Flankers Florais

FloraisAs flores estão para os perfumes assim como as estampas estão para as roupas e os adornos para os ambientes. São elas que trazem personalidade e podem significar toda a diferença entre o funcional e o estético. Em fragrâncias aquáticas, notas florais evitam o efeito sintético de gás ou ovo; nos gourmands, elas minimizam o aspecto de confeitaria. Tudo isso porque, lá na nossa mais profunda memória, as flores estão associadas a natureza, beleza e delicadeza. Além de seus indiscutíveis atributos estéticos, não podemos esquecer que as flores exalam odores que há milhares de anos de evolução têm se aperfeiçoado para a atração de agentes polinizadores. Também estão associadas a feminilidade e, por isso, a vasta maioria dos perfumes florais são feitos para mulheres. São poucos os flankers florais masculinos e, mesmo assim, a nota usada é normalmente discreta como flor de laranjeira (Fleur du Mâle), gerânio (Équipage Géranium) ou rosa (Déclaration d’un Soir). De maneira geral, os flankers florais são tentativas de explorar uma fórmula de sucesso com alguma flor (ou acorde floral) específica. Notadamente, a rosa é o tema mais comum, seguida de íris e jasmim.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

CabotineRose1. Cabotine Rose (Grès, 2003). O famoso chipre floral ganha uma versão floral frutada com rosa e notas de tons frutados como flor de cerejeira, jasmim-manga e cassis. Cabotine Rose abre com um acorde cítrico-frutado, logo desabrochando um inebriante buquê de rosa (dominante), peônia, flores brancas, acácia e jasmin-manga, temperado por pimenta preta. Uma base de madeiras secas e musk provê apenas textura, sem diminuir o efeito rosáceo-tropical do perfume.

EternityPurpleOrchid2. Eternity Purple Orchid (Calvin Klein, 2003). Enquanto o Eternity tradicional é um floral luminoso de nuances verdes e picantes, este flanker apela para o poder das frutas e das amêndoas. Abrindo com notas verdes, florais e frutadas, Eternity Purple Orchid esbanja suculência e maciez com um acorde central de pêssego, ameixa, frésia, orquídea e heliotrópio. Na secagem, a atmosfera soapy e polvorosa se beneficia de uma base amadeirada e musky.

AngelViolette3. Angel Violette (Thierry Mugler, 2005). Lançado em 1992, Angel demorou para ser aceito e virar um best-seller. A vantagem do perfume de estrutura monolítica é justamente a possibilidade de se oferecer flankers diversos. Frente a diversas temáticas possíveis, a casa apostou nas flores, entre as quais se destaca a violeta. Desta forma, Angel Violette se destaca pela sua aura polvorosa, além é claro do que se espera por ele. Infelizmente foi descontinuado.

AngelLaRose4. Angel La Rose (Thierry Mugler, 2006). Enquanto Angel Violette focou no aspecto powdery com uma injeção de violeta, Angel La Rose investiu na sinergia entre a rosa e o patchouli. Assim, este flanker se apresenta praticamente como um chocolate com sabor de rosa, enriquecido com notas de ameixa, pimenta rosa e caramelo. Angel La Rose torna-se, portanto, mais multifacetado e interessante do que o Angel tradicional. Infelizmente foi descontinuado.

FloralPrincess5. Flower Princess (Vera Wang, 2006). Lançado como edição limitada, porém permanente nos países asiáticos, Flower Princess é uma versão mais delicada, que privilegia notas de flores brancas. Na abertura, a fragrância é fresca e aquática com notas de tangerina, lírio aquático e hera. Um acorde central de damasco, acácia, rosa, jasmim e flor de laranjeira propicia um aspecto suculento e tropical como um resort em Bali. A base fica a cargo de madeiras nobres, âmbar e musk. Mais feminino e maduro que o Princess original.

OmniaAmethyste6. Omnia Améthyste (Bvlgari, 2006). Com nada a ver com o tradicional oriental especiado, Omnia Améthyste combina notas de íris, rosa e heliotrópio para compor um acorde atalcado e amendoado. Notas verdes e cítricas no topo trazem brilho e um certo alívio, enquanto a base amadeirada provê suporte e elegância. É difícil não gostar de um perfume que tem cheiro de talco luxuoso, remetendo à infância, e ainda mais com um frasco bonito. Limpo e confortável.

BvlgariRoseEssentielle7. Rose Essentielle (Bvlgari, 2006). A composição original de Bvlgari pour Femme, com seus traços atalcado e musky, é respeitada em grande parte por este flanker. Rose Essentielle valoriza o lado frutado da rosa, incorporando notas de amora e framboesa. Além disso, o perfume leva notas florais de acácia e rosa taif, que possuem também um lado frutado suculento. Rose Essentielle é uma fragrância romântica, com a nota de rosa muito bem trabalhada para parecer moderna.

Rumeur2Rose8. Rumeur 2 Rose (Lanvin, 2007). A versão desbotada do clássico de 1934 ganha um flanker que a supera. Com o público feminino mais jovem em vista, Lanvin decidiu lançar esta composição mais leve e adocicada, com foco na rosa. Rumeur 2 Rose abre efervescente com um acorde de cítricos, folhas verdes e pera. Minutos depois, a fragrância desabrocha um buquê de rosa decorado com flores luminosas (magnólia, jasmim, gardênia, madressilva, lírio-do-vale). Tudo isso é sustentado por um fundo de patchouli, âmbar e musk. Romântico e inofensivo.

FH329. Fahrenheit 32 (Dior, 2007). Além da folha de violeta e vetiver, a versão tradicional e Fahrenheit 32 têm pouco em comum. Se você não curte o primeiro, prove o segundo. Este perfume é denso e complexo, aparentando ser fresco no início mas logo revelando o marcante acorde baunilha-flor de laranjeira que lhe é característico. Romântico e sensual, Fahrenheit 32 é mais indicado para dias frios ou noitadas.

BadgleyFN10. Badgley Mischka Fleurs de Nuit (Badgley Mishka, 2007). Este perfume praticamente desconhecido no Brasil trabalha o tema das flores noturnas, ou seja, das flores brancas que exalam seu aroma mais fortemente à noite. Para ressaltar seu aspecto carnal e marcante, Fleurs de Nuit agrega de um lado notas cítricas e de outro notas doces de âmbar, pêssego e marmelo. Portanto este não é um perfume floral luminoso e delicado, mas sim doce e inebriante, sem ser enjoativo.

FleurDuMale11. Fleur du Mâle (Jean-Paul Gaultier, 2007). Todo ancorado na flor de laranjeira – um meio termo entre um jasmim e uma laranja – este perfume acompanha o estilo ousado da linha Le Mâle de Jean-Paul Gaultier. É ao mesmo tempo fresco e marcante, suave e intenso. Tudo isso devido ao equilíbrio de sua nota principal com alcarávia, manjericão e bergamota. O resultado final remete a um jardim florido num dia bem quente com o sol a pino. Para alguns, Fleur du Mâle pode ser enjoativo e dar dor de cabeça. Para outros pode ser catártico.

FleurCabotine12. Fleur de Cabotine (Grès, 2007). Para esta nova interpretação de Cabotine, a casa Grès recorreu a notas exóticas para compor um estilo floral verde. Com uma saída cintilante de mandarina, syringa e minhonete, Fleur de Cabotine desabrocha um suave buquê de lírio-do-vale, orquídea, peônia e flor de cacto. A partir daí o perfume passa de floral fresco para floral polvoroso, devido à base de nectarina, heliotrópio e musk. Fleur de Cabotine é uma fragrância simples e prática.

FerréRose13. Ferré Rose (Gianfranco Ferré, 2007). Se o Ferré tradicional é praticamente desconhecido no Brasil, este flanker é menos ainda. O que era floral atalcado com nuances de abacaxi e melão agora é um floral à base de rosa com toques ozônicos. Abrindo como um ponche de frutas, Ferré Rose desabrocha uma rosa cercada de flores delicadas como frésia, gardênia, flor de laranjeira e jacinto aquático. No dry-down, a base amadeirada seca consegue preservar a atmosfera cristalina e elegante.

BeDeliciousFreshBlossom14. Be Delicious Fresh Blossom (Donna Karan, 2009). Feito para a primavera de 2009, Be Delicious Fresh Blossom mantém o tema de maçã verde e flores brancas do original, porém coloca foco numa nota de rosa acentuada com pêssego. Isso acaba deixando um pouco de lado o aspecto de xampu da versão tradicional – o que é um ponto positivo – para trazer mais graça e elegância.

FlowerEssentielle15. Flower Essentielle (Kenzo, 2009). Kenzo introduziu em 2000 sua interpretação floral pós-moderna, que agora ganha uma versão mais dramática. Para acentuar as notas florais, Flower Essentielle incorpora absolutos naturais de jasmim e rosa damascona, além de baunilha, pimenta, incenso e três tipos de musk. O diferencial deste flanker é ser menos sintético (menos aspecto de giz em pó) e mais arredondado. Menos polvoroso, mais soapy; menos romântico, mais sofisticado.

AmourFlorale16. Amour Florale (Kenzo, 2009). O famoso cheiro de pão de ló ganha uma versão mais floral e menos gourmand. Modificando várias notas e a estrutura do original, Amour Florale troca o acorde polvoroso de trigo e heliotrópio por rosa, gardênia e flor de laranjeira. O resultado é uma fragrância muito diferente da versão tradicional, com uma aura mais limpa e tropical do que cremosa e acolhedora. Embora seja um bom perfume, fãs de Amour podem se desapontar.

TheOneRose17. The One Rose (Dolce & Gabbana, 2009). O best-seller floral frutado de Dolce & Gabbana ganha sua versão com maior potência floral. O acorde pêssego-ameixa desaparece, favorecendo o buquê central de rosa, lírio-do-vale e peônia. The One Rose abre intensamente cítrico e verde com notas de toranja e cassis, concluindo com uma suave base de madeiras secas, baunilha e musk. Embora seja um tanto sintético, The One Rose pode agradar quem busca por uma fragrância agradável para o dia a dia.

DivaRose18. Diva Rose (Ungaro, 2011). Lançado em 1983, o Diva original causou impacto com seu potente aroma floral animálico. O designer agora oferece uma versão mais leve, focada na rosa, com nuances aromáticas e frutadas. Diva Rose abre moderno e suave com bergamota, notas verdes e lichia, logo exibindo um coração romântico de rosa, lilás e frésia. Na base, madeiras nobres, âmbar e musk completam a fragrância. As notas de lilás e musk proveem incrível suavidade para este flanker contemporâneo.

FeerieRose19. Féerie Rose des Neiges (Van Cleef & Arpels, 2011). A versão tradicional de Féerie contém notas delicadas de cassis, rosa, jasmim e violeta, além de uma base de vetiver. Já Féerie Rose des Neiges dá foco total à rosa, adicionando notas de pimenta rosa e lichia, compondo um aroma mais frutado e picante. O perfume atinge um dry-down mais doce com notas de sândalo e fava tonka. Enquanto o original é uma fragrância inofensiva para o dia a dia, Féerie Rose des Neiges tem um certo aspecto de batom, mais apropriado para a noite.

LEauIsseyFlorale20. L’Eau d’Issey Florale (Issey Miyake, 2011). Fresco, delicado e agradável, ou seja, uma típica fragrância japonesa. O designer Issey Miyake manteve a atmosfera aquosa do orvalho da manhã, porém desta vez adicionando a rosa como protagonista. Assim como o L’Eau d’Issey tradicional, L’Eau d’Issey Florale é um perfume que parecer ser aguado e inofensivo, mas possui excelente projeção e longevidade, rendendo muitos elogios. Ideal para o nosso clima.

NarcisoInColor21. Narciso Rodriguez for Her in Color (Narciso Rodriguez, 2011). Com as mesmas notas do original, Narciso Rodriguez for Her in Color enfatiza a nota de rosa, que é apoiada sobre um acorde de patchouli e musk. A flor tem aqui um tratamento mais doce e encorpado com notas de frutas vermelhas, pêssego, âmbar e sândalo. Narciso Rodriguez for Her in Color acaba sendo uma versão mais lúdica, feita para um público mais jovial, perdendo a textura sensual da versão tradicional.

MonJasminNoir22. Mon Jasmin Noir (Bvlgari, 2011). Centrado na nota de jasmim, esta flor tem seu lado brilhante trabalhado com notas de lírio-do-vale e cidra e seu lado sensual com notas de torrone e musk. Tudo isso é sustentado por uma base de patchouli e cedro. Comparado ao original Jasmin Noir, aqui o aspecto floral acaba sendo dominado pelo efeito polvoroso e macio deixado pelo rastro. Mon Jasmin Noir é, antes de tudo, uma fragrância de pele.

DeclarationSoir23. Déclaration d’un Soir (Cartier, 2012). Com a mudança de seu criador Jean-Claude Ellena da casa Cartier para a Hermès, a perfumista Mathilde Laurent ficou incumbida de fazer uma variação romântica do Déclaration sem prejudicar a essência “cardamômica” do original. O resultado é espetacular: uma nota de rosa passou a predominar na fórmula, fazendo cumprir sua intenção: acelerar os corações, incentivando os homens a se expressarem.

EaudemoiselleFlorale24. Eaudemoiselle Eau Florale (Givenchy, 2012). Saindo um pouco do acorde tangerina-rosa do original, Eaudemoiselle Eau Florale incorpora notas delicadas de toranja, pera, rosa japonesa, jasmim e musk. Enquanto a versão tradicional é mais madura e tradicional, esta composição parece ter sido feita para atingir o público das meninas com seu aroma floral doce, bem suave e lúdico. Eaudemoiselle Eau Florale é uma dessas fragrâncias inofensivas ideais para se dar de presente.

TrussardiRose25. Trussardi Delicate Rose (Trussardi, 2012). O tradicional chipre floral de Trussardi ganha uma “irmã” adolescente e dinâmica. O perfume abre exótico com notas de bambu, yuzu e kumquat, antes de revelar um acorde central de maçã verde, flor de lótus, jasmim e rosa. Para manter a atmosfera floral luminosa, a base é composta de madeiras leves e musk. Trussardi Delicate Rose vai no caminho oposto do original, provavelmente com o objetivo de conquistar a geração mais nova.

GoldRose26. Michael Kors Gold Rose Edition (Michael Kors, 2012). Se o Michael Kors tradicional é um floral branco macio e elegante, esta versão foi feita para as moças. Apesar da predominância das notas florais (lírio aquático, champaca, gardênia, lírio-do-vale, peônia e rosa), Michael Kors Gold Rose Edition acrescenta pimenta rosa e framboesa para ressaltar o aroma suculento da rainha das flores. Assim, esta é uma alternativa acertada para o público jovem que curte os perfumes florais docinhos.

VivaLaFleur27. Viva la Juicy la Fleur (Juicy Couture, 2012). Com um topo reforçado e uma base atenuada, Viva la Juicy la Fleur tem um acorde floral frutado mais potente de mandarina, cranberry, lírio aquático, madressilva, jasmim e gardênia. Enquanto o original evolui rapidamente para um dry-down de caramelo e chocolate, o flanker prolonga o efeito mais natural e fresco, com vibe “xampunácea”, deixando para o fim apenas um leve aroma gourmand coadjuvante.

MauboussinRose28. Mauboussin Rose pour Elle (Mauboussin, 2012). Mais leve e com uma rosa acentuada, Mauboussin Rose pour Elle é dedicado às mulheres independentes. Enquanto o lado gourmand é amenizado, a composição adiciona notas de cassis, framboesa, maçã, pera e pitaiaiá para reforçar a suculência da rosa. Notas de magnólia e jasmim aquático transmitem uma sensação fresca e aquosa. A base contém menos âmbar e mais madeiras secas para reforçar a suavidade da fragrância.

BodyRose29. Body Rose Gold (Burberry, 2012). Com maior ênfase para a rosa, Body Rose Gold passa de uma fragrância macia e íntima para um perfume sofisticado e impactante. A composição mantém a mesma estrutura: frésia, pêssego e absinto na saída; rosa, íris e sândalo no centro; e âmbar, baunilha e cashmeran na base. O musk é atenuado para valorizar a interação da rosa com pêssego, produzindo um aspecto feminino e levemente doce e atalcado. Perfeito para uso noturno.

LaPerlaInRosa30. La Perla in Rosa (La Perla, 2012). A grife italiana de lingerie faz uma rendição frutada e rosácea de sua fragrância assinatura. Com uma saída de pera, framboesa e pimenta rosa, a composição logo revela um delicado buquê de rosa, violeta e cíclame. A base chipre é formada por labdanum, patchouli, sândalo e baunilha. As notas escolhidas acertadamente valorizam o aspecto sedoso e atalcado da nota de rosa, exalando toda a feminilidade e sensualidade características da marca.

ChloéRoses31. Roses de Chloé (Chloé, 2013). Enquanto o Chloé tradicional é mais doce e encorpado, feito para mulheres sensuais, a Roses de Chloé investe no limão e musk, com um apelo mais puro e inocente, focando na suavidade e transparência da flor. Notas frutadas de maçã, lichia, cassis e pêssego formam uma aura lúdica e casual, enquanto um acorde verde e cítrico refresca por um bom tempo. Roses de Chloé é para quem curte fragrâncias leves e cristalinas como as de grifes americanas.

CartierRose32. Eau de Cartier Goutte de Rose (Cartier, 2013). A versão tradicional de Eau de Cartier coloca ênfase no acorde lavanda-violeta. Já este flanker distancia-se do conceito de colônia e propõe uma fragrância floral com base vanílica. Eau de Cartier Goutte de Rose é uma dessas fragrâncias que agradam quase todo mundo; praticamente uma água de rosas mais sofisticada. Não é muito forte, nem muito doce ou muito polvorosa. Um perfume casual e despretensioso.

BalenciagaRose33. Balenciaga L’Eau Rose (Balenciaga, 2013). O chipre floral construído em torno de cravo e violeta agora ganha notas de amora e rosa. Se o original é mais discreto e tradicional, Balenciaga L’Eau Rose exala um ar mais vaidoso com aroma de maquiagem. A contribuição do aspecto frutado é fundamental para conferir sensualidade e modernidade. As notas herbáceas e amadeiradas de cipreste e patchouli transmitem sofisticação, além de um aspecto mais natural à fragrância.

CoolWaterRose34. Cool Water Sea Rose (Davidoff, 2013). Na verdade, este perfume não contém uma nota de rosa, mas sim uma combinação de pera, violeta, frésia e peônia, com o objetivo de criar a nota fantasia de rosa do mar. Cool Water Sea Rose segue o estilo Davidoff de fragrâncias leves, frescas e aquosas, construídas sobre uma base de musk. Um tanto sintética, a composição pode agradar mulheres mais ativas e dinâmicas que preferem algo mais discreto e com um preço atrativo.

Rosabotanica35. Rosabotanica (Balenciaga, 2013). O floral verde de Balenciaga é reinterpretado, diminuindo as notas herbáceas de menta e cannabis para favorecer a rosa. Aqui rodeada de toranja, pimenta rosa, cardamomo, folha de figo, petitgrain e jacinto, a rainha das flores ganha uma aura vibrante, que fica ainda melhor na secagem. A base de patchouli, vetiver, madeiras nobres e âmbar confere substância e cremosidade, tornando o perfume quase floral oriental.

SheerBeautyEssence36. Sheer Beauty Essence (Calvin Klein, 2013). Se Beauty de Calvin Klein é um floral luminoso e macio à base de jasmim, este flanker injeta novas flores para se tornar menos delicado e mais exuberante. Sheer Beauty Essence abre com notas frutadas de pera e pêssego, anunciando a evolução de um centro atalcado de rosa, peônia, lilás e magnólia. Uma dose de baunilha é adicionada à base, dando corpo e sensualidade ao perfume. Fãs de lilás vão adorar.

ValentinaFloreale37. Valentina Acqua Floreale (Valentino, 2013). Se o original é um oriental floral com vibe de chiclete de tutti-frutti, Valentina Acqua Floreale segue o caminho dos cítricos e das flores brancas. Com uma saída de bergamota, néroli e flor de laranjeira, o perfume desabrocha um delicado buquê de jasmim, acácia e tuberosa. A base fica por conta de patchouli e âmbar. Como o próprio nome sugere, Valentina Acqua Floreale é leve e inofensivo como um jardim de verão.

GlamJasmine38. Glam Jasmine (Michael Kors, 2013). Assistido por notas de cassis, sândalo e demais flores brancas, Glam Jasmine é uma fragrância centrada na faceta luminosa e cremosa do jasmim, além de um toque animálico de indol. O acorde verde confere grande naturalidade, enquanto a base amadeirada torna o perfume crispy e sofisticado. Um buquê de flor de laranjeira, lírio-do-vale e tuberosa traz corpo e beleza à composição. Glam Jasmine é fresco, limpo e feminino, ótimo para uso diurno.

DiamondsRose39. Diamonds Rose (Armani, 2013). A linha Diamonds da marca Emporio Armani toma como base a composição original floral frutada, removendo as notas de âmbar e baunilha em favor do acorde rosa-patchouli. Diamonds Rose abre com bergamota, framboesa e cassis, antes de revelar um buquê luminoso de rosa, madressilva e lírio-do-vale. A composição finaliza com uma base macia e sofisticada de patchouli e musk. Mais transparente e romântico que o Diamonds tradicional.

ChicPetals40. Cheap & Chic Petals (Moschino, 2013). O flanker floral de Cheap & Chic dá ênfase às flores sedosas e frutas vermelhas. Preservando seu caráter amadeirado, o perfume abre com notas de gengibre, morango e romã. Durante a evolução, um acorde central de íris, orquídea, lírio aquático e gardênia forma uma atmosfera delicada e romântica. A finalização fica a cargo de madeiras nobres e musk. Se por um lado Cheap & Chic Petals é mais fácil de agradar que a versão tradicional, o flanker perde pontos em termos de complexidade.

Fiori41. Fiori (Vince Camuto, 2013). Se a fragrância assinatura de Vince Camuto é um moderno chipre floral de nuances boozy e gourmand, a versão floral decide focar num polvoroso acorde de jasmim e íris. Fiori abre borbulhante com toranja, nectarina e uma nota fantasia de Bellini. Na evolução, o perfume se torna atalcado, para finalmente concluir com um suave fundo de sândalo, âmbar e musk. Elegância e feminilidade.

212VipRosé42. 212 Vip Rosé (Carolina Herrera, 2014). Enquanto o 212 Vip tradicional exala um aroma inebriante de coquetel tropical, a versão floral adota o tema do champagne rosé. Na saída, aldeídos e frutas formam uma atmosfera borbulhante, anunciando o centro de flor de pêssego. A base fica a cargo de madeiras nobres, âmbar e musk. Durante o dry-down, a composição vai ficando cremosa e adquire um aroma de sabonete de rosas. Bem mais discreto e romântico que o original.

MDBlooming43. Miss Dior Blooming Bouquet (Dior, 2014). A versão Blooming Bouquet foi criada especialmente para mulheres que não gostam da potência da base de patchouli no Miss Dior tradicional. Para atenuar a nota amadeirada, é introduzida a nota de peônia, que tem como característica sua delicadeza com substância. A rosa damascona de odor suculento interage lindamente com a peônia, criando a sensação luminosa e refrescante de início de primavera. Blooming Bouquet é um perfume simples e delicado, feito para o dia a dia.

CandyFlorale44. Candy Florale (Prada, 2014). Para quem acha o Candy original com muita cara de confeitaria, talvez valha a pena provar a versão floral. Aqui o perfume abre com uma nota alcoólica de limoncello, anunciando um coração delicado de peônia. Para manter a identidade, Candy Florale conta com uma base de caramelo, mel, benjoim e musk. O flanker assume uma aura mais romântica e madura com as nuances cítrica e soapy, tornando-se menos gourmand e mais confortável.

VeryIrrésistibleRose45. Very Irrésistible L’Eau en Rose (Givenchy, 2014). Para valorizar a nota de rosa, Very Irrésistible L’Eau Rose deixa de lado o anis, verbena e outras notas florais. O acréscimo de amora acentua a faceta suculenta da flor, enquanto a base de musk reforça seu lado aveludado. O perfume abre com um enorme aroma rosáceo, com apenas nuances da nota frutada. Ao evoluir, a composição ganha um aspecto soapy e feminino, com o musk ajudando a trazer conforto.

LEaudIsseyLotus46. L’Eau d’Issey Lotus (Issey Miyake, 2014). Para acentuar seu caráter mais aquoso e cristalino, L’Eau d’Issey Lotus deixa de lado diversas notas florais e frutadas do original, como cravo, rosa, lírio-do-vale, melão e damasco. Agora a composição é feita em torno da nota de flor de lótus, recortada de flores luminosas como jacinto e jasmim. As notas aquáticas são mais intensas, assim como a base é mais limpa e seca com madeiras nobres e musk. Ótimo para refrescar num dia de calor.

BeDeliciousBlossom47. Be Delicious City Blossom Rooftop Peony (Donna Karan, 2014). Para amadurecer e romantizar a fragrância original, Donna Karan introduz um flanker focado no dueto rosa-peônia. Na saída, Be Delicious Blossom Rooftop Peony exala um acorde fresco e frutado de mandarina, cassis e flor de maçã. O destaque fica para o centro de rosa, peônia e framboesa, dando um toque mais sensual sem perder inocência. A base de sândalo e âmbar confere um delicioso rastro cremoso.

RoseAmazone48. Rose Amazone (Hermès, 2014). Quarenta anos depois do lançamento do original, Rose Amazone abandona a faceta aldeídica e musgosa old school para se modernizar com ênfase na baunilha e notas frutadas. O perfume abre cítrico e doce como groselha, em seguida apresentando um aroma de rosa com frutas vermelhas. Notas de madeiras nobres, âmbar e baunilha finalizam a composição. Rose Amazone é certamente mais vibrante e jovial, feito para moças elegantes.

FlowerEDT49. Flower in the Air (Kenzo, 2014). Treze anos depois do enorme sucesso de Flower, o designer japonês lança sua versão mais floral e menos oriental com o nome de “Flower in the Air”. O aroma quente, doce e atalcado do original agora ganha frescor e leveza com uma estrutura minimalista. Na saída, Flower in the Air exibe notas de pera e toranja, em seguida revelando um acorde central de rosa e lírio-do-vale. Sem baunilha e sem incenso, o perfume finaliza apenas com musk.

CabotineFloralie50. Cabotine Floralie (Grès, 2014). Esta criação da perfumista Christine Nagel é um floral aveludado com traços frutados. A partir de uma saída refrescante de limão siciliano, folhas verdes, cassis, frésia e notas marinhas, Cabotine Floralie mostra um acorde central de rosa e lírio-do-vale, acompanhado de um macio toque de pêssego. Para preservar sua transparência e suavidade, Cabotine Floralie é suportado por uma base de cedro e musk.

JourDHermèsGardénia51. Jour d’Hermès Gardénia (Hermès, 2015). Se Jour d’Hermès é um equilíbrio perfeito entre flores brancas e notas cítricas, aquáticas e verdes, esta versão explora a profundidade floral do perfume. É como se a fórmula tradicional fosse totalmente preservada, apenas se reforçando com a cremosidade da tuberosa, a beleza da rosa e o efeito carnal do jasmim. Tudo isso expande ainda mais o papel luminoso e feminino da gardênia dentro da composição.

JimmyChooBlossom52. Jimmy Choo Blossom (2015). O flanker de Flash, lançado em 2013, troca as notas de morango, amêndoas e flores brancas por framboesa, cranberry e rosa. Assim, Jimmy Choo Blossom se apresenta mais jovial e lúdico, bem apropriado para meninas adolescentes. Infelizmente é uma fragrância que não se destaca apesar de sua boa vontade.

EquipageGéranium53. Équipage Géranium (Hermès, 2015). Eis que Hermès decide ressuscitar o saudoso Équipage de 1970. O fougère oriental com aspecto oleoso ganha uma moderna versão de gerânio com especiarias. Tomando como base a essência do original, Équipage Geranium propicia uma atmosfera mais seca, floral e arejada. A composição abre gelada e especiada, passando por um clima soapy e musgoso de barbearia, para então concluir com uma sofisticada base de vetiver e couro. Ainda que mais contemporâneo, Équipage Géranium mantém o estilo old school do original.

BritRhythmFloral54. Brit Rhythm for Her Floral (Burberry, 2015). Enquanto Brit Rhythm é um inofensivo floral atalcado e musky, com nota marcante de lavanda, o flanker aumenta a dose floral e introduz notas frutadas. Com uma saída cítrica e frutada (maracujá, pêssego e melão), Brit Rhythm for Her Floral desabrocha um buquê macio e cintilante de lilás, flor de lótus, jasmim e lírio-do-vale. Desta vez, a composição incorpora uma nota de caramelo à base amadeirada e musky. Mais potente, floral e doce.

PinkFlower55. Pink Flower (Aquolina, 2015). Dez anos depois do lançamento do algodão doce frutado, Aquolina lança um flanker menos doce e mais sério. Seguindo o gênero chipre moderno, Pink Flower se desenvolve sobre uma base de patchouli e baunilha, comportando um exuberante buquê de rosa, flores brancas e pimenta preta. O topo de cítricos e framboesa preserva a identidade da versão tradicional. Resta saber se os fãs da marca vão aderir a uma fragrância com menos cheiro de bala.

AdGJasmine56. Acqua di Gioia Jasmine (Armani, 2015). Acqua di Gioia ficou famosa por seu acorde de menta e açúcar que lembra daquelas pastilhas de morder. Desta vez, a composição fica mais intensa com uma saída fresca e amarga de toranja, maçã verde, folha de violeta e gálbano, um coração de jasmim e uma base de açúcar queimado e musk. Acqua di Gioia Jasmine preserva o estilo aquático, reforçando a faceta floral, além de tornar o perfume mais frutado com a nota de maçã verde.

PleasuresFlorals57. Pleasures Florals (Estée Lauder, 2015). Como pode Pleasures ser ainda mais floral? Não pode, mas dá para refazer o perfume com outras notas. Pleasures Florals é mais cítrico e herbáceo com uma saída de laranja, mandarina e calêndula, antes de revelar um buquê de flores brancas (jasmim, madressilva e lírio aquático). Além de madeiras nobres e musk, a base recebe uma nota sensual de âmbar com nuances animálicas. Pleasures Florals é uma versão menos inocente e mais carnal.

OscarFlor58. Oscar Flor (Oscar de la Renta, 2015). O icônico perfume de 1977 agora foca num centro floral frutado recortado de notas frescas e verdes. Com uma saída de cassis, néroli e hera, Oscar Flor exibe um coração tropical de lichia, manga, peônia e jasmim. Durante o dry-down, a composição esquenta sobre uma base polvorosa de fava tonka e musk. Oscar Flor se distancia completamente do original, tornando-se um perfume refrescante para o dia a dia, bastante casual e dinâmico.

DiamondsViolet59. Diamonds Violet (Armani, 2015). Continuando com versões florais de seu best-seller Diamonds, a grife Emporio Armani desta vez mantém o estilo gourmand do original, incrementado a composição com notas polvorosas e tropicais. Com uma saída suculenta de lichia, maracujá e framboesa, Diamonds Violet segue com um buquê de violeta, lírio-do-vale e rosa, formando um aspecto de xampu. No entanto, a base emerge com notas de baunilha e chocolate ao leite, produzindo um aroma delicioso e confortável de banho tomado.

KnotEauFlorale60. Knot Eau Florale (Bottega Veneta, 2015). Enquanto a versão tradicional é mais ousada, focada no acorde néroli-lavanda-tonka, o flanker floral enfatiza o buquê de rosa e peônia no centro da composição. Desta forma, Knot Eau Florale mantém o lado refrescante do original, porém tornando-o mais feminino, polvoroso e romântico. Certamente mais usável e fácil de agradar.

ÉclatFleurs61. Éclat de Fleurs (Lanvin, 2015). Este flanker do floral delicado Éclat d’Arpège, introduzido em 2010, se concentra num acorde floral frutado constituído de notas de pera, frésia, jasmim e rosa. Na base, sândalo e musk ficam encarregados de dar uma textura macia e cremosa à composição. Éclat de Fleurs (ou “brilho de flores”) resulta num aroma feminino, delicado e refrescante.

LaVieEstBelleFloralle62. La Vie Est Belle Florale (Lancôme, 2016). Oferecida na concentração eau de toilette, La Vie Est Belle Florale ameniza seu aspecto fortemente doce e xaroposo com uma saída de bergamota, frésia, cassis e pimenta rosa. O perfume incorpora em seu coração um rico e equilibrado buquê de rosa, íris, violeta, osmanthus, jasmim, magnólia, flor de laranjeira e mimosa. Na secagem, o acorde base de patchouli, âmbar e musk se torna evidente. Bem mais sofisticado que o original La Vie Est Belle.

LeParfumRoseCouture63. Elie Saab Le Parfum Rose Couture (Elie Saab, 2016). Tomando a concentração de eau de toilette, Francis Kurkdjian deu à versão Elie Saab Le Parfum EDT um tom mais leve e rosáceo. Elie Saab Le Parfum Rose Couture abre de imediato com um imenso buquê floral de flor de laranjeira, peônia, rosa e jasmim enriquecido com nuances cítricas e frutadas. No dry-down, uma base de sândalo, patchouli e baunilha contribui para manter a intensidade da nota principal de rosa com muita elegância, sem cair na vulgaridade.

DolceRosa64. Dolce Rosa Excelsa (Dolce & Gabbana, 2016). Com mais este flanker, Dolce & Gabbana deixa claro que sua criação Dolce (lançada em 2014) se tornou um dos pilares na sua linha de perfumes. Ainda que a composição siga com o gênero floral aquático do original, Dolce Rosa Excelsa coloca suas flores aquosas e luminosas como coadjuvantes e insere uma elegante nota de rosa como protagonista. Um acorde de néroli e flor de mamão abre a fragrância, que conclui com um dry-down macio e confortável de sândalo, camurça e musk. O resultado é uma rosa orvalhada e delicada.

RoseMusc65. Rose Musc (Narciso Rodriguez, 2016). Seguindo com sua bem-sucedida estratégia de lançar flankers do hit comercial Narciso Rodriguez for Her, a grife agora investe numa variação dedicada à rosa, além do almíscar sintético – DNA da marca. Rose Musc é um floral almiscarado que abre com um acorde de macio de rosa e musk, acompanhado de especiarias como açafrão e pimenta preta. No dry-down, notas de patchouli, labdanum e madeiras nobres ficam mais evidentes. Fãs dos perfumes de Narciso Rodriguez não devem perder a oportunidade.

SìRoseSignature66. Sì Rose Signature (Armani, 2016). Seguindo a tendência de flankers com o tema da nota de rosa, Sì Rose Signature retrabalha seu original acorde de cassis, patchouli e baunilha para incorporar a rainha das flores. Mais cítrica e menos doce, mais sofisticada e menos lúdica, a fragrância talvez agora agrade quem rejeitou a ousada versão tradicional de Sì. Por outro lado, Sì Rose Signature acaba se tornando mais comum, perdendo a originalidade da proposta inicial de Armani. De fato, um perfume mais usável e versátil.

LÊxtaseCaresse67. L’Extase Caresse de Roses (Nina Ricci, 2016). O novo pilar de Nina Ricci – L’Extase (lançado em 2015) – ganha uma variação com foco na nota de rosa. Este primeiro flanker da série, que promete muitos outros, troca o aspecto frutado e caramelizado do original por uma rosa macia e aveludada. O perfumista Francis Kurkdjian se inspirou num corpo feminino nu, para tanto incorporando notas de peônia, violeta e musk. Macio e sensual.

illicitflower68. Illicit Flower (Jimmy Choo, 2016). Um ano depois do lançamento do original, o designer inglês de descendência malaia lança um flanker com foco num buquê de jasmim e flor de laranjeira – flores que já estavam contidas na versão tradicional, porém “apagadas” por uma alta dose de mel e caramelo. Illicit Flower, ao contrário, é mais simples, abrindo com um acorde de mandarina e damasco, e concluindo com uma base de almíscares sintéticos.

rosegoldea69. Rose Goldea (Bvlgari, 2016). Segundo a marca, depois do grande sucesso de Goldea (“a deusa do ouro”), o foco foi na “intoxicante doçura das exóticas flores de ylang-ylang se misturando com flores brancas elegantes de jasmim e néroli, enquanto o calor vem das nuances cremosas de musk de Goldea.” Rose Goldea abre com bergamota e romã, finalizando com um fundo de sândalo, incenso e baunilha.

chloefleurparfum70. Chloé Fleur de Parfum (Chloé, 2016). Oito anos depois deste marco na história de perfumes à base de rosa, Chloé Fleur de Parfum mantém o foco na rosa acompanhada de uma atmosfera polvorosa. Aqui, os perfumistas Michel Almairac e Mylène Alran tentaram reproduzir a flor na sua fase de florescência. Notas adicionais de verbena, flor de cerejeira e arroz foram acrescentadas ao flanker.

missdiorabsolutelyblooming71. Miss Dior Absolutely Blooming (Dior, 2016). Composto por François Demachy, Miss Dior Absolutely Blooming é um flanker de um flanker. Segundo a Dior, trata-se de um perfume concebido “mais sexy, mais passional e mais moderno, com três camadas: frutas vermelhas, rosa de Grasse e peônia, e almíscar sintético branco”. O perfume é dedicado às mulheres alegres que adoram viver a vida.

Veja também:

Diversos

Intensos

Sensuais

Elixires

Madeiras/Couro

Oud

Frescos

Aquáticos

Sport

Summer

Ed. Limitada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s