Lançamentos de Massa

LançamentosEsqueça os grandes lançamentos que víamos nas décadas passadas quando designers investiam em criações originais com um plano de marketing dispendioso. Hoje em dia, é cada vez mais rara a introdução de perfumes completamente novos. O mais comum são flankers e extensões de linha. Os primeiros são variações de fragrâncias que obtiveram sucesso de vendas nos anos anteriores; os segundos são novas concentrações (tanto para cima como para baixo) ou ampliações de coleções pré-estabelecidas. O motivo é simples: o aumento exponencial de lançamentos por ano – e consequente aumento de competição entre as marcas – tornou os custos de divulgação cada mais altos e impraticáveis. Grifes não estão dispostas a arriscar criando composições totalmente novas, que requerem um extenso trabalho de comunicação em torno de novos nomes, novos conceitos e novas embalagens. Mesmo marcas de reputação inquestionável como Dior, Thierry Mugler e Hermès (que teriam sucesso garantido com praticamente qualquer frasco que levasse suas logomarcas) preferem que suas novas composições peguem carona com aquilo que já foi bem recebido pelos consumidores. O resultado são novos perfumes que não são verdadeiramente novos. O foco não está mais no original e único mas sim no lúdico e diversificado. E tudo indica que os anos seguintes repetirão a mesma estratégia.

Nota: Flankers, celebridades e linhas exclusivas não estão listados. Para encontrá-los, utilize o campo de busca ou consulte Flankers, Celebridades e Linhas Exclusivas.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

Dolce1. Dolce (Dolce & Gabbana, 2014). Na contramão da tendência dos perfumes doces, Dolce surpreende por uma delicadeza que vai da embalagem ao conteúdo. O frasco de vidro recebe um líquido verde vibrante. Uma tampa em forma de flor branca feita de biscuit e um lacinho preto dão o toque final. A composição reúne notas frescas e femininas como néroli, lírio aquático, narciso, amarílis e flor de mamão, posicionadas sobre uma base aveludada de almíscar e madeira de caxemira. Inofensivo e elegante, Dolce é o sopro da primavera.

ValentinoUomo2. Valentino Uomo (Valentino, 2014). Esta criação tem sido exaustivamente comparada a Dior Homme Intense. A semelhança está no ângulo achocolatado e atalcado destas duas fragrâncias. Enquanto Dior Homme Intense está mais para torta de maçã com canela, Valentino Uomo está mais para Nutella. O Valentino me parece mais suave e mais usável durante o dia do que o Dior. O couro de Valentino Uomo complementa o aspecto reconfortante do perfume.

BonBon3. Bonbon (Viktor & Rolf, 2014)Como fazer um perfume à base de caramelo ser instigante? Viktor & Rolf apostou no dueto da nota principal com flores brancas, atiçado com laranja, mandarina e pêssego no topo e amortecido com âmbar, cedro, gaiaco e sândalo na base. Denso mas não enjoativo, sexy mas não promíscuo, Bonbon convida as mulheres a relaxar e se curtir. Talvez o nome possa criar confusão no Brasil, já que bonbon significa doce em geral, e não o nosso bombom de chocolate.

Narciso4. Narciso (Narciso Rodriguez, 2014). Tudo neste perfume é minimalista: o nome, o frasco, a composição. Trabalhado em cima da nota de almíscar e com um reforço de gardênia, Narciso pode parecer estranho à primeira vista – tem cheiro de hidratante caro. Muitos o consideram sintético e enjoativo por causa de seu aspecto quase funcional. Narciso, porém, consegue satisfazer as mulheres que sempre buscaram um perfume simples assim e nunca encontraram.

Wild5. Wild (DSquared2, 2014). Este perfume leva seu nome ao pé da letra e se arrisca ao incorporar notas polêmicas e incomuns – no entanto, não é selvagem no sentido de ser um perfume agressivo. Inicialmente, Wild remete às fragrâncias masculinas dos anos 70 com uma saída herbácea e canforada. Na evolução, a fragrância ganha um aspecto floral atalcado com traços vegetais e salinos. Wild conclui com um fundo ambarado com facetas terrosa e mineral, levemente incensado. Para poucos.

LaPanthere6. La Panthère (Cartier, 2014). La Panthère foi inspirado no símbolo da Cartier – a pantera (não confundir com o Panthère lançado em 1986 e hoje descontinuado). Feito para mulheres independentes, elegantes e obstinadas, este é um chipre floral moderno com um toque de sensualidade. La Panthère foi construído sobre um coração de gardênia repleto de almíscar com uma saída verde (ruibarbo) e frutada (morango, maçã, damasco e frutas secas). Musgo de carvalho, patchouli e couro fecham a composição. O frasco inovador ilustra a cabeça de uma pantera.

CarvenPH7. Carven pour Homme (Carven, 2014). Recriado por Francis Kurkdjian, Carven pour Homme é um dos maiores clássicos da casa Carven. Trata-se de um amadeirado especiado com nuances ozônicas. Na saída, a composição exala um aroma fresco e amargo de toranja e folha de violeta. Mais adiante, um acorde central de sálvia, cedro e noz moscada produz um efeito incensado e picante. Para manter a fragrância seca e macia, Kurkdjian adotou uma base de vetiver e sândalo. Carven pour Homme é limpo como um sabonete e macio como um lenço de seda, porém comum e inofensivo.

BornInParadise8. Born in Paradise (Escada, 2014). Para o verão de 2014, Escada introduziu um floral tropical de nuances aquáticas. Inspirado na piña colada e nas praias de água turquesa, Born in Paradise gira em torno do acorde coco-abacaxi. Para enriquecer a composição, o perfume leva também um topo de maçã, goiaba e melancia, além de uma base de cedro, sândalo e musk. Poucas fragrâncias mostram uma nota de coco tão pronunciada quanto Born in Paradise.

B.Balenciaga9. B. Balenciaga (Balenciaga, 2014). Esta fragrância reforça o relançamento da linha de fragrâncias da grife, introduzindo um estilo mais moderno e contemporâneo, por dentro e por fora. B. Balenciaga é um inusitado floral verde que abre com um acorde de edamame, folha de violeta e muguê. Minutos depois, o centro de íris e cedro emerge, anunciando uma base aveludada de ambrette e cashmeran. Concretizava-se aí o estilo fresco, limpo e verde que se tornaria o DNA de Balenciaga nos próximos anos.

LHommeIdeal

10. L’Homme Idéal (Guerlain, 2014). Segundo a Guerlain, o homem ideal é inteligente, boa pinta e forte. Para isso foram reunidos elementos que somados trouxessem o ideal para a prática: vetiver, fava tonka e couro. O resultado é uma fragrância gourmand entre o sexy e o chic. L’Homme Idéal acabou frustrando as expectativas de muitos fãs da Guerlain, que aguardavam ansiosamente por um lançamento masculino. É um bom perfume, mas talvez não tanto quando se espera nada menos que perfeição.

JeuDAmour11. Jeu d’Amour (Kenzo, 2014). Sem obter o mesmo sucesso que os pilares anteriores Flower e Amour, esta fragrância acabou sendo praticamente ignorada. Jeu d’Amour é um floral frutado que abre com notas de mandarina, chá e romã. Em seguida, a composição evolui para um harmonioso coração de frésia e tuberosa, produzindo um efeito levemente lactônico de protetor solar. Finalmente, o perfume conclui com uma base de sândalo, baunilha e musk.

MyBurberry12. My Burberry (Burberry, 2014). Composto por Francis Kurkdjian, este perfume foi inspirado pelo perfumista num jardim londrino urbano com toda sua vibração e modernidade. O gosto dos ingleses pelas flores e seu clima úmido é refletido na composição feita com notas frescas e aquosas. My Burberry tem um topo de bergamota, toranja, mandarina e limão siciliano, um centro de marmelo, pêssego, maracujá, gardênia, rosa, frésia, gerânio e violeta, e uma base de patchouli, couro e musk. Um perfume frutado porém sofisticado, sem cair no clichê infantil.

Knot13. Knot (Bottega Veneta, 2014). Knot é um inusitado fougère feminino inspirado no ar fresco da costa italiana e no cheiro de roupa recém-estendida no varal. Para tanto, Daniela Andrier compôs um potente topo cítrico e luminoso com notas de limão tahiti, tangerina, mandarina, néroli e flor de laranjeira. Na evolução, o perfume assume um buquê fresco e elegante de peônia, íris, rosa e lavanda, concluindo com uma base polvorosa de fava tonka e musk. Knot é mais uma fragrância que confirma a tendência ao retorno do fougère feminino.

DahliaDivin14. Dahlia Divin (Givenchy, 2014). Este é um oriental floral carnudo e suculento à base de frutas lactônicas e flores brancas. Dahlia Divin abre imediatamente com um aroma cremoso e inebriante de ameixa, mirabelle e flores brancas (especialmente jasmim), com um leve aspecto anisado e canforado. No dry-down, a base amadeirada de vetiver, sândalo, patchouli e baunilha dá corpo e maturidade à composição. O resultado é um perfume mais adulto e glamouroso, feito para mulheres sofisticadas acima de 30 anos.

ErosFemme15. Eros pour Femme (Versace, 2014). Dois anos depois da versão masculina, Versace recorre ao sintético ambroxan para oferecer uma fragrância sedosa e levemente salina que lembre a pele de um bebê recém-nascido. Eros pour Femme foi criado para enaltecer a força da mulher, incorporando notas de cítricos, romã, jasmim, peônia, sândalo, âmbar gris e musk. Imagine um perfume que reúna o aspecto aromático mediterrâneo e a maciez de um creme luxuoso.

MyNY16. My NY (Donna Karan, 2014). Depois de inúmeros flankers do jovial Be Delicious, a marca DKNY de Donna Karan decide lançar uma fragrância mais madura e completamente nova com a missão de representar a energia e vibração da cidade de Nova York. Centrada num buquê de jasmim e íris, My NY abre com uma nota retrô de gálbano acompanhada de uma moderna combinação de framboesa com pimenta rosa. Na secagem, o perfume se torna doce, quente e encorpado graças a um fundo de patchouli, âmbar gris, baunilha e musk. Bonito e seguro, mas sem grande novidade.

LagerfeldForHim17. Karl Lagerfeld for Him (Lagerfeld, 2014). O designer alemão por trás de Chanel tenta se relançar na perfumaria com um novo par de fragrâncias. A versão masculina, Karl Lagerfeld for Him, é um fougère aromático comum e genérico. Apesar da inusitada nota de maçã verde na abertura, a composição acaba evoluindo para um clichê de lavanda e fava tonka já visto em centenas de criações mundo afora. No entanto, pode agradar os homens menos exigentes.

LagerfeldHer18. Karl Lagerfeld for Her (Lagerfeld, 2014). O par feminino de Karl Lagerfeld for Him segue a tendência dos florais frutados repletos de musk. A fragrância abre efervescente e suculenta com limão siciliano e pêssego, anunciando um centro dominado pela rosa, além de nuances tropicais de jasmim-manga e magnólia. Uma base composta de diversos sintéticos transparentes confere leveza à composição. Karl Lagerfeld for Her é um perfume agradável para uso no dia a dia.

SecretDeRochas19. Secret de Rochas (Rochas, 2014). Setenta anos depois do seu maior ícone, Femme de Rochas, a casa decide revisitar o conceito do chipre frutado. Secret de Rochas mantém a contradição entre a suculência e doçura do pêssego e a secura e amargor do musgo de carvalho, mas prefere ser um soliflor (jasmim). A composição é modernizada com a adição de notas de maracujá e patchouli, além de osmanthus e musks para compor uma textura delicada e sedosa. Discreto e elegante.

Repetto20. Repetto (Repetto, 2014). A grife francesa lança sua fragrância assinatura na concentração eau de parfum, adotando um tema romântico e jovial. Inicialmente, a composição mostra-se floral frutada com foco nas notas de flor de cerejeira e laranjeira, ameixa e rosa. Algum tempo depois, a interação com a pele faz emergir um aspecto oriental com notas de patchouli, âmbar e baunilha. Repetto é o perfume da Cinderela moderna.

Emblem21. Emblem (Montblanc, 2014). Feito em homenagem ao emblema que vai na ponta das canetas Montblanc, este perfume é um aromático especiado com tons ozônicos. Emblem coloca um acorde verde e gelado de toranja, cardamomo e folha de violeta em oposição a um acorde quente e cremoso de cedro, fava tonka e canela. Dessa interação nasce uma fragrância masculina e sofisticada, um tanto sintética e nada muito original, porém eficiente.

Extatic22. Extatic (Pierre Balmain, 2014). Extatic é um floral oriental de traços frutados e amadeirados. Com um topo de pera e osmanthus, o perfume adentra um buquê atalcado de jasmim, rosa, íris e orquídea. Na secagem, Extatic revela um manto sedoso de couro e cashmeran, além de madeiras como sândalo e amyris. Embora não esteja listada, baunilha ou alguma outra nota doce torna a composição um tanto xaporosa depois de algumas horas.

LadyEmblem23. Lady Emblem (Montblanc, 2015). Lady Emblem reúne “notas vermelhas” para criar um floral frutado elegante e maduro. O perfume abre diretamente com um aroma de geleia de rosas com traços frutados de pêssego, framboesa e groselha. Na evolução, Lady Emblem ganha corpo e textura graças a um acorde amadeirado de patchouli, sândalo e palissandro. Uma nuvem de musk arredonda toda a composição. Nada novo e original, mas funciona.

Alaïa24. Alaïa (Azzedine Alaïa, 2015). O designer tunisiano lança seu primeiro perfume – um luxuoso e inovador floral polvoroso. Nesta composição, um acorde fresco interage com um acorde quente: de um lado a nota fantasia de ar da montanha com pimenta rosa, violeta e frésia; de outro, um acorde animálico de rosa, peônia, couro e musk. O resultado é uma atmosfera esfumaçada e levemente salgada. Alaïa é uma fragrância exótica e nostálgica que remete a mala de couro velha e ar condicionado de avião.

ValentinoDonna25. Valentino Donna (Valentino, 2015). Depois do sucesso de Valentino Uomo, lançado em 2014, a grife introduz a versão feminina, seguindo o estilo atalcado, porém mais chipre e menos gourmand. Com um refrescante topo de bergamota, Valentina Donna revela um acorde central de rosa e íris, que é apoiado sobre uma base de patchouli, baunilha e couro. Feminino e elegante, Valentina Donna é uma mistura de cheiro de maquiagem com fundo de bolsa.

Decadence26. Decadence (Marc Jacobs, 2015). O designer Marc Jacobs transfere seu estilo glamouroso para este perfume com frasco em formato de bolsa. Desta vez com uma proposta mais madura, Decadence é um oriental floral que lembra um pouco os anos 80. A composição abre com um topo de açafrão e ameixa, evolui para um centro de íris, jasmim e rosa, e finaliza com uma base vetiver, papyrus e âmbar. O resultado é frutado, picante e atalcado, feito para seduzir.

NoirFemme27. Noir pour Femme (Tom Ford, 2015). Três anos depois de Noir e sua íris aromática e especiada, Tom Ford lança a versão feminina com topo cítrico, centro atalcado e base cremosa. Noir pour Femme abre com cítricos, gengibre e cardamomo, logo evoluindo para um buquê de flor de laranjeira, jasmim e rosa. Na base, notas de sândalo, lentisco, âmbar e baunilha abraçam a composição, propiciando-lhe corpo e sensualidade. Boa harmonia entre o fresco e o quente.

NorellNY28. Norell New York (Norell, 2015). Quase meio século depois do clássico floral verde Norell, a grife, hoje propriedade de Parlux, introduz um moderno floral verde em homenagem à cidade de Nova York. A saída de gálbano, pera e cítricos lembra o original, porém o buquê de New York é mais leve e brilhante com notas de peônia, orquídea, jasmim e gardênia. A base é praticamente um travesseiro de penas de ganso devido à suavidade do acorde de vetiver, sândalo, orris, baunilha e musk. Feminino, clássico e elegante.

Olympéa29. Olympéa (Paco Rabanne, 2015). Seguindo a temática atlética de Invictus, o designer espanhol introduz este oriental floral com nuances frescas e salinas. Com um topo de mandarina, gengibre e jasmim aquático, Olympéa segue com um centro bipolar de baunilha e sal, finalizando com uma base macia e aveludada de cashmeran e âmbar gris. Olympéa segue o estilo de Womanity e Lovely, caindo bem para mulheres que sabem ousar.

Bamboo30. Gucci Bamboo (Gucci, 2015). Tomando o nome de uma de suas coleções de acessórios (portanto a fragrância não contém nota de bambu), Gucci Bamboo introduz este delicado floral amadeirado. Com uma bergamota no topo, o perfume desenvolve um feminino buquê central de ylang-ylang, flor de laranjeira e lírio-do-vale. Para valorizar a sensualidade das flores, Gucci Bamboo incorpora uma base cremosa e adocicada de sândalo, âmbar e baunilha.

MiuMiu31. Miu Miu (Miu Miu, 2015). Primeiro perfume da grife de Prada dedicada às mulheres de porte mignon, Miu Miu é um floral verde de traços saponáceos. O delicado e lúdico frasco vermelho e turquesa contém uma composição minimalista de folhas verdes, lírio-do-vale, jasmim e rosa, apoiada sobre uma base sintética de Akigalawood (molécula da Givaudan com traços de patchouli e cannabis). Fresco e jovial, Miu Miu vai agradar os amantes de fragrâncias refrescantes e discretas.

AzzaroPourElle32. Azzaro pour Elle (Azzaro, 2015). A contrapartida feminina de um dos maiores ícones da perfumaria é um picante oriental floral. Azzaro pour Elle é um eau de toilette feito para mulheres independentes e sensuais que apreciam o brilho dos cítricos e flores (rosa e lírio-do-vale) sem abrir mão da sensualidade das notas quentes (cardamomo, incenso e cashmeran). Assim, Azzaro pour Elle é uma fragrância que equilibra bem seus acordes contraditórios, aproveitando o melhor de cada um.

BalmainHomme33. Balmain Homme (Balmain, 2015). Este é um oriental amadeirado que combina um acorde herbáceo aquoso e outro de tonka esfumaçada. Balmain Homme abre com uma nota amarga e metálica de folha de violeta, com um fundo adstringente de bergamota, açafrão e noz moscada. Na evolução, a base de couro, musgo de carvalho, cedro, fava tonka e musk emerge, passando uma impressão limpa e sedosa, embora um tanto sintética. Uma fragrância segura e elegante.

Extraordinary34. Extraordinary (Oscar de la Renta, 2015). Extraordinary é um floral musky concebido para moças idealistas e independentes. Com uma saída cintilante de cítricos, néroli e flor de pêssego, o perfume segue para um delicado buquê de rosa, peônia e magnólia. Uma base atalcada e resinosa de orquídea, madeiras nobres e âmbar conclui este eau de parfum de grande projeção e longa duração. Extraordinary é um floral versátil, feminino e irradiante.

Icon35. Icon (Dunhill, 2015). O criador deste perfume, Carlos Benaïm, descreve-o como sendo “a perfeita expressão do refinamento natural e a tradução do legado clássico e luxuoso da casa Dunhill, tudo isso com um toque de modernidade”. A composição tem um topo refrescante de bergamota, chá e néroli, um centro especiado de lavanda, pimenta preta e cardamomo, e uma base esfumaçada de musgo de carvalho, vetiver, oud e couro. O resultado é uma fragrância limpa e sofisticada, simultaneamente tradicional e contemporânea.

ModNoir36. Mod Noir (Marc Jacobs, 2015). Com um frasco listrado em branco e preto inspirado nos anos 60 (“mod” é o nome da tendência da época), Mod Noir é um floral musky centrado na nota de gardênia. Na saída, o perfume reproduz o odor do orvalho sobre folhas verdes pela manhã com nuances cítricas. Em seguida, a composição exala um acorde potente e translúcido de gardênia, lírio aquático, flor de laranjeira, magnólia e tuberosa, concluindo com uma suave base de musk. Para mulheres românticas e delicadas (ou homens descolados e autoconfiantes).

Reveal37. Reveal (Calvin Klein, 2015). Este novo perfume de Calvin Klein é mais um indício da nova tendência dos florais com nota marcante de almíscar meio doce e meio salino, como o odor natural da pele depois de um tempo sob o sol. Reveal combina um acorde especiado de sal e pimenta (vermelha, branca e preta) com um acorde polvoroso de íris, cashmeran e âmbar gris. Notas de sândalo e vetiver na base asseguram um bom desempenho à fragrância.

RevealMen38. Reveal Men (Calvin Klein, 2015). Reveal Men busca sintetizar o homem moderno cheio de atitude e ousadia. Para tanto, a composição recorre a um inusitado acorde aromático de licor de pera, melão, agave, lentisco, gengibre e sálvia, firmado sobre uma base cremosa e ligeiramente salina de vetiver, fava tonka, âmbar e musk. O resultado pode, para alguns, ter cheiro de detergente. Para outros, entre o frutado-marinho e o amendoado-esfumaçado, Reveal Men entrega um aroma fougère bem balanceado entre o fresco e o quente, o confortável e o envolvente, fora do lugar comum.

Illicit39. Illicit (Jimmy Choo, 2015). O famoso designer de sapatos luxuosos emplaca mais uma fragrância, desta vez um floral melífluo e levemente especiado. Illicit abre refrescante e adstringente com notas de laranja amarga e gengibre. Minutos depois, o buquê central de jasmim e rosa emerge, valorizado com um acorde doce e cremoso de mel, sândalo e âmbar. Com Illicit, Jimmy Choo faz uma transição do romântico para o envolvente, sexy sem ser vulgar.

IAmJuicyCouture40. I Am Juicy Couture (Juicy Couture, 2015). Mais uma vez mirando no público das meninas que preferem fragrâncias doces e lúdicas, Juicy Couture introduz este floral frutado de aura tropical. I Am Juicy Couture abre como um coquetel à beira da piscina graças a um acorde de toranja, maracujá e framboesa. Notas florais de gardênia, rosa e heliotrópio logo emergem, trazendo graça e beleza. A composição conclui quente e macia com madeiras nobres, âmbar e musk.

Sauvage41. Sauvage (Dior, 2015). Depois de muitos anos de espera, fãs de Dior podem finalmente experimentar um novo perfume masculino da casa. Para desespero de muitos, é uma fragrância minimalista e inexplicavelmente construída com apenas três notas: bergamota, pimenta e ambroxan. No entanto, percebe-se uma boa dose de dihidromircenol, o que instantaneamente nos remete a Cool Water e Kaiak, ícones dos anos 90. Apesar da controvérsia, muitos usuários estão apreciando Sauvage e o descrevendo como uma versão sport de Bleu de Chanel.

Violet42. Violet (Marc Jacobs, 2015). Com mais uma adição à série de Dot (2012) e Honey (2013), o estilista americano apresenta esta fragrância, disponível para venda apenas nos duty frees ao redor do mundo. A composição mantém o estilo floral e macio dos demais itens da linha, porém se diferenciando com uma base chipre moderna de patchouli, baunilha e musk. O foco fica mesmo com a nota principal de violeta recordada de frutas e flores frescas. Uma fragrância luminosa e inofensiva.

Excellence43. Excellence (Jaguar, 2015). Mais um lançamento que confirma a entrada das marcas de carros ultraluxuosos na perfumaria, depois de Bentley e Mercedes Benz. Excellence é um oriental especiado feito para homens autoconfiantes e bem-sucedidos (naturalmente). A saída fica por conta de mandarina, toranja e pimenta vermelha, anunciando um coração floral aquoso e polvoroso de íris, lírio-do-vale e flor de laranjeira. O perfume conclui com uma secagem quente e amendoada de âmbar, baunilha e fava tonka.

Quatre44. Quatre (Boucheron, 2015). Feito em homenagem à coleção de anéis de Boucheron intitulada “Quatre”, este perfume é um floral frutado concebido para a clientela mais jovem da casa. Na saída, Quatre exala um acorde de cítricos, maçã e cassis, antes de evoluir para um buquê central de rosa e jasmim ressaltadas com notas de morango e pêssego. A base consiste de uma combinação sedosa de caramelo, baunilha, cashmeran e musk. Uma fragrância frutada para meninas que curtem conforto sem abrir mão da sedução.

Emozione45. Emozione (Salvatore Ferragamo, 2015). Criado pelo perfumista Alberto Morillas, Emozione é um chipre moderno de traços polvorosos e almiscarados. A composição inicia com um acorde leve e frutado de bergamota e pêssego, antes de revelar seu coração atalcado de heliotrópio, íris, peônia e rosa. Macio e feminino, Emozione evolui para uma base de patchouli, camurça e musk, deixando para trás um rastro marcante e sofisticado.

Paradiso46. Paradiso (Roberto Cavalli, 2015). Descrita pela marca como uma fragrância “refinada, carnal, sensual e muito feminina”, Paradiso é um floral musky de nuances herbáceas. Tentando criar a fantasia olfativa de um paraíso, o perfume trabalha a nota de jasmim com um topo intensamente cítrico de bergamota, mandarina, limão e toranja e um fundo solidamente verde de cipreste, agulhas de pinho e louro. Paradiso é uma fragrância inventiva que pode enfrentar preconceito por ter em si um quê masculino.

FreshCouture47. Fresh Couture (Moschino, 2015). Ainda não há uma consenso se Moschino acertou ou errou ao escolher um frasco na forma de um limpador de vidros para seu novo perfume, mas todos concordam que ele chama bastante atenção. Fresh Couture é um floral frutado alegre e tropical com topo de cítricos e framboesa, centro de osmanthus, peônia e ylang-ylang, e fundo de patchouli, madeiras nobres e âmbar gris. Uma agradável composição fresca e energizante, porém apenas para quem tem senso de humor.

TheScent48. The Scent (Hugo Boss, 2015). Hugo Boss investe pesado num frasco luxuoso para seu mais novo perfume, colocando uma pulga atrás da orelha de qualquer um que entenda de marketing. The Scent parece um Frankenstein de perfumes bem-sucedidos ao misturar tudo o que é apreciado pelos consumidores na mesma composição. Assim, seu aroma é uma combinação sem harmonia de acordes especiados, atalcados, terrosos e frutados amontoados sobre uma base genérica de couro. Decepcionante.

Living49. Living (Lalique, 2015). Pouco conhecida, esta criação olfativa de Lalique é uma tentativa de criar um floral fresco e energizante, emprestando notas típicas da perfumaria masculina. Living toma como coração o dueto atalcado de rosa e íris, temperando-o com pimenta preta e noz moscada. Um acorde fougère de bergamota, menta, lavanda, vetiver e fava tonka torna a composição andrógina porém coesa e agradável. Toques de baunilha e um manto de cashmeran propiciam conforto. Prove antes de criticar.

AcquaDiBergamotto50. Acqua di Bergamotto (Zegna, 2015). Construído em torno das notas de bergamota e mandarina, típicas do Mediterrâneo, Acqua di Bergamotto é uma colônia sofisticada de traços atalcados e marinhos. Na evolução, a fragrância se torna levemente polvorosa e esfumaçada com notas de néroli, íris e vetiver, finalizando com um dry-down macio e levemente salgado de oud, patchouli e ambrette. Acqua di Bergamotto é limpo, arejado e elegante, difícil de não agradar.

LExtase51. L’Extase (Nina Ricci, 2015). Inspirado nas fantasias eróticas de uma mulher, L’Extase é o terceiro pilar da grife (os outros dois são L’Air du Temps e Nina). O perfume é um oriental floral polvoroso, composto por dois acordes principais: um de frutas frescas, rosa, jasmim e pimenta rosa; outro de patchouli, benjoim, âmbar e musk. L’Extase leva ainda uma boa dose de caramelo. O resultado é um aroma alegre e jovial, um pouco mais evoluído que Nina, porém ainda longe de ser o perfume de uma mulher adulta.

LoveMe52. Love Me (Victoria’s Secret, 2015). Deixando um pouco de lado seu DNA frutado e gourmand, Victoria’s Secret introduz desta vez um floral oriental. Girando em torno da inebriante flor de narciso, Love Me ganha um topo cintilante de néroli. O uso do sintético aurantiol confere um leve aroma de uva, que logo é mascarado pela base doce e cremosa de âmbar e baunilha. Quente e sensual.

MrBurberry53. Mr. Burberry (Burberry, 2016). Mr. Burberry é um daqueles perfumes que cumprem com a missão de transmitir limpeza e elegância com discrição e conforto, sem necessariamente trazer algo de novo ou inédito. Para tanto, a composição harmoniza notas cítricas, verdes e especiadas, propiciando um dry-down macio e viril de sândalo, cedro e vetiver. Excelente proposta para o escritório.

McQueen54. McQueen (Alexander McQueen, 2016). Depois de uma década sem lançar fragrâncias, o designer inglês Alexander McQueen retoma à perfumaria com este ousado oriental floral. Centrada em flores de caráter indólico (animálico), a composição abarca jasmim (“a essência do poder e romance”), tuberosa (“o coração quente e intoxicante da sedução) e ylang-ylang (“o aroma misterioso de uma manhã perfeita”). Notas picantes de cravo-da-índia, pimenta rosa e preta “levantam” o buquê floral, que é sustentado por uma elegante base de vetiver.

Horizon55. Horizon (Davidoff, 2016). Não confundir com o excelente Horizon de Guy Laroche, há muitos anos descontinuado. Este perfume de Davidoff busca interpretar olfativamente as forças da natureza, especialmente o ar e a terra, preservando os valores da grife – liberdade, aventura e exploração. Seguindo o gênero amadeirado especiado, Horizon abre com um topo de mandarina, toranja, alecrim e gengibre, antes de revelar seu centro de noz moscada, pimenta preta, patchouli e cedro. A finalização fica por conta de um acorde de vetiver e cacau. Ligeiramente old school.

Eterno56. Eterno (Vince Camuto, 2016). Pouco conhecido no Brasil, o designer italiano lança sua quinta fragrância masculina, desta vez feita em homenagem ao homem moderno que se veste em branco clássico. Com a missão de ser um perfume firme, confiante e magnético, Eterno incorpora notas de inspiração mediterrânea como bergamota, mandarina, limão e hortelã. Na evolução, a composição vai se tornando mais envolvente com um acorde de pimenta preta e açafrão, seguido dos refinados cedro e patchouli. Eterno é clássico e inofensivo.

Pop57. Pop (Stella McCartney, 2016). Stella McCartney introduz um floral amadeirado de traços verdes e almiscaradas. Com o mote “pop é um estado de espírito”, a designer anuncia sua nova fragrância como sendo uma combinação minimalista focada em sintéticos (sic) de tuberosa e sândalo. O perfume ganha um topo de mandarina, folha de tomate e de violeta, um corpo de tuberosa, jasmim-manga flor de violeta, e um fundo de cedro, sândalo e musk. Um perfume agradável e jovial para meninas.

CK258. CK2 (Calvin Klein, 2016). Vinte e um anos depois de CK One, um ícone pós-moderno que marcou a última década do século XX, o designer americano volta com uma proposta para a geração do novo milênio. CK2 traz um topo fresco e luminoso de mandarina, folha de violeta e wasabi (sacada de marketing incrível), passando por um centro de seixos (pedras cristalizadas), rosa e íris, para então finalizar com um acorde de vetiver, sândalo e incenso. Ao mesmo tempo em que CK2 segue em direção à tendência do sintético (metálico/mineral), ele também traz consigo um tom seco e agreste.

AguaDelSol59. Agua del Sol (Escada, 2016). Escada introduz para o verão de 2016 um floral frutado com notas-fantasia de coquetel e sorbet de frutas. Com uma saída refrescante de cítricos, pera, framboesa e pimenta rosa, Agua del Sol caminha para um acorde central de rosa frutada e suculenta. Na evolução, o perfume ganha um aspecto doce e cremoso de sorvete. Fãs incondicionais de Escada, que acompanham seus lançamentos anuais, não se decepcionarão.

Bold60. TH Bold (Tommy Hilfiger, 2016). Pela lista de notas, ninguém dá nada por esta composição. O fato é que TH Bold aposta numa explosão de cítricos, marcadamente toranja. Na evolução, a fragrância mostra um lado mais floral e soapy (néroli), levemente adocicado. Seu caráter efervescente vem a calhar para o clima quente do Brasil, e tem tudo para agradar pessoas dinâmicas e esportivas. Apesar de sua base firme de madeiras nobres, trata-se de um perfume de menor longevidade, feito para ser curtido nas primeiras duas horas.

CuirVétiver61. Cuir Vétiver (Yves Rocher, 2016). Apostando na sinergia entre couro e vetiver, Yves Rocher lança este chipre couro para homens refinados. De aura seca, terrosa e amendoada, Cuir Vétiver é uma fragrância monolítica que se desenvolve em uma única fase com notas de vetiver, couro, fava tonka, cedro, sândalo e couro. Cuir Vétiver mostra um bom equilíbrio entre macio e potente, seco e doce.

Wanted62. Wanted (Azzaro, 2016). Concebido para ser o terceiro pilar de sua linha de fragrâncias, a grife aposta alto com um amadeirado especiado sexy e refrescante. Wanted abre com uma explosão efervescente e suculenta de limão siciliano (uma extração especial da polpa da fruta foi utilizada). Na evolução, o perfume é bombardeado com zimbro, cardamomo e gengibre, criando um interessante choque do quente com o gelado. O DNA da casa é preservado com um elegante acorde de vetiver e fava tonka.

TheScentForHer63. The Scent for Her (Hugo Boss, 2016). Seguindo a mesma ideia de sua contraparte masculina, The Scent for Her envereda para um caminho doce e gourmand. Classificado como floral frutado, o perfume tem uma saída cintilante e suculenta de frésia e pêssego, anunciando um coração doce de osmanthus e seu cheiro que remete a damasco. No dry-down, The Scent for Her traz à tona um potente acorde de mel e cacau. As formigas vão adorar!

LEnvol64. L’Envol (Cartier, 2016). L’Envol é uma aposta ousada de Cartier, construída com um acorde de cerveja-mel-patchouli. O perfume, inspirado no “voo” de Santos Dumont, é um oriental amadeirado ao mesmo tempo encorpado e transparente. Nuances de íris e musk proporcionam uma atmosfera macia e agradável, enquanto um manto de gaiaco traz textura e virilidade. L’Envol poderia ser um pouco mais potente, mas está de bom tamanho tendo em vista os últimos lançamentos masculinos sem qualquer inovação. Um perfume compartilhável, na minha opinião.

65nd-40750. Stash (Sarah Jessica Parker, 2016). Sarah Jessica finalmente colocou em prática seu plano de lançar uma fragrância unissex inspirada em odores corporais e litúrgicos, já pensada na época em que introduziu Lovely. Porém a Coty achou inovador demais para a época. Classificado como amadeirado aromático, Stash é uma grande combinação de madeiras (patchouli, cedro, vetiver, massoia) com pitadas de pimenta, incenso e pistache. O DNA musky da atriz é também bem representado pelo perfume, especialmente no dry-down.

galop66. Galop (Hermès, 2016). A criação de Christine Nagel é uma nova interpretação do tema fantasia de couro, acompanhado de notas de rosa, açafrão e marmelo. Apesar de ser classificado como oriental, Galop está mais para um chipre que contrabalanceia um potente acorde de couro ligeralmente animálico com uma luminosidade frutada do marmelo. Certamente um perfume inovador que merece atenção dos que buscam originalidade.

pradalhomme67. Prada L’Homme (Prada, 2016). Em 2016, Prada lançou um par de fragrâncias – L’Homme e La Femme. A ideia foi fazer interpretações de seu acorde DNA: íris-âmbar. Na versão masculina, a composição abre adstringente com um topo de néroli e pimenta. Minutos depois, um coração polvoroso e cintilinte de íris, violeta e gerânio emerge, anunciando uma acorde base oriental de cedro, patchouli e âmbar.

pradalafemme68. Prada La Femme (Prada, 2016). Acompanhando o par masculino lançado em 2016 por Prada, La Femme é mantém a assinatura olfativa centrada no acorde íris-âmbar. Desta vez, a fragrância é um oriental floral que traz também um buquê indólico de tuberosa, ylang-ylang e jasmim, além da doçura da baunilha e cera de abelha. Notas de vetiver e especiarias quentes evitam que o perfume se torne muito adocicado.

firstinstinct69. First Instinct (Abercrombie, 2016). First Instinct é um fougère aromático de nuances aquosas e especiadas. Segundo o perfumista Phillipe Romano, “a ideia era equilibrar ambos os elementos frescos do fougère com um calor oriental”. First Instinct abre com um acorde refrescante de gin tônica e melão, anunciando um centro de cítricos, pimenta e folha de violeta. A secagem fica por conta de um fundo sedoso de camurça, âmbar e musk.

goodgirl70. Good Girl (Carolina Herrera, 2016). Famoso pelo seu espalhafatoso frasco em formato de salto agulha, Good Girl é um oriental floral de traços doces e especiados. A partir de uma saída narcótica de amêndoas e café, a composição desenvolve um inebriante coração floral de jasmim e tuberosa. Na finalização, Good Girl traz à tona uma base gourmand de fava tonka e chocolate. Um perfume nitidamente feito para a balada.

kenzoworld71. World (Kenzo, 2016). O perfumista criador deste perfume, Francis Kurkdjian, assim o descreve: “Ele abre com um impulso de flores em maço, de pétalas para buquês, com explosões de doçura… É uma fragrância brilhante, com um vívido rastro borbulhante, uma rocha de néctar com um perfume intoxicante que provoca o nariz”. World é sustentado por uma grande dose de ambroxan – matéria-prima que emula o efeito do raríssimo âmbar gris.

bad72. Bad (Diesel, 2016). Seguindo o gênero amadeirado aromático, Bad é descrito como um “jogo de sedução que começa com a excitação dos cítricos e ervas finas revividas por lavanda e cardamomo; caviar dá um toque provocante e erótico como o suor no corpo de um homem”. A composição se completa com notas de madeiras nobres, tabaco e orris. Certamente uma fragrância ousada por incorporar uma nota salgada sem cerimônia.

uomo73. Salvatore Ferragamo Uomo (Salvatore Ferragamo, 2016). O press release de Salvatore Ferragamo descreve o perfume assim: “Um senso de elegância e beleza. Todo o otimismo e alegria de um sorriso real. A habilidade de ser moderno e mesmo assim atemporal; para aproveitar o dia. Uma poção de puro estilo italiano.” Salvatore Ferragamo Uomo conta com um topo de bergamota, cardamomo e pimenta preta, um coração de tiramisu, flor de laranjeira e âmbar gris, e um fundo de cashmeran, sândalo e fava tonka.

coach74. Coach (Coach, 2016). Concebido como um perfume que transmite a energia espontânea e a “vibe cool” da cidade de Nova York, Coach é um floral de nuances frutadas e musky. O perfume abre com um topo de pera, framboesa e pimenta rosa, anunciando um coração com notas de cíclame, rosa e gardênia. A finalização fica a cargo de uma base feita de camurça, sândalo, cashmeran e musk.

solarissimolevanzo75. Solarissimo Levanzo (Azzaro, 2016). Na forma de um fougère aromático, Solarissimo Levanzo é verde e fresco com traços especiados. Na abertura, o perfume exala limão, menta e maracujá, antes de apresentar um coração feito com notas de chá, lavanda, gerânio, manjericão, cardamomo e gengibre. Tudo isso é amarrado por uma base constituindo de cedro, patchouli, âmbar e fava tonka.

luna76. Luna (Nina Ricci, 2016). Segundo a marca, “Luna é a contraparte provocante, poderosa e misteriosa da princesa romântica representada por Nina”. Na saída, a composição exala cítricos, frutas do bosque e flor de laranjeira. Em seguida, seu centro revela notas de pera, jasmim, immortelle e caramelo. Na secagem, Luna parte para um fundo de alcaçuz, sândalo, baunilha e musk.

robertocavalliuomo77. Roberto Cavalli Uomo (Roberto Cavalli, 2016). Roberto Cavalli Uomo é uma proposta oriental floral de tons polvorosos e melífluos feita para homens. A fragrância abre com violeta e açafrão, anunciando um coração de lavanda e mel. A base de Roberto Cavalli Uomo fica a cargo de um acorde de patchouli, cedro e fava tonka. Mais um perfume masculino que segue a tendência dos doces “baladeiros”.

innewyork78. In New York (Van Cleef & Arpels, 2016). Na forma de um fougère aromático, In New York traz nuances marinhas e ambaradas. Depois do lançamento de Midnight in Paris, Van Cleef & Arpels busca aqui interpretar a atmosfera da Big Apple. In New York tem um topo de limão, mandarina e notas marinhas, um centro de lavanda, sálvia, madeiras e musk, e uma base de fava tonka e âmbar.

midnightshimmer79. Midnight Shimmer (Michael Kors, 2016). Este é um floral amadeirado musky que gira em torno do jasmim. Na abertura, Midnight Shimmer exala notas de frésia e marmelo, conduzindo a um coração de jasmim. O perfume finaliza com um fundo amadeirado, doce e musky de madeiras nobres, âmbar, musgo de carvalho, bálsamo peru, baunilha e almíscares sintéticos.

hotcologne80. Hot Cologne (Thierry Mugler, 2016). Lançado para a coleção Primavera-Verão de 2017, Mugler Cologne é um cítrico bem diferente do conhecido Mugler Cologne e sua atmosfera musky de amaciante de roupas. O perfume centra-se no acorde clássico da colônia, aqui representado por cítricos, néroli, petitgrain e flor de laranjeira. Resta saber se a marca continuará a lançar perfumes baseados em coleções de roupas.

001man81. 001 Man (Loewe, 2016). Homens que gostam de um perfume powdery e musky vão adorar essa nova proposta da pouca conhecida casa espanhola Loewe. 001 Man abre com cítricos e cardamomo, seguindo para um coração de violeta, cipreste e vetiver. Na evolução, a fragrância vai ficando cada vez mais macia com o surgimento das notas de ambrette e musk, além de patchouli, cedro e sândalo bem colocados na base.

001woman 82. 001 Woman (Loewe, 2016). Este floral oriental de Loewe é descrito pela marca como “profundo, terno e provocante, reinterpretando o perfume de uma carícia na pele”. A partir de uma saída de bergamota, tangerina e pimenta rosa, 001 Woman anuncia um acorde clássico feminino de jasmim e sândalo. Toda a composição é arredondada por um fundo de âmbar e baunilha. O aspecto cítrico permanece no perfume por toda a evolução.

monguerlain83. Mon Guerlain (Guerlain, 2017). Tendo Angelina Jolie como garota propaganda, Mon Guerlain reflete a frase dita por Jacques Guerlain: “Nós criamos perfumes para mulheres que admiramos.” Com um topo refrescante de bergamota, a composição adentra um coração atalcado de jasmim e íris, como manda a guerlinade. A base é composta por um acorde doce e polvoroso de sândalo, fava tonka e baunilha. Bem na linha de La Petite Robe Noire.

84. Fiesta Carioca (Escada, 2017). Continuando a tradição de Escada lançar um perfume por ano, a bola da vez é um floral frutado centrado em flores brancas como flor de laranjeira e jasmim. Para o topo, o perfumista reservou uma combinação suculenta de maracujá, framboesa e folha de violeta. Para manter a doçura da composição, Fiesta Carioca finaliza com um fundo de cedro, benjoim e musk.

(por serem novidades, os flankers abaixo estão nesta página em caráter de exceção; normalmente estariam nas respectivas páginas de flankers)

85. Boss Bottled Tonic (Hugo Boss, 2017). Este flanker é dedicado a homens modernos que aspiram ao sucesso. Concebido para ocasiões do dia a dia, Boss Bottled Tonic é construído em torno da nota de canela, acompanhada de gengibre e cravo-da-índia, além de uma nota de gerânio para dar contraste. A fragrância conta com um topo de laranja amarga, limão siciliano, toranja e maçã, e um fundo de vetiver e madeiras nobres.

86. Live Irrésistible Délicieuse (Givenchy, 2017). Classificado como floral frutado gourmand, este perfume é construído em torno da rosa e flor de laranjeira. Seu caráter doce é propiciado por um topo de cereja, pâtisserie francesa, amêndoas, caramelo e baunilha. Para a base, Live Irrésistible Délicieuse reservou um cobertor de orris (raiz de íris). Bem indicado para meninas-moças.

87. A*Men Kryptomint (Thierry Mugler, 2017). A*Men Kryptomint é, segundo a marca, “desenhado como uma poderosa estrela que instantaneamente recupera a sua energia.” Para tanto, estamos falando de um fougère oriental que busca o contraste entre o gelado e o quente. De um lado, o perfume traz uma nota de menta congelada com toques de gerânio no coração, do outro uma base com patchouli e fava tonka.

88. CK All (Calvin Klein, 2017). Este novo flanker do icônico CK One é um cítrico unissex de nuances florais, ambaradas e especiadas. A partir de uma saída de efervescente de bergamota, mandarina e toranja, CK All adentra um coração coração de frésia, lírio e jasmim, além da nota amarga de ruibarbo. Para finalizar, o perfumista Alberto Morillas reservou um fundo de vetiver, âmbar e musk.

89. Armani Code Cashmere (Armani, 2017). Os perfumistas Carlos Benaim e Dominique Ropion se uniram para construir este oriental floral de nuances polvorosas e de couro. A composição abre com um buquê de flor de laranjeira e jasmim, antes de revelar um coração atalcado de amêndoas, heliotrópio e íris. A base fica a cargo de uma combinação macia de patchouli, incenso, camurça e couro.

guiltyabsolute90. Guilty Absolute (Gucci, 2017). Composto por Alberto Morillas, Guilty Absolute persevera na assinatura oriental amadeirada à base de patchouli. Desta vez, no entanto, o foco é a nota de couro, que permanece nítida da saída ao dry-down. O acorde central de vetiver, cipreste e patchouli é sustentado por um manto de musks brancos. Uma boa indicação para quem gosta de perfumes bastante secos e amadeirados.

91. Sauvage Very Cool Spray (Dior, 2017). Dior inova com um flanker “very cool”. A composição recebe uma grande injeção de toranja para deixar o perfume ainda mais fresco que o original. O perfumista François Demachy escolheu bergamota, toranja e pimenta para uma saída adstringente, lavanda, gerânio e pimenta rosa para um centro de contraste, e cedro, patchouli, vetiver, elemi e âmbar gris para uma base robusta.

92. Alien Eau Sublime (Thierry Mugler, 2017). Segundo o site da marca, “Alien Eau Sublime é um perfume energético, luminoso e confortável que abre com uma combinação de limão, laranja, mandarina, gálbano e flores solares. Jasmim no coração é complementado por flor de cerejeira, flor de tiaré e heliotrópio, enquanto a base de caxemira é acompanhada de vetiver amadeirado e âmbar branco.

93. L’Homme Idéal Sport (Guerlain, 2017). Até a Guerlain resolveu entrar na onda de lançar flankers esportivos. Segundo a marca, o centro da composição é a nota de amêndoa que mostra seu potencial ao dar vitalidade com especiarias frescas e acordes aquáticos. A marca também revela que o coração da fragrância se desenvolve com uma delicada essência de néroli com uma base composta por patchouli, vetiver e cumarina.

94. Flower by Kenzo Eau de Lumière (Kenzo, 2017). Como o próprio nome insinua, esta fragrância oferece uma interpretação da luz. O perfume é construído em torno da nota fantasia de papoula (como no Flower by Kenzo original), tendo como topo um acorde efervescente de bergamota e cassis, um coração floral frutado de pêssego, ylang-ylang, jasmim e rosa, e um fundo polvoroso de heliotrópio, violeta e musk.

95. Luna Rossa Carbon (Prada, 2017). Classificado como aromático fougère, Luna Rossa Carbon revolve em torno de uma combinação de carvão, tintura de solo e notas metálicas, ao mesmo tempo em que inclui notas aquáticas para criar contraste. Seu topo é formado por um acorde adstringente de pimenta e bergamota, enquanto a base é feita de patchouli e âmbar gris.

96. J’Adore In Joy (Dior, 2017). Dior diz que este é “o perfume da alegria, amor pela vida, alegria instantânea e exclamação da primavera”. A composição é inovadora por ter uma pitada de sal em meio a flores e frutas. A partir de um acorde salino, J’Adore in Joy evolui para um buquê de néroli, ylang-ylang, tuberosa e jasmim. Uma nota de pêssego, além de propiciar um aspecto suculento à fragrância, também serve como base.

97. Aqva pour Homme Atlantiqve (Bvlgari, 2017). Este é um amadeirado aquático de traços amadeirados e balsâmicos. O perfume abre efervescente com bergamota, limão siciliano, maçã, sálvia e notas aquáticas. Em seguida, a composição evolui para notas marinhas e âmbar gris. Para encerrar, Aqva pour Homme Atlantiqve apresenta um fundo sólido de patchouli, vetiver, sândalo, âmbar e benjoim.

98. Fleur Musc for Her (Narciso Rodriguez, 2017). O site da marca descreve este perfume um “generoso buquê floral com notas vibrantes que envolve o coração assinatura do musk com calor e sensualidade. As suntuosas flores pink, acentuadas por pimenta rosa, misturadas com o raro musk enquanto notas ambaradas e amadeiradas – um misto de patchouli e âmbar suave – iluminam. O resultado: uma radiante rosa sublime que permanece sozinha.”

99. Bottega Veneta Pour Homme Parfum (Bottega Veneta, 2017). Depois de Bottega Veneta Pour Homme lançado em 2013 e Bottega Veneta pour Homme Extreme, a casa anuncia um versão de maior concentração. A composição abre picante com cardamomo e pimenta malagueta, antes de evoluir para um coração de abeto e cedro. Na conclusão, Bottega Veneta Pour Homme Parfum revela um fundo de labdanum, fava tonka e couro.

100. Love Story Eau Sensuelle (Chloé, 2017). Este é um floral de traços cítricos, verdes e amadeirados. A terceira fragrância de Love Story é construído em torno da flor de laranjeira, que recebe como companhia no topo limão siciliano, yuzu e pera. No centro, brilham flor de maracujá e heliotrópio. O fundo é formado por notas de cedro, sândalo, âmbar gris e musk.

101. Dior Homme Sport 2017 (Dior, 2017). Dior Homme Sport teve duas formulações anteriores – 2008 e 2012 (esta última muito criticada). A nova fragrância tem uma potente saída cítrica de laranja sanguínea, toranja, limão siciliano e pera. Na evolução. Dior Homme Sport 2017 aprofunda-se num coração picante de pimenta preta e noz moscada com gerânio para contraste, antes de revelar seu fundo de sândalo e vetiver.

102. Light Blue Eau Intense pour Femme (Dolce & Gabbana, 2017). Segundo o site da marca, “Light Blue Eau Intense reduz a intensidade de cítricos e acentua as notas florais da composição”. O resultado é uma composição com topo ácido de limão e maçã, um coração floral de calêndula e jasmim, e um fundo de âmbar, madeiras nobres e musk. A vantagem da versão intensa é o aumento de projeção e longevidade.

103. Light Blue Eau Intense pour Homme (Dolce & Gabbana, 2017). Dez anos depois do lançamento do original, Dolce & Gabbana apresenta uma variação mais salina, além de mais duradoura. Enquanto o topo da fragrância (bergamota, laranja, toranja e zimbro) permanece inalterado, o centro traz um acorde marinho. O perfume conclui com um acorde de madeiras nobres, âmbar e musk (este último também presente no original).

104. Poison Girl EDT (Dior, 2017). Segundo Dior, a versão eau de toilette de Poison Girl é uma “versão refrescada do original, dedicada ao mesmo tipo de feminilidade… mais livre, mais audaciosa e mais virtual do que nunca.” Buscando contraste, esta versão contrapõe um acorde luminoso e fresco de cítricos, néroli, flor de laranjeira e rosa com um acorde gourmand e confortável de heliotrópio, fava tonka, cashmeran, baunilha e caramelo.

105. Chrome Pure (Azzaro, 2017). Anunciado como “a promessa de um momento de pura emoção”, Chrome Pure é inspirado pelo mar do Mediterrâneo e a ligação entre pais e filhos. Classificado como cítrico amadeirado oriental, essa complexa fórmula mantém os ingredientes do original (cítricos, flor de laranjeira, notas aquáticas, coentro, musgo de carvalho, cedro, mate e musk), adicionando dois novos ingredientes – fava tonka e akigalawood.

106. La Nuit Trésor EDT (Lancôme, 2017). Segundo o site da marca, esta é uma edição mais fresca e frutada com nuances verdes e ácidas. “Notas frutadas de framboesa, amora, lichia e cassis abrem a composição com uma explosão de cítricos ácidos incluindo bergamota. O coração é um buquê floral de rosas damasconas combinadas com peônia e lírio-do-vale. A base consiste de patchouli, baunilha do Taiti e musk branco.”

Veja também: Lançamentos de Nicho e Flankers