Nicho Grooming

NichoGroomingDesde o início da perfumaria moderna, a associação entre higiene pessoal e fragrância já existia, especialmente no mercado masculino. Tudo bem que não se falava em perfumes altamente concentrados, mas sim colônias leves que poderiam ser usadas como “splash” depois de se pentear os cabelos e fazer a barba. Em inglês, usa-se o termo “grooming” para descrever atividades de cuidados pessoais mais voltadas para o asseio do que para a estética. Ou seja, um termo mais masculino que feminino. As casas inglesas Atkinsons, Geo. F. Trumper e Truefitt & Hill foram pioneiras nesse segmento, começando como salões de barbearia até passar a oferecer uma linha completa de pincéis e barbeadores a loções pós-barba e fragrâncias. Inicialmente focando em composições cítricas e fougères, ricas em ervas finas, flores suaves e madeiras nobres, as fragrâncias de marcas de grooming foram aos poucos evoluindo, ficando cada vez com mais cara de perfume, além de estender suas linhas para produtos de banho e até mesmo para a casa. Muitas delas sobreviveram por mais de um século, conquistando um público fiel e cativo de senhores elegantes e tradicionais.

Nota: Para perfumes lançados de 2015 em diante, consulte Lançamentos de Nicho.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

goldmedal1. Gold Medal (Atkinsons, 1799). Essa antiga colônia de Atkinsons recebeu a medalha de ouro na Paris Universal Exhibition de 1878, quando foi renomeada. A composição é feita em torno da efervecente nota de néroli, enriquecido com um topo de bergamota natural e um fundo de almíscar sintético. Gold Medal é uma fragrância pura, limpa e fresca.

18052. 1805 (Truefitt & Hill, 1805). A fragrância 1805 é um tributo ao ano de fundação da marca inglesa Truefitt & Hill. Trata-se de um cítrico aromático potente com uma saída efervescente de bergamota, mandarina, cardamomo. O corpo da composição é formado por lavanda, gerânio e sálvia, apoiado sobre um fundo de cedro, sândalo e musk. Fresco, porém marcante, especialmente pela notável adição de gerânio.

freshman3. Freshman (Truefitt & Hill, 1815). Uma colônia bastante elaborada, Freshman reúne acordes cítricos, aromáticos, florais e amadeirados. Para começar, o perfume abre com bergamota, limão e alecrim, anunciando um centro de sálvia, jasmim e lírio-do-vale. O dry-down fica por conta de um manto de madeiras nobres, âmbar e musk. Extensivamente comparado a Cool Water de Davidoff.

spanishleather4. Spanish Leather (Truefitt & Hill, 1830). Ainda numa época pré-sintéticos, a casa inglesa conseguiu produzir uma fragrância com o tema fantasia de couro, provavelmente usando óleo essencial de bétula (couro russo). Intenso e marcadamente viril, Spanish Leather agrega também notas especiadas e amadeiradas para produzir uma atmosfera seca, quente e esfumaçada.

westindianlimes5. West Indian Limes (Truefitt & Hill, 1870). Fresco, ácido e borbulhante, West Indian Limes, como o próprio nome sugere, foca num acorde cítrico composto por limão siciliano, limão tahiti e bergamota. O coração da fragrância consiste de capim limão, néroli e petitgrain, com uma base de flor de laranjeira e cravo-da-índia. De curta duração, trata-se de uma colônia feita para revigorar.

wildfern6. Wild Fern (Geo. F. Trumper, 1877). Com o nome de “samambaia selvagem”, esta colônia segue o estilo aromático verde – só não podendo ser chamada de fougère por ter sido anterior ao uso da cumarina em perfumes. Wild Fern abre com notas de bergamota, lavanda, alecrim e manjericão. Em seguida, a composição revela um centro de samambaia, gerânio e cravo, finalizando com um fundo de patchouli, musgo de carvalho, sândalo e almíscar.

marlborough7. Marlborough (Geo. F. Trumper, 1877). Na forma de um amadeirado aromático, a colônia Marlborough reúne notas de limão, bergamota, lavanda, gerânio, sândalo e cedro. Depois da abertura de lavanda, a composição forma uma atmosfera fresca, limpa e soapy graças ao gerânio. Marlborough dura mais do que o esperado de uma colônia tão transparente.

extractoflimes8. Extract of Limes (Geo. F. Trumper, 1880). Colônia alguma poderia ser mais simples que essa – limões, limões e limões. E do tipo tahiti, ou seja, ácido. Fresco, natural e revigorante, Extract of Limes funciona mais como uma loção aftershave, pois desparece completamente depois de uma hora.

curzon9. Curzon (Geo. F. Trumper, 1882). Uma das colônias mais populares de Geo. F. Trumper é este chipre verde de nuances especiadas. Curzon abre potente com bergamota, zimbro e cominho. Logo em seguida, a composição adentra um coração de gerânio, sustentado sobre um fundo de labdanum, feno, patchouli, musgo de carvalho e tabaco. Recomendado para quem gosta dos “musgosos”.

spanishleathercologne10. Spanish Leather (Geo. F. Trumper, 1902). Esta fragrância com o tema clássico de couro tem uma saída refrescante e luminosa de gerânio, que logo dá caminho para um coração de rosa e patchouli, tornando-se levemente soapy. Finalmente, o acorde base de couro e musk emerge, completando a atmosfera old school da colônia. Spanish Leather é feita para os homens tradicionais.

EnglishLavender11. English Lavender (Atkinsons, 1910). Curiosamente classificado como um chipre feminino, English Lavender é uma das colônias à base de lavanda mais tradicionais no universo masculino. Depois de uma espetacular saída cítrica e herbácea de bergamota, alecrim e sálvia, a nota principal vai ao encontro de uma base de madeiras nobres, resinas e almíscar. O resultado é uma fragrância suave e amadeirada que deixa um rastro soapy e musky. Linear e minimalista, porém incrível.

Eucris12. Eucris (Geo. F. Trumper, 1912). Eucris é uma típica colônia ao estilo britânico, reunindo especiarias e ervas finas, tabaco, couro, musgo de carvalho e madeiras nobres. Tudo isso resulta num aroma ultramasculino com traços picantes, herbáceos e esfumaçados. A nota de musgo de carvalho é particularmente evidente, conferindo um aspecto rústico e austero. A mistura de lavanda com especiarias remete a barbearia, enquanto o acorde de flores brancas invoca a elegância de um lorde inglês. Na secagem, Eucris é musgoso e musky com nuances de couro e incenso.

royalbriar13. Royal Briar (Atkinsons, 1941). Diferente do que você poderia esperar de uma fragrância de Atkinsons, Royal Briar é, na verdade, um floriental feito para homens. Sem uma saída cítrica, a colônia abre diretamente com ervas finas e flores luminosas, aos poucos evoluindo para um dry-down musgoso e vanílico que remete à “guerlinade”. Sofisticação clássica.

 royalllyme14. Royall Lyme (Royall Lime of Bermuda, 1957). A primeira fragrância da marca das Bermudas se dedica ao limão tahiti e todo seu fresco e acidez. Sem nada de funcional (aspecto de desinfetante), Royall Lime é limpo e potente, para ser usado como “splash” pelo corpo todo. Não espere grande longevidade, pois é uma colônia mesmo.

royallspice15. Royall Spyce (Royall Lime of Bermuda, 1961). Agora fazendo uma rendição especiada, a colônia Royall Spyce reúne notas como noz moscada, canela, pimenta e cravo-da-índia. Apesar dos ingredientes “quentes”, trata-se de uma fragrância para ser usada num dia quente de verão, mostrando um excelente contraste para valorizar seu lado mais refrescante.

royallbayrhum16. Royall Bay Rhum (Royall Lime of Bermuda, 1962). Com o tema de louro, Royall Bay Rhum é, na verdade, mais complexo do que aparenta. Com um topo de bergamota, limão, laranja, alecrim, néroli e lavanda, a colônia segue com um centro de cravo (dominante), íris e cedro. Finalmente, a composição conclui com um acorde base de musgo de carvalho, fava tonka, âmbar e musk.

royallmuske17. Royall Muske (Royall Lime of Bermuda, 1978). Sabe aquele cheiro de espuma de barbear? Parece ter sido esse o aroma almejado pela marca com Royall Muske. A colônia tem aquele cheiro do famoso desodorante Brut só que carregado de almíscares sintéticos. Se você gosta de perfumes mentolados e macios, esta é a sua melhor opção da casa.

8818. No. 88 (Czech & Speake, 1980). A especialista inglesa em artigos para o banheiro Czech & Speake ganhou fama nos anos 80 com este amadeirado aromático feito para homens. A complexa fragrância abre com uma saída revitalizante de bergamota e gerânio, seguidos de um coração floral e luminoso de rosa, acácia e jasmim-manga. No. 88 mantém sua virilidade com uma base de notas secas como vetiver e sândalo. Por fim, o perfume exala um rastro denso e escuro de rosa e vetiver.

grafton19. Grafton (Truefitt & Hill, 1983). Seguindo o gênero aromático verde, Grafton é a fragrância mais leve de Truefitt & Hill, praticamente uma loção pós-barba. Com essa vibe, a colônia tem uma saída herbácea que logo leva cabo a um coração floral especiado. A composição conclui com um fundo amadeirado com nuances de couro e âmbar.

frankincensemyrrh20. Frankincense and Myrrh (Czech & Speake, 1984). Uma das primeiras fragrâncias da inglesa Czech & Speake foi este complexo oriental especiado. Frankincense and Myrrh abre com um acorde aromático de cítricos, manjericão e sálvia, anunciando um centro de camomila, pimentão e lavanda. Finalmente, o perfume conclui com uma base de incenso, mirra, cedro e sândalo. Suave apesar de seu caráter ligeiramente oriental.

Rockford21. Rockford (Atkinsons, 1985). Rockford é um fougère clássico, bem ao estilo inglês old-school, daqueles que deixam um rastro amargo de musgo por onde passa. A fragrância tem uma saída aromática de bergamota, limão, manjericão e lavanda, em seguida mostrando um acorde floral amadeirado de rosa, cravo, sândalo e vetiver. Na secagem, o acorde âmbar-cumarina traz cremosidade e doçura, contrabalanceando com o lado fresco e “duro” da composição. Notas de musgo de carvalho e musk criam um efeito crispy e masculino.

OxfordCambridge22. Oxford & Cambridge (Czech & Speake, 1994). Esta refinada colônia à base de lavanda tem uma atmosfera fresca e ao mesmo tempo refinada. A nota principal tem um aspecto aromático bem realístico e natural, realçado com menta e musgo de carvalho e apoiado sobre uma base de sândalo. Inicialmente, Oxford & Cambridge exala um aroma adstringente e medicinal, com nuances herbáceas, porém torna-se mais macio e polvoroso no dry-down. Obrigatório para fãs de lavanda.

ajaccioviolets23. Ajaccio Violets (Geo. F. Trumper, 1995). Apenas a nota de violeta é listada, porém a composição reúne diversos sintéticos, especialmente iononas, para formar uma atmosfera ozônica e transparente, além de toques de óleo essencial de folha de violeta. Por ser uma composição tão homogênea, somente indico a quem seja realmente fã do tema.

whitemoss24. White Moss (Acca Kappa, 1997). A fragrância mais conhecida da casa italiana especializada em artigos de cuidados masculinos é este tradicional fougère aromático. White Moss abre com notas refrescantes de bergamota, limão siciliano e zimbro, anunciando um coração de aldeídos, lavanda e cardamomo. A colônia finaliza com um fundo de cedro, âmbar e musk (musgo não é listado como nota, apesar do nome).

gft25. GFT (Geo. F. Trumper, 2000). Com as iniciais da marca, GFT só poderia ser uma colônia bonita e representativa da casa, lançada no primeiro ano do novo milênio. A fragrância abre esfuziante com mandarina, laranja, bergamota e limão, deixando o estragão e lavanda para compor seu coração. GFT conclui com um acorde base de cedro, musgo de carvalho e musk. Uma colônia revigorante, agradável e duradoura.

Sandalwood26. Sandalwood (Geo. F. Trumper, 2002). Remetendo a Égoïste de Chanel, este perfume tem uma saída cítrica e picante com um buquê floral aromático de lavanda, gerânio e cravo. Sandalwood caminha para um coração de rosa e jasmim, tornando a composição romântica sem torná-la feminina. Na base, notas de sândalo, patchouli, âmbar, baunilha e couro compõem um aroma cremoso e intenso, com traços orientais. Sandalwood deixa um rastro quente e polvoroso, levemente canforado.

cuba27. Cuba (Czech & Speake, 2002). Cuba foi o resultado das visitas do fundador da casa, Frank Sawkins, que se inspirou na vida tranquila daquela ilha. Assim, a fragrância reúne uma combinação exótica de limão tahiti, menta, rum, louro, rosa, cravo-da-índia, tabaco, fava tonka, vetiver, cedro e incenso para gerar um contraste entre o quente e gelado, confortável e sofisticado.

calycanthus28. Calycanthus (Acca Kappa, 2003). Excepcionalmente feita para o público feminino, esta é uma fragrância aromática de nuances florais. Abrindo efervescente com notas de bergamota, grama cortada e néroli, Calycanthus desabrocha um luminoso buquê de calycanthus, jasmim, cíclame, flor de laranjeira e peônia. Tudo isso é “amarrado” por um acorde de pêssego, mel e almíscar sintético.

sandalwood29. Sandalwood (Art of Shaving, 2004). A colônia mais popular de Art of Shaving. Embora o nome da fragrância remeta diretametne a sândalo, ela abre com uma explosão de eucalipto. Essa nota produz um efeito medicinal e um pouco assustador, aos poucos abrindo caminho para o tema central. O sândalo aqui não é cremoso como na perfumaria moderna, mas sim crispy e seco.

royallvetiver30. Royall Vetiver (Royall Lime of Bermuda, 2005). Cítricos, especiarias e vetiver. Sem grandes segredos, Royall Vetiver abre realístico, com o mais puro aroma de óleo essencial de vetiver misturado a coentro e noz moscada, transmitindo uma sensação seca e esfumaçada. Na evolução, a parte cítrica se dissipa, deixando para trás um “feel” verde e energizante.

arlington31. Arlington (D.R. Harris, 2005). A casa inglesa especialista em produtos para cuidados masculinos lançou em 2005 uma colônia minimalista composta de cítricos e uma nota de samambaia. Muito suave e leve, Arlington é o puro cheiro da aristocracia britânica, sem grandes pretensões de parecer sofisticada ou chamar atenção.

etoncollege32. Eton College (Taylor of Old Bond Street, 2005). Eton College é uma colônia aromática (cítricos, néroli, flor de laranjeira) clássica com nuances florais e base de patchouli. Deliciosa se usada em temperaturas quentes, Eton College é uma composição efervescente que, mesmo durando pouco na pele, vale pela qualidade de seus ingredientes centrais.

186933. 1869 (Acca Kappa, 2005). Feita em tributo ao ano de fundação da empresa, 1869 é uma colônia que contrapõe a transparência do ozônico (aquoso) e a solidez do acorde de couro. A partir de um topo de gerânio e cardamomo, a composição revela um centro atalcado de íris e violeta que é apoiado sobre um manto de couro, âmbar gris e baunilha. Indicado para os admiradores da nota de violeta.

lemon34. Lemon (Art of Shaving, 2006). Minimalista e agradável, Lemon é uma colônia centrada numa nota cremosa de limão siciliano decorada com líquen e almíscares sintéticos. Excelente pedida para quem gosta de um aroma cítrico natural com dry-down musky e confortável. Duração limitada, porém mais longa do que o esperado.

elixirwhite 35. Elixir White (C.O. Bigelow, 2007). Dentre os componentes da série Elixir de C.O. Bigelow, este é supostamente o mais transparente. Elixir White combina cítricos (bergamota, mandarina, limão siciliano), pimenta preta, madeiras nobres e almíscar sintético. Uma colônia fresca e limpa com excelente projeção e média longevidade.

elixirblue36. Elixir Blue (C.O. Bigelow, 2007). A versão “blue” trata-se de uma fragrância aquática com topo de lavanda e zimbro e base de madeiras nobres e musk. Extensamente comparada a Cool Water de Davidoff, a fragrância funciona melhor na primeira hora e não tem a mesma longevidade na pele. Mas vale para aplicação após o barbear.

lemon199937. Lemon No 1999 (C.O. Bigelow, 2009). Construída em torno da nota de limão siciliano, esta composição também agrega petitgrain e almíscar sintético. O que a colônia ganha em qualidade do aroma tão realístico, ela esperadamente perde em longevidade (aproximadamente 2 horas). Mas colônia é assim, fazer o quê…

bravado238. Bravado 2 (Baxter of California, 2009). A praticamente desconhecida casa americana especialista em “male grooming” apresenta este cítrico aromático de nuances amadeiradas e especiadas. Bravado 2 é uma colônia suave e elegante composta de notas de mandarina, limão siciliano, manjericão, flores diversas, cipreste e baunilha. Assim, podemos dizer que é uma interpretação moderna de uma receita clássica.

bravado339. Bravado 3 (Baxter of California, 2009). Desde 1965 fornecendo ao público masculino produtos para o cabelo, rosto e corpo, Baxter of California oferece um inusitado fougère de nuances florais. Fugindo do clichê de fragrâncias de barbearia, Bravado 3 agrega notas de bergamota, mandarina, flores brancas, lavanda, noz moscada e madeiras nobres. Uma fragrância bastante compartilhável.

darkrose40. Dark Rose (Czech & Speake, 2009). Dark Rose pega carona na tendência do acorde oud-rosa-açafrão e o enriquece com notas amadeiradas e balsâmicas. A interpretação “obscura” da rainha das flores, como o nome sugere, ganha vida com a adição de oud e açafrão, além de uma camada de sândalo e âmbar para dar sustentação. Embora tenha sido novidade em 2009, hoje já é um tema batido.

ShavingShop41. Shaving Shop (Taylor of Old Bond Street, 2011). A centenária casa londrina, especializada em colônias e loções para a barba, foi reaberta com uma renovada linha de fragrâncias antigas e novas. Shaving Shop é uma clara homenagem à barbearia com sua saída ácida e amarga de gálbano e limão, evoluindo para um aspecto soapy de lavanda, jasmim, ervas finas e especiarias. No dry-down, Shaving Shop mostra uma aura retrô de musgo de carvalho, patchouli, madeiras nobres e musk.

Sandalwood42. Sandalwood (Taylor of Old Bond Street, 2011). A colônia de sândalo de Taylor of Old Bond Street mantém o DNA de barbershop da casa, abrindo com um acorde fougère saponáceo de ervas finas, gerânio, lavanda, cravo e flor de laranjeira. Para tornar a composição mais viril, a base é composta de sândalo, vetiver, patchouli, cedro, gaiaco, labdanum e musk. Apesar da intensidade e crocância das madeiras, Sandalwood tem um aspecto polvoroso que pode ser enjoativo para alguns homens.

Jermyn43. Jermyn Street Collection (Taylor of Old Bond Street, 2011). Sem álcool na fórmula, esta colônia foi feita para peles mais sensíveis. A fragrância tem um topo de cítricos, uma evolução limpa de gerânio, néroli e lavanda, e uma base de patchouli, âmbar, baunilha e musk. Jermyn Street Collection é minimalista e tem como missão um momento agradável e refrescante para o momento de asseio pessoal. Na secagem, a colônia é mais doce e cremosa.

windsor44. Windsor (D.R. Harris, 2012). Com o tema masculino de couro, Windor é uma colônia amadeirada e especiada. Abrindo com bergamota, néroli, petitgrain e pimenta preta, a composição caminha para um corpo/base amadeirado de vetiver, cedro, sândalo e couro. Windor sintetiza a essência da refinada perfumaria inglesa.

 oudsavetheking45. Oud Save the King (Atkinsons, 2013). Seguindo a tendência do oud e para comemorar 200 anos de existência, a casa inglesa resolveu lançar um par de fragrâncias à base dessa madeira resinosa. A versão masculina reúne notas refrescantes de bergamota e chá “earl gray” e acordes polvorosos de orris, camurça, sândalo e oud. O resultado é um oriental amadeirado elegante e masculino.

oudsavethequeen46. Oud Save the Queen (Atkinsons, 2013). O par feminino da dupla feita em homenagem ao bicentenário de Atkinsons é um oriental floral de nuances aromáticas e amadeiradas. Com um topo de bergamota, cravo-da-índia e chá “earl gray”, o perfume continua com um coração de flor de laranjeira e jasmim. Na conclusão, Oud Save the Queen apresenta uma base balsâmica de gaiaco, fava tonka e, é claro, oud.

theoddfellowsbouquet47. The Odd Fellow Bouquet (Atkinsons, 2013). The Odd Fellow Bouquet (ou “o buquê do cara esquisito”) é um amadeirado especiado com toques de âmbar e tabaco. Abrindo com um topo especiado de gengibre e pimenta preta, a composição segue com um coração polvoroso de heliotrópio e tabaco. A secagem fica por conta de um acorde base de labdanum e benjoim.

24oldbondstreet48. 24 Old Bond Street (Atkinsons, 2014). Além do seu DNA da nota de chá “earl gray”, esta fragrância adota o tema aromático especiado, agregando notas marcantes de rosa e uísque, além de um toque de zimbro. 24 Old Bond Street talvez possa parecer leve demais para alguns, já que é uma fragrância muito suave e feita mais para relaxar do que qualquer outra coisa.

tripleextract49. 24 Old Bond Street Triple Extract (Atkinsons, 2014). Um ano depois do lançamento do original, a casa inglesa decide comemorar seu jubileu de dois séculos com um flanker “triple extract”. Mantendo sua estrutura aromática especiada, o perfume incorpora um acorde de notas verdes, lavanda e rosa que é enriquecido com uísque e cardamomo. Sua base leva um acorde sofisticado de cedro, âmbar gris e musk.

spanishcedar50. Spanish Cedar (Czech & Speake, 2014). Adotando o gênero amadeirado aromático, Spanish Cedar é construído em torno da nota de cedro, que é enfatizado com gaiaco e sândalo. Para tornar a composição mais agradável e complexa, Czech & Speake adicionou um topo de bergamota, ameixa e gálbano, além de um coração de cravo-da-índia. O resultado é um revigorante aroma esfumaçado e picante.

Veja também: Cosméticos e Lifestyle

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s