Nicho Excêntrico

ExcêntricoA excentricidade é sempre relativa. Para quem está descobrindo a perfumaria, um Chanel ou Dior pode ser bem inusitado e difícil de assimilar num primeiro momento. No outro extremo estão os aficionados que querem cada vez mais, testando os limites olfativos. Até onde pode ir uma fragrância? Talvez ela possa ser 100% sintética, criando um aroma completamente inexistente na natureza. Ou possa ser bizarra, com notas ou acordes que não combinem entre si (imagine bacon com chocolate), ou lasciva, abordando fantasias sexuais. Existem até perfumes ingeríveis (tanto o frasco quanto o conteúdo). O fato é que há um público (e, portanto, um nicho) que só se satisfaz com composições únicas, inovadoras, chocantes e “impossíveis” de usar. Nesse mercado, a japonesa Comme des Garçons foi pioneira ao lançar em 1998 sua criação Odeur 53 com 53 ingredientes sintéticos – a partir daí a casa não parou mais, servindo de inspiração para muitos. Outra casa que marcou a nicho excêntrico é a francesa État Libre d’Orange, com suas criações eróticas e irreverentes, banidas em alguns países. A primeira década deste século foi marcada pela excentricidade na perfumaria, seja abordando tabus, novas técnicas e sintéticos, ou explorando a sinestesia (com som e música, por exemplo).

Nota: Para perfumes lançados de 2015 em diante, consulte Lançamentos de Nicho.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

CdG1. Comme des Garçons (Comme des Garçons, 1994). Este é o primeiro perfume da grife japonesa, hoje praticamente esquecido. Trata-se de um chipre com fortes traços orientais devido à alta carga de especiarias e bálsamos. Logo na abertura, o perfume marca presença com um aroma pungente de noz moscada, cravo-da-índia, coentro, canela e cardamomo. Notas de rosa, gerânio e mel lhe conferem um aspecto medicinal, que vai aos poucos se atenuando sobre uma base de cedro, sândalo e bálsamos. Comme des Garçons une a elegância do estilo chipre com a ousadia do gênero oriental.

CdGWhite2. Comme des Garçons White (Comme des Garçons, 1998). O controverso perfumista Mark Buxton decide revisitar o Comme des Garçons original para dar-lhe um aspecto mais etéreo com o uso de sintéticos. Desta forma, o DNA especiado e balsâmico é mantido, porém o perfume transmite uma aura esfumaçada mais discreta e abstrata, além de acrescentar um charmoso acorde rosa-romã. Comme des Garçons White é uma fragrância seca e elegante.

Odeur533. Odeur 53 (Comme des Garçons, 1998). Odeur 53 parece mais um experimento do que um perfume que possa ser usado. Reunindo notas sintéticas minerais e metálicas, a composição abre agradavelmente vegetal e anísica, porém logo evolui para um potente aroma ozônico e soapy de refrigerador misturado com nave espacial e máquina de lavar roupas. As 53 moléculas usadas deixam para trás um rastro salino e mecânico.

CdG24. Comme des Garçons 2 (Comme des Garçons, 1999). Apesar de ser classificado como chipre floral, Comme des Garçons raramente segue um padrão. Esta fragrância é um floral picante, incensado, herbáceo, aldeídico com base chipre. O par rosa-magnólia tem seu lado fresco e cintilante realçado por notas de aldeídos, chá, angélica, mandarina e mate, enquanto especiarias, bálsamos e uma nota de tinta trazem densidade e mistério. Apesar disso, no final, Comme des Garçons 2 resulta num aroma delicado e translúcido, bem andrógino.

Odeur715. Odeur 71 (Comme des Garçons, 2000). Dois anos depois de Odeur 53, a casa japonesa apresentou outro “anti-perfume”, desta vez com 71 ingredientes. Odeur 71 tem parte de sua estrutura formada por notas sintéticas (tinta, bateria, torradeira e lâmpada) e parte por notas orgânicas (louro, incenso, bambu, pimenta e jacinto). O resultado é um chipre verde soapy e esfumaçado com traços esfumaçados e picantes. Com uma atmosfera futurística, Odeur 71 atrai pessoas que gostam de uma fragrância avant-garde.

lily6. Lily (Comme des Garçons, 2000). Em 2000, Comme des Garçons lançou sua série Leaves, inspiradas em ingredientes verdes: Mint, Calamus, Shiso, Tea e Lily. O melhor de todos é este último, um floral verde que reúne, além da nota principal, frésia, rosa e syringa. Para conseguir um aroma tão orvalhado e translúcido (e que dure na pele), a fragrância deve ter recebido toneladas de hedione e musks.

sequoia7. Sequoia (Comme des Garçons, 2001). Um ano depois da coleção Leaves, a grife japonesa introduz uma linha inspirada em ingredientes vermelhos (Red): Carnation, Harissa, Palisander, Rose e Sequoia. O mais famoso deles é um amadeirado concebido por Bertrand Duchaufour. Sequoia é uma composição monolítica que abre com uma marcante nota de rum, anunciando um corpo amadeirado e balsâmico de couro, oud, mogno, opoponax e, é claro, sequoia.

vettiveru8. Vettiveru (Comme des Garçons, 2002). Seguindo a estratégia de coleções, Comme des Garçons apresentou em 2002 uma trilogia de perfumes frescos: Anbar, Citrico e Vettiveru. Este último é o mais elaborado dos três. A colônia, vendida em frascos de 500ml, conta com um topo de bergamota, néroli e cardamomo, um centro de jasmim, cravo-da-índia e pimenta, e um fundo de cedro, vetiver e musk. Um perfume refrescante e crispy, inofensivo e para ser aplicado sem moderação.

CdG39. Comme des Garçons 3 (Comme des Garçons, 2002). Cedro, olíbano e especiarias são as notas principais deste chipre oriental moderno. Comme des Garçons 3 abre bem fresco e herbáceo com notas de mandarina, cassis, magnólia e manjericão. No coração, um acorde de rosa, jasmim, frésia, immortelle e angélica com um buquê de especiarias produz um aspecto natural e macio. A base sintética de cedro, incenso e musk confere uma aura seca e defumada. Como é de se esperar, Comme des Garçons 3 é moderno e, mesmo “brincando” com acordes inusitados, resulta num perfume perfeitamente original e usável.

Avignon10. Avignon (Comme des Garçons, 2002). Em 2002 a Comme des Garçons lançou uma série dedicada ao incenso, com cada fragrância representando uma religião. A mais interessante delas é Avignon, inspirada na cidade medieval de Avignon, no sul da França, que foi sede da Igreja Católica no século XIV. A composição é baseada em incenso e mirra, cercados de ervas finas, resinas e madeiras nobres. Seu opulento acorde esfumaçado-balsâmico ganha uma infusão tranquilizadora de camomila, baunilha e musk. Confortável e equilibrado, Avignon surpreende com sua versatilidade.

Kyoto11. Kyoto (Comme des Garçons, 2002). Budismo e xintoísmo estão representados nesta nova interpretação do incenso. Místico e contemplativo, Kyoto apresenta um aroma relaxante e aromático, reunindo notas de incenso, cipreste, patchouli, cedro, café, madeira teca e immortelle. O perfume equilibra com competência a brisa verde do topo com o xarope balsâmico da base. Linear e rente à pele, Kyoto propicia uma experiência íntima e profunda.

Ouarzazate12. Ouarzazate (Comme des Garçons, 2002). Este integrante da fabulosa série de incenso de Comme des Garçons é dedicado ao Islã. O nome da fragrância significa “fogo do deserto”, além de ser também o nome de uma cidade histórica do Marrocos. Ouarzazate contrapõe um acorde herbáceo de chá, sálvia, cardamomo e anis e outro acorde esfumaçado de incenso, pimenta preta, gaiaco, noz moscada e musk. Uma sólida base de labdanum traz corpo e refinamento à composição.

zagorsk13. Zagorsk (Comme des Garçons, 2002). Zagorsk é a intepretação da Igreja Católica Ortodoxa em relação ao incenso. O nome se refere a uma cidade russa que tem sido até hoje uma das mais influentes na fé desta religião. O perfume remete aos monastérios da Rússia com tons melancólicos de agulhas de pinho e bétula (couro russo), além de pimenta, hinoki, violeta, cedro e íris.

100%Love14. 100% Love (S-Perfume, 2003). A criadora de inúmeros clássicos à base de rosa como Paris, Trésor e Bvlgari pour Femme, Sophia Grojsman, desta vez faz uma interpretação plástica e erótica da rainha das flores. 100% Love reúne notas de hera, valeriana, groselha, rosa búlgara e turca, labdanum, cacau e musk para criar um efeito bipolar fresco-gourmand. O resultado é um aroma de brilho labial ou preservativo aromatizado, que pode ser encarado como encantador ou repugnante. Afinal, o amor está nos olhos de quem vê.

S-Ex15. S-eX (S-Perfume, 2004). Polêmico e inovador, S-eX busca imitar o odor de lençóis suados. Para tanto, o perfume conta com dois acordes opostos: um doce e cremoso (morango, camélia, jasmim, sândalo e musk) e outro salgado e defumado (sal, patchouli, couro, pimenta e noz moscada). O primeiro, mais feminino, interage bem com o segundo, mais masculino, resultando num aroma soapy e animálico como o cheiro de banho depois do sexo. Acima de tudo, S-eX é um perfume de pele, excêntrico e ao mesmo tempo confortável.

CdG2Man16. Comme des Garçons 2 Man (Comme des Garçons, 2004). Atendendo a pedidos, a Comme des Garçons lançou a versão masculina de sua segunda fragrância assinatura. Para torná-la viril, foram adicionados couro para representar a sofisticação, cominho o lado selvagem e íris a delicadeza metrossexual. O segredo do sucesso da composição está no acorde de aldeídos de número par com olíbano, produzindo uma impressão de vela queimando com um fundo cítrico. Comme des Garçons 2 Man vai do mais luminoso ao mais escuro, propiciando uma verdadeira viagem sensorial.

Escentric0117. Escentric 01 (Escentric Molecules, 2006). Lançado ao mesmo tempo que Molecule 01, composto unicamente de Iso E Super, Escentric 01 faz uso do sintético numa das maiores concentrações já usadas na perfumaria (65%). Este material que remete ao aspecto seco e confortável do cedro e traz uma sensação de alto relevo é aqui enriquecido com pimenta rosa, limão, íris e incenso. O perfume abre ácido e cítrico, evoluindo para um aroma amadeirado e polvoroso com nuances esfumaçadas.

JasminCigarette18. Jasmin et Cigarette (État Libre d’Orange, 2006). Inspirado nas grandes damas do cinema noir, Jasmin et Cigarette promove o contraste do branco e preto. Por ser uma flor noturna, o jasmim foi uma excelente escolha para fazer par com a nota escura e defumada de tabaco. De um lado a porção diva e feminina, de outro a porção obscura e masculina. A nota de jasmim é adoçada com damasco, enquanto a nota de tabaco é enriquecida com feno. Uma pequena dose de cominho traz sexualidade, ao passo que uma base de cedro, âmbar, fava tonka e musk promove o conforto sem abalar a aura defumada e opulenta.

PutainPalaces19. Putain des Palaces (État Libre d’Orange, 2006). De dia ela é uma donzela que exala um perfume atalcado à base de rosa e violeta; de noite é uma femme fatale que exala um perfume oriental à base de couro. Esta é a mulher retratada por État Libre d’Orange: a puta dos palácios. Putain des Palaces mistura o cheiro de um camarim repleto de maquiagem e spray de cabelo com o cheiro de um carro com banco de couro luxuoso. As duas coisas se juntam e resultam num aroma sensual com uma boa dose de musk. Putain des Palaces pode ser tanto sensual quanto refinado – tudo depende do ângulo que você escolher.

Rien20. Rien (État Libre d’Orange, 2006). Do francês “nada”, Rien veio para mostrar que menos é mais, e nada é tudo. Feita para ser uma fragrância de pele, este chipre amadeirado reúne notas de aldeídos, patchouli, incenso e couro. A saída é polvorosa e picante, liberando em seguida um aroma aveludado e esfumaçado de camurça e olíbano. Uma base de especiarias e bálsamos aquece a composição, que passa a vestir como um casaco luxuoso. Rien deixa um rastro de incenso apimentado e couro recém-chegado da tinturaria. Pura classe.

ElogeDuTraite21. Éloge du Traite (État Libre d’Orange, 2006). “Elogio ao traidor” é um amadeirado aromático marcadamente herbáceo e especiado. Por um lado, o perfume mostra um acorde gelado de agulhas de pinho, gerânio, artemísia e sálvia; por outro, um acorde quente de cravo-da-índia, jasmim, patchouli e couro. Uma boa injeção de musk faz o papel de amálgama na composição. Éloge du Traite é uma grande fumaça arejada e florestal.

SécrétionsMagnifiques22. Sécrétions Magnifiques (État Libre d’Orange, 2006). A mais ousada das criações de État Libre d’Orange é uma tentativa bem-sucedida de reproduzir a essência animal do ser humano. As secreções consideradas magnifícas são sangue, suor, saliva e sêmen. Não espere por um perfume animálico que remeta a roupas íntimas usadas – esta é uma composição de caráter floral e marinho. Inicialmente, Sécrétions Magnifiques tem um cheiro suave, delicado e soapy, mas logo dá uma reviravolta e mostra um lado metálico e lactônico incômodo que lembra sangue e esperma, com um fundo de pêssego. Nota dez para a concretização do conceito, nota zero para sua usabilidade.

JeSuisUnHomme23. Je Suis un Homme (État Libre d’Orange, 2006). A irreverente casa francesa dificilmente oferece cítricos, mas quando o faz, coloca sempre algo que dê impacto. No caso, Je Suis un Homme é uma colônia enriquecida com uma nota marcante de couro, além de toques de cravo-da-índia, canela, mirto, conhaque. O contraste quente-frio acentua ainda mais o topo de bergamota, limão e laranja. Je Suis un Homme é uma colônia viril e duradoura.

divinenfant 24. Divin’Enfant (État Libre d’Orange, 2006). Obra do perfumista Antoine Lie, Divin’Enfant é conhecido pelo seu característico cheiro de marshmallow com nuances de flor de laranjeira. Minutos depois da aplicação, um novo acorde emerge com café, couro e tabaco, símbolo de noites sem dormir, segundo o site casa. Divin’Enfant é um gourmand elegante, menos enjoativo do que aparenta.

noelaubalcon25. Noel au Balcon (État Libre d’Orange, 2007). Ao pé da letra, “Natal na Sacada”, este é um oriental melífluo e especiado concebido por Antoine Maisondieu que realmente lembra o mês de dezembro. A fragrância abre quente com notas de tangerina, damasco e mel, anunciando um centro de flor de laranjeira, pimenta malagueta e canela. O clima vai esquentando ainda mais com uma base de patchouli, labdanum e almíscar.

ViergesEtToreros26. Vierges et Toreros (État Libre d’Orange, 2007). Verdadeiramente andrógino, este amadeirado especiado contrapõe dois acordes principais: um feminino (“virgens”) à base de tuberosa e ylang-ylang e outro masculino (toureiros) à base de vetiver, patchouli e couro. Um buquê de especiarias (cardamomo, noz moscada, pimenta preta) e uma injeção de musk arredondam e dão harmonia à composição. Levemente animálico.

TomFinland27. Tom of Finland (État Libre d’Orange, 2007). Uma homenagem ao desenhista finlandês de arte homoerótica, este perfume ignorou limites para resultar numa composição complexa e andrógina, cheia de contrastes. De um lado a composição desenvolve um aroma soapy e fresco de barbearia com aldeídos, limão, gerânio, íris, agulhas de pinho e cipreste. De outro, notas de couro, açafrão, pimenta, vetiver, fava tonka e baunilha se unem para criar um aroma bruto e sexual. Tom of Finland é o homem moderno e real, com todas as suas características assumidas e reconhecidas.

patchouli28. Patchouli (Comme des Garçons, 2007). Em 2007, a grife japonesa lançou a série Luxe composta de Champaca e Patchouli, ambos na versão eau de toilette e eau de parfum. Patchouli se destaca por ser uma interpretação realística da nota, assessorada por outras notas amadeiradas como carvalho, vetiver, cedro e sândalo, além de opoponax. Pitadas especiadas de pimenta rosa, fenacho e pimenta branca dão uma “levantada” na composição.

charogne29. Charogne (État Libre d’Orange, 2008). Charogne (ou “carniça em francês) é um chipre couro de nuances florais e balsâmicas. A partir de uma saída picante de bergamota, gengibre, pimenta rosa e cardamomo, o perfume evolui para um buquê tropical de osmanthus, lírio-do-vale, ylang-ylang e jasmim. Tudo isso é amalgamado por um acorde base de labdanum, estoraque, couro, incenso, ambrette e baunilha.

Escentric0230. Escentric 02 (Escentric Molecules, 2008). Seguindo o seu par Molecule 02, Escentric 02 gira em torno do sintético ambroxan, que imita o caríssimo e extinto âmbar gris. Para acentuar o aspecto ambarado e aveludado da matéria-prima natural, o perfume recebe notas de vetiver, âmbar, orris, hedione e muscone, resultando num aroma quente e brilhante com nuances minerais. Escentric 02 é uma interpretação moderna do âmbar gris, sem sua faceta animálica, salgada e orgânica.

Hinoki31. Hinoki (Commes des Garçons, 2008). Em 2008, Comme des Garçons dediciu lançar um perfume em homenagem à revista francesa masculina Monocle. O tema escolhido foi hinoki, uma variedade japonesa de cipreste que, quando cortado, exala um odor de cedro com nuances cítricas. Reunindo notas como tomilho, cipreste, agulhas de pinho, incenso, musgo de carvalho, tabaco e vetiver, Hinoki resulta num amadeirado aromático com aspecto canforado e esfumaçado. Dry-down de cinza de cigarro.

88832. 8 88 (Commes des Garçons, 2008). Tomando como ingrediente principal a pouca abordada cúrcuma (ou açafrão da terra), 8 88 é um oriental especiado que combina especiarias quentes, âmbar e patchouli. Com um topo de coentro, papyrus e cúrcuma, a composição revela um acorde quente-gelado de gerânio, incenso e açafrão. O aroma resultante de fato remete à cor alaranjada de curry indiano, com aspecto levemente agridoce e frutado, suficiente para ser exótico. 8 88 deixa como rastro uma nuvem soapy de incenso

AngeloDiFume33. Angelo di Fume (Linari, 2008). O perfumista Mark Buxton reúne notas frutadas, florais e confeitadas para criar um opulento gourmand com fundo terroso. A partir de um topo de bergamota, laranja, folhas verdes e frutas vermelhas, Angelo di Fume segue um rumo floral com direito a um rico buquê de rosa, jasmim e ylang-ylang. Na evolução, o perfume ganha doçura e cremosidade com notas de caramelo, baunilha, patchouli, sândalo, benjoim e musk. O resultado é um interessante contraste entre o verde-natural e o doce-sintético.

34. Vista Sul Mare (Linari, 2008). Como insinua o nome, Vista Sul Mare é um aromático aquático de fortes toques cítricos e amadeirados. Segundo o site da marca “a junção dos cítricos frescos com um acorde ozônico gelado é rodeado por um buquê floral especiado (pimentão, cravo, muguê e rosa); musk branco e âmbar combinam com cedro e patchouli naturais para retratar uma elegante e sensual nota de base. Um cítrico levemente salino.

Jeke35. Jeke (Slumberhouse, 2008). Folhas secas, fumaça de charuto e sapatos de couro – essa é a essência de Jeke. Feito para homens sofisticados, o perfume reúne notas de vetiver, patchouli, labdanum e benjoim. Sua saída é viscosa e medicinal, antes de apresentar um coração úmido e canforado de labdanum e patchouli. A nota de vetiver traz um aspecto mais seco e terroso, seguido de uma base amadeirada e resinosa. Jeke deixa um rastro balsâmico e esfumaçado, levemente doce.

grev36. Grev (Slumberhouse, 2009). Este amadeirado aromático é ideal para aqueles que curte uma boa dose de cravo-da-índia em seus perfumes. A casa americana lista apenas cinco notas: agulhas de pinho, cedro, orris e copaíba, além daquela já mencionada. Com um aroma canforado e picante, Grev resulta num perfume que divide o público entre quem ama e quem odeia.

Ore37. Ore (Slumberhouse, 2009). Este oriental quase gourmand consiste de uma composição escura, intensa e sensual à base de cacau, pimenta e uísque. Logo na saída, Ore exala um aroma intoxicante de cacau amargo e seco, nada doce. Pimenta e ervas finas emergem com sua adstringência característica. Na evolução, um acorde balsâmico de gaiaco, carvalho e bálsamo peru traz profundidade, enquanto um acorde boozy de caramelo e uísque esquenta e conforta a fragrância. Ore é sexy e chic.

FatElectrician38. Fat Electrician (État Libre d’Orange, 2009). État Libre d’Orange se baseou na história real de um jovem gigolô na Nova York dos anos 70 para compor esta fragrância inovadora à base de vetiver. Aqui a nota principal tem seu lado seco e terroso amaciado com marron-glacé, chantilly e baunilha. Folha de oliva traz um interessante aspecto herbáceo e levemente salgado, enquanto uma base resinosa de mirra e opoponax sustenta a composição. O resultado é um aroma bem-balanceado entre o seco e o doce. Fat Electrician é perfeito para apreciadores de vetiver e que estejam dispostos a novas interpretações da nota.

RossyDePalma39. Rossy de Palma (État Libre d’Orange, 2009). Feito em homenagem à famosa atriz dos filmes de Almodóvar, Rossy de Palma é um inusitado floral oriental. Obviamente, État Libre d’Orange faz uma sátira com os perfumes de celebridade, porém oferecendo uma fragrância bela e complexa. De um lado, bergamota, gengibre, patchouli, gerânio e jasmim formam um acorde floral fresco (gelado); de outro, pimenta preta, rosa, benjoim, cacau e incenso compõem um acorde oriental (quente). Dramático e multifacetado como a própria atriz.

Daphne40. Daphne (Comme des Garçons, 2009). Girando em torno da poderosa flor de tuberosa, Daphne é uma fragrância floral e melíflua. Com uma saída de laranja amarga, açafrão e incenso, o perfume logo faz emergir um buquê de tuberosa, jasmim, rosa, e íris, onde predomina o efeito animálico (indol). A base de mel, patchouli, âmbar e baunilha acentua o lado doce e alaranjado da composição, ao mesmo tempo em que traz um aspecto quente e suntuoso.

doverstreetmarket41. Dover Street Market (Comme des Garçons, 2009). Inspirado no mercado londrino de Dover Street, este é um amadeirado aromático de traços balsâmicos e especiados. A composição tem uma saída adstringente de bergamota, laranja e pimenta. Minutos depois, ela se entrega a um coração quente e esfumaçado de coentro, zimbro e incenso. A finalização fica a cargo de um acorde base seco e canforado de patchouli, agulhas de pinho, labdanum e cedro.

LAnonyme42. L’Anonyme (A Lab on Fire, 2009). L’Anonyme é um aromático fresco que reúne notas de bergamota, gerânio, camurça e âmbar. Limpo e macio, o perfume é inofensivo e fácil de agradar. A composição abre cítrica e levemente soapy, abrindo caminho para um gerânio aveludado e brilhante. Na secagem, uma base formada por camurça, âmbar e madeiras nobres conclui a fragrância com um toque quente e doce. L’Anonyme é minimalista e despretensioso como o próprio nome sugere.

Wonderwood43. Wonderwood (Comme des Garçons, 2010). Madeiras nobres são geralmente usadas para compor a base, dando textura para o perfume. Comme des Garçons teve uma visão diferente e decidiu lançar uma composição com overdose de madeiras, naturais e sintéticas. Um aspecto esfumaçado e terroso ficou por conta de vetiver, patchouli e gaiaco, enquanto aridez e maciez foram conferidas por cipreste, cashmeran e cedro, e cremosidade e doçura por sândalo e oud. Incenso e especiarias agregam personalidade. Wonderwood é excelente para perceber como funciona uma pirâmide olfativa feita de madeiras.

LikeThis44. Tilda Swinton Like This (État Libre d’Orange, 2010). État Libre d’Orange trabalhou em parceira com Tilda Swinton para compor este perfume, tão único como a atriz inglesa. Como ponto de partida, Tilda definiu o aroma de sua casa como perfeito, especialmente de sua cozinha, com biscoitos de gengibre recém-assados. Assim, para a composição do perfume foram escolhidas notas como tangerina, gengibre, abóbora, immortelle e amêndoas. O predomínio de notas de cor alaranjada não deve ser coincidência para a atriz de cabelos ruivos.

Escentric0345. Escentric 03 (Escentric Molecules, 2010). A terceira composição de Escentric Molecules é um chipre amadeirado dedicado à nota de vetiver. Com uma saída efervescente de limão tahiti, pimenta preta e gengibre, Escentric 03 logo apresenta um delicado acorde central de íris, jasmim e chá. Na base, o vetiver é acompanhado de cedro, sândalo, couro e musk. Simultaneamente fresco e picante, limpo e esfumaçado, Escentric 03 é um perfume 100% sintético com aspecto 100% natural.

IntelligenceFantasy46. Intelligence & Fantasy (The Beautiful Mind Series, 2010). Criado por Geza Schoen, este é um floral musky rico no sintético cashmeran. Intelligence & Fantasy tem uma saída floral aquosa de cítricos, magnólia e pimenta rosa, anunciando um delicado buquê de frésia, osmanthus, tiaré e rosa. Para formar uma atmosfera completamente seca e macia, o perfumista escolheu notas de cedro, sândalo, cashmeran e musk para a base. Excelente opção discreta e confortável.

AcquaSanta47. Acqua Santa (Linari, 2010). Ousando com uma combinação de notas verdes e doces, o perfumista Maurice Roucel esbanja complexidade com este perfume. Acqua Santa abre com o frescor da bergamota, acompanhada de coentro e folha de cassis. Minutos depois da aplicação, um acorde central emerge com notas de cíclame, rosa, jasmim, ylang-ylang e lírio-do-vale. A base de etil maltol, heliotropina, Iso e Super e ambroxan propicia um equilibrado efeito sedoso e caramelizado.

Kinski48. Kinski (Kinski, 2011). Depois de inaugurar a casa Escentric Molecules, o perfumista alemão Geza Schoen criou Kinski em homenagem ao vigésimo aniversário da morte do ator homônimo. Esta complexa e inusitada composição une acordes tão diversos quanto cassis-zimbro (frutado-aromático), cannabis-vetiver (herbáceo-amadeirado) e castoreum-estoraque (animálico-balsâmico). O perfume tem uma saída ardida e “suja”, uma evolução floral e marinha e um dry-down balsâmico e animálico, representando a ferocidade característica de Klaus Kinski.

Fortis49. Fortis (Les Liquides Imaginaires, 2011). Escuro, quente e defumado. Fortis é um oriental amadeirado construído ao redor de oud. Na saída, o odor narcótico do ingrediente principal se apresenta acompanhado de cominho, açafrão e cannabis. Na evolução, notas de vetiver, cedro, gaiaco e amyris garantem o efeito seco e esfumaçado da composição. Para amaciar e suavizar, a base leva notas de sândalo, patchouli, incenso, baunilha, âmbar gris e musk. Tem um leve cheiro de borracha queimada.

Sancti50. Sancti (Les Liquides Imaginaires, 2011). Este é um complexo fougère oriental dedicado a uma intepretação transparente do incenso. Sancti é estruturado com acordes opostos bem nítidos e equilibrados: de um lado, aldeídos, cítricos, ervas finas, lavanda, cardamomo e pimenta rosa conferem um aspecto vibrante e gelado; por outro, incenso, especiarias quentes, patchouli, benjoim, labdanum e âmbar gris compõem uma aura quente e esfumaçada. Sancti é o incenso de verão.

ChambreNoire51. Chambre Noire (Olfactive Studio, 2011). Batizado de “quarto escuro” em francês, este perfume faz alusão à paixão da perfumista Céline Verleure por fotografia. Com uma atmosfera retrô e nostálgica, Chambre Noire é um oriental amadeirado centrado na nota de couro. A composição une um acorde chipre frutado clássico de ameixa, jasmim, patchouli e vetiver com um acorde oriental amadeirado de sândalo, couro, incenso, baunilha e almíscar. Chambre Noire resulta numa fragrância defumada e suculenta com excelente projeção e longevidade.

lumiereblanche52. Still Life (Olfative Studio, 2011). Still Life é um potente cítrico aromático construído em torno da nota de limão japonês, ou yuzu. O perfume abre com três tipos de pimenta (rosa, preta, sechuan), além de elemi. Na evolução, notas verdes de anis estrelado e gálbano emergem, tornando o perfume otimista e energizante. O dry-down é preparado com um fundo boozy de conhaque e âmbar.

stilllife53. Lumière Blanche (Olfactive Studio, 2012). “Luz Branca” é um amadeirado especiado de nuances powdery e musky. Abrindo adstringente com notas de cardamomo, anis estrelado e canela, o perfume segue com um centro macio e atalcado de íris, amêndoas e cashmeran. Lumière Blanche mantém seu caráter “fofo” e seco com um fundo de fava tonka, cedro, sândalo e musk.

WhatWeDo54. What We Do in Paris Is Secret (A Lab on Fire, 2012). Quem gosta de uma fragrância floral frutada com aura polvorosa vai curtir What We Do in Paris Is Secret. O perfume tem uma saída de lichia com mel, evoluindo em seguida para um coração atalcado de rosa, heliotrópio e baunilha. A base amadeirada e balsâmica fica por conta de sândalo, fava tonka e bálsamo tolu. O resultado final é intoxicante, deixando um rastro cremoso e melífluo que remete a ambientes de prazeres proibidos.

Liquidnight55. Liquidnight (A Lab on Fire, 2012). Desta vez composto por Carlos Benaïm, Liquidnight é um amadeirado especiado com traços de incenso e baunilha. Para reproduzir a profundidade da noite de Nova York, Benaïm se baseou num acorde de vanilina e Iso E Super, criando uma sensação esfumaçada quase tridimensional. Para trazer graça, o perfumista inseriu um acorde fougère com notas de limão tahiti, açafrão e sálvia. Liquidnight é encorpado e crispy, porém mais uma fragrância de pele.

Sova56. Sova (Slumberhouse, 2012). Slumberhouse introduz um xaroposo fougère oriental com nuances animálicas. Se de um lado a fragrância imprime um odor florestal seco e aromático com notas de alcaçuz, feno, bétula, tabaco e agulhas de pinho, por outro, notas de cera de abelha, patchouli, fava tonka, âmbar e baunilha produzem um aspecto viscoso e picante. Na secagem, Sova exala um aroma excêntrico e balanceado, apesar de tantos ingredientes de personalidade forte utilizados na composição.

PearOlive57. Pear & Olive (Slumberhouse, 2012). Ousado e excêntrico, este perfume foi lançado como edição limitada, porém acabou fazendo parte da coleção permanente de Slumberhouse. Pear & Olive abre frutado e vegetal com notas de camomila, pera, cálamo e azeitona. A composição vai aos poucos se tornando mais boozy e encorpada com notas de conhaque e sândalo. Embora Pear & Olive seja fresco e leve no início, ele acaba se tornando cremoso e potencialmente enjoativo no dry-down.

Norne58. Norne (Slumberhouse, 2012). Norne é um amadeirado especiado à base de incenso, especiarias e agulhas de pinho. Na saída, o perfume apresenta um forte odor medicinal e picante de cravo-da-índia. O uso de Iso E Super ajuda a criar um efeito tridimensional e nebuloso. Mais adiante, um coração adstringente de agulhas de pinho traz um aspecto herbáceo e terpênico. A composição conclui com uma base de olíbano, resultando numa fragrância pungente, esfumaçada e canforada.

Carbon59. Carbon (nu_be, 2012). O objetivo desta composição foi capturar as misteriosas origens da vida. A perfumista Françoise Caron, para tanto, misturou um coquetel de especiarias frias (cardamomo e gengibre) com pimenta para simbolizar a energia vital. Para trazer frescor e personalidade foram adicionadas notas de íris e ervas finas, enquanto sândalo e resinas foram empregados para criar uma base rica e sofisticada. Carbon é um convite para um mergulho nas raízes da vida.

Oxygen60. Oxygen (nu_be, 2012). A perfumista Antoine Lie trabalhou em cima da ideia de madeira oxigenada e seu aspecto ao mesmo tempo vaporoso e fresco. Oxygen tem uma adstringente saída aldeídica, remetendo a materiais sintéticos como adesivos e borrachas. Pimenta, açafrão e olíbano surgem com seu aroma picante e defumado sobre uma base de madeiras secas e musk em overdose. Oxygen é um perfume estranho, bem aos moldes sintéticos de Comme des Garçons e État Libre d’Orange.

Lithium61. Lithium (nu_be, 2012). Para interpretar o mais leve dos metais, o perfumista Nicolas Bonneville decidiu explorar a antítese energia-leveza, inspirado no odor de sílex (o calor que vem logo após a faísca do isqueiro). Desta forma, Lithium une um acorde macio e delicado de aldeídos, íris, rosa e musk a um acorde encorpado e pungente de açafrão, incenso e patchouli. O destaque fica para uma rosa escura e masculina com uma textura sedosa como caxemira.

helium62. Helium (nu_be, 2012). Esse é o tributo ao elemento da tabela periódica que forma o sol. Para tanto, segundo o site, “a inspiração foi a ideia de um balão de ar quente e fumaça”. O fresco vem da bergamota, enquanto uma combinação de rosa e íris traz feminilidade. Na evolução, o perfume se torna mais masculino com um fundo de estoraque, cancela, patchouli, gaiaco, sálvia, tabaco e benjoim. De fato um perfume quente e defumado.

Rausch63. Rausch (J.F. Schwarzlose, 2012). A companhia alemã fundada em 1856 já foi especialista em instrumentos musicais e produtos farmacêuticos. Em 2012, J.F. Schwarzlose foi ressuscitada e transformada em casa de fragrâncias. Rausch é um oriental vanilla com topo de cipreste e patchouli, centro de sândalo e oud, e base de âmbar e baunilha. O perfume praticamente se desenvolve em uma única fase, mostrando um aspecto quente, seco e esfumaçado, acima de tudo potente. Um âmbar natural e realístico.

Trance64. Trance (J.F. Schwarzlose, 2012). Tomando como base o acorde oud-rosa, a perfumista Veronique Nyberg oferece um oriental floral com marcantes nuances herbáceas. Depois de uma primeira hora medicinal difícil de digerir, Trance faz um belo uso da harmonia entre as nota de rosa e oud, mesclando beleza e sofisticação. Um acorde aromático ameniza o efeito químico, enquanto a base âmbar dá uma arredondada, trazendo um leve efeito amadeirado de couro.

Plastique65. Plastique (X-Ray, 2012). Descrito pela própria casa como uma fragrância curiosa, futurista e acima de tudo inovadora, Plastique é um tributo à cidade de Los Angeles, usando um sintético de vinil. Este oriental floral tem um topo aromático de bergamota, lavanda, eucalipto e alecrim, um centro de tuberosa, acácia, íris e elemi, e uma base de patchouli, sândalo, olíbano, estoraque, benjoim, âmbar e baunilha. No início uma grande tuberosa plástica, o perfume finaliza com uma vanilla semigourmand.

Morphine66. Morphine (X-Ray, 2012). Agora com uma criação oriental especiada, X-Ray apresenta uma fragrância sexy e exótica, inspirada no hedonismo da vida noturna de Nova York nos anos 70. Morphine abre aromático e picante com bergamota, lavanda e ervas finas. Na evolução, o perfume ganha uma intoxicante vibe floral alcoólica de rosa, íris, canela, mel e conhaque. O efeito “anestésico” é assegurado por uma sólida base de patchouli, sândalo, camurça e musk.

CobraCanary67. The Cobra and the Canary (Imaginary Authors, 2012). The Cobra and the Canary reúne notas de limão, íris, flor de tabaco, couro, feno e asfalto para ilustrar uma viagem hipotética pela costa leste dos Estados Unidos. Claramente uma homenagem ao couro de antigamente, o perfume mistura a natureza do campo com o odor químico do interior luxuoso de um Shelby Cobra Roadster. As notas de tabaco e asfalto deixam um rastro esfumaçado e decadente por onde passa.

MemoirsTrespassers68. Memoirs of A Trespasser (Imaginary Authors, 2012). Um tributo à obra “Memórias de um Invasor” de Philip Sava, esta criação busca criar uma atmosfera escura e doce com notas de madeiras defumadas e resinas doces. Memoirs of a Trespasser abre com um aroma doce e esfumaçado, seguido de um acorde de especiarias e madeiras escuras como gaiaco e carvalho. Na secagem, um acorde de baunilha, mirra e benjoim recebe uma macia camada de musk. Delicioso e original.

Amazingreen69. Amazingreen (Comme des Garçons, 2012). A grife japonesa, como sempre, arrisca suas fichas nesta composição essencialmente verde. Controverso e difícil de usar, Amazingreen leva a sério seu tema e incorpora notas vegetais amargas e picantes como folhas de palmeira, pimentão verde, hera e coentro, além de nuances aquáticas. A composição abarca também um acorde sintético de pólvora e fumaça para conferir uma sensação explosiva, amenizada por orris e musk.

FilsDeDieu70. Fils de Dieu (État Libre d’Orange, 2012). O perfumista Ralf Schwieger dedicou esta criação às Filipinas com o objetivo de difundir uma mensagem emocional de calor e iluminação, referindo-se à dualidade entre prisão e liberdade daquele país. Fils de Dieu conta com um topo de limão tahiti, coentro, gengibre, arroz e shiso, um centro de coco, rosa, cardamomo, jasmim, canela e rosa, e uma base de vetiver, couro, fava tonka, âmbar, castoreum e musk. Mais uma incrível execução de État Libre d’Orange.

bijouromantique71. Bijou Romantique (État Libre d’Orange, 2012). Descrito por État Libre d’Orange como o retrato de uma mulher, o site continua: “ela pode ser vista como uma participação feminina, num perfil suave e delicado, numa imagem onírica de incandescente beleza; o que uma vez foi casca tem sido lapidada por um artesão devoto, para fazer emergir uma mulher idealizada, também com joias”. Topo de cítricos, ylang-ylang e pimenta rosa; corpo de sálvia, íris e coco; fundo de vetiver, benjoim e baunilha.

afternoonofafaun72. The Afternoon of a Faun (État Libre d’Orange, 2012). “A Tarde de um Fauno” é um aromático especiado que gira em torno da pouca usada nota de immortelle (ou sempre-viva), uma flor com aroma de amêndoas tostadas de tons herbáceos. Ela é acompanhada de bergamota, especiarias (pimenta, canela), bálsamos (mirra, benjoim, incenso), flores (rosa, jasmim), couro e musgo de carvalho.

sweetdreams73. Sweet Dreams (A Lab on Fire, 2012). Sweet Dream é um luminoso floral oriental que contrapõe o brilho de um acorde cítrico-floral de bergamota, petitgrain, néroli e flor de laranjeira a um acorde balsâmico-animálico de âmbar, castoreum e almíscar sintético. O choque dramático entre notas parece ser o segredo da composição, que acaba propiciando valorização mútua entre os ingredientes.

testosterone74. Testostérone (Sentifique, 2012). A casa suíça afirma que Testostérone é provavelmente o perfume mais masculino já criado. A casa buscou ilustrar olfativamente a força, supremacia e natureza do homem com o uso de oud, patchouli e especiarias quentes. Segundo o site da marca, o resultado é um perfume seco, erótico e robusto, ao mesmo tempo inesperadamente elegante.

BelloRabelo75. Bello Rabelo (Les Liquides Imaginaires, 2013). Bello Rabelo é um oriental balsâmico que aposta nas notas de vinho tinto e frutas secas. Depois de uma abertura boozy e intoxicante, a fragrância ganha um corpo escuro e esfumaçado com notas de immortelle e labdanum. Na fase final da evolução, o perfume se torna cremoso e doce com benjoim, baunilha e madeiras nobres. Bello Rabelo é uma composição espessa, defumada e gostosa – quase gourmand.

Mosaic76. Mosaic (Imaginary Authors, 2013). Concebido com inspiração numa casa de banhos ao estilo romano, Mosaic é um chipre amadeirado com nota marcante de petitgrain. Com uma saída cítrica e aquática, a fragrância desenvolve um acorde central verde e cintilante de petitgrain e néroli. Na evolução, Mosaic agrega uma base de cedro e musgo de carvalho que mantém a aura limpa e crispy do perfume. Incrivelmente refrescante e sofisticado.

CapeHeartache77. Cape Heartache (Imaginary Authors, 2013). Com mais uma inventiva composição, o perfumista americano Josh Meyer compõe esta fragrância em torno de um acorde inusitado de morango, agulhas de pinho e baunilha. Se por um lado Cape Heartache apresenta um aspecto doce e cremoso, por outro o perfume é canforado, amadeirado e esfumaçado, como se fosse o encontro de dois polos opostos – o feminino e o masculino. O resultado é uma aura ao mesmo tempo vibrante e nostálgica.

Black78. Black (Comme des Garçons, 2013). Comme des Garçons lançou uma linha de roupas em 2009 focada no tema da luta contra a crise e a depressão que eclodiu em 2008. Quatro anos depois, a grife introduziu este perfume à base de pimenta preta, incenso e couro com nuances de alcaçuz. O resultado é uma atmosfera escura e defumada que inspira meditação e reflexão. A nota anísica de alcaçuz é fundamental para a “quebra” da seriedade da composição, da mesma forma que o cedro consegue garantir seu desempenho com grande perseverança.

EvaKant79. Eva Kant (O’Driu, 2013). Como se todos os gêneros olfativos fossem combinados numa única fragrância, Eva Kant surpreende com um aroma cítrico, herbáceo, floral, picante, amadeirado, balsâmico e animálico. Na saída, o perfume apresenta notas de toranja, camomila e lavanda, seguidas de um coração floral (magnólia e ylang-ylang), picante (gengibre e cardamomo) e amadeirado (sândalo). Notas de mirra, benjoim e baunilha completam a composição. Eva Kant resulta num intrigante aroma medicinal, indólico e caramelizado totalmente inédito e difícil de descrever.

Peety80. Peety (O’Driu, 2013). Mais uma revolucionária composição de Angelo Orazio Pregoni, Peety é denso e concentrado, com ênfase na nota de tabaco. O perfume abre com tabaco e musgo de carvalho sobre um fundo floral de rosa e jasmim. Um acorde de laranja amarga, âmbar e cravo-da-índia esquenta o coração da composição, que depois evolui para uma base cremosa e doce de fava tonka, patchouli e sândalo, com nuances animálicas de almíscar e castoreum. Peety é uma fragrância quente e selvagem, polvorosa e medicinal, acima de tudo intrigante e única.

O81. O (Blood Concept, 2013). Quem já estudou a dieta do tipo sanguíneo deve estar mais familiarizado com o conceito. Por ser o tipo sanguíneo mais antigo, “O” representa a identidade selvagem do homem. Para tanto, a composição é feita em torno de um acorde de couro defumado e animálico. A partir de um topo fresco e herbáceo de yuzu, laranja-de-sangue, cenoura e cannabis, o perfume executa sua ideia com um acorde-base de madeiras escuras, âmbar, bétula e castoreum.

AB82. AB (Blood Concept, 2013). O tipo sanguíneo mais recente entre os seres humanos é aqui interpretado com aldeídos, bergamota, toranja, pimentão verde, cedro, sândalo e musk. O foco de AB está no mineral, combinando a luminosidade aldeídica, o amargor sulfúrico cítrico-vegetal e o “efeito giz” dos almíscares sintéticos. De uma saída suave e brilhante, o perfume vai aos poucos escurecendo e ganhando um aspecto de suor limpo.

a83. A (Blood Concept, 2013). O tipo sanguíneo A segue o caminho oriental especiado com traços atalcados e de café. Abrindo com um acorde intoxicante de gengibre e café, o perfume adentra um coração polvoroso de raiz de angélica. Na secagem, é a vez do seu lado oriental aparecer com um fundo de âmbar, sândalo e benjoim. Um potente semigourmand.

b84. B (Blood Concept, 2013). Desta vez com foco no couro, a fragrância feita em tributo ao tipo sanguíneo B é um chipre esfumaçado e ambarado. A composição abre com um inusitado topo de pólvora, aos poucos dando caminho para um centro relaxante de madeira hinoki e chá Earl Grey. B encerra com um acorde seco e elegante de ambroxan, gaiaco e couro.

almosttransparentblue85. Almost Transparent Blue (A Lab on Fire, 2013). Este é um amadeirado aromático de traços cítricos e especiados. Feito para ser arejado como uma brisa, Almost Transparent Blue carrega em seu topo notas de yuzu, limão tahiti e aldeídos. Minutos depois, um centro de tomilho e madeira hinoki emerge com um aspecto seco e macio. A finalização fica a cargo de uma combinação de cedro e almíscares sintéticos.

audela86. Au Delà (Bruno Fazzolari, 2013). O perfumista Bruno Fazzolari se inspira na música do compositor francês Olivier Messaïen “cujos trabalhos intensos invocam um modernismo de harmonias saborosas e intoxicantemente estranhas”. A composição é centrada no dueto néroli-flor de laranjeira, recebendo em seu entorno coentro, labdanum e musgo de carvalho, formando um belo chipre clássico.

bluesantal87. Blue Santal (Commes de Garçons, 2013). Em 2013, Comme des Garçons lançou sua coleção Blue, composta por Blue Encens, Blue Cédrat e Blue Santal. Este último é o mais conhecido. Trata-se de um amadeirado especiado de traços balsâmicos e polvorosos. De construção minimalista, Blue Santal conta com apenas quatro notas listadas: sândalo, pimenta, agulhas de pinho e zimbro (elemento que dá a impressão olfativa azul).

bloodywood88. Bloody Wood (Les Liquides Imaginaires, 2013). Imagine um perfume com cheiro vermelho. Para isso, Les Liquides Imaginaires reuniu notas como cereja, violeta, rosa, vinho e framboesa, compondo um floral frutado semigourmand. O caráter boozy é reforçado pelo carvalho na base, além de notas de cedro e sândalo. Bloody Wood resulta num aroma bastante sensual e romântico.

pathetique89. Pathétique (O’Driu, 2014). O polêmico perfumista Angelo Orazio Pregoni batizou este perfume com um nome um tanto polêmico. Trata-se de um amadeirado aromático com topo de bergamota, zimbro e pimenta, corpo de mimosa e incenso, e base de trufa, vetiver, amyris, musgo de carvalho e madeiras nobres. Talvez o aspecto exótico fique por conta de suas facetas terrosa e esfumaçada com um fundo cremoso e narcótico de mimosa.

pinkmolecule90. Pink Molécule (Zarkoperfume, 2014). Zarkoperfume é uma casa dinamarquesa fundada em 2014. Sua fragrância mais conhecida é Pink Molécule, um floral frutado gourmand com nuances aldeídicas e lactônicas. O perfume evolui basicamente em duas fases: uma com um acorde borbulhante de champagne, orquídea e damasco; outra com um acorde escuro e cremoso de chantilly, ébano e mogno.

RienIntenseIncense91. Rien Intense Incense (État Libre d’Orange, 2014). Deixando de lado o tabu no mercado de nicho de lançar flankers, État Libre d’Orange oferece uma versão mais potente do seu best-seller Rien. E quando a casa diz “intenso”, pode-se esperar por uma verdadeira bomba. A saída é uma explosão aldeídica e picante, seguida de uma erupção vulcânica de incenso e couro. Ao contrário de sua reputação, este incenso é limpo com a ajuda de aldeídos e notas de rosa e íris. Mais não é menos.

ACityOnFire92. A City on Fire (Imaginary Authors, 2014). Fragrância imperdível para os que curtem um estilo esfumaçado, A City on Fire é inspirada num romance fictício onde dois homens testemunham um assassinato usando apenas palitos de fósforo. Para contar sua história olfativa, Josh Meyer reúne notas de frutas do bosque, zimbro, cardamomo, labdanum e jatamansi, além de algum sintético que emula o efeito queimado. A City on Fire é um perfume de atmosfera florestal, bastante natural e, acima de tudo, autoconfiante.

OmbreIndigo93. Ombre Indigo (Olfactive Studio, 2014). Céline Verleure introduz um complexo oriental à base de incenso e couro cercado de notas florais e frutadas. Com uma luminosa e suculenta saída de petitgrain, ameixa e tuberosa, Ombre Indigo evolui para um acorde seco e defumado de açafrão, vetiver, papyrus, olíbano e couro. No dry-down, notas de benjoim, âmbar gris e musk emergem, resultando num aroma plástico e atalcado, porém nada químico e sim sofisticado e aconchegante.

Wonderoud94. Wonderoud (Comme des Garçons, 2014). Quatro anos depois do sucesso de Wonderwood, a Comme des Garçons resolve aderir à tendência e lançar a sua proposta de oud como tema central. A nota de oud aqui é amparada por uma série de madeiras nobres (cedro, vetiver e sândalo), com nuances verdes e picantes. Wonderoud é uma boa alternativa a quem prefere o oud um pouco mais seco e discreto, nem por isso sacrificando a sua personalidade.

Serpentine95. Serpentine (Comme des Garçons, 2014). Com uma composição aromática acinzentada, Comme des Garçons oferece uma verdadeira experiência. Serpentine abre com um vibrante topo de aldeídos, grama, limão e zimbro, antes de revelar um centro limpo e soapy de gálbano, íris, noz moscada e musk. Para conservar o aspecto polvoroso e crispy, o perfume forma uma base de cedro, labdanum, benjoim e gaiaco.

Cologne96. Cologne (État Libre d’Orange, 2014). No oposto de sua característica ousadia (e talvez aí uma outra forma de ousadia), a casa État Libre d’Orange introduz uma fragrância em homenagem às tradicionais colônias francesas, conhecidas por seu toque floral. Com minimalismo e competência, Cologne forma um acorde aromático de notas verdes, bergamota, laranja-de-sangue, flor de laranjeira e jasmim apoiado sobre uma base de couro e musk. A colônia é uma opção segura para se perfumar e ainda projetar um aroma agradável e refinado durante um dia quente.

Sadanne97. Sådanne (Slumberhouse, 2014). Champanhe, morango, rosa, madeiras nobres e âmbar gris. O que pode surgir dessa mistura? Com mais uma ousada criação, Slumberhouse espanta e surpreende com este perfume doce e salgado, gourmand e animálico. O perfumista Josh Lobb consegue partir de um aroma de pirulito para chegar a um cheiro de podridão e, depois de algumas horas, obter um equilíbrio interessante entre o lado infantil e selvagem. Cheiro de motel engarrafado.

Lampblack98. Lampblack (Bruno Fazzolari, 2014). Este é um chipre amadeirado que equilibra bem seus lados brilhante e escuro. De um lado, notas de laranja, toranja e cipreste dão um aspecto fresco e verde; de outro, notas de pimenta preta, vetiver e benjoim trazem uma atmosfera quente e defumada. A combinação das notas de base produz um efeito amadeirado defumado e emborrachado que remete a couro, contrastando com a acidez das notas de topo. Lampblack é um sopro de esperança para um gênero pouco abordado.

Room23799. Room 237 (Bruno Fazzolari, 2014). Fãs de Stanley Kubrick facilmente entenderão a referência ao filme “O Iluminado”. Room 237 é um belo exercício olfativo onde sintéticos são agregados a uma combinação incomum de notas. O perfume reúne angélica, margarida, raiz de costo, opoponax e musk, além de notas verdes e florais e uma fantasia de vinil. O resultado é vegetal, seco e polvoroso com nuances químicas e plásticas, levemente soapy.

Chocolat100. Eau de Chocolat (Cocoa 5 Senses, 2014). A grife belga Boon The Chocolate Experience apresenta este inusitado perfume totalmente ingerível, feito em parceria com o perfumista Peter de Cupère. Com um frasco 100% feito de chocolate no formato de cacau e com 20 cm de altura, Eau de Chocolat pode tanto ser aplicado na pele como diretamente na língua. O volume é suficiente para 50 borrifadas e o preço é 69 euros.

Veja também: Nicho Conceitual e Nicho Indie

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s