Nicho Indie

NichoIndieAbreviação de “independent”, indie é aquilo que vem de fora do mainstream, ou seja, alternativo. Embora às vezes usado como sinônimo de nicho, o indie tem suas peculiaridades: o negócio é comandado por alguém de fora da indústria, a organização é pequena e artesanal, e a criação rompe com tendências ou padrões do mercado. Isso não significa, contudo, que fragrâncias indies sejam baratas – pelo contrário, normalmente são mais caras por serem feitas em menor escala e maior risco. Sem ter que responder para ninguém, perfumistas indies têm o privilégio de poder criar livremente (evidentemente obedecendo às regulações da IFRA), estando muito mais próximo aos clientes do que as grandes casas, que perdem uma boa dose de tempo e criatividade gerenciando a burocracia interna. Com o boom das redes sociais no início da década de 2010, o nicho indie explodiu, com dezenas de casas abertas a cada ano. Seja via Facebook ou fóruns on-line, hoje qualquer pessoa é capaz de abrir e divulgar rápida e amplamente suas criações, que muitas vezes são feitas em cooperação com os próprios usuários. Por outro lado, as redes sociais também cumprem o papel de selecionar os melhores. Em outras palavras, uma casa indie precisa ter muita qualidade para sobreviver.

Nota: Para perfumes lançados de 2015 em diante, consulte Lançamentos de Nicho.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

AnnePliska1. Anné Pliska (Anné Pliska, 1987). Em meados dos anos 80, uma californiana pediu para a Givaudan trabalhar em cima de sua ideia inicial de uma composição à base de patchouli, baunilha e mandarina. Ninguém sabe quem é essa mulher, pois ela sempre preferiu se manter anônima. O perfume foi batizado de Anné Pliska e ganhou notas de gerânio, jasmim, âmbar e musk. Simples porém sofisticada, a fragrância é um buquê fresco montado sobre uma base quente e polvorosa. Ao longo dos anos, Anné Pliska acabou se tornando cult entre os connoisseurs, especialmente mulheres.

AmbraDiVenezia2. Ambra di Venezia (Montgomery Taylor, 1998). Este delicioso floral frutado reúne notas de limão, laranja, manga, jasmim, narciso e sândalo. Ambra di Venezia abre cítrico e luminoso, com um equilíbrio perfeito entre o frutado e o floral. A base de sândalo propicia uma aura quente e cremosa, sem poluir a essência suculenta e brilhante da composição. Conseguindo evitar cair no clichê doce, Ambra di Venezia é um perfume sofisticado que agrada tanto mulheres quanto homens.

chocolatamere3. Chocolat Amère (Il Profumo, 2000). Chocolat Amère é um oriental especiado que contrapõe o amargo e o doce. Na saída, o perfume apresenta notas secas e adstringentes de gálbano, noz moscada e gengibre. Minutos depois, Já podemos sentir a nota de cacau mesclada a um buquê de jasmim e rosa. A secagem fica por conta de um acorde base esfumaçado de sândalo e elemi.

ariadimare4. Aria di Mare (Il Profumo, 2001). É difícil encontrar um floral marinho que realmente faça jus ao gênero de forma realística. Pois Il Profumo o fez. Aria di Mare gira em torno de um buquê de flores brancas como jasmim, lírio-do-vale e tiaré, trazendo consigo um acorde de algas marinhas. Com a ajuda de um manto de almíscar sintético, Aria di Mare mantém sua transparência e longevidade por várias horas na pele.

PréparationParfumée5. Préparation Parfumée (Andrée Putman, 2001). A renomada designer de interiores lançou sua fragrância assinatura adotando o gênero floral aquático. Préparation Parfumée abre transparente e aquoso, com um fundo amadeirado e salgado. No centro figura a nota de lírio aquático, temperada com coentro. O perfume tem um dry-down delicado de vetiver e musk. Préparation Parfumée é um perfume mais discreto e introvertido, feito para relaxar e não para causar.

PeauPêche6. Peau de Pêche (Keiko Mecheri, 2002). Com uma combinação de pêssego, orris, sândalo, âmbar e musk, a perfumista Keiko Mecheri compõe um delicado floral polvoroso. Inicialmente puramente frutado (mais suculento do que doce), Peau de Pêche (“pele de pêssego) aos poucos vai desenvolvendo um aspecto xaroposo e lactônico, com uma nítida base de sândalo. A madeira confere nuances de tabaco, enquanto o musk arredonda e suaviza a composição. Tudo em Peau de Pêche é bem equilibrado, apropriado para qualquer ocasião.

MyrrheMerveilles7. Myrrhe & Merveilles (Keiko Mecheri, 2002). Myrrhe et Merveilles é um complexo oriental amendoado à base de jasmim, incenso e mirra. A partir de um topo cítrico e metálico de mandarina e aldeídos, o perfume esbanja sofisticação com um jasmim limpo e atalcado, macio e aveludado. O dry-down de heliotrópio e musk compõe uma nuvem ao mesmo tempo translúcida e esfumaçada, deixando para trás um rastro polvoroso e refinado.

vanillebourbon8. Vanille Bourbon (Il Profumo, 2004). Para sua interpretação do tema de baunilha, Il Profumo produz este oriental especiado de nuances doces e florais. Vanille Bourbon abre com folha de limoeiro, anunciando um buquê atalcado de tiaré, orquídea e heliotrópio. Tudo isso é “amarrado” por uma base ao mesmo tempo doce e salina de baunilha e âmbar gris.

muscbleu9. Musc Bleu (Il Profumo, 2004). Segundo o site da marca: “A harmonia sedutora desta fragrância é focada no poder erótico do almíscar natural, ao mesmo tempo mantendo as notas de pureza inocência. Acordes intensamente florais no coração são feitos de gerânio, ylang-ylang e cíclame. Musc Bleu pode ser combinado com outras fragrâncias, sendo ele um fixador em si.” Sem mais.

Oliban10. Oliban (Keiko Mecheri, 2004). A perfumista Keiko Mecheri faz um tributo ao frankincense (ou olíbano) ao mesmo tempo em que o utiliza apenas como pano de fundo para uma composição bastante complexa. Com notas de olíbano, rosa, tabaco, pau-rosa, cedro, fava tonka e âmbar gris, Oliban abre pungente e defumado para depois se tornar um perfume agradável e reconfortante. A nota principal é tão bem utilizada que se mistura às outras em uníssono, sem aura religiosa.

Mogador11. Mogador (Keiko Mecheri, 2005). A perfumista Keiko Mecheri reuniu três tipos de rosas (turca, búlgara e marroquina) para compor este floral musky e levemente animálico. Diferente da nota fresca e leve da rosa de maio (mais comum em fragrâncias modernas), as rosas escolhidas são mais suculentas e encorpadas, com traços frutados de damasco e ameixa. Com a adição de um jasmim indólico e almíscar, Mogador resulta num imenso buquê floral elegante, romântico e intimista.

FrankLA212. Frank Los Angeles 2 (Frank Los Angeles, 2005). A segunda criação de Frank Los Angeles é um fougère oriental bem masculino com traços de sensuais de ameixa, conhaque e café. Na saída, o perfume abre verde e cítrico com notas de bergamota, lavanda e agulhas de pinho. Aos poucos um acorde boozy e frutado vai emergindo na companhia de coentro e café. No dry-down, a atmosfera aromática dá lugar a uma base oriental de resinas, madeira teca e musk. Elegante e polido, Frank Los Angeles 2 é recomendado a homens que buscam uma fragrância energizante sem abrir mão do poder de sedução.

NeroliBlanc13. Neroli Blanc Intense (Au Pays de la Fleur d’Oranger, 2005). A empresa familiar de cosméticos introduziu sua linha de perfumes em 2005. A mais conhecida é Neroli Blanc Intense – um floral frutado com nota marcante de baunilha. Com uma saída cintilante de bergamota, mandarina e flor de laranjeira, a composição revela um denso acorde central de rosa, jasmim e frutas. A base doce e cremosa fica por conta de sândalo, cedro, mel, baunilha e musk. É uma ode à flor de laranjeira.

196614. 1966 at the Beach (CB I Hate Perfume, 2005). Intensamente marinho, 1966 at the Beach foi inspirado no aroma do protetor solar Coppertone vendido nos anos 60. Para tanto, o perfumista Christopher Brosius criou um exótico acorde com notas de areia, sal, conchas e madeira molhada. Inicialmente doce e metálica, a composição assume um realístico aroma marinho e orgânico. Na secagem, o perfume exala um delicioso cheiro de pele bronzeada. Uma verdadeira viagem olfativa.

BurningLeaves15. Burning Leaves (CB I Hate Perfume, 2005). Mostrando para nós, brasileiros, o que seria o aroma do outono canadense, o perfumista Christopher Brosius faz uma interpretação olfativa das florestas daquele país com suas árvores de maple. O resultado é uma fragrância herbácea, doce, picante e esfumaçada, quente e seca como uma fogueira ao relento. Parece um patchouli com nuances de mel, incenso e immortelle.

BlackMarch16. M2 Black March (CB I Hate Perfume, 2006). Terroso, verde e aquático, M2 Black March reúne diversos sintéticos para criar o aroma de terra preta e úmida coberta de folhas secas e orvalho da manhã. O perfume invoca atividades relacionadas à natureza como plantar mudas no jardim, exalando um odor amargo e vivo. Por não conter álcool, a fragrância tem uma silagem moderada, porém também mais realística. M2 Black March é praticamente uma história engarrafada.

AfterMyOwnHeart17. After My Own Heart (Ineke, 2006). A perfumista Ineke Ruhland escolheu uma vibe fresca e delicada para a sua primeira fragrância. After My Own Heart abre vivo e radiante com um acorde de bergamota, framboesa e notas verdes. No coração, uma nota de lilás confere um aspecto macio e atalcado, levemente nostálgico e melancólico. A base é uma nuvem polvorosa de sândalo, heliotrópio e musk, na medida certa para preservar a atmosfera romântica da composição sem sufocar.

DerringDo18. Derring-Do (Ineke, 2006). Seguindo o estilo puritano e aquoso dos anos 90, Ineke Ruhland oferece um aromático aquático mais masculino. Derring-Do tem uma saída de cítricos, ervilha de cheiro e notas aquáticas, antes de adentrar um coração floral-herbáceo de magnólia, samambaia, pimenta e cardamomo. Para manter a composição crispy e refrescante, Derring-Do conta com uma base de cedro, gaiaco e musk, deixando um leve rastro esfumaçado e atalcado. Bom, mas não muito original.

patchoulinoir19. Patchouli Noir (Il Profvmo, 2006). Segundo o site de Il Profumo, “Patchouli Noir é uma fragrância simbólica do Oriente para o Ocidente. O aroma universal, para tanto homens como mulheres, revela uma mistura única de coração, composto por notas amadeiradas e resinas especiadas que refletem o equilíbrio do corpo e alma. Flores vermelhas densas concluem este perfume entusiástico e opulento”. De fato é um patchouli realístico, como a planta na vida real.

EO0120. EO01 (Biehl’s Parfumkunstwerke, 2007). A criação de Egon Oelkers investe no poder de sedução dos bálsamos. Com uma saída frutada de laranja-de-sangue, damasco, cardamomo, noz moscada e coco, EO01 em seguida revela um coração floral de íris, rosa, orquídea e lírio-do-vale, além de uma nota de pimentão. A inspiração no Oriente é refletida na rica base composta por canela, fava tonka, estoraque, baunilha, âmbar, madeiras nobres e musk. EO01 pende para o lado doce e feminino.

AL0221. AL02 (Biehl’s Parfumkunstwerke, 2007). O perfumista Arturetto Landi contribue para a casa alemã com um grandioso oriental especiado e frutado. AL02 abre com um acorde intoxicante de pêssego e ameixa maduros, antes de partir para um centro picante de cravo, rosa, jasmim, cardamomo e canela. Uma base quente e densa fica a cargo de notas de sândalo, vetiver, patchouli, labdanum, incenso, fava tonka, baunilha e musk. Equilíbrio perfeito entre os acordes frutal e oriental.

PC0222. PC02 (Biehl’s Parfumkunstwerke, 2007). Este é um delicioso chipre melífluo, praticamente gourmand, de Patricia Choux. Logo na aplicação, percebe-se a presença da molécula etil maltol do algodão doce, recortada por especiarias diversas. Mais à frente, um acorde atalcado de rosa, lavanda, peônia, frésia e heliotrópio dá uma atenuada ao potencial açucarado da composição. PC02 conclui com notas de mel, fava tonka, patchouli e musk, sempre harmonizadas com o resto.

Anvers223. Anvers 2 (Ulrich Lang, 2007). Em tributo à sua cidade natal, Antuérpia, Ulrich Lang apresenta um complexo oriental amadeirado com nuances florais e aromáticas. A partir de uma saída amarga e picante de cítricos, ruibarbo, cipreste, manjericão e pimenta preta, Anvers 2 parte para um buquê de rosa, jasmim, muguê e acácia com um fundo amadeirado. Uma base seca, quente e cremosa de sândalo, vetiver, musgo de carvalho, fava tonka, âmbar, incenso, baunilha e musk finalizam a composição. A mistura de gêneros se provou bem-sucedida com um equilíbrio perfeito entre masculino e feminino, chique e sexy.

Kiki24. Kiki (Vero Profumo, 2007). Este leve e original perfume aromático frutado é construído em torno da nota de maracujá. Um acorde de cidra, gerânio e lavanda ressaltam o lado azedo e vívido da fruta, enquanto um acorde de caramelo e patchouli reforça sua doçura. O resultado é uma fragrância com aroma predominante de maracujá com uma aura mentolada e polvorosa. No final, o acorde gourmand se equilibra bem o resto da composição, mantendo-a arejada e brilhante.

Onda25. Onda (Vero Profumo, 2008). Excêntrica e intrigante, a fragrância Onda gira em torno do incomum acorde de maracujá e vetiver. Junto a ele, notas de ylang-ylang, íris e gengibre ajudam a compor um potente aroma polarizante doce e salgado com aspecto funcional de desinfetante. Uma nota de mel confere um odor sulfuroso e levemente animálico. Onda é um perfume controverso que adentra um território pouco conhecido, ganhando pontos por sua ousadia. Prove antes de comprar.

Sottile26. Sottile (Yosh, 2008). O perfume é exatamente como seu nome sugere: suave e discreto. Tomando como base um acorde de rosa e lírio-do-vale, a perfumista Yosh Han compõe uma minimalista fragrância feita em homenagem à beleza serena e efêmera. Sottile reflete a delicadeza e graça que buscam as mulheres japonesas em seus perfumes, fazendo deles apenas complementos à sua naturalidade. Ideal para mulheres que preferem a sutileza de um cheiro de banho tomado.

Loukhoum27. Loukhoum (Keiko Mecheri, 2008). Inspirado na guloseima turkish delight, este oriental floral não poupa esforços para ser doce, melífluo e viscoso. O centro da composição é formado por notas de rosa, cereja, mel e amêndoas, trazendo elegância e suculência. Uma base macia e cremosa de baunilha e almíscar sustenta a fragrância, garantindo a longevidade das notas principais. Apesar de ser enjoativamente gourmand no início, Loukhoum tem uma secagem discreta e agradável.

BellAntonio28. Bell’Antonio (Hilde Soliani, 2008). Criado em homenagem ao pai da artista italiana Hilde Soliani, Bell’Antonio concentra-se no acorde tabaco-café. Este perfume minimalista e realístico reproduz a experiência de tomar café enquanto se fuma um charuto. Durante a evolução, o aroma de tabaco transita de úmido e doce para seco e amargo, enquanto o aroma de café torrado e picante invoca o espírito italiano. Bell’Antonio é um perfume sério e elegante feito para homens maduros.

BurningBarbershop29. Burning Barbershop (D.S. Durga, 2008). Em 1891, um frasco de colônia sobreviveu ao incêndio que destruiu a barbearia Curling Bros em Westlake, Nova York. O perfumista David Moltz conseguiu reproduzir a fórmula vintage para criar Burning Barbershop. O novo perfume é um aromático masculino e exótico com notas de limão, menta, lavanda, rosa, feno, óleo queimado e baunilha, resultando num aroma com dois polos opostos: o leve e ultrafresco e o escuro e defumado.

winterwoods30. Winter Woods (Sonoma Scent Studio, 2008). A casa artesã californiana oferece uma composição que usa notas amadeiradas e ambaradas com um toque de fumaça que lembra do outono e inverno. Um tanto monolítica, a fragrância reúne vetiver, gaiaco, cedro, sândalo, bétula e musgo de carvalho, além de toques animálicos de castoreum e âmbar gris. Um oriental amadeirado confortável e elegante.

sonoma31. Ambre Noir (Sonoma Scent Studio, 2008). A casa norte-americana propõe um oriental construído em torno da nota fantasia do âmbar. Evoluindo praticamente como um bloco monolítico, a composição apresenta notas de rosa, labdanum, olíbano, mirra, vetiver, musgo de carvalho, patchouli, cedro, sândalo, estoraque, baunilha e castoreum. O resultado é um âmbar incensado com uma faceta de couro.

sonoma32. Tabac Aurea (Sonoma Scent Studio, 2009). Desta vez adotando o gênero oriental amadeirado, Tabac Aurea aborda o tema do tabaco. Segundo o site da marca, o perfume “tem um delicioso dry-down de âmbar dourado e uma nota de tabaco de charuto que é gentil suficiente para ser apreciado tanto por mulheres como homens”. Tabac Aurea reúne notas de âmbar, madeiras nobres, especiarias quentes, tabaco, couro, fava tonka, labdanum, patchouli e baunilha.

Nightscape33. Nightscape (Ulrich Lang, 2009). Construído ao redor da nota de patchouli, Nightscape apresenta uma composição sensual e misteriosa com uma saída verde e frutada, um coração floral de jasmim, íris e gerânio, e uma base de couro, âmbar, mel, fava tonka, musk e madeiras nobres. A evolução da fragrância representa o desenrolar de um dia, do amanhecer à madrugada. Limpo e moderno, Nightscape é um perfume bem-equilibrado e inofensivo, apropriado para qualquer ocasião.

Sideris34. Sideris (Maria Candida Gentile, 2009). Para compor este aromático especiado, Maria Candida Gentile uniu o chá da montanha chamado Sideris com notas balsâmicas e picantes de gengibre, açafrão, pimenta, labdanum, cera de abelha, mirra, olíbano e benjoim. O perfume abre com um intenso aroma macio e polvoroso, com fundo herbáceo. Logo a nota de chá domina a composição, trazendo consigo uma base oriental com predominância de incenso. Com uma construção impecável, Sideris consegue manter-se limpo e translúcido apesar de seus ingredientes densos e pesados.

Exultat35. Exultat (Maria Candida Gentile, 2009). Maria Candida Gentile apresenta uma fragrância à base de incenso com uma marcante nota atalcada de violeta. Exultat é um amadeirado aromático que abre com um aspecto arejado e fresco de notas cítricas e folha de violeta. Um coração seco e aveludado de olíbano e violeta confere personalidade, ao mesmo tempo em que preserva a identidade aromática da composição. Uma base de madeiras secas garante o desempenho deste engenhoso perfume.

Hanbury36. Hanbury (Maria Candida Gentile, 2010). Mais uma criação inovadora de Maria Candida Gentile, Hanbury coloca lado a lado um acorde cítrico (laranja e limão) e um acorde doce-indólico (acácia, benjoim e mel) para reproduzir o néctar de uma flor. Uma base terrosa, vegetal e musky confere uma aura natural à proposta da perfumista. Se no início Hanbury é doce e viscoso, na evolução o perfume vai se tornando soapy com traços de pólen e tabaco. Seja excêntrico ou perverso, é difícil contestar sua qualidade.

RéglisseNoire37. Réglisse Noire (1000 Flowers, 2010). A primeira fragrância da pequena casa indie do Canadá é um oriental amadeirado construído em torno da exótica nota de alcaçuz. Com uma saída de menta, folha de violeta, pimenta e shiso, Réglisse Noire parte para um coração especiado de gengibre, anis, alcaçuz e cacau. A partir daí, a composição esquenta e ganha corpo com uma base de patchouli, baunilha e musk. O interessante do perfume é escapar do clichê gourmand e investir na dicotomia entre o brilhante e o escuro, entre o frio e o quente.

Alambar38. Alambar (Laboratorio Olfattivo, 2010). Alambar é uma interpretação minimalista do âmbar com traços de especiarias e cacau. Com uma potente saída cítrica, o perfume se desenvolve como um bloco monolítico de âmbar, canela, alcarávia, baunilha e chocolate. Graças a uma nota de bergamota que permanece ativa durante a evolução, Alambar mostra um âmbar translúcido e arredondado, sem nada muito teatral e complicado. Bom para o dia a dia.

Rubj39. Rubj (Vero Profumo, 2010). Apresentado em duas concentrações, Rubj é um oriental floral à base de cítricos, flores brancas, maracujá, cominho e civet. Na versão menos concentrada, a nota frutada ganha ênfase, tornando-se mais fácil de usar durante o dia. Já o extrato é mais opulento, marcadamente animálico, com forte aroma de tuberosa e um fundo herbáceo (ervas finas e musgo de carvalho).

Craft40. Craft (Andrea Maack, 2010). Andrea Maack é um belo exemplo de perfumista que faz bom uso de sintéticos, produzindo belos resultados. Em Craft, um acorde transparente e limpo se contrapõe a um acorde denso e esfumaçado. De um lado, aldeídos, notas aquáticas e musk criam uma atmosfera crispy, limpa e macia. De outro, patchouli, incenso e agulhas de pinho remetem à uma floresta escura. O resultado final pende para o defumado e terroso, porém com uma textura leve e sedosa.

tabacca41. Tabacca (Costamor, 2010). Costamor é uma casa fundada em 2009 pela americana de ascendência costa-riquenha Elizabeth Wright. A fragrância mais conhecida da casa é Tabacca, um amadeirado aromático construído em torno da nota de tabaco. O perfume abre com um acorde de chá e maçã. Minutos depois, seu coração de tabaco emerge na companhia de jasmim, rosa e especiarias quentes. A secagem fica por conta de um fundo de âmbar e madeiras nobres.

conafetto42. Conafetto (Hilde Soliani, 2010). O nome da fragrância não tem a ver com confeito e sim refre-se a “Con Affeto” (com afeição). Trata-se de um floral frutado doce e polvoroso. A fragrância abre com amêndoas, anunciando um coração de flor de laranjeira. Como base, está listada apenas a nota de açúcar, mas deve conter almíscares sintéticos para dar volume e sustentação à fragrância.

sonoma43. Incense Pure (Sonoma Scent Studio, 2010). Segundo o site da marca Sonoma Scent Studio: “Incense Pure é o cheiro de resinas e madeiras, composto por grandes quantidades de óleos naturais. Uma escolha ideal para relaxamento e meditação para amantes de incenso.” O perfume se desenvolve numa única fase com notas de incenso, elemi, labdanum, sândalo, patchouli, cedro, musgo de carvalho, angélica, orris, baunilha e âmbar gris.

lale44. Lale (Ys-Uzac, 2011). Lale é um floral oriental de nuances amadeiradas e frutadas. Depois de uma saída refrescante e suculenta de cítricos (bergamota, laranja, mandarina) e osmanthus, a composição adentra um acorde floral e picante de pimenta rosa, damasco, açafrão, rosa e flores brancas. Tudo isso é sustentado por um acorde quente e balsâmico de madeiras nobres, benjoim, âmbar e incenso.

pohadka45. Podakha (Uz-Uzac, 2011). Podakha é um aromático verde de traços florais e de couro. O perfume abre com uma nota de shiso e sálvia, anunciando um centro floral e arejado de grama cortada, artemísia, jasmim e labdanum. Na evolução, Podakha traz à tona uma base complexa de immortelle, flor de tabaco, liatris, couro e baunilha. Uma composição original e artística.

olympicamber46. Olympic Amber (Olympic Orchids, 2011). Olympic Amber é assim descrito pela perfumista Ellen Covey: “Originalmente formulado como base para outros perfumes, este âmbar fica lindamente sozinho. Uma fragrância densa e dourada cheia de labdanum natural ornamentada com baunilha, benjoim, incenso, resinas, patchouli e madeiras. Uma verdadeira fragrância oriental que irá transportar você num tapete mágico de deleites olfativos.” Sem mais.

RoudElements47. R’oud Elements (Kerosene, 2011). A primeira criação de Kerosene gira em torno da nota de oud. R’oud Elements procura trabalhar tal nota de maneira suave, sem a opulência da perfumaria árabe. O perfume abre com um adstringente acorde de oud, lavanda e laranja amarga, aos poucos se tornando macio e aveludado com notas de íris, sândalo, âmbar e baunilha. Com uma dose bem-balanceada de doçura e acidez, R’oud Elements conquista com seu apelo moderno e inventivo.

SombreNegra48. Sombre Negra (Yosh, 2011). Este perfume ilustra o lado obscuro da natureza humana. Sombre Negra é um espesso e pesado fougère oriental com predominância de notas herbáceas, picantes e balsâmicas. Com uma saída aromática e picante de cítricos, artemísia, cipreste e pimenta rosa, a composição adentra um coração de íris e especiarias (pimenta, cravo-da-índia, noz moscada e cominho). A base fica por conta de tabaco, musgo de carvalho, madeiras nobres (teca, patchouli e cedro) e bálsamos (opoponax, fava tonka, olíbano e estoraque). Sombre Negra é uma clara homenagem aos antigos fougères.

LaColonia49. La Colonia (Oliver & Co, 2011). La Colonia é uma fragrância cítrica com nuances marítimas. Abrindo com bergamota, pimentão verde, ervas finas e algas marinhas, a composição mostra um suave acorde central de lírio-do-vale e jasmim. Uma base de cedro e sândalo é escolhida para manter o aspecto crispy e fresco. Embora este perfume siga um gênero fora de moda, La Colonia não deixa de ser uma opção moderna e original para o dia a dia.

Métaboles50. Métaboles (Ys-Uzac, 2011). A marca foi fundada pelo perfumista Vincent Micotti, que se inspira na natureza e arte para compor suas fragrâncias. Métaboles é um aromático especiado com foco na nota de gerânio. Com uma saída vegetal de bergamota, gálbano, folha de tomate e hera, a composição libera uma “bomba gelada” feita de gerânio, menta, alcaçuz, pimenta e cravo-da-índia. Na secagem, notas de benjoim e baunilha conferem um aspecto boozy, criando um contraste interessante com o gelado.

FieldsOfRubus51. Fields of Rubus (Kerosene, 2012). Frutas, tabaco e madeiras nobres. Fields of Rubus é um perfume com uma consistência viscosa de geleia, reunindo notas realísticas de ameixa, framboesa e maçã, adoçadas com baunilha. Na evolução, a doçura da fragrância se ameniza com a base de tabaco (dominante), patchouli, sândalo, cedro e musk. O resultado é uma interessante polaridade entre o seco-amargo e o melado-doce. Fields of Rubus tem potencial enjoativo para os menos preparados.

Vetiverus52. Vetiverus (Oliver & Co, 2012). Vetiverus explora o lado terroso e potente do vetiver. Na saída, o perfume exala um suculento acorde de laranja e osmanthus, contrastando com o coração picante e esfumaçado de vetiver, coentro e pimenta. Durante a evolução, uma base de patchouli, couro e musk emerge, garantindo uma atmosfera retrô e elegante. Vetiverus é uma deliciosa interpretação de vetiver com tonalidades de mel e especiarias em ótimo equilíbrio.

espressoroyale53. Espresso Royale (Sebastiane, 2012). Como um sopro de originalidade na perfumaria, Sebastiane lança uma fragrância à base de café sem aquele aspecto sintético e batido. Espresso Royale emprega notas de café, rum, avelãs, fava tonka e caramelo para produzir um delicioso aroma de bala de café. O resultado é denso e escuro, como toffee e grãos torrados, com enorme silagem e fixação. Com uma competente harmonia entre as notas centrais e a base amadeirada e musky, Espresso Royale se distancia do gourmand para se tornar sofisticado.

Lightscape54. Lightscape (Ulrich Lang, 2012). Lightscape é um agradável e moderno floral amadeirado que mescla notas naturais e sintéticas com muita competência. O perfume abre com um aspecto frutado, vegetal e metálico com a ajuda de aldeídos, limão siciliano, folha de violeta e gálbano. Na evolução, um coração atalcado de violeta, íris e rosa é sustentado por uma base seca, macia e amadeirada de cashmeran, fava tonka, âmbar gris e musk. Lightscape é puro cetim em formato perfume.

Mito55. Mito (Vero Profumo, 2012). Com uma composição floral verde, arejada e cristalina, Mito representa a interação de flores brancas com seu território folhoso e terroso. Depois de uma saída cítrica e vegetal (gálbano), a fragrância revela um aroma cintilante e fresco de magnólia, jasmim, champaca e jacinto. Uma base de cipreste e musgo de carvalho reproduz a aura úmida, herbácea e terrosa da floresta. Mito é perfeito para quem busca um perfume de bem-estar e introversão.

7BillionHearts56. 7 Billion Hearts (CB I Hate Perfume, 2012). Construído em torno de diferentes tipos de baunilha, 7 Billion Hearts abre intensamente amadeirado, passando a sensação de um ambiente sofisticado e envelhecido. Apesar da predominância de baunilha, o perfume apresenta um aspecto fresco e seco, o que mostra a qualidade dos ingredientes utilizados. 7 Billion Hearts tem uma aura natural com nuances terrosas, rançosas e defumadas como uma mistura de sauna e adega.

sonoma57. Nostalgie (Sonoma Scent Studio, 2012). Nostalgie é um complexo floral aldeídico de traços balsâmicos e amadeirados. A partir de uma cintilante saída de aldeídos, pêssego e folha de violeta, o perfume adentra um coração seco e esfumaçado de patchouli, orris, sândalo, vetiver e couro. Na secagem, o Nostalgie exibe um acorde quente e balsâmico de musgo de carvalho, cera de abelha, mirra, baunilha e musk.

sonoma58. Forest Walk (Sonoma Scent Studio, 2012). “Passeio na Foresta” é um amadeirado aromático de nuances florais e polvorosas. O perfume abre com notas verdes, aos poucos desabrochando um arejado buquê de jasmim e violeta. Na evolução, a faceta florestal aparece mais nítida com notas de secas e crispy de sândalo, carvalho, abeto, cedro, carvalho, âmbar e benjoim. Bela execução da ideia.

purofico59. Puro Fico (Officina della Essenze, 2012). Esta fragrância pede uma nova classificação: frutado marinho. Puro Fico abre verde e efervescente com gálbano, folha de figo e algas marinhas, anunciando um centro suculento e lactônico de figo e coco. O acabamento fica por conta de um acorde polvoroso de sândalo e amêndoas. Puro Fico é um daqueles perfumes que invoca facilmente uma aura de férias.

caldogourmand60. Caldo Gourmand (Officina della Essenze, 2012). “Quente Gourmand” é um oriental vanilla de traços amadeirados e polvorosos. Desenvolvendo-se em praticamente uma única fase, o perfume reúne notas doces e cremosas de coco, baunilha e caramelo sustentadas sobre um fundo seco e macio de madeiras nobres e almíscar sintético. Recomendado para quem gosta de perfumes ao estilo de Musc Maori de Parfumerie Générale.

immortalmeadow61. Immortal Meadow (Sebastiane, 2012). Seguindo o gênero chipre amadeirado, “Campo Imortal” apresenta facetas verdes e polvorosas. O perfumista Robert Elder elegeu amora, violeta e íris como seu acorde de cabeça, reservando um acorde florestal de grama, vetiver, cedro e patchouli para o centro da composição. Para concluir, Immortal Meadow assume um fundo oriental de couro, benjoim e baunilha.

lovann62. Lovann (Santi Burgas, 2013). Em 2013, o diretor artístico Santi Burgas lançou uma coleção chamada “Loant” feita de perfumes que podem ser combinados entre si. Desta forma, uma avaliação separada de Lovann torna-se difícil… Trata-se de um oriental vanilla com maçã verde, mel, âmbar e baunilha como notas listadas, mas que poderia ser resumido como um creme ultradoce que serviria melhor como a base de outro perfume.

lojazz63. Lojazz (Santi Burgas, 2013). Diferente dos outros membros da coleção “Loant” de Santi Burgas, Lojazz é provavelmente o mais bem acabado e que pode ser usado sozinho. Estamos falando de um grande floral branco. O perfume abre com magnólia, violeta e néroli, abrindo caminho para um buquê de flor de laranjeira, jasmim e tuberosa de aspecto úmido e espesso. Ainda que não listado, o perfume parece levar mel como nota de base.

blackbird64. Blackbird (Olympic Orchids, 2013). Blackbird é um exótico amadeirado aromático de traços frutados e balsâmicos. Tudo começa com uma nota de amora, que introduz um centro de cedro, feno e abeto. No dry-down, Blackbird conclui com um acorde base de âmbar e musk. Exótico por combinar o seco-amargo com o suculento-doce e mesmo assim conseguir produzir um aroma interessante e harmonioso.

Kashnoir65. Kashnoir (Laboratorio Olfattivo, 2013). O laboratório sediado em Roma oferece um oriental amadeirado com foco picante e esfumaçado. Kashnoir abre com um acorde clássico de colônia, logo trazendo à frente notas de rosa, flor de laranjeira e coentro. Essa especiaria é mais potente do que o esperado, praticamente dominando a composição. Durante o dry-down, Kashnoir vai escurecendo e se tornando polvoroso com uma base de patchouli, benjoim, heliotrópio e baunilha.

ThirtyThree66. Thirty Three (Ex Idolo, 2013). Este complexo oriental floral e amadeirado foi composto usando como ingrediente principal um oud extraído em 1980 e envelhecido até o lançamento do perfume. Na saída, notas de pimenta e borracha surpreendem com um aroma químico e medicinal. O coração da composição consiste de uma rosa taif carnuda e suculenta cercada de íris, chá e notas metálicas. No dry-down, a nota de oud fica bem nítida, na companhia de patchouli e heliotrópio.

Coven67. Coven (Andrea Maack, 2013). A perfumista indie Andrea Maack se inspirou no folclore e segredos da floresta da Islândia para compor este perfume potente e dramático. A composição abre com notas verdes que remetem a grama recém-cortada, tendo como fundo uma nota escura e amarga de tintura de solo. Na evolução, esse aspecto terroso e seco vai cedendo espaço a uma base boozy e picante. Coven certamente não é para todos, mas quem gosta de natureza precisa prová-lo.

UnknownPleasures68. Unknown Pleasures (Kerosene, 2013). É sempre um desafio criar um perfume gourmand sem resultar num aroma de sobremesa. Unknown Pleasures tem uma saída potente de limão siciliano e chá, com um fundo que remete a pâtisserie. Mais adiante, a fragrância mostra a que veio com um acorde de caramelo, mel, fava tonka e baunilha, produzindo um aroma de cookies recém-saídos do forno. Com tudo bem equilibrado, Unknown Pleasures é confortável e gostoso, nada enjoativo.

König69. König (Yosh, 2013). Tomando como base o acorde maçã-vetiver, a perfumista Yosh Han apresenta um moderno amadeirado aromático. Sem cítricos, König abre diretamente com um topo herbáceo de sálvia e cipreste, seguido de um centro crispy de maçã e papyrus com nuances florais. Uma base masculina e oriental de vetiver, madeiras nobres, couro, âmbar e musk encerra a composição com uma atmosfera florestal e esfumaçada. König é uma fragrância discreta e elegante.

EnchantedForest70. Enchanted Forest (The Vagabond Prince, 2013). Inspirado nas misteriosas florestas e contos russos, Enchanted Forest é um inusitado amadeirado aromático com nuances frutadas e picantes. O perfumista Bertrand Duchaufour elegeu a nota de cassis como base desta composição devido ao seu caráter escuro, doce e viscoso. Na saída, a fragrância revela um aroma aldeídico, herbáceo e boozy (rum e vinho tinto), antes de desenvolver um coração de cassis, rosa e coentro. Uma base terrosa, canforada e balsâmica de vetiver, patchouli, agulhas de pinho e opoponax confere uma aura natural de floresta.

Shazam71. Shazam (4160 Tuesdays, 2013). Fundada em Londres pela perfumista Sarah McCartney, 4160 Tuesdays ainda está no começo de suas atividades, mas já oferece criações interessantes. Shazam é um oriental ambarado com topo herbáceo de tangerina, zimbro e manjericão, centro picante de pimenta rosa, incenso e cardamomo, e base cremosa de patchouli, cacau e âmbar. Shazam é um oriental genuíno com um âmbar que funciona como deveria: mais textura e menos doçura.

Sexiest72. The Sexiest Scent on the Planet (4160 Tuesdays, 2013). Sempre com um espírito irreverente, Sarah McCartney investe num minimalista e complexo acorde cítrico-vanilla neste oriental amadeirado. O perfume começa com um aroma macio e esfumaçado de madeiras e musks. Na evolução, a base de baunilha emerge, curiosamente amplificando o efeito da bergamota no topo. The Sexiest Scent on the Planet talvez pudesse ter sido chamado de The Most Comfortable Scent on the Planet.

Havana73. The Dark Heart of Old Havana (4160 Tuesdays, 2013). Desta vez explorando o acorde café-tabaco, a casa 4160 Tuesdays oferece um oriental especiado com um toque açucarado de pêssego. Com um topo de cítrico e frutado, The Dark Heart of Old Havana rapidamente segue com um acorde central andrógino de jasmim, café, tabaco e amêndoas. A base fica a cargo de uma combinação quente e cremosa de pimenta preta, baunilha e musk. Criativo e harmonioso.

Holidays74. What I Did on My Holidays (4160 Tuesdays, 2013). Com temática marinha, tropical e gourmand, 4160 Tuesdays arrisca com uma composição salina, lactônica e mentolada. Notas de algas marinhas, menta, coco, lavanda, baunilha e açúcar são reúnidas para criar um efeito exótico de coquetel, protetor solar, sorvete e brisa oceânica. O criativo What I Did on My Holidays cumpre com a promessa de nos transportar para as antigas memórias de férias na praia.

GrandCuir75. Grand Cuir (Parfums Retro, 2013). Jeffrey Dame e Hugh Spencer estabeleceram em 2013 uma parceria que deu origem a esta fragrância à base de couro. Na saída, Grand Cuir mostra um acorde defumado e picante de bétula, sálvia e labdanum, em seguida amenizado com um buquê old school de flor de laranjeira, gerânio, lavanda, violeta, cravo e rosa. Grand Cuir tem uma secagem lânguida e confortável graças à combinação de agulhas de pinho, sândalo, patchouli, musgo de carvalho, pau-rosa e musk. Um couro soapy e andrógino, bem à moda antiga.

Sensei76. Sensei (Piotr Czarnecki, 2013). O instrutor de dança polonês Piotr Czarnecki buscou nesta fragrância unir sua arte à perfumaria. Com um inovador frasco de três concentrações (EDT, EDP e extrato), Sensei gira em torno do acorde de café e tabaco. O perfume abre com tal acorde acompanhado de uísque, antes de seguir para um coração balsâmico e picante de incenso e mirra. A base fica por conta de labdanum, baunilha e musk. Enquanto a versão menos concentrada favorece nuances picantes e amendoadas, a versão extrato é mais cremosa e boozy. Sensei é uma verdadeira experiência olfativa.

Hedonist77. Hedonist (Viktoria Minya, 2013). Criado pela perfumista húngara Viktoria Minya, Hedonist é um chipre frutado e boozy. A fragrância tem uma saída incrivelmente licorosa com notas de baunilha, pêssego e rum. Na evolução, um acorde de flor de laranjeira, jasmim e osmanthus dissipam parcialmente o aroma intensamente doce. Uma base seca e amarga de tabaco, vetiver e cedro consegue contrapor a personalidade açucarada e densa do perfume com muita classe. Existe também nas versões Hedonist Iris e Hedonist Rose.

EauHongrie78. Eau de Hongrie (Viktoria Minya, 2013). A perfumista Viktoria Minya faz uma nova interpretação da famosa Eau de Hongrie, criada em 1370 para a então rainha da Hungria, Elisabeth. Reeditada para um contexto moderno, a fragrância reúne notas de limão siciliano, toranja, cravo-da-índia, jasmim, mel, sândalo, immortelle, labdanum, fava tonka, vinho de sobremesa e musk. O resultado é um perfume doce e intoxicante, feito para aproveitar os prazeres da vida. Excelentes projeção e longevidade.

Zelda79. Zelda (En Voyage, 2013). A perfumista autodidata da Califórnia, Shelley Waddington, já produziu mais de vinte composições. Dentre elas, destaca-se Zelda, um inventivo oriental floral com cara de diva retrô. No início, o perfume tem aroma verde e adstringente de bergamota, gálbano e especiarias, com um fundo boozy e intoxicante. Na evolução, um buquê floral atalcado emerge, cercado por uma aura escura e profunda, com madeiras secas, baunilha, âmbar e musk. Uma preciosidade da perfumaria indie.

ChristopherStreet80. Christopher Street (Charenton Macerations, 2013). Feito em homenagem à famosa rua gay de São Francisco, Christopher Street é um chipre à base de couro feito à moda antiga. O perfume abre com um aroma ácido e amargo de limão, laranja amarga, tabaco, incenso e couro, à medida em que cravo-da-índia e canela vão dando contorno à composição. Um coração de flor de laranjeira e cravo traz certa leveza, mas não o suficiente para abafar a atmosfera seca e defumada. Na secagem, Christopher Street mostra seu DNA chipre com uma base de couro, patchouli, musgo de carvalho e almíscar.

DirtyFlower81. Dirty Flower Factory (Kerosene, 2014). A pequena casa indie Kerosene tem rapidamente conquistado uma legião de fãs com suas criações originais. Dirty Flower Factory é um floral branco com uma nota marcante de pimenta malagueta, além de pimenta rosa para fazer a transição. Uma base cremosa de sândalo, âmbar gris e musk acentua a cremosidade e delicadeza da composição sem comprometer seu lado selvagem. Seu nome (“flor suja”) não deve ser entendido no sentido moral e sim natural.

Rozy82. Rozy (Vero Profumo, 2014). Vero Kern segue com seu estilo único e introduz Rozy, um floriental concebido em torno da rosa, cercada de notas frutadas de maracujá e pêssego. Mel é agregado para trazer calor e textura, enquanto lilás produz uma sensação de maciez floral. Uma base seca e amadeirada fica por conta de cedro. O resultado é um perfume verde e crocante com todas as notas em perfeita harmonia, sem se tornar muito doce ou muito floral. Moderno e compartilhável.

OrientalNoir83. Oriental Noir (Amberfig, 2014). O perfumista brasileiro David Magalhães apresenta uma criação oriental amadeirada e especiada bem apropriada para o clima do país. Oriental Noir tem uma saída herbácea e amadeirada de cipreste, vetiver e cedro, antes de adentrar um coração balsâmico e picante de cravo-da-índia e olíbano. Como um degradê do seco e amargo para o doce e cremoso, a composição finaliza com um acorde resinoso de labdanum, benjoim, fava tonka e baunilha. Oriental Noir é um oriental complexo e multifacetado que explora com competência as possibilidades de sua estrutura.

Yasamin84. Yasamin (Amberfig, 2014). Yasamin é um floral musky de traços atalcados e gourmands. Com um equilíbrio perfeito entre o feminino (representado pelo acorde jasmim-benjoim) e o masculino (representado pelo acorde patchouli-fava tonka), Yasamin abre com um aspecto natural e canforado, aos poucos ganhando corpo e cremosidade com sua base oriental. Yasamin deixa para trás um rastro terroso e achocolatado, sem perder sua delicadeza floral.

Luminiscência85. Luminescência (Amberfig, 2014). Desta vez com uma abordagem aromática, Amberfig parte do acorde clássico de colônia para produzir um floral cítrico com traços ambarados. Luminescência abre com um acorde efervescente de bergamota, limão siciliano, petitgrain, manjericão, verbena e cardamomo, anunciando um centro limpo e brilhante de lavanda e néroli. Notas de âmbar e baunilha conferem um dry-down alaranjado e adocicado, mantendo o frescor e discrição originais.

MHP86. Mate, Heliotrope & Patchouli (Dame Perfumery, 2014). Este é um criativo oriental floral com nuances herbáceas e ambaradas. A partir de um topo cintilante e pungente de limão tahiti, aldeídos e mate, a composição adentra um acorde polvoroso de íris, rosa, heliotrópio e tiaré. Mate, Heliotrope & Patchouli tem uma evolução soapy e refrescante, reforçada por uma base corpulenta de patchouli e âmbar. Completamente unissex.

VanilleDebauche87. Vanille Débauche (Perfumes by Terri, 2014). Baunilha, tabaco, cera de abelha e frutas secas. O que pode dar errado? Este oriental vanilla de Terri Bozzo tem uma intoxicante saída boozy com atmosfera de adega de conhaque. Vanille Débauche instantaneamente remete aos conhecidos A*Men Pure Malt de Thierry Mugler, Tobacco Vanille de Tom Ford e 1270 de Frapin com suas rendições masculinas e boêmias da nota de baunilha. Sensual e misterioso.

DouceurBrulée88. Douceur Brûlée (Perfumes by Terri, 2014). Assim como existem alimentos de conforto, também existem perfumes de conforto. Terri Bozzo oferece uma fragrância inspirada no crème brûlée, combinando notas de limão siciliano, coco, açúcar queimado, baunilha e manteiga sobre uma base de sintéticos como etil maltol, ambroxan, evernyl e musk. Douceur Brûlée é literalmente gourmand, demolindo a fronteira entre paladar e olfato. Só para quem gosta de cheirar a confeitaria.

SheCameToStay89. She Came to Stay (Edition Perfumes, 2014). O primeiro perfume da casa fundada pelo inglês Timothy Han, ex-assistente de John Galliano, é um fougère aromático inspirado da obra homônima de Simone de Beauvoir. She Came to Stay abre fresco e gelado com notas de limão siciliano, gerânio e manjericão, antes de esquentar com um buquê de canela, noz moscada e cravo-da-índia. No dry-down, uma base chipre de vetiver, musgo de carvalho, patchouli, labdanum e cedro confere um revigorante aroma florestal.

Rhinoceros90. Rhinoceros (Zoologist, 2014). Fundada em Toronto por Victor Wong, Zoologist adota o tema de animais para trazer fragrâncias potentes, com aquele cheiro “sujinho” que era apreciado no passado. Uma delas é Rhinoceros, um complexo chipre couro com nota de rum. O perfume abre cítrico e gelado (agulhas de pinho, gerânio, lavanda), contrastando com seu centro quente e esfumaçado de rum, tabaco, immortelle e oud. Uma base de couro, âmbar, madeiras nobres e musk finaliza a composição com muito estilo. Impossível passar despercebido.

Panda91. Panda (Zoologist, 2014). Para o retrato olfativo de um dos animais mais adoráveis do planeta, Zoologist adota ingredientes frescos, macios e orgânicos, num estilo mais ameno que as demais criações da casa. A composição tenta reproduzir o aroma de seu habitat natural com notas de cítricos, bambu, pimenta branca, chá verde, flores frescas, incenso e madeiras úmidas (líquens e raízes). O tema verde, aquoso e florestal é brilhantemente executado, resultando numa gostosa fragrância casual e terapêutica.

Beaver92. Beaver (Zoologist, 2014). Zoologist descreve este perfume como o habitat natural do castor canadense: uma madeira escura curtida pela água do rio, com flores silvestres crescendo por baixo. Com uma saída animálica de castoreum, a composição assusta no início, mas depois evolui para um aroma refrescante, terroso e atalcado de tília, íris, cedro, baunilha e âmbar, além de uma nota sintética de cinzas. Menos sujo e oleoso, Beaver deixa para trás um rastro macio e esfumaçado.

woodcut93. Woodcut (Olympic Orchids, 2014). Woodcut é um gourmand construído basicamente em torno do acorde caramelo-carvalho. O diferencial deste perfume é que ele não é um daqueles feitos para meninas. Woodcut é, na verdade, um perfume maduro que contrapõe o aroma natural de madeiras cortadas (entre elas pinho e cedro) com o de açúcar derretido. Certamente um gourmand fora do comum.

angelique94. Angélique (Papillon, 2014). Seguindo o gênero floral verde, Angélique apresenta traços amadeirados e frutados. O perfume abre com um acorde floral e suculento de champaca e osmanthus, anunciando um coração doce e atalcado de mimosa e íris. A secagem fica por conta de um acorde seco e esfumaçado de cedro e elemi. Angélique é um belo perfume feito à moda antiga que remete aos anos 70.

blackflowermexicanvanilla95. Black Flower Mexican Vanilla (Dame Perfumery, 2014). Pegando a onda dos orientais vanilla, Dame Perfumery apresenta este perfume complexo e original. A partir de uma saída de limão e toranja, Black Flower Mexican Vanilla adentra um centro de gardênia e jasmim temperados com noz moscada. Na finalização, o perfume ganha um corpo amadeirado de vetiver, sândalo e patchouli, além de toques gourmands de fava tonka, baunilha e caramelo.

herbman96. Herb Man (Dame Perfumery, 2014). Como o próprio nome sugere, Herb Man é uma composição aromática, mas ela traz consigo também nuances florais, cítricas e especiadas. Feito para homens, trata-se de uma colônia com um topo de bergamota, zimbro, sálvia e petitgrain. Em minutos, Herb Man evolui para um coração gelado de gerânio e lavanda que se contrapõe com um fundo quente de âmbar, cedro e musgo de carvalho.

blackmagic97. Black Magic (Sebastiane, 2014). Black Magic é um complexo oriental floral de traços verdes e frutados. A partir de uma saída alegre de amora e grama cortada, o perfume desabrocha um inebriante buquê de rosa, jasmim e frangipani sustentado sobre um corpo de patchouli, couro e vetiver. Finalmente, Black Magic mostra seu lado mais obscuro com um acorde oriental de fava tonka, âmbar e baunilha.

fioredibellagio98. Fiori di Belllagio (En Voyage, 2014). Shelley Waddington se inspirou nos anos 20 para compor este floriental de nuances verdes e polvorosas. Fiori di Bellagio abre refrescante com limão siciliano, folhas verdes e ylang-ylang, anunciando um buquê atalcado e picante de rosa, cravo, gardênia, jasmim, lírio-do-vale, violeta e íris. Tudo isso é sustentado por um acorde quente e balsâmico de sândalo, labdanum, civet e almíscares sintéticos.

nectarsdesiles99. Nectar des Îles (En Voyage, 2014). Segundo o site da marca: “Nectar des Îles tem origem no Caribe e é uma homenagem aos deliciosos néctares e suntuosas flores das ilhas. Ele recria um buquê de flores inebriantes com uma potente gardênia cremosa e pétalas de tiaré no centro do buquê, acentuado com flores multicoloridas de jasmim-manga.” A base é composta de sândalo, âmbar, baunilha e musk.

capturedinamber100. Captured in Amber (En Voyage, 2014). Captured in Amber é um oriental ambarado de traços especiados e gourmands que busca reinterpretar o acorde âmbar. Abrindo com notas florais e especiadas, a composição adentra um corpo de madeiras nobres, patchouli e chocolate amargo. A secagem fica a cargo de um acorde base de labdanum, fava tonka, olíbano, bálsamo de peru e tolu, benjoim, mirra, baunilha e âmbar gris.

Veja também: Nicho Cult e Nicho Excêntrico

2 pensamentos sobre “Nicho Indie

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s