Guerlain

GuerlainColeções exclusivas. Frascos Baccarat. Criações sazonais. A maior casa de perfumes de todos os tempos naturalmente precisa segmentar seu portfólio para poder atingir públicos diferentes, mantendo intacto o poder da marca bicentenária. Afinal de contas, a casa sobreviveu a guerras, boicotes e fiascos, nunca perdendo o sinônimo de glamour e status de líder mundial em fragrâncias. Com criações vanguardistas de perfumistas que vão de Jacques Guerlain a Thierry Wasser, sempre preservando e valorizando seu DNA herbáceo-polvoroso-balsâmico, Guerlain conta com basicamente quatro linhas: a comercial (vendida em perfumarias e lojas de aeroporto), a bespoke (fragrâncias sob medida), a exclusiva (disponível apenas nas lojas da Guerlain ao redor do mundo) e as edições limitadas (datas comemorativas, interesses políticos, testes de tendências). As duas últimas linhas são os chamados “grands parfums”, feitos em menor escala com os ingredientes mais puros e preciosos, extraídos de fontes exclusivas da Guerlain, sem contar os sintéticos de primeira linha patenteados pela casa. Evidentemente, os preços podem ser estratosféricos, variando de 200 euros a 200 mil euros (edições especiais cravejadas com pedras preciosas). Em suma, um dos melhores exemplos de marketing da história (e não apenas na perfumaria).

Nota: A lista abaixo inclui somente as criações exclusivas de Guerlain. Para as comerciais, utilize a ferramenta de busca ou clique nos links no rodapé desta página.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

Muguet1. Muguet (Guerlain, 1998). Lançado originalmente em 1908 e construído em torno da nota fantasia de lírio-do-vale, Muguet virou um perfume sazonal a partir de 1998, tendo novas edições a cada ano em comemoração ao mês de maio (cada ano, nova safra de flores). O antigo soliflor composto por Jacques Guerlain ganha uma roupagem contemporânea com notas de bergamota, rosa, gardênia e musk. Assim, de uma fragrância à base de lírio-do-vale literal e old school, Muguet hoje é uma moderna versão cintilante do clássico.

ChamadeHomme2. Chamade pour Homme (Guerlain, 1999). Feito para ser o par masculino do clássico Chamade de 1969, Jean-Paul Guerlain acabou criando o que parece ser o par de outro ícone: Mitsouko. Em vez do foco numa rosa oriental, Chamade pour Homme segue um estilo chipre amadeirado de atmosfera florestal. Com um topo de bergamota, folhas verdes e pimenta, centro de jacinto, violeta e noz moscada, e uma base de vetiver, couro e madeiras nobres, este é o perfume do senhor elegante, que ainda aprecia a beleza das flores em fragrâncias masculinas.

AttrapeCoeurs

3. Attrape-Coeurs (Guerlain, 1999). Lançado inicialmente com o nome de Guet-Apens para o Natal de 1999, este perfume foi logo em seguida renomeado para Attrape-Coeurs (“caça-corações” em francês). Sua saída é viscosa e doce com aroma de sândalo e resinas, mas a fragrância logo segue um caminho floral atalcado de jasmim e violeta. Na base, Attrape-Coeurs revela-se balsâmico e esfumaçado com notas de musgo de carvalho, feno, sândalo, patchouli e incenso. Infelizmente é quase impossível de encontrar.

VetiverPourElle4. Vétiver pour Elle (Guerlain, 2004). Enquanto Vétiver de Guerlain é mais famoso e tem um caráter mais amargo e terroso, Vétiver pour Elle recorre a flores luminosas e delicadas como madressilva, jasmim e flor de laranjeira para compor uma fragrância macia e agradável. Uma nota de noz moscada adiciona um tom interessante, enquanto a base de fava tonka traz uma discreta doçura. Apesar do “pour elle” no nome, o perfume é perfeitamente compartilhável e garante um ar romântico e sofisticado aos homens.

PlusQueJamais5. Plus que Jamais (Guerlain, 2005). Plus Que Jamais (“mais do que nunca”) foi originalmente introduzido com um frasco de cristal Baccarat de meio litro, em comemoração à reforma da casa Guerlain. Para tanto, Jean-Paul Guerlain juntou a guerlinade (acorde DNA da casa) a uma base de vetiver, tabaco, orris, fava tonka, âmbar e baunilha. O resultado é um encantador oriental floral de coração atalcado e amendoado com notas marcantes de jasmim e ylang-ylang. Infelizmente o perfume é, mais do que nunca, impossível de encontrar.

NuitDAmour6. Nuit d’Amour (Guerlain, 2006). Caminhando em direção ao estilo moderno floral frutado, na época em pleno auge, Nuit d’Amour trabalha a rosa com um acorde suculento e aveludado de pimenta rosa, lichia, íris e violeta. Para esta fragrância, Jean-Paul Guerlain se inspirou numa de suas viagens a Buenos Aires, em especial no tango, propiciando ao perfume um efeito dramático e sensual com uma potente base de sândalo. Nuit d’Amour foi relançado dentro da coleção Parisienne em 2010.

Mayotte7. Mahora (Guerlain, 2006). Lançado em 2000 com o nome de Mayotte, o nome é referência a uma ilha francesa próxima a Madagascar. Deixando um pouco de lado a assinatura atalcada, Jean-Paul Guerlain decidiu voltar ao tema de Samsara: indol e sândalo. Prepare-se para um inebriante buquê de flor de laranjeira, jasmim, jasmim-manga, tuberosa e ylang-ylang, apoiado sobre uma base de vetiver, sândalo e baunilha. Mahora é um retrato olfativo de uma ilha tropical, com todo o esplendor de sua floral e vegetação intocadas.

EauLit8. Eau de Lit (Guerlain, 2006). Literalmente “colônia para a cama”, esta fragrância deu início a uma série feita especialmente para momentos íntimos. O ritual da mulher Guerlain, discreta e sensual, é retratado pelo perfumista Francis Kurkdjian com um topo de bergamota, coentro, anis e ervas finas, um centro de folhas verdes e néroli, e uma base de cedro, baunilha e musk. Um perfume suave e lúdico para a pele e para os lençóis.

QuandVientLaPluie9. Quand Vient la Pluie (Guerlain, 2007). Apresentado inicialmente como uma escultura de cristal que representa uma gota caindo sobre a folha, Quand Vient la Pluie (“quando vem a chuva”) é um floral musky que fica entre Après l’Ondée e L’Heure Bleue, com modernas nuances gourmands. O tema aqui é o acorde jasmim-violeta-heliotrópio, que recebe um topo de bergamota, néroli, anis e alecrim e uma base de patchouli, canela, âmbar, caramelo e musk. Quand Vient la Pluie é uma prova de que é possível fazer bons perfumes gourmands.

AngeliqueNoire10. Angélique Noire (Guerlain, 2005). Angélique Noire foi uma das primeiras fragrâncias da série L’Art et la Matière a ser lançada. A composição tem uma forte saída cítrica e picante (alcarávia) que se funde com um acorde amendoado e musky de cranberry, angélica, jasmim e baunilha. A harmonia entre a acidez da bergamota e a doçura da baunilha é uma das marcas registradas de Guerlain. Saindo do efervescente e fresco para chegar ao doce e cremoso, Angélique Noire é minimalista e incrível.

RoseBarbare11. Rose Barbare (Guerlain, 2005). Como uma versão moderna de Nahéma, Rose Barbare apresenta uma rosa turca escura e suculenta com traços metálicos e melífluos. A partir de um luminoso topo de aldeídos, a nota central ganha um corpo de mel, patchouli e madeiras nobres, transformando-se num chipre simultaneamente old school e moderno, acima de tudo realístico. Ainda assim, é bom enfatizar que Rose Barbare tem um aspecto pesado à la anos 80.

BoisDArmenie12. Bois d’Armenie (Guerlain, 2006). Bois d’Armenie é um oriental amadeirado viscoso e picante. O perfume tem uma abertura densa, picante e defumada com notas de coentro, gaiaco e incenso. Um acorde anis-patchouli confere um aspecto gelado, enquanto a dupla de bálsamo de copaíba e benjoim produz com a nota de incenso uma atmosfera meditativa e misteriosa. Por fim, Bois d’Armenie se torna polvoroso com uma base de orris e almíscar.

CuirBeluga13. Cuir Beluga (Guerlain, 2006). Cuir Beluga é uma interpretação doce e aveludada da nota de couro. Na saída, a fragrância exala um aroma macio e sofisticado de camurça e baunilha com traços amendoados. Mais adiante, Cuir Beluga revela a guerlinade, aqui com nuances de açúcar queimado devido à nota de immortelle. Patchouli, âmbar e baunilha concluem a composição. Apesar das notas doces, não se deve esperar por um gourmand. Cuir Beluga mantém a classe até o fim.

SDV14. Spiritueuse Double Vanille (Guerlain, 2007). Cremoso, quente e intoxicante, Spiritueuse Double Vanille, como o próprio nome diz, leva uma dose dobrada de baunilha. A fragrância começa com um aroma de licor e vai evoluindo para um aroma de biscoitos amanteigados, com um fundo de tabaco. Apesar de parecer forte, melado e enjoativo, Spiritueuse Double Vanille é na verdade um perfume confortável que foca muito mais na valorização e apreciação da nota de baunilha do que em sua silagem.

CruelGardénia15. Cruel Gardénia (Guerlain, 2008). Esta gardênia é cruel no sentido em que deixa de lado a habitual apresentação suave e musky para assumir uma atitude mais romântica e direto ao ponto. Para tanto, o perfume abre com um acorde intoxicante de aldeídos, néroli, rosa, pêssego e romã, anunciando um exuberante buquê de gardênia, ylang-ylang e violeta. Na base, notas de patchouli, sândalo, fava tonka, baunilha e musk propiciam uma secagem limpa e natural.

Héros16. L’Âme d’un Héros (Guerlain, 2008). Esta é uma versão reeditada (maix luxuosa) de Coriolan, lançado em em 1998, agora reintroduzido na coleção Parisiens. Inspirado no lendário general romano Coriolano, L’Âme d’un Héros (“a alma de um heroi”) é um cítrico aromático com traços florais. O perfume tem uma saída cítrica e luminosa de bergamota, limão siciliano, néroli e sálvia, anunciando um acorde central de alecrim, jacinto, ylang-ylang e pimenta preta. Um dry-down quente e balsâmico é propiciado por uma combinação quente e balsâmica de vetiver, patchouli, benjoim e immortelle.

180Ans17. 180 Ans de Création (Guerlain, 2008). 180 Ans de Création é raramente listado, pois foi um perfume feito exclusivamente para os 180 anos (1828-2008) da maison Guerlain, dado de presente a seus clientes mais importantes. No entanto, graças à democrática prática de splitting, amostras de um mililitro podem ser adquiridas em sites de frações. Para esta fragrância, Jean-Paul Guerlain recorreu à guerlinade, apenas adicionando toques modernos de toranja, pimenta rosa, licor de laranja e musk. 180 Ans é um Shalimar mais tímido.

GourmandCoquin18. Elixir Charnel Gourmand Coquin (Guerlain, 2008). Da série dos elixires carnais (“charnels”), este é o de maior destaque. Elixir Charnel Gourmand Coquin é uma fragrância ao sabor moderno, obviamente açucarada e gourmand. O perfume abre boozy e picante com notas de rum e pimenta, logo revelando uma nota de rosa no coração. A composição vai, então, a fundo no aroma gourmand com um acorde baunilha-chocolate doce e xaropado. Gourmand chic.

GourmandCoquin19. Elixir Charnel Oriental Brûlant (Guerlain, 2008). Uma versão moderna de Shalimar, Elixir Charnel Oriental Brûlant é um oriental balsâmico e polvoroso. Abrindo com um aroma fresco e suculento de laranja, o perfume segue exalando notas amendoadas. A principal parte da composição está na base de estoraque, fava tonka e baunilha, que trazem a opulência e sensualidade de um verdadeiro oriental. Elegante e intoxicante, esta é mais uma obra-prima da Guerlain.

GourmandCoquin20. Elixir Charnel Chypre Fatal (Guerlain, 2008). Este é um chipre frutado à base de pera, rosa, patchouli e baunilha. No início, Elixir Charnel Chypre Fatal é basicamente um floral frutado com cara de menina-moça. A base chipre demora uma ou duas horas para emergir com seu corpo terroso e canforado, interagindo com um creme de baunilha e musk. Provavelmente um dos perfumes mais “comuns” de Guerlain.

SecretsSophie21. Les Secrets de Sophie (Guerlain, 2009). Este grande floral com nuances aromáticas e balsâmicas foi lançado com três frascos diferentes, representado diferentes estados de humor. Para conceber uma composição ao estilo tradicional francês, Jean-Paul Guerlain recorreu a absolutos de flores narcóticas como jasmim, ylang-ylang e flor de laranjeira. Com uma saída aromática (cítricos, petitgrain, folha de violeta) e um dry-down balsâmico (incenso, fava tonka, baunilha, musk), Les Secrets de Sophie mistura o metálico e o orgânico, exalando um rastro simultaneamente fresco e animálico.

Moscow22. Paris-Moscow (Guerlain, 2009). Uma coleção exclusiva pouco conhecida de Guerlain é “Une Ville, Un Parfum”, feita em tributo às grandes metrópoles do planeta. Paris-Moscow é um floral amadeirado e musky que simboliza o tamanho e progresso da capital russa com uma aura feminina e delicada. O perfume conta com um topo fresco de bergamota, limão siciliano e groselha, um centro adocicado de jasmim, absinto e ameixa, e uma base sedosa de agulhas de pinho, baunilha, fava tonka e musk.
NewYork
23. Paris-New York (Guerlain, 2009)
. Para os americanos, a maison reservou um oriental amadeirado que remetesse à atmosfera de Manhattan durante o Natal. Assim, Paris-New York tem um topo de bergamota e mandarina, um centro de cardamomo e canela, e uma base de cedro, baunilha e musk.  Um perfume simpático porém comum e nada a ver com o estilo da casa.

Tokyo24. Paris-Tokyo (Guerlain, 2009). Evidentemente, a Guerlain escolheu uma composição floral fresca como tributo aos seus clientes japoneses. Com uma potente e amarga saída de chá verde, Paris-Tokyo segue um caminho mais equilibrado, luminoso e aquoso de jasmim e violeta. Embora baunilha apareça entre as notas de base listadas, percebe-se muito mais uma camada leve e translúcida de musk.

ArseneLupin25. Arsène Lupin (Guerlain, 2010). “Arsène Lupin” é um personagem fictício da cultura francesa que representa um ladrão e mestre de disfarces. O perfume é oferecido nas versões Dandy e Voyou, sendo ambos chipres e as últimas criações de Jean-Paul Guerlain. O primeiro é mais cítrico, seco e incensado, representando o lado sofisticado do personagem; o segundo é mais aromático, doce (benjoim) e floral (rosa), mostrando o poder da sedução. As duas composições partilham do estilo masculino e elegante de Derby e Coriolan.

Abeille26. L’Abeille (Guerlain, 2010). A abelha tem sido o símbolo da casa Guerlain desde que foi fundada em 1828 por Pierre-François Pascal, inspirando as famosas bee bottles. O motivo? O inseto está presente no brasão do Segundo Império Francês de Napoleão III, cuja esposa Eugénie de Montijo era a cliente VIP da maison. Para invocar o aroma de néctar e mel, Thierry Wasser elegeu a flor de acácia como ingrediente principal, aproveitando seu odor de pólen e indol, para ressaltá-lo com notas de uva, flor de laranjeira, jasmim, lilás, íris e mel. O frasco em formato de uma abelha gigante foi desenhado por Baccarat e feito em apenas 47 unidades, cada um ao custo de 12500 euros.

TonkaImperiale27. Tonka Impériale (Guerlain, 2010). Tonka Impériale é uma fragrância que trabalha sua nota central de forma bela e elegante, diferente de muitos designers que lhe conferem um caráter enjoativo. O acorde central com notas de fava tonka e amêndoas é enriquecido por tabaco, incenso e baunilha. Não é um perfume para os tímidos, pois certamente se destaca na multidão. Tonka Impériale é sofisticação, personalidade e ousadia engarrafadas.

Bolshoï28. Le Bolshoï (Guerlain, 2011). Depois de seu lançamento em 2011, Le Bolshoï acabou virando um perfume sazonal, reeditado a cada ano. As inspirações são óperas clássicas, como “O Cisne Negro” (2012), “La Traviata” (2014) e “Carmen” (2015), exceto Place Rouge (2013), um tributo aos 120 anos de Gum, maior loja de departamentos daquele país. A composição tem caráter floral verde com um refrescante topo de cítricos, néroli, alecrim e petitgrain, um delicado centro de jasmim, ylang-ylang, heliotrópio e violeta, e uma discreta base de sândalo, fava tonka, incenso, baunilha e musk. Ênfase em uma nota particular ocorre de um ano para o outro. (foto: monsieur-guerlain.com)

FloralRomantique29. Elixir Charnel Floral Romantique (Guerlain, 2011). A linha de elixires de Guerlain é ampliada com este floral amadeirado de traços verdes e especiados. Abrindo com um refrescante acorde aromático de mandarina, petitgrain, mate e almíscar vegetal, Elixir Charnel Floral Romantique desabrocha um inebriante buquê de cravo, ylang-ylang, jasmim, lírio-do-vale e tiaré. A composição conclui com uma base seca e polvorosa de cedro, fava tonka, baunilha e musk. Um floral mais delicado do que aparenta ser.

CherryBlossom30. Cherry Blossom (Guerlain, 2011). Feito em homenagem às cerejeiras do Japão, Cherry Blossom é um floral fresco de tons frutados. A flor de cerejeira, símbolo da primavera e da beleza naquele país, é aqui trabalhada com notas de bergamota, chá verde, lilás, jasmim, cereja, heliotrópio, baunilha e musk. Cherry Blossom é um bom eau de toilette, porém pode ficar aquém das expectativas dos fãs da casa que esperam por algo mais arrojado, potente e marcante.

EncensMythique31. Encens Mythique d’Orient (Guerlain, 2012). Com o tema central de olíbano ou frankincense, Encens Mythique d’Orient é um incenso com roupagem Guerlain. Com uma saída brilhante de aldeídos, néroli e açafrão, o perfume começa a formar uma nota de rosa boozy com traços de mel e Cointreau. O incenso entra em cena algum tempo depois, acompanhado da guerlinade com direito a orris, baunilha e âmbar gris. O resultado é um aroma esfumaçado romântico e envolvente.

SongeDUnBois32. Rose Nacrée du Desert (Guerlain, 2012). Esta fragrância oriental floral é basicamente composta de rosa, açafrão, oud, patchouli e benjoim. Rose Nacrée du Desert abre com um dos mais puros aromas de rosa, apoiado por uma base firme e densa de oud e patchouli. A nota de açafrão confere um traço picante e aveludado, enquanto benjoim traz uma cremosidade levemente doce. Como um bom perfume da Guerlain, Rose Nacrée du Desert exala um rastro quente e polvoroso.

RoseNacree33. Songe d’un Bois d’Été (Guerlain, 2012). Este amadeirado especiado é uma fragrância seca e esfumaçada à base de oud. A composição consiste basicamente de notas de louro, açafrão, cardamomo, jasmim, patchouli, mirra e oud. Songe d’un Bois d’Été (ou “sonho de uma madeira de verão”) abre com um aroma narcótico de resinas e especiarias. A base do perfume vai aos poucos produzindo uma aura escura e mística, quente e complexa. Songe d’un Bois d’Été remete a ambientes árabes cheios de requinte e tradição.

MonPrecieuxNectar34. Mon Précieux Nectar (Guerlain, 2012). Inicialmente feito em pequena escala, esta fragrância da Guerlain pertence à coleção Les Parisiennes, vendida apenas nas lojas da grife. Mon Précieux Nectar é único em sua forma de trabalhar o acorde central de amêndoas e flores brancas, criando uma aura delicada e intrigante. A função das amêndoas aqui não é montar um gourmand clichê, mas conferir um efeito tridimensional às notas de jasmim e flor de laranjeira. Incenso e almíscar na base completam esta criação ultraconfortável.

LHeureNuit35. L’Heure de Nuit (Guerlain, 2012). Nitidamente feito com inspiração no icônico L’Heure Bleue, esta fragrância reúne um buquê de flor de laranjeira, jasmim, íris, rosa e heliotrópio construído sobre uma base de sândalo e musk. L’Heure de Nuit tem uma saída vegetal e amarga, porém logo evoluindo para um coração polvoroso e denso. No dry-down, a nota de íris domina a composição, que deixa um rastro cremoso e macio no ar. Apesar de nuances da guerlinade, a baunilha é praticamente ausente.

Shanghai36. Paris-Shanghai (Guerlain, 2012). Para o retrato olfativo da cidade mais dinâmica do mundo, Thierry Wasser adota o gênero floral amadeirado musky, dando ênfase a flores brancas e amêndoas. Comparado aos demais perfumes de Guerlain, este é um dos mais delicados, abrindo com um acorde de bergamota, chá, anis e violeta. O coração é formado por um buquê leve e delicado de flor de laranjeira, jasmim e acácia, apoiado sobre uma base de orris, cedro, patchouli, sândalo, baunilha e musk.

London37. Paris-London (Guerlain, 2012). A homenagem de Guerlain à capital britânica foi feita na forma de um floral fresco. Abrindo ácido e vegetal (toranja, bergamota, ruibarbo), Paris-London a fragrância logo pega no tranco com um acorde central de chá verde, cardamomo, rosa e violeta. A base fica por conta de uma combinação sedosa de almíscares sintéticos. Mediano e certamente muito caro para o que oferece.

Parfum6838. Le Parfum du 68 (Guerlalin, 2013). Le Parfum du 68 é um tributo ao endereço da maison, localizada ao número 68 da Champs Elysées em Paris. Sete anos depois do lançamento de Eau de Cologne 68, um cítrico atalcado sem qualquer relação com esta fragrância, o perfumista Thierry Wasser oferece uma interpretação moderna do original floral amadeirado. A nova versão é centrada no dueto rosa-heliotrópio, ressaltado com notas de immortelle, ervas finas, especiarias quentes, incenso, sândalo e fava tonka.

EauLingerie39. Eau de Lingerie (Guerlain, 2013). Como o próprio nome sugere, Eau de Lingerie é feito para momentos íntimos e especiais. Trata-se de um floral musky rico em notas atalcadas. O centro da fragrância consiste do dueto íris-rosa, recortado por um acorde polvoroso de sândalo, baunilha e musks vegetais e sintéticos. Mais focado na beleza do que na sensualidade, Eau de Lingerie é feito para um ritual, portanto não muito focado no lasting.

CourDesSenteurs40. Cour de Senteurs Versailles (Guerlain, 2013). Concebido em comemoração à inauguração da nova boutique de Guerlain em Versalhes, o perfume busca retratar olfativamente o universo dos reis e rainhas míticos que marcaram a história da França, em especial Maria-Antonieta, que passeava pelos jardins do Petit Trianon cercada de belas flores. Cour de Senteurs Versailles é um floral verde com topo de bergamota e gálbano, centro de jasmim e cíclame, e base de frésia, lírio-do-vale, âmbar e musk.

CoqueDOr41. Coque d’Or (Guerlain, 2014). Criado em 1937 por Jacques Guerlain, Coque d’Or (“casca dourada”) foi reformulado por Thierry Wasser e relançado em 2014. Polvoroso e animálico, este chipre amadeirado abre aldeídico e musgoso como Mitsouko, logo revelando um coração de cravo, jasmim, cíclame, íris e lavanda com nuances de anis, coco e abacaxi. Para completar o retrato dos glamourosos anos 30, Coque d’Or incorpora uma base escura de vetiver, patchouli, bálsamo tolu, baunilha e civet. Um nostálgico chipre noir de Guerlain, bem ao estilo retrô de Vol de Nuit.

EauCashmere42. Eau de Cashmere (Guerlain, 2014). Além das facetas floral e almiscarada dos outros componentes da linha íntima de Guerlain, esta terceira composição favorece o efeito amadeirado e macio graças ao uso do sintético cashmeran. Notas de bergamota, mandarina, pimenta rosa, íris, lavanda, heliotrópio, cedar, vetiver e musk compõem uma fragrância mais próxima do que conhecemos como colônia tradicional no Brasil. Uma variação mais elegante dos precursores.

PetitGuerlain43. Le Petit Guerlain (Guerlain, 2014). A popular fragrância da Guerlain feita para crianças, originalmente criada por Mathilde Laurent em 1994, é reeditada por Thierry Wasser com dois frascos diferentes portando a mesma fragrância: o azul para meninos e o rosa para meninas. Trata-se de um perfume sem álcool de composição muito suave e delicada com notas de flor de laranjeira, acácia, mel, pistache e musk. Um perfume para os bem-nascidos, oferecido no volume único de 250 ml.

RoyalExtrait44. Royal Extrait (Guerlain, 2014). Como um cruzamento de L’Heure Bleue e Mitsouko, este perfume é um chipre frutado com dry-down doce e balsâmico. No momento da aplicação, Royal Extrait imediatamente esbanja um odor narcótico de jasmim e tuberosa, em seguida amaciado com o acorde lactônico e ceroso (batom) de pêssego, rosa e violeta. Na base, notas de baunilha, âmbar e benjoim conferem um efeito boozy, quase gourmand. Potente e intoxicante, Royal Extrait deixa para trás um rastro ao mesmo tempo sensual e elegante.

MademoiselleGuerlain45. Mademoiselle Guerlain (Guerlain, 2014). Mademoiselle Guerlain é o novo nome de La Petite Robe Noire 2 (2011), uma versão desconectada do original, hoje um best-seller. A composição é essencialmente floral verde, apesar de ter nuances gourmands. A partir de uma saída cítrica e herbácea (gálbano), o perfume reúne flores delicadas como íris, violeta e flor de laranjeira, adicionando uma nota sintética de marshmallow. Claramente feito para o público mais jovem, Mademoiselle Guerlain conclui com uma base adocicada e lúdica de baunilha e musk.

SantalRoyal46. Santal Royal (Guerlain, 2014). Criado especialmente para a inauguração do Salon de Parfums da Guerlain na Harrods, Santal Royal mostra a que veio logo pela aparência. O frasco negro exibe motivos orientais com tampa, laço e rótulo dourados. O líquido é uma composição cremosa e defumada com notas de oud, sândalo, couro, âmbar, canela e almíscar. Para amenizar o aroma, o perfume recebe toques de rosa e néroli.

FrenchKiss47. Elixir Charnel French Kiss (Guerlain, 2014). Assumindo de vez o tema floral frutado gourmand ao gosto das moças modernas, Guerlain introduz mais um componente na série de elixires. Notas de framboesa, lichia, rosa e violeta são combinadas para reproduzir o aroma de um batom luxuoso. Durante a evolução, o perfume vai ganhando uma aura cremosa e amendoada graças a uma base de heliotrópio, orris, baunilha e musk.

Terracota48. Terracota Le Parfum (Guerlain, 2014). Para comemorar o aniversário de 30 anos da linha de cosméticos Terracotta, a Guerlain lança a fragrância de mesmo nome, descrita pelo perfumista Thierry Wasser como “a sedução do sol engarrafada”. A fragrância tem uma saída refrescante e tropical de bergamota, coco e tiaré, revelando em alguns minutos um buquê de flor de laranjeira, jasmim e ylang-ylang. Um acorde de baunilha e musk adiciona um efeito cremoso e suave, nada enjoativo. Terracota tem o cheiro da pele com protetor solar sob os raios do sol.

MonExclusif49. Mon Éxclusif (Guerlain, 2015). A casa Guerlain lançou Mon Éxclusif com a proposta de ser um perfume sem nome, para que você pudesse colocar o seu. Um pouco confuso, já que obviamente o perfume tem um nome. Este é um oriental gourmand que combina laranja e flores atalcadas com um acorde de pâtisserie – amêndoas, toffee, manteiga e sal. O resultado é uma fragrância doce, feminina e delicada, brilhantemente harmonizada para ser usada em qualquer ocasião. Infelizmente descontinuado.

OubliezPas50. Ne M’Oubliez Pas (Guerlain, 2015). Ne M’Oubliez Pas (“não me esqueça”) é inspirado na história da maison, inclusive sendo batizado com o nome de seu primeiro batom, o primeiro à base de cera da história (1870) e depois reintroduzido como o número 102 da linha Rouge Automatique. Trata-se de uma composição oriental amadeirada e especiada com notas marcantes de ameixa, canela e baunilha, além de cardamomo, rosa, immortelle, cravo-da-índia, patchouli, musgo de carvalho e âmbar.

LePlusBeauJour51. Le Plus Beau Jour de Ma Vie (Guerlain, 2015). “O Dia Mais Bonito da Minha Vida” é uma fragrância floral musky concebida para os momentos mais especiais da nossa existência. Para tanto, a maison uniu a nota de rosa a um acorde doce e polvoroso de angélica, baunilha, amêndoas açucaradas e musk. Le Plus Beau Jour de Ma Vie ganha brilho com um topo de cítricos, pimenta rosa e flor de laranjeira, e um dry-down sensual de patchouli e incenso. O perfume equilibra bem suas facetas jovial, romântica e sofisticada. Existe também na concentração extrato com outro nome: Le Bouquet de la Mariée.

AmbreÉternel52. Ambre Éternel (Guerlain, 2016). Seguindo o frasco de volume padrão 125 ml, eau de parfum, Guerlain faz uma homenagem à mais rica de todas as notas: o âmbar gris. Na forma de um oriental amadeirado, Ambre Éternel abre com um acorde picante de cardamomo, coentro e canela. Em seguida, a composição mostra um coração suculento e inebriante de flor de laranjeira, ylang-ylang e pêssego. Para a base, a casa reservou uma combinação de âmbar gris, madeiras nobres e couro. Bom equilíbrio entre o feminino e masculino.

PromenadeDesAnglais53. Promenade des Anglais (Guerlain, 2016). “Caminhada dos Ingleses” é uma aposta da Guerlain desta vez no lado mais aromático da perfumaria, elegendo como nota principal o figo. Com um topo de bergamota, folha de violeta e cassis, além da fruta de tom lactônico, a fragrância logo mostra o DNA polvoroso da grife, o que casa muito bem com a proposta e se diferencia das demais composições com o tema de figo já disponíveis no mercado. Promenade des Anglais deixa para trás um rastro floral (rosa, heliotrópio e mimosa) atalcado e confortável.

nerolioutrenoir54. Néroli Outrenoir (Guerlain, 2016). Pela primeira vez a coleção L’Art et la Matière de Guerlain ganha como membro um cítrico aromático, ainda que focado no néroli (um tanto floral). Néroli Outrenoir abre com uma explosão de cítricos (bergamota, tangerina, limão siciliano, toranja e petitgrain), abrindo espaço para seu tema principal, que é acompanhado de flor de laranjeira e chá com tons esfumaçados. A fragrância conclui com um fundo de musgo de carvalho, ambrette, mirra, benjoim e baunilha.

joyeusetubereuse55. Joyeuse Tubéreuse (Guerlain, 2017). O décimo primeiro membro da coleção L’Art et la Matière de Guerlain é finalmente dedicado à flor de odor mais potente – a tuberosa. Descrito pela marca como “surpreendentemente fresco, arejado e luminoso”, o perfume recebe outra notas florais como jasmim e lírio-do-vale. Além do topo cítrico e brilhante, Joyeuse Tubéreuse conta com uma base de sândalo e musks. Uma novidade a respeito dessa fragrância é que ela não mais traz o borrifador em formato de pera, devido a muitas reclamações de consumidores.

Veja também: IcônicosVintages, ExtratosEaux (Colônias)

2 pensamentos sobre “Guerlain

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s