EDPs/Parfums ♂

EDPsO lançamento de versões concentradas para homens é uma grande tendência de mercado na perfumaria. Um dos motivos, obviamente, é a ambição econômica das grifes, porém ela sozinha não foi suficiente para criar o fenômeno nas décadas passadas. O homem moderno é mais exigente e demanda os mesmos benefícios das mulheres, neste caso um perfume com concentração eau de parfum (EDP). Ele quer um perfume mais potente e duradouro, e não tem mais vergonha de dizer que receber elogios é a sua prioridade. Quanta diferença em relação à geração do after-shave de nossos pais e avós! Mas é bom esclarecer que concentração não é sinônimo de intensidade, e muito menos de qualidade. Existem flankers intensos na concentração eau de toilette (EDT) mais potentes que muitos perfumes EDPs, pois a potência também depende dos ingredientes utilizados. Nos últimos anos, muitas grifes se apropriaram indevidamente do conceito EDP, usando-o como uma ferramenta de marketing – elas “inflam” suas composições com sintéticos baratos para se atingir uma maior proporção entre o concentrado de perfume puro e o perfume finalizado, podendo assim estampar “eau de parfum” no rótulo.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

PourMonsieurEDP1. Pour Monsieur EDP (Chanel, 1988). Chanel costumava usar o termo “eau de toilette concentrée” quando a fragrância se aproximava do limite máximo da faixa EDT. Em 2014, porém, a casa decidiu renomear essas fragrâncias para “eau de parfum” – mais em linha com o mercado. O caso de Pour Monsieur é curioso, pois a versão EDT foi criada por Henri Robert e lançada em 1955, enquanto o EDP foi criado por Jacques Polge 33 anos depois. Diferente do EDT, que é um chipre musgoso com ervas finas, o EDP é um moderno fougère oriental com notas marcantes de lavanda, cardamomo, opoponax e baunilha.

HeritageEDP2. Héritage EDP (Guerlain, 1992). Héritage EDP é mais macio e arredondado que a versão EDT. No início, confusa com tantas notas de estilos diferentes (cítrico, herbáceo, floral, especiado, amadeirado, ambarado…), a fragrância menos concentrada leva mais tempo para se equilibrar. O EDP começa com um equilíbrio entre lavanda, ervas finas e especiarias quentes, revelando em seguida um buquê floral retrô. No dry-down, Héritage EDP se torna mais denso e confortável, um pouco menos brusco que o EDT e com a guerlinade mais evidente.

OpiumPHEDP3. Opium EDP (Yves Saint Laurent, 1995). Enquanto Opium EDT é um oriental especiado mais agressivo, a versão EDP tem uma melhor evolução na pele, com um acorde ambarado mais cremoso e delicado. No EDP, a combinação de cassis, anis, pimenta, bálsamo tolu, baunilha e cedro é harmonizada, criando um efeito polvoroso e escuro, diferente do EDT (mais limpo e cítrico). Opium EDP está certamente mais em linha com a diretiva de ser sexy, opulento e intoxicante – uma arma perfeita de sedução.

HMEDP4. Hanae Mori HM EDP (Hanae Mori, 1997). As duas versões de Hanae Mori HM são excelentes, ficando a escolha mais a critério de gosto pessoal. A versão EDT é mais fresca, com uma nota marcante de Limoncello, cercada de um acorde floral polvoroso e um acorde oriental amadeirado. No EDP, a base é mais dominante e doce, perdendo a força da saída ácida. O aroma é mais esfumaçado e a nota de chocolate amargo é mais evidente. Ótima opção para homens que gostam dos doces.

JaipurPHEDP5. Jaïpur pour Homme EDP (Boucheron, 1998). A versão EDP mantém basicamente a mesma personalidade do EDT, apenas com diferenças na evolução e na intensidade de cada acorde. Jaïpur pour Homme EDP tem uma saída ainda mais potente de especiarias quentes, minutos depois fazendo emergir um aroma atalcado e cremoso. Aqui o efeito romântico e sofisticado do acorde cravo-rosa é mais perceptível, enquanto a base de resinas e patchouli é mais macia e equilibrada.

HabitRougeEDP6. Habit Rouge EDP (Guerlain, 2003). Ao contrário do que muitos pensam, um EDP não se difere de um EDT somente pela concentração geral do perfume. A mudança na concentração é feita em cada fase da fragrância (cabeça, corpo e base), alterando a intensidade e evolução das notas. No caso do Habit Rouge – pai dos orientais masculinos – muitos rejeitam a versão EDT por acharem que ela deixa um rastro de baunilha cítrica e enjoativa na secagem, enquanto a versão EDP tem notas de fundo amadeiradas, atalcadas e aconchegantes. Não deixe o aspecto de old school afetar sua escolha – é um perfumaço.

Impact7. Impact pour un Homme (Caron, 2005). Décadas depois do lançamento do icônico Pour un Homme, Caron decidiu lançar uma versão mais concentrada, mudando o nome da fragrância. Com uma concentração de 30%, Impact pour un Homme foi o primeiro extrato feito para o público masculino. A fórmula do revolucionário fougère oriental foi tomada como base, apenas adicionando âmbar à composição. Impact pour un Homme exibe uma lavanda mais poderosa, recortada por uma nuvem de baunilha, âmbar e musk mais harmonizada.

LIDGE8. L’Instant de Guerlain pour Homme EDP (Guerlain, 2005). Também conhecido por LIDGE, esta é uma das poucas unanimidades que vejo por aí nas comunidades on-line de aficcionados. Uma verdadeira bomba sexual, esta fragrância contém notas marcantes de baunilha e patchouli, o que lhe confere um ar de chocolate meio amargo. Um anis por cima de tudo isso ajuda a deixar a receita ainda mais suculenta. O único inconveniente é o difícil acesso – não costuma ser um item de estoque.

TerreParfum9. Terre d’Hermès Parfum (Hermès, 2009). Depois do incrível sucesso de Terre, a casa Hermès naturalmente investiu na criação de uma versão Parfum. Costumo dizer que Terre é um perfume que vai além de seu propósito – ele é capaz de criar uma verdadeira atmosfera de bem-estar e autoestima em volta de quem o veste. A versão concentrada intensifica ainda mais a tonalidade das notas, deixando o lado terroso mais vivo e o fresco mais estimulante. Na secagem, Terre Parfum não chega a ficar doce graças à vibrante nota de laranja que não o deixa desandar. É um energizante em formato spray.

GreyVetiverEDP10. Grey Vetiver EDP (Tom Ford, 2009). Tom Ford costuma primeiro lançar a versão EDP e, depois que o perfume ganhou aceitação, o EDT. No caso de Grey Vetiver, a diferença é bem pequena, porém, no caso de temperaturas muito altas, o EDT vai sobreviver mais tempo na pele. O EDP abre mais escuro, picante e suculento (toranja), enquanto o EDT é um sopro refrescante e luminoso de limão. Grey Vetiver EDP evolui para um aroma mais picante e denso com noz moscada e pimenta malagueta, ao passo que o EDT é mais leve e floral.

LaNuitParfum11. La Nuit de l’Homme Le Parfum (Yves Saint Laurent, 2010). Se a fragrância original já era de parar o trânsito, o parfum vai aniquilar a concorrência. A masculinidade da lavanda e do anis une-se à doçura das frutas (ausente na versão tradicional), enquanto o acorde de baunilha, especiarias e patchouli funciona como um imã de sensualidade. Talvez a complexidade seja seu trunfo: não é doce nem seco, não é masculino nem feminino, é ousado e misterioso ao mesmo tempo.

MIPEDP12. Midnight in Paris EDP (Van Cleef & Arpels, 2010). Amêndoas, chá, muguê, benjoim, incenso e couro – esta é a receita de sucesso de Midnight in Paris. A versão EDP é mais encorpada e carregada de baunilha, trazendo uma nota de couro com vibe de borracha queimada, como em Bvlgari Black. Por outro lado, a versão EDT é mais suave, doce e polvorosa, com o acorde de incenso em perfeito equilíbrio com o couro. A cremosidade de Midnight in Paris EDP torna a composição mais sedutora, porém menos apropriada para o escritório.

CharriolEDP13. Charriol pour Homme EDP (Charriol, 2010). Muito comparado a 1 Million de Paco Rabanne, Charriol pour Homme EDP é um oriental especiado com notas principais de jasmim, pimenta, canela, âmbar, madeira teca, couro e musk. Diferente de 1 Million, esta fragrância é mais potente (a concentração é EDP) e arredondada (menos sintética), resultando num aroma menos doce e mais sofisticado. Já Charriol pour Homme EDT é uma fragrância completamente distinta, construída com base num acorde fougère oriental acompanhado de notas frescas de folha de violeta, lavanda, pera, calêndula e rosa.

PotionEDP14. Potion EDP (DSquared2 , 2011). Para o nariz menos treinado, as versões EDT e EDP de Potion são idênticas, porém a diferença aparece durante a evolução do perfume na pele. A versão menos concentrada tem uma saída mais verde, enquanto o EDP é mais picante. Minutos depois da aplicação, o EDP se mostra mais corpulento, e com uma base mais cremosa no dry-down. No geral, as duas versões são igualmente bem feitas, com as notas de menta, canela, rosa, âmbar e patchouli bem harmonizadas.

EauSauvageParfum15. Eau Sauvage Parfum (Dior, 2012). Eau Sauvage ganhou a versão concentrada apenas em 2012. O parfum traz um acorde resinoso de mirra e vetiver que dá mais corpo à fórmula original, preservando a nota cítrica de bergamota que lhe é característica. É perfeito para um dia de inverno no escritório, já que a fragrância transpira elegância, classe e despretensão. Eau Sauvage, embora criado em 1966, é um dos poucos perfumes da velha guarda que se mantém atual e esta versão se apoia nisso com maestria.

NarcisoEDP16. Narciso Rodriguez for Him EDP Intense (Narciso Rodriguez, 2012). Enquanto a versão EDT de Narciso Rodriguez for Him é focada nas notas de folha de violeta, patchouli e musk, o EDP foca nas notas de pimenta rosa, íris e musk. A nota de pimenta rosa foi bem escolhida para criar um efeito frutado bombástico na saída, contrastando com a natureza polvorosa da íris e do almíscar. Narciso Rodriguez for Him Intense é um perfume minimalista e mais intimista.

VoyageParfum17. Voyage Parfum (Hermès, 2012). Para compor a versão parfum de Voyage, Jean-Claude Ellena acrescentou uma nota floral de rosa e outra quente de âmbar. A saída de limão e cardamomo é fresca e picante, alegre e sofisticada. O perfume se desenvolve para um lado mais feminino e atalcado devido à combinação de notas florais, chá e hedione. Finalmente, Voyage Parfum mostra um lado ambarado e amadeirado com facetas doces e especiadas, além de um aspecto macio e sensual de musk.

TFNoirEDP18. Noir EDP (Tom Ford, 2012). A versão EDP de Noir foi lançada primeiro, oferecendo uma composição rica em patchouli, especiarias, couro e notas polvorosas. Um ano depois, Tom Ford apresenta a versão EDT, facilmente identificada com um frasco translúcido, mantendo a mesma tampa do original. Diferente de Grey Vetiver, cujas diferentes concentrações são muito próximas, a versão EDT deste perfume é bem mais cítrica, com uma nota marcante de menta e sem os acordes florais e ambarados.

BoucheronPHEDP19. Boucheron pour Homme EDP (Boucheron, 2013). A versão EDT de Boucheron pour Homme é mais cítrica e aromática, desta forma mais versátil e fácil de agradar. Já Boucheron pour Homme EDP evidencia o coração floral dominado pela nota de rosa. A combinação dessa flor com manjericão, coentro, musgo de carvalho, patchouli e ylang-ylang produz uma aura elegante e sofisticada, porém datada para muitos. Assim, a versão EDP é herbácea e polvorosa, caindo bem para qualquer sexo.

FahrenheitParfum20. Fahrenheit Parfum (Dior, 2014). A versão parfum do clássico Fahrenheit é basicamente uma modernização da composição original. O DNA de couro oleoso é abandonado e substituído por uma nota macia e limpa de camurça. Em vez da lavanda, uma nota de alcaçuz dá os tons iniciais. No coração, folha de violeta e rum substituem o acorde floral do tradicional. Finalmente, a base troca o acorde couro-patchouli por baunilha-âmbar. Fahrenheit Parfum é um delicioso e sedutor oriental vanilla mais apropriado para baladas.

BleuEDP21. Bleu de Chanel EDP (Chanel, 2014). As versões EDT e EDP de Bleu de Chanel têm uma saída cítrico-aromática bem parecida, porém, no decorrer do tempo, vão se distanciando. A diferença está basicamente na inclusão de âmbar no EDP, já que as notas principais detectadas (cítricos, menta, gengibre, noz moscada, incenso, vetiver e patchouli) aparecem na mesma intensidade. Evidentemente, Bleu EDP é mais complexo, arredondado e eficiente que a concentração menor.

BlancheEDP22. Allure Édition Blanche EDP (Chanel, 2014). Com o upgrade de EDT para EDP, algumas características de Allure Édition Blanche foram perdidas. O grande atrativo da fragrância era sua combinação de cítricos, pimenta rosa, vetiver e baunilha, criando um delicioso e original aroma de torta de limão. Allure Édition Blanche EDP é mais monolítico e abafado que o EDT e também menos cremoso, tornando-se praticamente um acorde de limão e vetiver.

DHP23. Dior Homme Parfum (Dior, 2014). Lançar novas concentrações para aproveitar o sucesso de uma criação é uma estratégia que acaba gerando ceticismo. Esta é uma exceção – Dior Homme Parfum, com sua predominância da nota couro que remete a carro luxuoso, veio para ficar. Se você já era fã do Dior Homme tradicional não deixe de provar esta versão. Cuidado para não se confundir com Dior Homme Intense que, além de ser EDP em vez de parfum, foca no lado gourmand. Este aqui é muito mais classudo.

AdGProfum24. Acqua di Gio Profumo (Armani, 2015). Ao escolher manter sua identidade marinha, Acqua di Gio Profumo acabou ficando bem próximo de Bleu de Chanel. A nova concentração é mais carregada de patchouli e adiciona uma nota marcante de incenso. Por outro lado, tenha em mente que a fragrância continua sendo aromática, ao contrário do que sugere o frasco todo preto. Acqua di Gio Profumo é uma opção mais madura e refinada para usar no escritório.

TheOneEDP25. The One for Men EDP (Dolce & Gabbana, 2015). Os lançamentos sucessivos de versões EDP masculinas só provam que os homens estão levando o assunto mais a sério. Como esperado, a nova versão tem uma saída menos cítrica e aromática, ganhando mais corpo com uma base de gengibre, tabaco e âmbar “em esteroides”. The One for Men EDP deve ser visto como uma alternativa apenas mais potente e duradoura do que o original EDT.

MercedesBenzParfum26. Mercedes-Benz Le Parfum (Mercedes-Benz, 2015). Mais vibrante e encorpado que o original, esta fragrância parte para o gênero chipre amadeirado com nuances especiadas. Com uma saída de bergamota e pimenta rosa, Mercedes-Benz Le Parfum apresenta um centro vegetal e aquoso de folha de violeta e gálbano. Na evolução, a composição esquenta com uma base oriental de patchouli, açafrão, vetiver, oud e âmbar. Cheio de contrastes entre notas escolhidas a dedo, o perfume sai do lugar comum e preserva a sofisticação característica da marca.

PoloBlueEDP27. Polo Blue EDP (Ralph Lauren, 2016). A marca americana introduz a versão concentrada de um de seus maiores best-sellers. Polo Blue Eau de Parfum mantém a elegância marinha do original, priorizando aqui um contraste entre o frescor cintilante da bergamota, cardamomo e ervas finas e o aspecto envolvente das madeiras e resinas. O que a fragrância perde no frescor, ela ganha na fixação.

ArmaniCodeProfumo28. Code for Men Profumo (Armani, 2016). Enquanto o original é marcado pelo contraste entre limão siciliano, anis estrelado, couro e tabaco, a versão eau de parfum de Code for Men decide explorar notas de amêndoas, cardamomo e noz moscada, permitindo um efeito mais denso, quente e escuro ao perfume. Um topo de mandarina, maçã verde e flor de laranjeira ajudam a dar um toque mais leve e interessante à composição.

KenzoPHEDP29. Kenzo pour Homme EDP (Kenzo, 2016). Vinte e cinco anos depois do lançamento de Kenzo pour Homme, o designer japonês introduz esta versão em concentração eau de parfum. Enquanto o original se tornou conhecido pelo frescor de sua nota principal de melancia, Kenzo pour Homme EDP foca mais no aspecto marinho, trazendo consigo um acorde mais encorpado e salino com notas de menta, cardamomo, sálvia, especiarias quentes, vetiver, sândalo e baunilha.

LHommeIdéalEDP30. L’Homme Idéal EDP (Guerlain, 2016). Após ter lançado a versão cologne, mais fresca e energizante que o original, a francesa Guerlain segue agora o caminho oposto e propõe uma variante encorpada e esfumaçada, com a adição de rosa e incenso, enriquecendo o tom amendoado mas sem cair na tentação de criar um perfume enjoativamente doce.

Veja também: Flankers IntensosParfums (Extratos)

2 pensamentos sobre “EDPs/Parfums ♂

  1. Nossa, tenho Jaïpur e Boucheron, da Boucheron, L’Instant, La Nuit de L’homme, Dior Homme, Potion e L’homme Ideal (cologne). Todos ótimos. Só lamento ter comprado o Voyage EDP – honestamente o EDT é mais versátil. Estou começando a achar que tenho muito bom gosto, a considerar por sua classificação, praticamente 8 de 30 rsrsrsrs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s