Edições Limitadas

EdiçãoLimitadaPara o usuário, a edição limitada é uma forma de degustar seu perfume favorito com nova roupagem, sem compromisso. Isso acaba sendo uma boa ideia para não se cansar de uma fragrância, e também para minimizar os efeitos da acomodação olfativa – fenômeno que ocorre quando nosso olfato se acostuma a um odor e passa a percebê-lo menos. Trocar de perfume, mesmo que seja uma variação, ajuda a dar um “reset” no nariz. Para o fabricante ou revendedor, a edição limitada é, sem dúvida, uma das formas mais eficientes de aumentar as vendas com pouco esforço relativo. O termo “limitada” em si é uma forma sofisticada de dizer “compre agora ou perca a oportunidade para sempre”. Ele também fornece ao comprador uma justificativa psicológica para a compra (“comprei porque depois não acho mais”). Salvo raras exceções, um flanker de edição limitada não demanda muito trabalho do perfumista (se comparado a criar uma nova composição do zero), apenas adicionando ou retirando notas da estrutura original. Em muitos casos, a edição limitada faz tanto sucesso que é reaproveitada e lançada posteriormente com outro nome – isso pode acontecer tanto por acidente como de forma premeditada.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

DéclarationBleu1. Déclaration Bois Bleu (Cartier, 2001). Esta é a versão aquática do clássico moderno Déclaration de Jean-Claude Ellena. Com um topo cítrico e pungente (cardamomo e cominho), a fragrância desenvolve um centro esfumaçado de vetiver e noz moscada, finalizando com um acorde escuro e aquoso de bétula e madeira molhada. Déclaration Bois Bleu é o “rascunho” mais equilibrado de Épice Marine, depois criado pelo perfumista para a linha exclusiva de Hermès.

CalècheDelicate2. Calèche Eau Délicate (Hermès, 2003). A versão delicada do clássico Calèche trabalha a essência do original com notas sintéticas de ozônio e almíscar. Abrindo limpo, aquoso e refrescante com aldeídos e folha de violeta, Calèche Eau Délicate apresenta um delicado buquê de rosa, jasmim e ylang-ylang. Na evolução, notas secas e transparentes de cedro e sândalo (sintéticos) propiciam uma atmosfera leve e energizante. Indicado também para homens.

24FaubourgDélicate3. 24 Faubourg Eau Délicate (Hermès, 2003). Enquanto o 24 Faubourg tradicional é um sofisticado chipre floral clássico, sua versão delicada está mais para um floral musky. O potente topo de pêssego e ylang-ylang dá lugar a uma flor de laranjeira verde e aquosa, enquanto o centro atalcado e inebriante de flores brancas e íris se torna mais fresco e luminoso com jasmim e gerânio. A base é composta de sintéticos macios e translúcidos como ambroxan e musks.

HappyHeart4. Happy Heart (Clinique, 2003). Happy Heart é uma versão melhorada do original, passando de floral frutado para chipre verde de traços aquáticos. Em vez de ameixa, mimosa e rosa, o flanker opta por notas mais leves, frescas e delicadas como folha de cassis, pepino, cenoura e jacinto aquático. Na secagem, Happy Heart é mais limpo e crispy graças à troca da base ambarada por um acorde de madeiras leves e musk.

BritGold5. Burberry Brit Gold (Burberry, 2005). De floral frutado, Burberry Brit passa para oriental floral com este flanker dourado. O acorde de pera, amêndoas açucaradas e peônia dá lugar a uma composição mais quente, densa e cremosa com notas extras de íris e benjoim, além da base polvorosa do original (fava tonka, baunilha, âmbar e musk). Burberry Brit Gold é um verdadeiro achado para quem curte perfumes doces e atalcados.

CKOneScene6. CK One Scene (Calvin Klein, 2005). Apesar de ser classificado como unissex, este flanker de CK One explora sua faceta floral, incluindo uma nota marcante de ylang-ylang. Essa “pequena” diferença faz com que a fragrância ganhe um tom adocicado e tropical, com mais cara de verão. O resto continua praticamente o mesmo: um topo cítrico-aromático com traços de gengibre, um centro floral-herbáceo, e uma base de especiarias quentes, baunilha e musk.

LInstantAgrumes7. L’Instant de Guerlain pour Homme Cristaux d’Agrumes (Guerlain, 2007). Em vez de chamar o flanker cítrico de “eau fraîche”, Guerlain optou por inovar e chamá-lo de “cristais cítricos”. Preservando a estrutura básica cítrico-patchouli-âmbar da versão tradicional de L’Instant pour Homme, esta composição amplia o efeito ácido da nota de toranja, ao mesmo tempo aliviando o dry-down mais formal do original. Descontinuado e raríssimo.

CoralFlower8. L de Lolita Fleur de Corail (Lolita Lempicka, 2008). Este flanker de L de Lolita, criado pelo perfumista Maurice Roucel, traz uma atmosfera mais tropical e exuberante à composição original. Em vez do acorde tradicional de laranja amarga, canela e baunilha, Roucel escolheu notas de toranja, jasmim-manga, orquídea e âmbar gris para compor um clima de férias na praia, com nuances suculentas e levemente salinas. Na secagem, L de Lolita Fleur de Corail é menos escuro e mais macio.

TheOneLace9. The One Lace Edition (Dolce & Gabbana, 2011). Não espere grandes diferenças. The One Lace Edition contém as mesmas notas e exala o mesmo aroma da versão tradicional, porém de forma mais leve e delicada. Talvez menos femme fatale e mais menina-moça. A faceta frutada de ameixa e lichia é mais dominante, enquanto a base é mais transparente e confortável (mais atalcada e cremosa, menos balsâmica e terrosa). Infelizmente não é muito fácil de encontrar.

PiNeoTropical10. Pi Neo Tropical Paradise (Givenchy, 2011). Pi Neo, hoje descontinuado, foi uma fragrância sintética e comum de cítricos, patchouli e cedro com traços especiados e incensados, nada tendo a ver com o Pi tradicional. Para o flanker de verão de Pi Neo, Givenchy ofereceu um aromático verde e marinho, natural e realístico. Com uma saída tropical de bergamota, toranja, sálvia, folha de figueira e palmeira, a fragrância evolui para um aroma oceânico e vibrante, finalizando com um aspecto lânguido de madeira molhada.

AromaticsReserve11. Aromatics Elixir Perfumer’s Reserve (Clinique, 2011). Um dos maiores ícones da perfumaria é reeditado, quatro décadas depois de sua introdução. O famoso aspecto potente e escuro do original é amenizado, sem perder o estilo aldeídico, herbáceo e picante do Aromatics Elixir tradicional. A identidade chipre clássica é mantida, porém com um toque moderno de patchouli e benjoim. Sem a mesma ousadia, Aromatics Elixir Perfumer’s Reserve vale por seu efeito moderno e aconchegante.

KorsSuede12. Michael Kors Suede (Michael Kors, 2012). O macio floral musky à base de flores brancas de Michael Kors ganha aqui uma nota elegante de camurça, além de uma aura tropical. Michael Kors Suede abre aquoso e refrescante com notas de mandarina, folha de violeta, lírio aquático e flor de laranjeira, transitando para um acorde carnal de champaca, jasmim-manga, tuberosa e gardênia. Para impor sofisticação, a base recebe uma boa dose do sintético cashmeran.

CodeSportAthlete13. Code Sport Athlete (Armani, 2012). Um ano depois do lançamento de Code Sport, a grife italiana decide introduzir uma versão dedicada às Olimpíadas de Londres. Code Sport Athlete toma por base a mesma fórmula do original, trabalhando melhor o aspecto energizante do perfume com um acorde cítrico-mentolado mais potente, luminoso e duradouro. A combinação de pimenta rosa, toranja, gengibre, menta e vetiver é imbatível.

ShalimarOde14. Shalimar Ode à la Vanille sur la Route de Madagascar (Guerlain, 2012). Quem já provou da baunilha in natura sabe que seu aroma é menos cremoso e mais queimado do que o popular sintético vanilina. É exatamente esta sensação que este flanker tenta passar, citando a melhor fonte do ingrediente em todo o mundo: a ilha africana de Madagascar. Talvez no início a diferença seja mínima em relação ao original, mas no dry-down o perfume se mostra mais natural, intenso e defumado.

AdGSatinée15. Acqua di Gioia Satinée (Armani, 2012). Criado para o verão de 2012, Acqua di Gioia Satinée foi feito para ser mais envolvente e sedutor, na concentração eau de parfum. Com um acorde inicial de limão, menta e açúcar, a fragrância tem um aspecto boozy e tropical de fundo aquático. O centro de pimenta rosa, peônia e jasmim compõe um aspecto floral delicado, firmado sobre uma base firme, seca e aveludada de cedro, labdanum e cashmeran.

NarcisoDelicate16. Narciso Rodriguez for Her Delicate (Narciso Rodriguez, 2012). Este flanker foi introduzido como opção para quem gosta de almíscar, mas acha o Narciso Rodriguez for Her tradicional muito polvoroso e sufocante. Oferecido tanto na concentração EDT como EDP, Narciso Rodriguez for Her Delicate preserva o acorde assinatura de pêssego, rosa, âmbar, patchouli e musk, porém se faz mais cremoso como um almíscar árabe, com menos aspecto de giz.

PashaNoire17. Pasha Édition Noire (Cartier, 2013). O perfume mais old school de Cartier é finalmente modernizado com sintéticos limpos, transparentes e confortáveis, deixando de lado a nota úmida e terrosa de musgo de carvalho, bastante saliente no original. O acorde fougère de bergamota, lavanda, menta, anis, coentro e labdanum permanece, enriquecido com uma base seca e robusta de cedro, incenso e musk. Pasha Édition Noire continua sofisticado, porém sem vibe de barbearia.

J'AdoreVoile18. J’Adore Voile de Parfum (Dior, 2013). Menos potente e mais íntimo (rente à pele) que o J’Adore tradicional, este flanker acentua a faceta atalcada da composição com mais íris e musk, provavelmente também com uso do sintético cashmeran, criando uma atmosfera delicada e elegante, sem a “histeria” frutada e soapy do original. J’Adore Voile de Parfum é recomendado para as mulheres que pensam “adoro o J’Adore, mas não consigo usar”.

IdylleDuet19. Idylle Duet Rose-Patchouli (Guerlain, 2014). O grande floral-verde-frutado-musky de Guerlain é reinterpretado com foco nas notas de rosa e patchouli, tornando-se um verdadeiro chipre moderno. Mais maduro e refinado, Idylle Duet Rose-Patchouli foi lançado especialmente para o Dia dos Namorados em 2014. A composição atenua as notas frutadas para ressaltar o acorde de batom (rosa-violeta) com uma base de patchouli e incenso. Mandatório para os fãs da fragrância.

CHGrandTour20. CH Men Grand Tour (Carolina Herrera, 2014). Este flanker do bem-sucedido CH Men de Carolina Herrera segue a fórmula oriental especiada do original, porém com uma aura mais sofisticada. O acorde central de açúcar-camurça é rebalanceado, fazendo com que a segunda nota cresça e se torne o destaque da fragrância. Menos doce e mais escuro, CH Men Grand Tour é de fato uma versão melhorada do CH Men tradicional, tanto no quesito aroma como desempenho.

HommageVoyageur21. Hommage à l’Homme Voyageur (Lalique, 2014). Enquanto Hommage à l’Homme é um grande acorde oud com nuances ozônicas e atalcadas, o flanker é mais picante e amadeirado, na tentativa de fazê-lo mais elegante. Desta forma, as notas polvorosas são abafadas para dar lugar a uma base salina e espessa de vetiver, patchouli, musgo de carvalho, couro e baunilha. Hommage à l’Homme Voyageur não é ruim, mas perdeu o diferencial do tradicional, tornando-se mais plástico e comum.

AdGBlue22. Acqua di Gio Blue Edition (Armani, 2014). O frasco é revestido com uma imagem do mar a céu aberto; o conteúdo busca reproduzir a atmosfera calmante e revigorante do Mediterrâneo. Acqua di Gio Blue Edition tem pouca diferença em relação ao original, com suas facetas aquática, cítrica, frutada, especiada, floral, amadeirada e balsâmica intactas. Por outro lado, o flanker é mais vibrante, como um meio termo entre o Acqua di Gio clássico e sua versão Essenza. Somente para quem realmente ama o clássico moderno.

AngelSucrée23. Angel Eau Sucrée (Thierry Mugler, 2014). Lançado no verão do hemisfério norte, Angel Eau Sucrée foi feito como uma alternativa fresca da versão tradicional, apesar de seu nome indicar algo mais doce. A nova composição introduz um acorde de pink lemonade com merengue, passando a sensação borbulhante de sorbet de frutas vermelhas. A base de patchouli e baunilha continua presente, porém o perfume já não é mais tão controverso quanto o original.Habit Rouge Dress Code (Guerlain, 2015).

HabitRougeDressCode24. Habit Rouge Dress Code (Guerlain, 2015). Talvez uma das mais belas modernizações já feitas, Habit Rouge Dress Code revisita o clássico de Guerlain, preservando sua estrutura de cítricos, rosa, jasmim, couro, especiarias, fava tonka e baunilha. Essencialmente, o novo flanker é mais limpo e confortável, removendo todo o aspecto polvoroso e datado da versão tradicional. Uma nota discreta de chocolate ao leite dá um toque especial, ainda que praticamente indistinguível separadamente.

CodeSatin25. Code Satin (Armani, 2015). O popular floral cítrico e melífluo de Armani é reeditado para exalar a fragrância de uma mulher dinâmica e cheia de personalidade. Seguindo o gênero oriental floral, Code Satin abre luminoso com notas de limão siciliano, pera e gengibre, anunciando o centro de néroli, flor de laranjeira e jasmim. Na secagem, o perfume se intensifica com uma base de patchouli, baunilha e chocolate ao leite. Assim como o original, Code Satin sabe harmonizar o fresco e o quente com muito conforto e sex appeal.

angeletoilereves26. Angel Étoile des Rêves (Thierry Mugler, 2016). Feita especificamente para a noite e seus rituais, esta fragrância é uma reinterpretação do best-seller Angel. Angel Étoile des Reves (“estrela dos sonhos”) se desapega das notas florais e frutadas do original para focar no aspecto gourmand do patchouli, baunilha e chocolate ao leite. Segundo o site da marca, “a composição da nova edição é enriquecida com grandes quantidades de musk branco para criar a ilusão de lingerie de seda e cobertores de caxemira”.

Veja também: Flankers Summer e Flankers Elixir

2 pensamentos sobre “Edições Limitadas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s