqueenroses34. Aoud Queen Roses (Montale, 2008). Segundo o site Montale, “Aoud Queen Roses contem a rosa francesa mais linda do sul da França, hibisco da Guiné e notas de base do Oriente Médio”. Mais feminino que a média dos perfumes Montale, este mostra uma rosa densa e narcótica com um hibisco almiscarado. A secagem fica por conta de um acorde seco e balsâmico de patchouli, couro e oud.

rosemusk35. Roses Musk (Montale, 2008). Adotando o gênero floral almiscarado, Roses Musk gira em torno da nota de rosa, acompanhada de jasmim e suportada por uma base de musks. A composição minimalista foca numa interpretação realística das pétalas da rainha das flores. Infelizmente a secagem conduz a um caminho de almíscares sintéticos que faz o perfume perder seu caráter.

AoudLeather36. Aoud Leather (Montale, 2009). Um ano depois do lançamento do polêmico Aoud Cuir d’Arabie, Montale volta ao mesmo tema, desta vez com uma composição mais polida, focada na nota de couro. Enquanto o irmão mais velho é pesado e animálico, com ênfase no oud, Aoud Leather preza por um efeito mais elegante como banco de carro luxuoso, com notas de bergamota, açafrão, cardamomo, pimenta, couro, oud e âmbar gris.

Lulutal37. Lulutal Bahrain (Asgharali, 2009). Asgharali é uma casa do Bahrein com mais de 150 criações em seu portfólio. Com um frasco luxuoso revestido de metal encrustado de pérolas, Lulutal Bahrain inicialmente parece mais masculino com notas de bergamota, artemísia, tabaco, agulhas de pinho e madeiras nobres. Na evolução, seu lado mais feminino de rosa, gardênia, jasmim e muguê emerge, apoiado sobre uma base de fava tonka, musgo de carvalho, âmbar e almíscar.

Shazeb38. Shazeb (Ashgarali, 2009). Deixando a tradição oriental um pouco de lado, Shazeb segue o gênero chipre, adotando notas cítricas, herbáceas, amadeiradas, balsâmicas, frutadas e florais. Na saída, o perfume exala um acorde de bergamota, tangerina, limão e notas verdes diversas, antes de adentrar um coração floral-frutado cercado de cipreste, sândalo e patchouli. Shazeb completa a estrutura chipre com labdanum e musgo de carvalho na base, além de uma camada de musk.

MonParfum39. Mon Parfum (M. Micallef, 2009). Mon Parfum é um oriental gourmand com nuances tropicais e terrosas. A partir de um topo cítrico e luminoso de mandarina e néroli, o perfume segue com um aroma doce e frutado de maracujá, baunilha e caramelo. Uma base de vetiver, patchouli e musk dá uma equilibrada na composição, trazendo um aspecto mais seco e natural, em contraste com o centro sintético e açucarado.

Epic40. Epic (Amouage, 2009). O par Epic foi concebido com inspiração na ópera Turandot de Puccini, retratando a legendária rota da seda entre a China e a Arábia. Ambas versões são orientais amadeiradas à base de oud, incenso e especiarias. Epic Man abre intensamente balsâmico e picante, evoluindo rapidamente para um coração de gerânio e mirra. Sua base é balsâmica com potentes notas de oud e castoreum. Epic Woman tem uma saída similar, porém evolui para um aroma mais floral (rosa, jasmim e gerânio). Seu dry-down é também balsâmico, porém mais doce com a adição de âmbar e baunilha.

Memoir41. Memoir (Amouage, 2010). Memoir é uma composição aromática à base de couro e absinto. Memoir Man investe no gênero fougère ao incluir notas de manjericão, lavanda, menta, tabaco e musgo de carvalho. Abrindo fortemente herbáceo, o perfume logo revela um acorde rosa-incenso, concluindo com uma base de madeiras nobres, âmbar, baunilha e musk. Memoir Woman aborda o gênero chipre ao incluir bergamota, labdanum e musgo de carvalho. Com uma saída frutada picante, a fragrância mostra um coração de rosa e flores brancas com incenso e especiarias, deixando um rastro chipre e animálico (castoreum).

Asmar42. Asmar (SoOud, 2010). Uma das primeiras criações de Stéphane Humbert Lucas sob a marca SoOud, Asmar é um complexo oriental especiado com toques de mel, tabaco e café. O nome remete ao aroma de sol, pele bronzeada, terra e areia. A fragrância abre com bergamota, uva e mel, antes de evoluir para um acorde central de cravo, tabaco e café. Uma base de incenso, âmbar, baunilha, camurça e musk completa a composição com sensualidade. Asmar é exótico, sedoso e perseverante na pele.

Hajj43. Hajj (SoOud, 2010). Alcaçuz e osmanthus são as estrelas desta composição. Com uma saída de bergamota, mandarina, alcaçuz e gengibre, Hajj segue um caminho terroso e floral de osmanthus, patchouli, vetiver e pau-rosa. Na evolução, a composição ganha corpo e escurece com notas de bálsamo tolu, tabaco e baunilha. O segredo de Hajj está na harmonia entre o acorde herbáceo doce e especiado e o acorde balsâmico quente e esfumaçado. É um perfume que inspira tranquilidade.

Ouris44. Ouris (SoOud, 2010). Ouris presta tributo à íris com uma interpretação suculenta e cremosa. O perfume intensamente frutado com pêssego, ameixa e cassis, antes de adentrar um exuberante acorde floral polvoroso de jasmim, calêndula, acácia, heliotrópio e mel. Nesse ponto, Ouris é um creme amendoado que exala como uma flor sendo polinizada. No dry-down, notas de orris, sândalo, fava tonka e baunilha completam a composição, que se transforma num coquetel tropical e feminino.

Nur45. Nùr (SoOud, 2010). Para conceber uma fragrância que inspire pura sofisticação, Stéphane Humbert Lucas une ervas finas, chá, incenso, resinas e bétula (couro russo). Um acorde de limão e artemísia compõe o topo da composição, que logo abre caminho para o acorde central de osmanthus, camomila e incenso. Na secagem, Nùr ganha uma textura polvorosa, aveludada e levemente doce devido às notas de cedro, orris, couro, âmbar, baunilha e musk na base.

Emir46. Emir (M. Micallef, 2010). Pouco conhecido e subestimado, Emir é um opulento e refinado perfume à base de oud. Inicialmente, a composição exala um odor cítrico de toranja e laranja, logo revelando um acorde herbáceo-picante de gerânio, patchouli, sálvia e pimenta. No dry-down, Emir mostra um caráter defumado e denso com notas de oud, cedro e almíscar. Feito para homens, o perfume claramente enfatiza seu ângulo herbáceo e amadeirado sem o menor pudor.

Noora47. Noora (Swiss Arabian, 2010). Operando desde 1974 dos Emirados Árabes para o mundo, a casa Swiss Arabian é uma das mais bem-sucedidas daquela região, com mais de 100 fragrâncias em seu portfólio. Noora é um oriental floral melífluo que abre intensamente doce com notas de laranja e mel. Na evolução, a composição revela um acorde de rosa-muguê enriquecido com um aveludado e picante açafrão. Notas de sândalo, baunilha e musk completam este perfume feminino, elegante e sensual.

Malaki48. Mukhalat Malaki (Swiss Arabian, 2010). Um excelente exemplar da perfumaria árabe, Mukhalat Malaki reúne ingredientes naturais em altíssima concentração. Centrada na nota de oud, a composição agrega rosa taif, açafrão, sândalo (indiano) e almíscar. Devido à ausência de álcool neste mukhalat, o aroma vai se revelando lentamente, porém com grande intensidade. Talvez os iniciantes neste tipo de fragrância estranhem de imediato, mas Mukhalat Malaki é um bom começo.

Rakaan49. Rakaan (Swiss Arabian, 2010). Feito para homens, Rakaan combina elementos da perfumaria árabe com sintéticos da perfumaria ocidental. A fragrância abre intensamente cítrica com uma nota de oud medicinal e oleosa por trás. Essa combinação seria desestimulante se não fosse por uma evolução mais equilibrada de flor de lótus, cedro, sândalo e âmbar. Rakkan acaba se tornando um pouco polarizante devido à oposição do ultrafresco e etéreo com o quente e denso.

Kalemat50. Kalemat (Arabian Oud, 2010). Sediada na Arábia Saudita, a casa Arabian Oud vem conquistando o Ocidente há anos com quase duas centenas de criações. A mais famosa delas é Kalemat, um criativo oriental que se rende aos sintéticos ocidentais. O perfume abre com um interessante acorde de mirtilo, alecrim e anis, antes de partir para um coração de notas florais. No dry-down, a composição mostra um acorde quente e aveludado de âmbar, cashmeran e musk com nuances animálicas.

Woody51. Woody (Arabian Oud, 2010). Explorando a simbiose do acorde rosa-oud, Woody tem um aspecto transparente ao mesmo tempo em que é opulento. Notas de âmbar, patchouli e almíscar carregam a composição e garantem um efeito de manto, como se pudessem vestir o usuário. De imediato o perfume exala uma explosão de odores floral, herbáceo e balsâmico sobre um fundo animálico. Na secagem, a sensação é de conforto e elegância. Também disponível na versão óleo, sem álcool.

Wisal52. Wisal (Ajmal, 2010). Wisal é um floral musky construído em torno de um acorde de rosa turca e especiarias quentes. Elegante e compartilhável, o perfume incorpora notas florais diversas, sândalo e musk para valorizar o aspecto atalcado e macio da rainha das flores. Wisal mostra uma rosa escura e suculenta como uma ameixa, bem ao estilo árabe, longe do que vemos na perfumaria comercial.

FullIncense53. Full Incense (Montale, 2010). Mais intenso e potente que Avignon, Full Incense gira em torno da nota de olíbano, que é acompanhada de elemi, labdanum, patchouli e cedro. O perfume abre resinoso e esfumaçado, mais masculino que feminino, com um fundo especiado de pimenta. A composição vai se assentando e se tornando quente e polvorosa. O intenso aroma de olíbano do início dá lugar a um incenso leve e macio. Full Incense é apropriado para qualquer ocasião e temperatura.

AoudMusk54. Aoud Musk (Montale, 2010). Incrível como a casa Montale consegue fazer múltiplas combinações dos mesmos ingredientes e ainda assim obter um resultado incrível. No caso de Aoud Musk, a fragrância leva, além dos ingredientes centrais, açafrão, ébano, vetiver e âmbar. O resultado é um perfume superpotente que abre escuro, quente e medicinal, tornando-se aos poucos harmonioso e balanceado. Aoud Musk é uma bomba hipnótica para seduzir e conquistar. Duas borrifadas são suficientes para doze horas de projeção.

roseelixir55. Roses Elixir (Montale, 2010). Montale apresenta uma criação floral frutada de aspecto pink composta em torno de rosas e morangos. Com um forte apelo ao seu público feminino mais jovem, Roses Elixir abre com cítricos, néroli e morango, anunciando um centro de rosa, jasmim e patchouli. A composição conclui com um fundo oriental de âmbar e musk.

darkpurple56. Dark Purple (Montale, 2010). Agora com um efeito roxo, Montale oferece um floral frutado construído com notas principais de ameixa e rosa. Na saída, a fragrância incorpora também cítricos, que conduzem o aroma a um centro chipre moderno de frutas vermelhas, rosa, gerânio e patchouli. O dry-down fica por conta de uma base seca e esfumaçada de madeira teca, âmbar e musk.

DarkAoud57. Dark Aoud (Montale, 2011). Simples e minimalista como os tradicionais attares árabes, Dark Aoud gira em torno das notas de sândalo, oud e especiarias. Potente, seco e escuro, o perfume abre com aspecto medicinal e picante. Na evolução, a simbiose entre as notas de sândalo e oud se faz evidente na forma de um aroma rico e intenso, cremoso e narcótico. Diferente de Black Aoud, ou seja, sem notas florais e menos escuro, Dark Aoud é uma alternativa mais viável para usar no dia a dia.

Honour58. Honour (Amouage, 2011). O dueto Honour Man e Honour Woman foi inspirado na trágica história de Madame Butterfly. Ambas as fragrâncias são balsâmicas e especiadas. A versão masculina conta com um topo de pimenta preta e rosa, coração de gerânio, noz moscada e lentisco, e base de vetiver, patchouli, cedro, fava tonka incenso e musk. Já a versão feminina se diferencia por abraçar o gênero oriental floral, tendo como centro um acorde animálico flores brancas, especialmente tuberosa. Não é um dos pares mais bem elaborados de Amouage, mas funciona.

RosesVanille59. Roses Vanille (Mancera, 2011). Mancera apresenta uma composição gourmand construída ao redor do acorde rosa-baunilha, que ganha a companhia de notas de limão siciliano, açúcar, cedro e musk. O resultado é praticamente uma bala feita de rosas, com um aroma híbrido de confeitaria e floricultura. Mais apropriado para altas temperaturas, Roses Vanille é mais feminino que masculino, porém é um perfume mais maduro do que Fantasy de Britney Spears.

CedratBoise60. Cedrat Boisé (Mancera, 2011). Este original cítrico aromático foi feito para homens que gostam de composições frutadas e sofrem com a escassez de perfumes do gênero dominado pelas mulheres. Cedrat Boisé abre com um revigorante acorde limão-cassis, levemente picante, antes de mostrar um sensual coração de jasmim e frutas. Uma sólida base de cedro, patchouli, sândalo, musgo de carvalho e couro dá sustentação e potencializa o aspecto frutado da fragrância.

 sandaoud61. Sand Aoud (Mancera, 2011). A segunda marca de Pierre Montale apresenta este oriental amadeirado de nuances frutadas e especiadas. Sand Aoud abre com cassis e especiarias quentes. Minutos depois, o perfume faz emergir um centro esfumaçado de rosa, açafrão e incenso. Tudo isso é sustentado por uma base balsâmica de patchouli, oud, baunilha e musk.

theaoud 62. The Aoud (Mancera, 2011). Uma clara homenagem ao tema de oud (ou agarwood), The Aoud é um oriental amadeirado levemente picante e floral. A fragrância tem uma saída adstringente de cítricos e especiarias (pimenta, canela, cravo-da-índia). Em seguida, o perfume evolui para um coração de rosa, gerânio e açafrão para concluir com um elegante fundo amadeirado de couro, oud, sândalo e musk.

wildfruits63. Wild Fruits (Mancera, 2011). Na forma de um floral frutado, este perfume é rico em cítricos e madeiras nobres. Abrindo efervescente com toranja, limão e kumquat, Wild Fruits segue com um agradável coração de maçã verde, pêssego, cassis e violeta. Sem seguir o DNA da casa, a composição finaliza com um acorde base de cedro e musk. Um perfume para o público mais jovem.

OpusVI64. Opus V (Amouage, 2011). Um talco boozy e animálico – assim é Opus V. Logo na abertura, o perfume exala um forte odor medicinal de oud, que aos poucos vai se atenuando. Um buquê de rosa, jasmim e íris traz um aspecto mais feminino e delicado, enquanto a base de oud, rum, madeiras nobres e civet mostra um lado mais masculino e selvagem. Excelente opção de oud polvoroso.

OpusVI65. Opus VI (Amouage, 2012). Dentre as fragrâncias da coleção Opus de Amouage, destaca-se a sexta delas: Opus VI. Trata-se de um oriental amadeirado inspirado no remédio tradicional para corações despedaçados: o âmbar. Com uma mistura de ingredientes naturais e sintéticos, o perfumista Christopher Chong estabelece um topo de pimenta, louro e incenso, um centro de cipreste e patchouli, e uma base de sândalo, labdanum e âmbar. Opus VI é um dos âmbares mais profundos e místicos já produzidos.

Interlude66. Interlude (Amouage, 2012). Interlude foi criado para invocar uma pausa de reavaliação e reflexão em um mundo caótico, tomando como base dois elementos tradicionalmente espirituais: incenso e mirra. Interlude Man tem uma saída amadeirada especiada com nota marcante de orégano. Na evolução, o perfume se torna intensamente balsâmico, com uma base de sândalo, patchouli, oud e couro. Interlude Woman é um chipre floral que abre cítrico e picante, seguindo um caminho floral e balsâmico. Notas de café, kiwi, nozes e mel conferem personalidade. A base é como a masculina, porém mais doce (baunilha e benjoim).

Marwah67. Marwah (Al Haramain, 2012). Especializada em attares, a casa Al Haramain dos Emirados Árabes oferece mais de 150 fragrâncias em seu portfólio. Marwah é construído em torno do acorde rosa-oud e apoiado sobre uma base cremosa de sândalo e âmbar. Diferente do esperado, Marwah não apresenta um odor medicinal ou animálico, mas sim limpo e romântico. O perfeito equilíbrio entre os aspectos floral e balsâmico da composição tornam este perfume compartilhável e versátil.

Noora_Al68. Noora (Al Haramain, 2012). Este complexo e multifacetado oriental reúne notas frutadas, florais, amadeiradas, balsâmicas, especiadas e gourmands com um surpreendente equilíbrio. Depois de uma deliciosa saída de morango, ameixa, açafrão e gengibre, Noora desabrocha um exuberante buquê de rosa, muguê, íris, jasmim, tuberosa, ylang-ylang e jacinto. Uma base densa, cremosa e doce de chocolate, mel, sândalo, oud e baunilha ajuda a produzir um aroma soapy de limpeza e conforto.

AlKaaba69. Attar Al Kaaba (Al Haramain, 2012). Este attar é uma homenagem à rosa taif e sua aura suculenta e atalcada. Notas de sândalo, oud e âmbar são acrescentadas para formar uma base não somente eficiente mas para valorizar a nota central. Na aplicação, um aroma levemente frutado e doce de rosa prevalece, porém aos poucos vai se escurecendo e ficando amargo. A nota de oud é praticamente imperceptível, enquanto o acorde âmbar deixa um rastro sofisticado e aconchegante.

Sultan70. Sultan (Al Haramain, 2012). Frutas tropicais, canela e baunilha são a receita de sucesso para este oriental gourmand de Al Haramain. Notas de framboesa, abacaxi, pêssego e morango interage com um denso acorde floral de lavanda, íris, rosa, jasmim e ylang-ylang, compondo uma atmosfera doce e polvorosa. Potente e intoxicante, Sultan completa seu aspecto gourmand com uma base de canela, baunilha, sândalo, patchouli e musk.

Rasikh71. Rasikh (Syed Junaid Alam, 2012). Direto do Bahrein, a casa Syed Junaid Alam oferece uma centena de opções de perfumes tipicamente árabes. O que mais se destaca é Rasikh, um oriental doce e animálico. A fragrância toma como base uma bombástica e selvagem combinação de âmbar, couro, patchouli e almíscar. Uma nota de baunilha é acrescentada para deixar a composição com aspecto de perfume e não de estábulo. Rasikh desenvolve uma aura quente e atalcada no dry-down.

Yaqawam72. La Yuqawam (Rasasi, 2012). Dentre as mais de 150 criações em sua linha, a casa Rasasi dos Emirados Árabes oferece o par La Yuqawam Femme e La Yuqawam Homme, bem diferentes um do outro. O primeiro é um perfume lactônico e picante à base de cítricos, pimenta rosa, canela, ylang-ylang, sândalo, incenso e musk. O segundo reúne uma combinação frutada e esfumaçada de framboesa, ervas finas, jasmim, âmbar, couro e incenso. Ambos são muito queridos pelos fãs da casa.

AlWisam73. Al Wisam Day (Rasasi, 2012). Fazendo uma ponte com a perfumaria francesa, Al Wisam Day combina uma base árabe de rosa, oud e sândalo com um acorde fougère de lavanda, gerânio, sálvia, musgo de carvalho e fava tonka. O resultado é um perfeito equilíbrio entre um aromático moderno e um oriental old school, começando energizante e arejado para concluir com uma atmosfera acolhedora e sensual. Recomendado a homens que gostem de fougères orientais como Le Mâle e Dreamer.

AmberOudh74. Amber Oudh (Rasasi, 2012). Ao mesmo tempo minimalista e complexo, Amber Oudh explora com competência as possibilidades do acorde âmbar-oud, trabalhado com rosa e almíscar. Na saída, o perfume tem aspecto químico e assustador (para os connoisseurs geralmente um bom sinal), porém a interação com a pele faz a composição desenvolver um aroma quente e aveludado, levemente floral e picante. Amber Oudh acaba resultando numa fragrância natural e realística.

TasmeenMen75. Tasmeen Men (Rasasi, 2012). Tasmeen Men é um oriental especiado picante e rosáceo. A partir de um topo pungente de artemísia, cominho e cardamomo, a composição desenvolve um acorde de rosa suculenta e atalcada com nuances de ameixa e orris. Durante a evolução, Tasmeen Men se estabiliza com uma base doce e amadeirada de patchouli, sândalo, fava tonka, âmbar, baunilha e musk.

rosesgreedy76. Roses Greedy (Mancera, 2012). Feito especialmente para o público feminino, Roses Greedy é um gourmand à base de rosas. A fragrância abre suculenta e fresca com um acorde de mandarina, pêssego, coco, pimenta rosa e cassis. Em seguida, ela desabrocha um buquê de rosa e jasmim, entre outras flores. Um fundo açucarado de benjoim, âmbar e baunilha completa a fórmula, que ganha um manto de musk para arredondar tudo.

aoudblackcandy77. Aoud Black Candy (Mancera, 2012). Este oriental gourmand apostou no frescor das notas de menta e alcaçuz, que abrem a fragrância. Minutos depois, seu coração de rosa e âmbar emerge trazendo graça e elegância. Na secagem, é a vez das notas caramelizadas aparecerem, tornando o perfume ao mesmo tempo sensual e confortável. Boa recomendação para usuários formigas.

IntenseCafe78. Intense Café (Montale, 2013). Este oriental vanilla faz uma rendição da nota de café por meio de notas de flores, âmbar, baunilha e musk. Em outras palavras, o perfume está mais para um cappuccino do que um café. A adição de notas doces e florais confere uma aura romântica e sensual, funcionando bem tanto para um homem quando uma mulher. No entanto, pode ser um desafio usá-lo durante o dia, especialmente no calor. Por propiciar uma sensação de conforto, cai bem para dormir.

AmberRoom79. Amber Room (Thameen, 2013). Thameen é uma nova casa dedicada à tradicional perfumaria árabe, vendida exclusivamente na loja de departamentos inglesa Selfridges. Amber Room é um oriental especiado inspirado numa sala coberta de âmbar e decorada com folhas de ouro. A combinação de bergamota, especiarias quentes, rosa, cedro e âmbar propicia uma atmosfera quente e esfumaçada. O segredo de Amber Room é a manutenção do equilíbrio entre o topo cítrico e a base oriental durante sua evolução.

CarvedOud80. Carved Oud (Thameen, 2013). A inspiração para Carved Oud foi o ritual indiano Solah Shringar, que consistia em vestir mulheres da realeza com joias e perfumes para suas aparições públicas. Construído em torno do oud indiano, Carved Oud recebe também notas amadeiradas de cedro, gaiaco e patchouli, além de uma generosa dose de almíscar macio e semianimálico. A ausência de rosa e o caráter natural da fragrância a tornam ainda mais interessante nesta rendição de oud.

RoyalVintage81. Royal Vintage (M. Micallef, 2013). Royal Vintage é um amadeirado especiado feito para homens refinados e sedutores. Com um topo refrescante de bergamota, frutas tropicais e pimenta rosa, o perfume aos poucos revela um acorde herbáceo e canforado de cipreste e patchouli. Mantendo a aura seca e crispy, Royal Vintage assume uma base sofisticada de couro e musk. O perfume deixa para trás um rastro sexy e esfumaçado, sem exageros.

Beloved82. Beloved (Amouage, 2013). Beloved Man e Beloved Woman foram ambos inspirados no grande amor que cada um de nós tivemos na vida, porém têm pouco ou nada em comum entre si. A versão masculina é um oriental amadeirado com cítricos, especiarias quentes, incenso, gerânio, jasmim, íris, vetiver, patchouli, couro e musk. Já a versão feminina é um floral animálico com notas de camomila, immortelle, especiarias quentes, lavanda, rosa, violeta, jasmim, ylang-ylang, sândalo, patchouli, âmbar, civet, castoreum e musk.

KholBahrein83. Khôl de Bahreïn (Stéphane Humbert Lucas 777, 2013). Único, sensacional e perigoso. Cada centavo na luxuosa composição do perfumista francês Stéphane Humbert Lucas será bem investido. Há tempos não provo algo que me faça querer usar três dias consecutivamente como Khôl de Bahreïn. Este perfume trabalha a minha nota favorita – íris – de maneira única: ela fica com um aspecto de bala, docinha e resinosa. Injeções de âmbar gris e almíscares agregam conforto e sensualidade à vibe atalcada da fragrância. Melhor ficar bem longe dele para evitar a falência.

BlackGemstone84. Black Gemstone (Stéphane Humbert Lucas 777, 2013). Para interpretar o tema de pedra preciosa negra, Stéphane Humbert Lucas reúne notas de olíbano, mirra, fava tonka, madeira teca e cedro. Black Gemstone é um perfume intoxicante que mistura com competência seus acordes doces e esfumaçados. O perfume abre com um aroma resinoso e defumado, ficando mais doce e picante durante sua evolução. Uma nota de olíbano na base confere um aspecto mineral, finalmente concretizando o tema da fragrância. Black Gemstone é uma jornada ao mundo místico.

SoleilJeddah85. Soleil de Jeddah (Stéphane Humbert Lucas 777, 2013). Feito em tributo à famosa cidade da Arábia Saudita, o perfumista Stéphane Humbert Lucas teve como objetivo refletir a vibrante aura cultural e religiosa do local. Com uma saída ácida e herbácea de camomila, osmanthus e limão siciliano, Soleil de Jeddah aos poucos se ameniza com um acorde sedoso e elegante de orris, couro, patchouli, âmbar gris e baunilha. Com uma faceta soapy e outra esfumaçada, Soleil de Jeddah é harmonioso, mantendo-se limpo e sofisticado durante toda sua evolução.

RoseDePetra86. Rose de Petra (Stéphane Humbert Lucas 777, 2013). Um tributo à cidade de Petra, capital dos nebateus e conhecida com Cidade Rosa, este perfume trabalha a flor com notas frutadas e picantes. Rose de Petra abre com um aroma de rosa suculento e transparente, com nuances de romã e lichia, expandindo-se com especiarias como cardamomo, pimenta e cominho. A base chipre reforça o acorde central, formando uma atmosfera opulenta e envolvente.

AoudCafé87. Aoud Café (Mancera, 2013). Aoud Café é um oriental vanilla que abre com um efêmero acorde frutado de bergamota, cassis e pêssego. Na evolução, o perfume traz à tona sua nota principal de café acompanhada de nuances florais. Na finalização, uma base de madeiras nobres e resinas, além de oud, produz uma textura seca e encorpada. Aoud Café oferece um autêntico aroma de café que remete a um ambiente confortável e requintado.

OHira88. Ô Hira (Stéphane Humbert Lucas 777, 2014). Decidido a criar a melhor fragrância âmbar do mundo, Stéphane Humbert Lucas não poupou esforços ou investimentos. A fragrância contém apenas uma nota: âmbar fossilizado. O perfumista argumenta que o âmbar em si já é um ingrediente multifacetado o suficiente para ser um perfume em si a nota tem um aspecto doce, denso, quente, terroso, especiado, polvoroso e defumado, tudo ao mesmo tempo. Quem conhece o aroma do âmbar gris natural garante que Ô Hira é o perfume que chega mais próximo dele. O preço é salgado: 825 dólares por 50 ml.

OpusVII89. Opus VII (Amouage, 2014). A coleção Library de Amouage ganha mais uma obra best-seller. Descrito como um amadeirado verde à base de couro que contrapõe harmonia e intensidade, Opus VII parte de um topo herbáceo e picante de gálbano, fenacho, cipreste, pimenta rosa e cardamomo, evoluindo para uma base oriental e quente de noz moscada, patchouli, couro, sândalo, incenso, âmbar gris e almíscar. Opus VII ressuscita o gênero chipre amadeirado na forma de um elixir carnal e sofisticado.

Journey90. Journey (Amouage, 2014). Amouage tem a tradição de lançar pares de perfumes com a mesma ideia, fazendo adaptações para cada sexo. Em Journey, o tema eleito é o acorde tabaco-açafrão-couro e o gênero é amadeirado especiado. Em Journey Man, a saída é efervescente e picante com notas de bergamota, néroli, cardamomo e pimenta, enquanto o coração consiste de um tabaco incensado e herbáceo e a base de um couro amendoado. Já Journey Woman aposta numa saída picante e frutada (osmanthus), evoluindo para um coração floral melífluo, antes de concluir com uma base de açafrão, couro e baunilha.

Sharquiah91. Al Sharquiah (Al Rehab, 2014). A tradicional casa da Arábia Saudita, Al Rehab, vem conquistando cada vez mais o Ocidente com quase duas centenas de fragrâncias. Al Sharquiah é um oriental doce e balsâmico com notas principais de tâmara, rosa, incenso, oud e baunilha. Com um oud macio e não-dominante, o resto da composição é igualmente equilibrada, com traços amadeirados, defumados, florais e gourmands dividindo a atenção em partes iguais.

ChocoMusk92. Choco Musk (Al Rehab, 2014). Reunindo notas de rosa, canela, sândalo, mirra, labdanum, baunilha e chocolate ao leite, além de muito musk, Choco Musk é um bombástico gourmand feito para os amantes do gênero – os demais não verão sentido em aplicar na pele um perfume com cheiro de Toddynho. Por outro lado, Choco Musk pode ser muito útil na combinação com outras fragrâncias (layering) para criar um efeito menos funcional e mais glamouroso.

Raghba93. Raghba (Lattafa, 2014). Raghba é provavelmente o perfume árabe mais difundido no Brasil devido à sua alta qualidade e atraente preço. Com notas principais de sândalo, oud, incenso, baunilha e musk, esta fragrância é uma verdadeira bomba de açúcar. Logo na saída, Raghba exala um aroma de biscoitos açucarados e frutados recém-saídos do forno com uma camada de incenso. Um dos maiores motivos do sucesso do perfume é o seu insuperável poder de projeção e fixação.

Ameer94. Ameer Al Oudh (Lattafa, 2014). Com sua minimalista composição de oud, canela, baunilha e labdanum, Ameer Al Oudh abre com um aspecto sintético antes de evoluir para um realístico acorde oriental amadeirado. Bem-balanceado e discreto, o perfume tem um caráter seco, esfumaçado, doce, amendoado e parcialmente químico, sem traços animálicos. Com um preço comparável aos nacionais, Ameer Al Oudh transmite uma sensação de classe e opulência.

ArabiaI95. Arabia I (Aj Arabia, 2014). Inaugurada em 2014 em Abu Dhabi, a casa Aj Arabia apresenta uma coleção de fragrâncias numeradas. A primeira trata-se de um oriental amadeirado e especiado com nuances aromáticas e esfumaçadas. Ao contrário do que se espera de uma criação árabe, Aj Arabia I é uma fragrância calma e relaxante com o verde do cipreste interagindo com a pungência do cardamomo e canela e a textura do sândalo e cedro. Notas de incenso e musk propiciam uma aura comtemplativa.

ArabiaII96. Arabia II (Aj Arabia, 2014). A segunda criação de Aj Arabia consiste de um oriental vanilla com notas marcantes de suculentos pêssego e ameixa. Mandarina, rosa, sândalo e musgo de carvalho conferem um aspecto chipre, produzindo um aroma macio e cremoso, nada enjoativo, com uma atmosfera ligeiramente datada. O resultado é um perfume sólido e consistente, com excelente desempenho na pele, apropriado para homens e mulheres naturalmente sensuais.

Silver97. Silver (Al Rehab, 2014). Al Rehab colocou os sintéticos a serviço da milenar arte árabe nesta criação. Notas cítricas, verdes, ozônicas e metálicas fazem de Silver um perfume apropriado para o verão, com efeito similar a tomar uma limonada gelada para amenizar o calor. Notas florais e amadeiradas também estão presentes, mas apenas para dar um pouco de graça e sustentar a composição, respectivamente. Está se popularizando rapidamente no Brasil pelo seu preço acessível. 

AoudMelody98. Aoud Melody (Montale, 2014). Desta vez, Montale busca equilibrar elementos olfativos distintos em torno da nota de oud na busca por uma harmonia inédita. Para tanto, Aoud Melody combina um acorde floral (jasmim, ylang-ylang e rosa), um especiado (cravo-da-índia e açafrão), um amadeirado (oud, sândalo e couro) e um balsâmico (incenso, lentisco e âmbar). O resultado é um oud macio e delicado, fácil de usar.

IntensePepper99. Intense Pepper (Montale, 2014). Esta fragrância feita à base de pimenta rosa e preta incorpora notas cítricas e atalcadas para amenizar seu aroma, ao mesmo tempo em que recebe uma base quente e encorpada de musgo de carvalho, cedro, oud, âmbar e musk. Intense Pepper é um perfume para baixas temperaturas, somente indicado para fãs dos picantes. Incríveis projeção e longevidade na pele.

monparfumgold100. Mon Parfum Gold (M. Micallef, 2014). M. Micallef apresenta um floral oriental que gira em torno das inebriantes flores de rosa e ylang-ylang. Na evolução, Mon Parfum Gold enriquece seu lado dourado com notas encorpadas de âmbar e sândalo. O perfume conclui com uma base esfumaçada de incenso e almíscar sintético.

Veja também: Nicho Luxo e Nicho Ultraluxo

7 pensamentos sobre “Nicho Árabe

  1. Todos os perfumes fabricados ou produzidos com amor e carinho, ficam extremamente com boas essências. Suas características ficam perceptíveis e adoráveis.

  2. Adoro os perfumes M. Micallef. São realmente maravilhosos e descobri por acaso uma pessoa que trabalha com a marca e vende diretamente ao consumidor, por um preço excelente. Já comprei alguns. Se alguém tiver interesse nos perfumes M. Micallef é só entrar em contato através do e-mail vendasmmicallef@gmail.com. A vendedora é super atenciosa, o produto original e por um preço bacana. Espero ter ajudado os amantes da perfumaria de nicho como eu.

  3. Oi Daniel! Quero dizer que sou grande admiradora do seu trabalho. Falar sobre os perfumes, descreve-los com tanto conhecimento. Isso é fantástico para quem é apaixonada pelo mundo da perfumaria como eu sou. Parabéns pelo site. Aqui conheci e tenho aprendido muito sobre perfumes. Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s