Famílias Olfativas

famíliasDesde que se tornou um artigo comercial, o perfume virou mais uma vítima da tipologia. Por um lado, a classificação é útil pois facilita a busca pelo perfume ideal dentre milhares de opções. Por outro lado, consumidores deixam de conhecer perfumes incríveis porque são complexos e inclassificáveis ou porque foram classificados erroneamente. Além disso, uma lista de notas não ajuda a determinar a família de uma fragrância – ela pode não ser frutada mesmo com uma dezena de notas frutadas no press release. O que define a classificação é a aura que o perfume cria na pele com pelo menos uma hora de aplicação (sabemos como as notas de cabeça podem confundir). De qualquer forma, não existe consenso quanto à classificação de fragrâncias – cada marca, crítico ou loja tem a sua conforme suas necessidades específicas. No entanto, todos concordam que elas se dividem em quatro grandes grupos: frescos ou aromáticos (naturais e energizantes), amadeirados ou chipres (secos e refinados), florais (belos e atraentes) e orientais (opulentos e sensuais).

Green-Nature-Wallpaper-green-19511380-1920-1440Aromáticos amadeirados | Esta é a família daqueles perfumes que têm como função principal acalmar ou revitalizar. São frescos, leves, secos, limpos, vívidos e radiantes. Os aromáticos amadeirados dispõem de uma extensa variedade de ervas, folhas e grãos disponíveis, sem contar resinas vegetais (cumarina e gálbano), flores frescas (lavanda e gerânio) e madeiras verdes (cipreste, eucalipto, patchouli e bambu). O nome da família vem do uso culinário de seus componentes, que dão aroma aos alimentos. Exemplos: Armani pour Homme, Encre Noire, Guerlain Homme, Polo e Vétiver de Guerlain. 

waves.thumbnailAromáticos aquáticos | Este é uma das famílias olfativas mais populares no Brasil. A molécula calone, sintetizada na década de 90, possibilitou a criação de uma sensação translúcida que remete a um ambiente de praia ou piscina, inaugurando um gênero totalmente novo na perfumaria. Uma fragrância aquática tem uma combinação de notas cítricas, florais, herbáceas e/ou sintéticas, quase sempre temperadas com especiarias, chá ou musk. É condição sine qua non para uma fragrância aquática ter um aspecto refrescante, limpo e afiado. Exemplos: Acqua di Gio, Cool Water, L’Eau d’Issey, Un Jardin en Méditerranée e Versace Man Eau Fraîche.

CitrusEditorial_v9Aromáticos cítricos | O papel das fragrâncias cítricas é criar um clima de frescor mais focado no bem-estar e no conforto do que no aspecto estético. As composições cítricas são os clássicos da perfumaria e um dos maiores motivos é a possibilidade de capturar a essência de frutas cítricas sem precisar passar por processos de destilação a vapor ou extração por solventes – essas frutas liberam seus óleos essenciais pelo simples processo de prensagem de suas cascas. As mais comuns são: bergamota, limão, laranja, lima, tangerina, mandarina e toranja. Exemplos: 4711, Eau de Cartier, Eau d’Orange Verte, Eau Sauvage e Mugler Cologne.

young man shaving his beard with razor reflected on the bathroom's mirrorAromáticos fougères | Graças à síntese da cumarina – componente de aroma polvoroso da fava tonka – no final do século XIX, a Houbigant compôs Fougère Royale, que inaugurou um gênero totalmente novo e revolucionou a perfumaria. O gênero fougère evoluiu para se adaptar às tendências modernas e passou de estilo musgoso e sério para aromático e descontraído. Para tornar-se mais fresco, um perfume fougère muitas vezes tem vibe de barbearia por causa da adição de notas mentoladas. Exemplos: Azzaro pour Homme, Boss Number One, Drakkar Noir, Paco Rabanne pour Homme e Rive Gauche pour Homme.

ff_woodyChipres amadeirados | O papel clássico das madeiras nobres na perfumaria é dar textura à fragrância. Notas amadeiradas funcionam quase sempre como base, segurando o desempenho de um perfume por horas. Com a adição de notas cítricas, labdanum e, ocasionalmente flores leves, o amadeirado se torna chipre. Um chipre amadeirado é tipicamente masculino, seco e elegante. Infelizmente o gênero saiu de moda nos anos 70. Exemplos: Bel Ami, Derby, Givenchy Gentlemen, Jules e Pour Monsieur.

embossed-leatherChipres de couro | Alguns incluem chipres à base de couro dentro da classificação de chipres amadeirados, porém estes merecem uma família à parte por ter uma personalidade tão distinta. A nota de couro é de fato uma fantasia derivada de madeiras, principalmente óleo essencial de bétula, por vezes realçada com castoreum. Chipres de couro tendem a ser fragrâncias amargas e potentes, porém invocando classe e sofisticação, conforto e acolhimento. Exemplos: Bandit, Cabochard, Cuir de Lancôme, Jolie Madame e Tabac Blond.

scents-chypre-1Chipres clássicos | O gênero Chipre nasceu com a criação do perfume Chypre por Coty. Inspirado na ilha de Chipre, Coty uniu o frescor cítrico da bergamota com a umidade austera do musgo de carvalho e o calor encorpado do labdanum. O perfume Chypre serviu de base para muitas novas criações, que começaram a receber notas florais e frutadas para ficar menos duras e com personalidades mais diversas. Nesse sentido, Chypre é até hoje o perfume feminino mais copiado do mundo. Exemplos: Aromatics Elixir, Femme de Rochas, Miss Dior (original), Mitsouko e Paloma Picasso.

chypremiddle4iStock_000006566710XSmallChipres verdes | Em vez de flores e frutas, os chipres verdes enfatizam folhas, ervas e líquens para criar uma atmosfera de floresta. Podem também conter notas de flores frescas como íris, narciso e jacinto para trazer brilho e vivacidade à composição. Diferente dos clássicos, os chipres verdes focam mais no aspecto de conforto e bem-estar como os perfumes masculinos – pode-se dizer que esta categoria seria o equivalente aos fougères. Bastante populares nas décadas de 60 e 70, os chipres verdes saíram de moda. Exemplos: Cristalle, Dioressence, Fidji, Safari e Y de Yves Saint Laurent.

o.16115Chipres modernos | Com as inúmeras restrições quanto ao uso do musgo de carvalho devido ao risco de dermatites de contato, os chipres modernos dão mais ênfase ao patchouli, porém mantendo o topo cítrico (bergamota) e a base de labdanum. Os chipres mais recentes muitas vezes têm notas frutadas, tornando-os lúdicos e mais ao gosto das moças da nova geração. A tendência atual é a adição de baunilha e outras notas ambaradas, trazendo o perfume cada vez mais próximo do gourmand e cada vez mais longe da ideia inicial de chipre. Exemplos: Bottega Veneta, Coco Mademoiselle, Dahlia Noir, Elie Saab Le Parfum e Miss Dior (novo).

lily_bannerFlorais verdes | Os florais verdes surgiram na década de 40 com o lançamento de Vent Vert de Balmain, que explorava o lado fresco e luminoso das flores, em especial do lírio-do-vale. Esta família une o aspecto leve, seco e arejado dos aromáticos ao aspecto vívido, radiante e feminino das flores frescas. As flores mais comumente usadas para compor um floral verde são: lírio-do-vale, magnólia, jacinto, narciso, gerânio, lavanda, íris, violeta, lilás, lírio aquático e flor de lótus – que podem ter um tom cítrico, herbáceo, mentolado, polvoroso ou aquático. Exemplos: Diorissimo, Envy, N°19, Ô de Lancôme e Rive Gauche.

colorfulbouquet_freecomputerdesktopwallpaper_1920Florais intensos | Pouco antes do início da I Guerra Mundial, a casa Houbigant decidiu romper com a tradição dos perfumes baseados em apenas uma flor – os soliflores – e apostou na composição de uma fragrância que mesclava flores de personalidades tão diferentes quanto jasmim, ylang-ylang, flor de laranjeira, lírio-do-vale, tuberosa, violeta, íris, cravo e rosa. Batizado de Quelques Fleurs (“Algumas Flores”), o perfume abriu caminho para que outros perfumistas explorassem as inúmeras possibilidades de combinações possíveis entre flores. Exemplos: Anaïs Anaïs, Fracas, Joy, Poême e Poison.

858287-bigthumbnailFlorais aldeídicos | Pertencem à categoria de florais intensos, porém merecem uma classificação à parte. Chanel N°5 talvez tenha se tornado a maior referência devido à alta dose de aldeídos aplicada na fórmula, que foi suficiente para criar um novo gênero na perfumaria. Os aldeídos servem para “levantar” as flores, amplificando seu brilho e frescor. Esses perfumes têm como característica a sensação de limpeza devido ao efeito soapy dos aldeídos, às vezes remetendo a cheiro de tinturaria. Exemplos: Arpège, Calandre, First, Je Reviens e N°5.

003Florais polvorosos | Se por um lado na perfumaria masculina os aquáticos surgiram como resposta ao exagero dos anos 80, na perfumaria feminina foram os perfumes florais mais “puritanos” que despontaram como tendência. Em vez de florais rebuscados, os anos 90 demandaram fragrâncias mais secas e macias. Os florais polvorosos são delicados, produzindo uma textura suave, sem notas pontiagudas. Junto a musks sintéticos, notas amadeiradas como cedro e vetiver são empregadas para trazer corpo às composições. Exemplos: Anaïs Anaïs, Chloé (novo), Insolence, Narciso Rodriguez for Her e Trésor.

fruits-and-flowers-fanny-diazFlorais frutados | O brasileiro, principalmente do Nordeste, tem um gosto bem particular com relação a frutas em perfumes, tanto que a Natura até criou uma família olfativa somente para fragrâncias frutadas. No exterior tal classificação não existe, pois notas frutadas costumam ser coadjuvantes e estão sempre acompanhadas de notas florais, aromáticas, entre outras. Uma composição floral frutada busca ressaltar a personalidade de uma flor através de uma ou mais frutas. Por exemplo: rosa ou jasmim com frutas suculentas, ou íris ou violeta com frutas vermelhas. Exemplos: Amor Amor, Burberry Woman, Chance, J’Adore e The One.

carnationFlorais masculinos | Até os anos 70, homens tinham o hábito de usar fragrâncias com notas de cravo, rosa, lírio-do-vale e até ylang-ylang. Foi assim durante séculos. Durante os anos 80, contudo, as mulheres começaram a abusar dos florais intensos, fazendo com que o gênero fosse totalmente associado a elas. Aos poucos as notas florais foram desaparecendo do universo masculino, deixando saudades. Hoje os florais masculinos restringem-se a criações clássicas e vintages, a não ser dentro do mercado da perfumaria de nicho. Exemplos: 900 de Aramis, Antaeus, Fahrenheit, Yatagan e Zino.

1890.fruitsOrientais florais | Enquanto a espinha dorsal dos orientais florais clássicos é uma combinação de notas florais, resinosas e especiadas, os modernos trocam estas últimas por notas frutadas ou musks. A nova geração costuma associar perfumes com cheiro de especiarias e tons animálicos a mulheres mais velhas, preferindo a casualidade das frutas ou de sintéticos que imitam o odor da pele. O conceito de oriental floral contemporâneo está, portanto, mais para a sensualidade disfarçadamente ingênua do que para a opulência propriamente dita. Exemplos: Alien, Dune, Classique, L’Instant e LouLou.

Oriental perfumeOrientais balsâmicos | O gênero oriental começou com o lançamento de Shalimar em 1925, que recebeu uma dose muito acima do normal de baunilha, revelando-se estonteantemente opulento e sensual – uma novidade à época. Um perfume oriental precisa ter como espinha dorsal um acorde âmbar que lhe dê corpo, calor e doçura. Tipicamente, resinas e bálsamos são acompanhados de flores, frutas, madeiras nobres, especiarias e baunilha, em qualquer combinação. Quando o aspecto balsâmico prevalece, são chamados de orientais balsâmicos. Exemplos: Habit Rouge, Must, Prada Amber, Roma e Shalimar.

Pine-resinOrientais amadeirados | Enquanto os demais orientais se voltam mais para a sensualidade, os orientais amadeirados se apoiam em acordes cremosos de sândalo e oud ou secos de vetiver e cedro para trazer elegância à composição. Afinal, a madeira sempre traz uma textura adicional à fragrância, tornando-a mais encorpada e sofisticada, além de prolongar a fixação. Um oriental amadeirado pode ser uma boa opção para mulheres que gostam de chipres mas que sentem falta de “substância” (em especial as resinas) nessas composições. Exemplos: Allure pour Homme, Habit Rouge, Jungle, M7 e Samsara.

6.2Orientais fougères | Os perfumes fougères foram originalmente criados para serem herbáceos e polvorosos, frescos e macios, criando uma atmosfera de cuidado e asseio como a de uma barbearia. A descoberta da vanilina sintética, no entanto, promoveu uma ramificação no gênero. Os orientais fougères, além do acorde principal básico de lavanda e cumarina, ressaltam a faceta polvorosa da fragrância com a adição de baunilha, heliotrópio e/ou âmbar, além de flores e/ou frutas para torná-la ainda mais sexy. Exemplos: Dreamer, Jicky, Joop Homme, Le Mâle e Pour un Homme de Caron.

000159342Orientais especiados | Para evocar ainda mais sensualidade, perfumes orientais podem receber notas picantes como cravo-da-índia, canela, pimenta, cardamomo, alcarávia, coentro, cominho, açafrão, gengibre e noz-moscada. Especiarias são consideradas afrodisíacas porque têm o poder de dilatar os vasos sanguíneos quando consumidas – por isso inconscientemente fazemos a associação de que aromas picantes são sensuais. Os orientais especiados são, portanto, mais indicados para uma situação íntima ou uso noturno e não para um evento casual ou uso no trabalho. Exemplos: Armani Code for Men, Coco, London for Men, Omnia e Spicebomb.

sjklOrientais vanilla | Originária do México, a baunilha é extraída da orquídea da família Vanilla e utilizada há milênios para adoçar bebidas e alimentos. Na perfumaria, ela apareceu pela primeira vez em grande estilo, sintetizada (já que extraída naturalmente é caríssima) no perfume Jicky, em 1889. Nos orientais vanilla, a baunilha aparece para dar um ar de conforto (porque remete à infância) ou sensualidade (porque faz salivar). Oriental vanillla não é o mesmo que gourmand – este se caracteriza por ter uma nota marcante de sobremesa. Exemplos: Addict, Bvlgari Black, Hypnôse, Minotaure e Pi.

caramel02Orientais gourmand | Dentro do gênero oriental, a perfumaria gourmand teve seus ensaios nos anos 80, mas decolou mesmo com o lançamento ousado de Angel pelo estilista Thierry Mugler em 1992. A ideia louca de compor uma fragrância com a molécula etil maltol – aquela que dá o aroma caramelado ao algodão doce – provou-se bem sucedida. A partir daí, além dos inúmeros flankers do Angel, várias outras casas aderiram à moda. Exemplos: Angel, A*Men, Lolita Lempicka, La Petite Robe Noire e La Vie Est Belle.

 

Famílias_Notas_Perfumes_medium

Próximo: Notas Olfativas

 

6 pensamentos sobre “Famílias Olfativas

  1. Pingback: Miss Dior EDT, Dior | Aloucadosperfumes

  2. Pingback: Billion Dollar Green Bond, Paris Elysees | Aloucadosperfumes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s