Glossário de Perfumês

Este glossário reúne os termos do “perfumês” mais frequentemente mencionados neste site e está dividido em quatro partes: conceitos básicos, aspectos e/ou características, notas e/ou matérias-primas e termos em francês. Refira-se sempre a esta seção quando quiser tirar dúvidas sobre algum termo desconhecido.

3bed40f2d1c344f5b231605191e714c02

Absoluto – matéria-prima obtida por meio de solvente, tipicamente extraída de flores.

Acorde – combinação de duas ou mais notas que perdem sua identidade individual para criar uma identidade olfativa totalmente nova e única.

Anosmia – inabilidade de sentir odores, temporária ou permanentemente, geral ou específica.

Aromático – na perfumaria é o adjetivo usado para descrever fragrâncias com odor fresco, verde e agradável que remetem à natureza.

Bálsamo – resina aromática secretada por árvores, por exemplo incenso.

Chipre – acorde criado com notas de bergamota, labdanum e musgo de carvalho e/ou patchouli.

Compartilhável – adjetivo usado para descrever um perfume que pode ser usado por homens ou mulheres; unissex.

Connoisseur – pessoa que tem grande grau de conhecimento em determinado assunto, no caso a perfumaria.

Descontinuado – adjetivo usado para descrever uma fragrância que parou de ser fabricada.

Designer – na perfumaria refere-se a criações de marcas de roupas, joias e acessórios em que, geralmente, a fragrância não é o produto principal da marca.

Dry-down – período em que o perfume está secando na pele, dominado por notas de fundo; secagem.

Eau de cologne (EDC) – solução alcoólica de perfume com menos de 5% de concentração.

Eau de toilette (EDT) – solução alcoólica de perfume com 5-10% de concentração.

Eau de parfum (EDP) – solução alcoólica de perfume com 10-15% de concentração.

Extrato (ou parfum) – solução alcoólica de perfume com 15-25% de concentração.

Fixação – capacidade de um perfume de permanecer ativo na pele.

Flanker – derivação de um perfume que aproveita o sucesso de um best-seller, podendo manter a identidade ou não da fragrância, podendo ser temporário ou permanente.

Fougère – samambaia em francês; acorde criado com notas de lavanda, cumarina e musgo de carvalho geralmente acompanhadas de notas cítricas e/ou mentoladas.

Guerlinade – acorde DNA da casa Guerlain; consiste de notas de bergamota, jasmim, rosa, flor de laranjeira, íris, fava tonka e baunilha.

Hype – atenção exagerada dada a algo.

IFRA – Associação Internacional de Fragrâncias; órgão regulador da indústria da perfumaria em escala global.

Maceração – processo através do qual componentes químicos são mantidos em ambiente estável para que interajam entre si; a maceração é parte fundamental na criação de um perfume – neste período ocorrem várias reações em nível molecular que alteram o resultado final.

Nicho – segmento da perfumaria geralmente composto por pequenas casas de fragrâncias sob o nome de um perfumista que coordena e controla todo o processo, desde a criação à distribuição.

Nota – menor unidade de odor, podendo geralmente ser uma flor, uma fruta, uma erva, uma madeira, uma resina ou uma especiaria.

Notas de cabeça (ou de saída) – a primeira fase na evolução de uma fragrância depois de aplicada sobre a pele; são as notas mais voláteis da composição (geralmente cítricas e/ou herbáceas).

Notas de coração (ou de corpo) – a segunda fase na evolução de uma fragrância depois de passada a fase inicial de evaporação; correspondem ao verdadeiro caráter da composição.

Notas de fundo (ou de base) – a terceira e última fase na evolução de uma fragrância depois de diversas horas de interação com a pele; são as notas menos voláteis da composição (geralmente amadeiradas e/ou ambaradas).

Layering – termo inglês (layer significa camada) usado para descrever o uso simultâneo de uma ou mais fragrâncias.

Pirâmide olfativa – estrutura de um perfume que organiza as notas de cabeça, corpo e fundo em três fases.

Projeção – capacidade de um perfume de exalar.

Secagem – sinônimo de dry-down.

Silagem – rastro deixado por um perfume.

Storytelling – termo inglês sinônimo de narrativa; técnica de promoção que busca a conexão emocional com potenciais consumidores através do compartilhamento de valores, aspirações e fantasias.

Vibe – termo em inglês sinônimo de aspecto.

Vintage – “emprestado” dos vinhos, que maceram por anos e até décadas, na perfumaria é um adjetivo usado para descrever uma fragrância antiga, mas na prática usado para descrever uma versão anterior a uma reformulação.

EH0860_Color-Palette

Adstringente – característica do odor que irrita e/ou contrai a mucosa nasal.

Aldeídico – rico em aldeídos e com aspecto soapy (saponáceo), limpo e sofisticado.

Almiscarado – rico em almíscares sintéticos (musks) e com aspecto suave e aconchegante similar ao de amaciante de roupas.

Ambarado – que remete ao acorde âmbar; de odor quente, encorpado, amadeirado e levemente doce.

Animálico – rico em notas animálicas como civet, castoreum, âmbar gris e indol, que isoladas têm aspecto fétido e desagradável.

Aquático – aspecto criado por moléculas sintéticas para reproduzir o aspecto fresco, aquoso e translúcido de mar ou piscina.

Atalcado – quase sinônimo de polvoroso, porém tipicamente rementendo a íris, violeta e lavanda (ingredientes muito usados em talcos).

Balsâmico – característica de fragrâncias à base de resinas vegetais tais como bálsamo tolu e com aspecto quente, encorpado, amadeirado e defumado.

Boozy – com cheiro de bebida alcoólica.

Canforado – aspecto fresco, limpo e gelado produzido por notas como eucalipto, alecrim e outras notas herbáceas.

Cremoso – aspecto que remete a algo derivado do leite, denso, levemente adocicado, produzido por notas que vão desde a tuberosa ao sândalo indiano.

Defumado ou Esfumaçado – característica de perfumes que remetem a odor queimado, produzido por notas como vetiver, incenso ou couro.

Especiado – que remete a especiarias; picante.

Funcional – característica de fragrâncias que lembram o odor de produtos de limpeza (como amaciante de roupas e desinfetante) ou de higiene pessoal (como pasta de dente e xampu).

Gourmand – fragrância com aroma de guloseimas tais como chocolate, algodão-doce e confeitos em geral.

Herbáceo – aspecto natural folhoso, seco e marcante que remete a ervas como manjericão e sálvia.

Lactônico – rico em lactones (moléculas presentes no leite e no pêssego) e com aspecto frutado-cremoso.

Licoroso – que remete ao aroma de licor; denso, doce e cremoso.

Medicinal – que remete ao aroma de remédios; denso, amargo e narcótico.

Metálico – aspecto sintético, brilhante e incisivo que remete a sangue (rico em ferro) ou outros componentes químicos como alumínio, platina e mercúrio.

Narcótico – característica do odor que anestesia ou inebria o olfato.

Resinoso – rico em notas de resinas vegetais tais como labdanum e estoraque e com aspecto quente, encorpado, amadeirado e levemente doce.

Ozônico – quase sinônimo de aquático, porém sem a faceta salina (marinha).

Polvoroso – que remete a talco ou maquiagem; aspecto “fofo” geralmente criado por notas de íris e/ou baunilha.

Musgoso – aspecto herbáceo, terroso e úmido que remete a musgos e líquens.

Pinhoso – aspecto canforado e amadeirado que remete a agulhas de pinho.

Soapy – característica de fragrâncias que remetem a sabonete (tipicamente ricas em aldeídos); saponáceo.

Verde – que remete a plantas, vegetais e ervas com aroma terroso, seco e fresco.

Notes2

Acácia – flor de aspecto melífluo e plástico que remete ao odor de pólen com mel; também conhecida como mimosa.

Açafrão – nota especiada obtida a partir do estigma da flor de açafrão e com aroma levemente especiado e melífluo, entre feno e tabaco; usada para produzir a nota fantasia de couro.

Alcaçuz – raiz aromática com aspecto agridoce e canforado devido à grande quantidade de anetol (principal componente do anis).

Almíscar – originalmente extraído do veado almiscareiro himalaio e com odor similar ao da pele de um bebê; atualmente é substituído por moléculas sintéticas para criar um aspecto de maciez e limpeza.

Âmbar – acorde de componentes sintéticos e naturais construído ao redor de labdanum, benjoim e baunilha; tem odor quente, encorpado e amadeirado.

Âmbar gris – secreção estomacal expelida pela cachalote devido à má digestão de crustáceos (principalmente lula); comumente encontrada na forma sintética devido à demora em encontrá-lo na praia depois de anos boiando no mar e sendo curado pelo sol; tem um odor quente, radiante, macio, marinho e levemente fecal.

Benjoim – resina aromática extraída da árvore estoraque com odor rico, quente e levemente doce e amanteigado.

Bergamota – fruta cítrica não-comestível (embora em algumas regiões do Brasil seja sinônimo de mexerica) de odor fresco e levemente doce; usada para compor fragrâncias cítricas e chipres ou para dar brilho às composições em geral.

Calêndula – flor de odor herbáceo e terroso com nuances de feno e mel.

Calone – molécula sintética produzida para criar a ilusão de brisa marinha.

Cassis – nota que pode ser trabalhada como frutada (doce e suculenta) ou verde (seca e fresca).

Castoreum – secreção do castor canadense com um odor oleoso entre couro e azeitona, parecido com o odor do couro cabeludo.

Cíclame – flor de odor similar a rosa, porém mais fresca.

Civet – secreção de um felino selvagem africano com um odor forte e desagradável que lembra fezes de cavalo; é usado em minúsculas quantidades para dar um aspecto mais natural e orgânico a fragrâncias tipicamente florais.

Cumarina – componente extraído da fava tonka (o nosso cumaru) que tem um odor entre de baunilha e amêndoas; combinado com lavanda produz o acorde fougère.

Estoraque – resina aromática de odor similar a benjoim, porém menos doce e mais picante.

Fava tonka – semente da Dipteryx odorata, planta originária do norte da América do Sul (aqui chamamos de cumaru), com odor de baunilha, aspecto amendoado e levemente especiado.

Flor de laranjeira – flor da árvore de laranja amarga cujo odor é cítrico e floral, entre laranja e jasmim.

Flor de Lótus – nota fantasia com aspecto fresco, aquoso e etéreo.

Frésia – nota fantasia criada para produzir um aroma verde e fresco, levemente picante e que ligeiramente remete a morangos.

Gálbano – planta cuja goma é destilada para a obtenção de uma nota seca e terrosa que remete ao aroma de cenoura e talo de alface; usada para produzir um efeito verde e fresco.

Gardênia – flor com odor inebriante e fresco, muito popular nos perfumes mais modernos como alternativa ao jasmim.

Gerânio – flor com aroma similar ao da rosa (que contém grande quantidade de geraniol em sua estrutura), porém com aspecto mais verde e mentolado.

Hedione – molécula sintetizada a partir do jasmim para produzir um aroma luminoso e fresco.

Heliotrópio – flor de odor polvoroso que remete a baunilha e amêndoas; pode ser usada como substituto da lavanda para compor o acorde fougère.

Immortelle – nota caramelizada com nuances de feno, curry e amêndoas tostadas.

Indol – molécula presente em flores brancas como tuberosa e jasmim; seu odor isolado é fétido e marcante, com traços animálicos.

Íris – flor de aspecto verde e polvoroso levemente doce e amadeirada que remete a talco e maquiagem; sua nota é obtida da raiz (orris) através de extração por CO2; é a matéria-prima mais cara da perfumaria.

Jacinto – flor de odor intoxicante e marcantemente verde.

Jasmim – flor branca com odor narcótico, doce, plástico e levemente animálico, podendo ter aspecto mais verde e arejado na forma sintética.

Labdanum – resina aromática extraída do arbusto esteva com odor amargo e medicinal que remete a própolis; componente do acorde chipre clássico.

Lavanda – flor que produz uma nota aromática de tom fresco e levemente amendoado muito comum em fragrâncias masculinas; juntamente com a cumarina e o musgo de carvalho compõe o acorde fougère clássico; sinônimo de alfazema.

Lilás – flor com aroma leve, fresco e macio de aspecto atalcado, similar a íris e violeta, porém mais verde.

Lírio-do-vale – flor branca com odor limpo e brilhante semelhante ao do jasmim, porém sem a nuance indólica.

Madressilva – planta ornamental com inflorescência em forma de trombeta, cujo odor é floral com nuances de mel e polpa de fruta.

Magnólia – flor com aroma ceroso e fresco com tons cítricos.

Mirra – resina aromática extraída de uma árvore conífera com odor quente, fofo e levemente frutado.

Muguê – sinônimo de Lírio-do-vale.

Musgo de carvalho – obtido através do líquen das árvores de carvalho; devido a regulamentações, seu uso é bastante restrito em sua forma natural.

Narciso – flor de odor inebriante e narcótico com nuances verde e doce.

Musk – almíscar em inglês.

Néroli – óleo da flor de laranjeira de odor cítrico e amargo extraído pelo método da destilação a vapor; a nota de flor de laranjeira em si é produzida através da extração à base de solventes.

Olíbano – resina aromática extraída da árvore Boswellia encontrada no Oriente Médio; usada também para compor a nota de incenso, tem um odor canforado, picante e esfumaçado.

Opoponax – também conhecido como mirra doce, é uma resina aromática com odor ligeiramente similar ao caramelo.

Osmanthus – inflorescência com aroma suculento e lactônico que remete a damasco.

Oud (Agarwood) – resina aromática produzida pela árvore Aquilaria quando é atacada por fungos; nota de tom denso, medicinal e narcótico usada para compor fragrâncias amadeiradas marcantes e opulentas.

Patchouli – arbusto originário da Malásia e Índia cujas folhas têm odor amadeirado, mofado, levemente picante e canforado, remetendo a terra quente e chocolate amargo.

Pau-rosa – madeira de origem amazônica em risco de extinção com odor delicado que remete a rosas.

Peônia – nota fantasia floral de aroma similar ao da rosa, porém mais fresca.

Rosa – rainha das flores, com 17 variáveis ao redor do mundo, pode ter um tom leve próximo a chá ou mais suculento e frutado (este mais comum na perfumaria moderna).

Sândalo – madeira de origem indiana de odor lactônico e cremoso (o sândalo canadense é mais seco como o cedro).

Tuberosa – flor branca com odor altamente indólico; foi uma nota muito popular nos anos 80 devido à sua potência de exalação; muito conhecida no Brasil por angélica.

Vetiver – capim nobre de raízes fibrosas com odor amadeirado terroso, amargo e defumado; existem tipos diferentes de vetiver, cada um puxando mais para uma faceta, dependendo das características do solo onde é cultivado (os mais famosos são originários do Haiti e Indonésia).

Violeta – flor com aspecto polvoroso que remete a maquiagem; compõe juntamente com a rosa o acorde clássico do batom (a folha de violeta, no entanto, é usada para emular o odor ozônico).

Ylang-ylang – flor amarela com aroma denso, narcótico e doce com traços de jasmim e banana; mais comumente usada em fragrâncias old-school.

Zimbro – fruto parente do mirtilo e com odor picante e envelhecido; usado para fazer gin.

France2

Agrume – cítrico

Ambré – ambarado

Bois – madeira

Boisé – amadeirado

Charnel – carnal

Cassie – acácia (mimosa)

Cèdre – cedro

Cerise – cereja

Chêne – carvalho

Chérie – doce

Citron – limão

Clou de girofle – cravo-da-índia

Coeur – coração

Cuir – couro

Eau – água

Eaux – águas (colônias)

Éclat – brilho

Épice – especiaria

Épicé – especiado

Essence – essência

Été – verão

Fleur – flor

Fleur d’oranger – flor de laranjeira

Fougère – veja na primeira parte

Fraîche – fresco

Fraise – morango

Fumé – esfumaçado

Gris – cinza

Hespéride – cítrico

Hiver – inverno

Huille – óleo

Jour – dia

Légère – leve

Minuit – meia-noite

Mousse – musgo

Muguet – lírio-do-vale

Musc – almíscar

Nez – nariz

Noir – preto

Nuit – noite

Oeillet – cravo (flor)

Ombre – sombra

Or – ouro

Orange – laranja

Pamplemousse – toranja (grapefruit)

Pêche – pêssego

Poivre – pimenta

Poivré – apimentado

Poudré – polvoroso (atalcado)

Pour – para

Prune – ameixa

Réglisse – alcaçuz

Rouge – vermelho

Salé – salgado

Santal – sândalo

Sel – sal

Soir – fim da tarde / começo da noite

Sucre – açúcar

Sucré – açucarado

Thé – chá

Très – muito

Vanille – baunilha

Vert – verde

Zeste – casca de fruta cítrica

Ficou mais curioso? Compre os meus Guias de Perfumes.

Próximo: Conceitos Básicos

13 pensamentos sobre “Glossário de Perfumês

  1. Pingback: Boisé Vanille, Montale |

  2. Pra mim foi de suma importância essa pesquisa, tendo em vista que trabalho na área de vendas de produtos e perfumarias

  3. Esse site é excelente! Rico em conteúdo, parabéns pelo trabalho impecável!
    Poderiam colocar no Glossário de perfumês o significado ou o que seria o guáiaco?

  4. Olá! Estou impressionada com a quantidade e, principalmente, com a qualidade do seu conteúdo! Parabéns! Sua postagem foi uma das mais completas que encontrei até agora na minha pesquisa (comecei um canal no YouTube sobre perfumaria e estou buscando me informar pra fazer bons vídeos). Um beijo! Morena da Mata

  5. Oi, gosto muito do seu glossário! Parabéns! Queria saber se seria correto usar o termo “viciante” em relação a perfumes. Ou seria preferível usar a palavra “inebriante”. Obrigada!

    • Obrigado! Eu acho os dois corretos. Inebriante é quando te deixa embriagada, em êxtase. Viciante é quando vc quer usar sempre, ou até mesmo quando não para de cheirar onde aplicou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s