Frascos individuais com 30ml EDP

barista30mlfrascos

É com grande prazer que anuncio o lançamento da minha nova coleção inspirada em bebidas alcoólicas e não alcoólicas. Foram 6 meses de extensa elaboração até se atingir composições olfativas que incorporassem a “essência” de cada bebida ao mesmo tempo em que fossem belas e usáveis como perfumes. A Coleção Barista consiste de 15 opções que vão desde os frescos e aromáticos como GINCENSO, CAIPIROUD e CUIR MOJITO aos mais doces e gourmands como CHOCO FRAP, JASMIÑA COLADA e CEDRETTO, passando pelos elegantes e florais ROSA LIBRE e KIRIS ROYALE, lúdicos e frutados SEX ON THE PEACH e YUZUCELLO, relaxantes e picantes LAVENDER CHAI e TONKACCINO, e boêmios e intoxicantes TOBACOGNAC, SCOTCHOULI e AMBERULA. Os perfumes são vendidos em frascos de 30ml, sempre na concentração de 15-20% (eau de parfum). Clique no link abaixo para efetuar a sua compra.

Preço:

30ml por R$160

Onde comprar:

Perfume Shopping

lancamentos


cedretto CEDRETTO | Oriental Amadeiradocedretto

Topo: laranja, amêndoas, amaretto
Corpo: íris, cedro, noz moscada, canela
Base: âmbar, açúcar, benjoim, baunilha, mirra, musk

 

caipiroud caipiroud CAIPIROUD | Amadeirado Aromático

Topo: limão, folhas verdes, petitgrain, caipirinha
Corpo: jasmim, rosa, gerânio, nagarmotha 
Base: açúcar, gaiaco, oud, cashmeran, musk

 

scotchouliSCOTCHOULI | Oriental Amadeiradoscotchouli

 

Topo: bergamota, uísque, sálvia, tomilho, menta
Corpo: lavanda, gerânio, patchouli, tabaco
Base: musgo de carvalho, caramelo, baunilha, labdanum

Rótulos

RosaLibreRosaLibreROSA LIBRE | Chipre Floral

Topo: cítricos, folha de violeta, gengibre, coca cola
Corpo: rosa, gerânio, ylang-ylang, especiarias quentes
Base: musgo de carvalho, patchouli, labdanum, musk

Segundo o site da Bacardi, a origem do drink cubano remonta a 1900, durante a ocupação militar de Cuba pelos EUA. Num bar de Havana, o capitão americano Russell pedia ao barman que preparasse para ele e seus soldados uma mistura de Coca-Cola e Bacardi com pedras de gelo e uma rodela de limão. Encantados com a inusitada combinação de ingredientes, todos brindavam à independência do país em relação à Espanha, batizando-a com o nome “Cuba Libre”.

ROSA LIBRE mantém o caráter fresco e doce, borbulhante e xaroposo da bebida, introduzindo uma marcante nota de rosa para trazer graça e beleza à fragrância. Especiarias quentes dão um toque provocante e sedutor, enquanto uma base chipre propicia substância e refinamento.

AmberulaAmberulaAMBERULA | Oriental Especiado

Topo: mandarina, lavanda, damasco, licor
Corpo: ylang-ylang, patchouli, alcarávia, noz moscada
Base: âmbar, mirra, opoponax, cacau

Amarula é um licor à base de creme, açúcar e marula – fruta típica da África subequatorial com o tamanho de um damasco, cor amarela clara e sabor cítrico e amendoado. O nome “Amarula” foi patenteado pelos seus inventores – a Southern Liqueur Company of South Africa – em 1989. Seu símbolo é o elefante, animal comum na região que se alimenta regularmente dessa fruta com alto teor de vitamina C.

AMBERULA reproduz as facetas ácida e suculenta, doce e caramelada da bebida sul-africana com o uso de notas de mandarina, damasco, âmbar e resinas diversas. Toques de lavanda, ylang-ylang e patchouli conferem brilho e elegância, enquanto pitadas de especiarias quentes e cacau tornam a fragrância quente e sensual.

CuirMojitoCuirMojitoCUIR MOJITO | Chipre Couro

Topo: limão tahiti, hortelã, rum, açafrão
Corpo: lírio-do-vale, gerânio, violeta, patchouli
Base: musgo de carvalho, couro, cashmeran, musk

Uma das histórias mais famosas sobre a polêmica origem do mojito versa sobre a pré-existência de uma bebida medicinal similar, eventualmente usada para tratar a epidemia de disenteria e escorbuto que forçou a tripulação de Sir Francis Drake a atracar em Havana no final do século XVI. A receita cubana de limão, hortelã, aguardente e açúcar de cana foi posteriormente incrementada pelos ingleses com rum. O nome surgiu apenas no século XIX – alguns acreditam ser derivado de “mojo” (um tempero à base de limão), outros diminutivo de “mojado” (molhado em espanhol).

CUIR MOJITO se inspira na harmonia entre o quente e o gelado da bebida, valorizando seus ingredientes principais com uma base elegante e confortável de couro, além de toques florais e especiados. Um perfume versátil que cai bem em qualquer ocasião.

TobacognacTobacognacTOBACOGNAC | Aromático Especiado

Topo: bergamota, cardamomo, frutas secas, conhaque
Corpo: tabaco, feno, rosa, cravo-da-índia
Base: sândalo, carvalho, fava tonka, baunilha

Assim como o champagne, o termo “cognac” é, desde a rodada de Doha (2001), protegido pela OMC. Apenas produtores instalados (e homologados) na região francesa de Cognac têm permissão de utilizá-lo. A bebida segue outras regras, entre elas o uso de uma variedade específica de uvas, mais comumente Ugni Blanc ou Saint-Émilion. Assim como vinhos e uísques, o conhaque é envelhecido por pelo menos dois anos em barris de carvalho e, depois de duas vezes destilado, vendido na concentração média de 40% de álcool.

TOBACOGNAC captura a sinergia entre os aromas do “brandy” e do tabaco, ambos frutados e amadeirados, quentes e adocicados, densos e intoxicantes. Notas florais e orientais contribuem para um efeito sofisticado e envolvente.

YuzucelloYuzucelloYUZUCELLO | Cítrico Gourmand

Topo: yuzu, limão siciliano, manjericão, artemísia
Corpo: néroli, lírio-do-vale, cipreste, litsea cubeba
Base: sândalo, fava tonka, açúcar, musk

Não se sabe a sua data exata de origem, mas o Limoncello é reconhecidamente um licor típico do sul da Itália. Seu preparo é feito especificamente a partir das cascas do limão Femminello Santa Teresa, provenientes de Sorrento, cidade localizada na Costa Amalfitana. O óleo extraído é então misturado a xarope de açúcar, resultando num líquido opaco de cor amarela e textura viscosa.

YUZUCELLO busca reproduzir a essência do famoso licor italiano, enfatizando sua faceta ácida e efervescente com yuzu (cítrico japonês de aroma mais complexo, intenso e prolongado) e sua faceta quente e encorpada com sândalo e fava tonka. Nuances herbáceas e florais trazem frescor e brilho, tornando o perfume confortável e marcante sem comprometer seu aspecto gustativo.

LavenderChaiLavenderChaiLAVENDER CHAI | Fougère Oriental

Topo: laranja, limão, cardamomo, gengibre, chá
Corpo: lavanda, gerânio, canela, cravo-da-índia
Base: musgo de carvalho, mel, fava tonka, musk

Apesar do termo “chai” vir do chinês, referindo-se a uma variante picante de chá, a bebida ficou mesmo conhecida pela sua receita indiana – o Chai Masala. Diferente da tradicional versão inglesa, mais familiar ao mundo ocidental, esta é feita à base de chá preto e especiarias diversas (há muitas combinações possíveis). O Chai Masala é ainda visto pelos indianos como um elixir medicinal em vez de uma simples bebida aromática. Casas de café nos EUA, particularmente Starbucks, popularizaram o chai, preparando-o com leite e/ou café.

LAVENDER CHAI adota o gênero fougère oriental para maximizar o contraste entre gelado (cítricos, flores mentoladas) e quente (especiarias, fava tonka) com um toque adocicado de mel.

TonkaccinoTonkaccinoTONKACCINO | Oriental Especiado

Topo: cassis, lavanda, coentro, cardamomo
Corpo: café, leite, canela, patchouli
Base: tonka, amêndoas, cacau, açúcar

Embora os italianos tenham levado a fama, o cappuccino foi na verdade inventado pelos austríacos, especificamente baristas vienenses, no século XVIII. O termo derivado do latim “caputium” foi modificado para “kapuziner” do alemão, diminutivo de capuz – parte da vestimenta de um ramo da ordem franciscana que tinha a mesma cor marrom avermelhada resultante da mistura de café e leite coberta com uma fina camada de espuma e pitadas de especiarias e chocolate em pó.

TONKACCINO é uma interpretação olfativa da tradicional bebida quente que traz a encorpada nota de patchouli e o macio acorde de lavanda e fava tonka para transmitir o mesmo conforto de um elegante capuz que nos veste contra o frio e o vento em uma noite fria.

SexOnThePeachSexOnThePeachSEX ON THE PEACH | Floral Frutado

Topo: toranja, pêssego, frutas, cominho
Corpo: frésia, mimosa, jasmim, rosa
Base: patchouli, açúcar, indol, musk

Uma das versões mais aceitas sobre a origem do coquetel Sex on the Beach está ligada a um concurso de baristas realizado na Flórida em 1987 por um distribuidor local de licor de pêssego. O vencedor foi um jovem chamado Ted do bar Confetti’s que o misturou com suco de laranja, grenadine e vodca. Ele mesmo deu o nome ao coquetel, pensando nos principais motivos que atraíam turistas para a região – praia e sexo. Quem ajudou a disseminar a receita mundialmente, contudo, foi a rede americana TGI Friday’s nos anos 90.

SEX ON THE PEACH se inspira na bebida tropical, focando no aspecto carnal e suculento do pêssego. Notas cítricas e florais compõem uma aura inocente contrabalanceada por um acorde afrodisíaco de cominho, indol e musk.

ChocoFrapChocofrapCHOCO FRAP | Oriental Vanilla

Topo: bergamota, limão, folhas, lavanda
Corpo: íris, heliotrópio, amêndoas, coco
Base: sândalo, chocolate, baunilha, musk

Curiosamente, o termo “milkshake” apareceu pela primeira vez nos EUA em 1885 referindo-se a um tônico feito à base de ovos e uísque. Graças à invenção do liquificador em 1922, a bebida ganhou uma nova versão que se tornou popular nos pontos de encontro entre adolescentes como uma combinação de leite, malte e xarope de baunilha e chocolate. Posteriormente, com o surgimento da máquina de fazer sorvete em 1936, o milkshake finalmente tomou a forma tal como é hoje conhecida.

CHOCO FRAP é uma reconstrução olfativa abstrata que emula os três principais adjetivos da famosa bebida: refrescante (cítricos, folhas, lavanda), aerada (íris, amêndoas, musk) e cremosa (chocolate, baunilha, coco). Um gourmand suave e agradável.

Jasmiña ColadaJasmiñaColadaJASMIÑA COLADA | Floral Frutado Gourmand

Topo: abacaxi, coco, rum, néroli
Corpo: jasmim, muguê, ylang-ylang, tuberosa
Base: leite, açúcar, sândalo, âmbar gris

Nascida em Porto Rico, a piña colada foi primeiro relatada como a bebida oferecida pelo pirata Roberto Cofresí para levantar a moral de sua tripulação no século XIX. Perdida no tempo, a receita foi recriada somente em 1954 por Ramón Marrero, um barman do hotel Caribe Hilton que conseguiu determinar a proporção ideal entre abacaxi, coco e rum para sintetizar o espírito porto-riquenho. Em 1978, o país finalmente proclamou a piña colada como sua bebida nacional. O segredo do coquetel está na contraposição do ácido e doce, do fresco e quente, criando um contraste que estimula tanto o paladar como o olfato.

JASMIÑA COLADA preserva o conceito original do coquetel, acrescentando exuberantes flores tropicais, além de um fundo macio e salino que remete à relaxante brisa marinha e à pele bronzeada pelo sol.

GincensoGincensoGINCENSO | Aromático Especiado

Topo: bergamota, zimbro, anis, pimenta rosa
Corpo: gerânio, violeta, noz moscada, gengibre
Base: vetiver, olíbano, elemi, musk

A palavra “gin” é um diminutivo de “genever” do inglês arcaico, derivado do holandês “jenever”, que por sua vez tem sua raiz no latim “juniperus” (junípero, sinônimo de zimbro) – a principal matéria-prima da bebida. Usada com propósito medicinal desde a Idade Média, a mistura de zimbro, anis e outras especiarias foi transformada em um tipo de aguardente pelos holandeses no século XVII, eventualmente se popularizando na Inglaterra com a tomada do trono pelo príncipe Guilherme de Orange dos Países Baixos.

GINCENSO traz as revigorantes qualidades aromáticas do gin para o mais antigo e misterioso ingrediente fragrante da história, o incenso, construindo uma aura simultaneamente translúcida e esfumaçada, intoxicante e contemplativa.

KirisRoyaleKirisRoyaleKIRIS ROYALE | Floral Amadeirado Musky

Topo: mandarina, cassis, frutas vermelhas, cardamomo
Corpo: íris, violeta, rosa, heliotrópio
Base: cedro vermelho, massoia, açúcar, musk

Apesar de já existir na Borgonha desde 1904, a bebida “tingida” com licor de cassis teve sua receita alterada para vinho branco devido ao confisco de todo vinho tinto pelo exército alemão durante a II Guerra. Para valorizar o drink, o prefeito de Dijon, Félix Kir, exigiu que o então “blanc-cassis” fosse preparado com o legítimo “crème de cassis” Lelay. A bebida se popularizou nas recepções pós-1945, ganhando o sobrenome de seu entusiasta. Posteriormente, os franceses passaram a oferecer uma versão à base de champagne – o Kir Royale.

KIRIS ROYALE recria o aspecto borbulhante e descontraído do coquetel com notas de mandarina, frutas do bosque e cardamomo, além de propiciar uma textura seca e refinada com notas de íris, cedro vermelho e musk.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s