Nacionais

NacionaisAtivosO mercado brasileiro de fragrâncias superou o americano e se tornou o maior do mundo, com um faturamento de R$5,5 bilhões em 2013, sendo 57% de venda direta, 38% franquias e 5% varejo. São nacionais 93% do total de perfumes vendidos no Brasil. A venda direta é dominada por Natura, Jequiti e Avon; quanto às franquias, a marca campeã é O Boticário, seguida de Mahogany, L’Acqua di Fiori, Companhia da Terra e Phebo. Além da dominação pelo canal de venda direta, uma característica própria da perfumaria nacional é a denominação deo-colônia. Isso é devido a questões tributárias – fragrâncias com até 10% de concentração podem ser consideradas artigos de higiene pessoal e incorrer em IPI de 7% se forem rotuladas como “deo-colônia” (do contrário o IPI é 42%). O resultado é uma percepção de que perfumes nacionais são aguados, quando na verdade têm a mesma concentração de um EDT importado. Há, contudo, uma impressão geral de que os nacionais são pouco inovadores e quase sempre com cara de contratipo de algum importado, mas isso é culpa tanto do conservadorismo das marcas, que encomendam dessa forma ao fabricante, quanto dos consumidores, que costumam querer um produto parecido com o importado por um valor mais em conta.

Nota: Todas as fragrâncias listadas abaixo estão ativas (à venda). Veja também Descontinuados Nacionais e Nacionais Mais Atuais.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

SeivaAlfazema1. Seiva de Alfazema (Phebo, 1946). Com o simples slogan “recuse imitações”, Seiva de Alfazema é até hoje uma das colônias mais vendidas do país (e do mundo). Em 1930, a Phebo foi fundada por Antonio e Mario Santiago, dois primos portugueses, que batizaram a casa com o nome do deus grego que representa sol, renascimento. Seiva de Alfazema foi lançada muitos anos depois, construída em torno da nota de lavanda (também conhecida por alfazema).

AlfazemaCarrão2. Alfazema Garrão/Carrão (Zilda, 1947). Enquanto a Phebo promovia a sua lavanda com a imagem de uma camponesa sobre um fundo alpino rosa e azulado, a casa de fragrâncias carioca Zilda já tinha um visual mais bruto (a começar pelo nome) na cor vermelho tomate. Originalmente chamada de Alfazema Garrão, e depois renomeada para Carrão, a fragrância foi inspirada na mais pura lavanda cultivada em Grasse, na França.

MauáVert3. Mauá Vert (Mauá, 1973). Depois de um longo hiato de depressão na perfumaria nacional (entre o final da II Guerra Mundial e a Ditadura Militar), Dona Léa, apaixonada por fragrâncias e artesã nata, compôs a lavanda Mauá Vert. O sucesso e repercussão da criação levou à construção de uma moderna fábrica em Ribeirão Preto em 1990. Mauá Vert, desconhecida entre a nova geração, virou produto de exportação, disponível também na concentração eau de parfum. Infelizmente, nossa idiossincrasia fiscal torna o custo/preço inviável para comercialização local.

GiovannaBaby4. Giovanna Baby (Giovanna Kupfer, 1974). A empresária Giovanna Kupfer costumava confeccionar roupas para suas três filhas pequenas. Seu bom gosto começou a chamar atenção, motivando Giovanna a fundar a primeira grife de moda para crianças. A empresária foi também pioneira ao encomendar diretamente à Firmenich uma fragrância infantil. Relutantes no início, os suíços acabaram entregando uma composição com notas de lavanda, gerânio, rosa, alecrim, sândalo, baunilha e almíscar. O lançamento de Giovanna Baby foi um tremendo sucesso, passando a ser a colônia infantil mais indicada por pediatras, além de ser usada por homens e mulheres adultos.

AguasDeVerão5. Águas de Verão (Companhia da Terra, 1976). Fundada em 1976 por Ricardo Penafiel Malta, Companhia da Terra foi a primeira perfumaria natural do Brasil. Com o advento de lojas de produtos naturais no país, o empresário começou a pesquisar óleos essenciais e passou a criar suas próprias composições. Uma delas foi Águas de Verão, que Malta criou para si mesmo e nomeou em homenagem à canção Águas de Março de Tom Jobim e gravada por Elis Regina, ambos amigos dos pais dele. Trata-se de uma combinação de cravo, rosa, vetiver, patchouli, mirra, canela e baunilha. A fragrância foi depois disponibilizada ao público e se tornou um sucesso comercial.

CapimCheiroso6. Capim Cheiroso (Companhia da Terra, 1976). Seguindo seu DNA natural, Companhia da Terra faz uma verdadeira homenagem à nota de vetiver com esta composição. Utilizando óleo essencial da raiz do capim, Capim Cheiroso esbanja uma atmosfera florestal e arejada. A nota de vetiver é ressaltada com cipreste, patchouli e ervas diversas, além de uma base de almíscar. Uma ótima pedida para quem curte este estilo de perfume e não consegue encontrar boas alternativas mesmo entre os importados.

Patchouli7. Patchouli (Companhia da Terra, 1978). A criação mais conhecida de Companhia da Terra é Patchouli, que recebeu óleo extraído diretamente do ingrediente homônimo numa época em que ele era popularizado pela comunidade hippie. Devido ao seu aspecto natural, a fragrância pode assustar aqueles que estão acostumados com o equivalente sintético muito mais suave. Patchouli exala todo caráter terroso e herbáceo da planta, com nuances de cânfora e cacau.

AcquaFresca8. Acqua Fresca (O Boticário, 1979). Clássico nacional, Acqua Fresca é uma fragrância cítrica com lavanda, agulhas de pinho e flor de laranjeira. O perfume marcou o início de O Boticário quando seu fundador, Miguel Krigsner, comprou um enorme lote de frascos vazios destinados a Silvio Santos, que na época havia desistido de abrir uma empresa de fragrâncias no Brasil. Os 70 mil frascos de vidros em formato de ânfora foram preenchidos com a nova criação e acabaram se tornando uma das marcas registradas de O Boticário. Acqua Fresca é a fragrância da casa que mais vendeu até hoje.

SrN9. Sr N (Natura, 1981). Sr N inaugurou uma linha inteiramente feita para homens – uma novidade na época. Com vibe de barbearia e na linha de perfumes importados como Polo e Quorum, Sr N é uma bomba aromática rica em lavanda, patchouli e artemísia, com uma cabeça cítrico-herbácea de toranja e gálbano, e uma base amadeirada de cedro, vetiver e baunilha. Nos últimos anos, a linha foi revitalizada com os flankers Sr N Cedro (2010), Sr N Âmbar (2012), Sr N Vetiver (2013) e Sr N Couro (2015), cada um com ênfase em seus respectivos temas.

Cecita10. Cecita (O Boticário, 1981). Este é um floral frutado de personalidade, o que é bastante incomum na perfumaria nacional. O perfume se aproxima muito de Chloé Narcisse com suas faceta verde e amarga (gálbano), frutada e suculenta (damasco), floral e atalcada (rosa e jasmim), picante e adstringente (pimenta preta), e doce e polvorosa (sândalo, baunilha e musk). Ou seja, Cecita foge do clichê do frutado açucarado e se arrisca com notas um pouco mais “pontudas” e menos utilizadas.

Alfazema11. Alfazema (Companhia da Terra, 1982). Segundo a própria Companhia da Terra, sua lavanda é fabricada com óleo 100% puro e natural de alfazema (Lavandula officinalis), importado da França. Uma das inspirações de Ricardo Penafiel Malta, fundador da casa, foi o trabalho da inglesa Jeanne Rose, uma das precursoras da aromaterapia. Malta, no entanto, fez uma interpretação genuinamente brasileira.

ÁguaDeFlores12. Flores (Companhia da Terra, 1982). Flores é um delicioso talco feminino com notas de sálvia, heliotrópio, rosa, violeta, jasmim, tuberosa, ylang-ylang, baunilha e musk. O efeito soapy e polvoroso da composição remete aos perfumes de aura floral limpa e potente na transição dos anos 80 para os anos 90 como Eternity de Calvin Klein e Amarige de Givenchy. Flores ganha pontos por seu aspecto natural.

Almíscar13. Almíscar (Companhia da Terra, 1982). Calma, não é o almíscar natural extraído do veado almiscareiro, hoje com sua caça proíbida no mundo todo. A Companhia da Terra faz questão de deixar claro em seu site que eles utilizam o musk sintético (muscone), 100% vegetal. Almíscar harmoniza suas faceta arejada e sensual com o acréscimo de notas florais limpas e refrescantes como jacinto e muguê. Também disponível na forma de óleo (musk oil).

Styletto14. Styletto (O Boticário, 1982). Styletto foi lançado na cola do icônico Drakkar Noir de Guy Laroche. Seu efeito aromático fougère com notas picantes foi fielmente seguido, para alegria dos brasileiros. Hoje considerado datado, o perfume que foi um dia ótimo presente de amigo secreto tem uma saída ácida e mentolada de cítricos, lavanda, gerânio e ervas finas. Na evolução, Styletto se aquece com coentro e absinto, finalizando com notas de patchouli, musgo de carvalho e âmbar. Já existiu na versão Elegance, com notas marcantes de maçã e baunilha.

Free15. Free (O Boticário, 1983). Bastante apropriado para o clima quente do Brasil, Free propõe uma atmosfera fresca e arejada para mulheres discretas e/ou ativas (embora seja perfeitamente compartilhável). Seu topo é formado por cítricos, zimbro e lavanda, enquanto o centro incorpora ervas finas, gerânio, jasmim, cravo e agulhas de pinho. No dry-down, Free mostra um acorde seco e crispy de musgo de carvalho, cedro, vetiver e musk.

Horus16. Horus (Natura, 1984). Bem ao estilo de Polo de Ralph Lauren, Horus foi construído ao redor da nota terpênica de agulhas de pinho. Este chipre amadeirado é uma elegante composição com saída cítrica e verde (muito gálbano e agulhas de pinho), coração de lavanda e hedione (jasmim limpo), e base de vetiver, couro e musk. Existe também nas seguintes versões: Azul Marine (2011, algas marinhas), Verde Citro (2012, vetiver, descontinuado) e Concreto Cinza (2014, musk).

Thaty17. Thaty (O Boticário, 1985). Uma das grandes curiosidades da perfumaria brasileira é o gosto das mulheres pela nota de lavanda (no exterior, lavanda é basicamente uma nota masculina). Aqui ela é combinada com rosa e gerânio, para valorizar o lado floral fresco, e com eucalipto, para valorizar o lado gelado e refrescante. Por ser simples e básica, Thaty se tornou símbolo de uma geração de adolescentes nos anos 80. O flanker Thaty Princess foi lançado em 2010, com framboesa e orquídea, e Thaty Princess Happy em 2012, com maracujá e caramelo.

Marro18. Marro (Chlorophylla, 1986). Operando há mais de 28 anos no mercado de cosméticos, a Chlorophylla tem desaparecido de algumas capitais brasileiras, mas sua linha de fragrâncias ainda está ativa. Entre elas está Marro, uma homenagem aos ingredientes de cor marrom como especiarias quentes, bálsamos e madeiras nobres. Com um aroma intenso, o perfume exala principalmente notas de noz-moscada, cravo e canela, que se fundem harmoniosamente com a base de âmbar, sândalo, cedro e musk. Apesar de ser mais masculina, também agrada mulheres.

Alfaroma19. Água Fresca (Alfaroma, 1986). A casa de fragrâncias carioca, praticamente desconhecida à geração nova, iniciou suas atividades em 1986 com a colônia Água Fresca, um refrescante chipre verde unissex. O produto vem acondicionado dentro de uma caixa de papelão rígido. Depois vieram: Lavandine (fougère fresco, cítricos/lavanda), Lavanda Inglesa (fougère especiado, lavanda/canela), Água Verde (floral fresco, muguê/rosa), Agreste (amadeirado aromático, cítricos/patchouli), Aloha (frutado aquático, pêssego/flores aquáticas) e Chá Verde (aromático especiado, gengibre/osmanthus). Precisam ser redescobertos!

oh20. Oh! (Chlorophylla, 1986). Oh! foi uma sensação nos anos 80 com sua refrescante proposta cítrico-aromática. Com um centro de lavanda e uma base amadeirada, o perfume não parece ser nada fora do comum, mas encanta pela sua potência e fixação. Ainda pode ser encontrado na loja virtual da Chlorophylla, que despacha para todo o território nacional.

Absinto21. Absinto (Água de Cheiro, 1987). Água de Cheiro criou polêmica ao lançar este perfume com o slogan “proibido para menores”. Trata-se de um intenso floral com notas de rosa, ylang-ylang, tuberosa e íris, construído sobre uma base de sândalo, âmbar e baunilha. Misterioso e sensual, Absinto pode ser um bomba se cair em mãos erradas. Mais apropriada para a noite, a fragrância requer poucas borrifadas. É até hoje o mais próximo que chegamos de Poison de Dior, lançado dois anos antes.

Vezzo22. Vezzo (L’acqua di Fiori, 1989). Bastante semelhante a Zino de Davidoff, lançado um ano antes, Vezzo é um amadeirado floral com vibe old school. A fragrância masculina é construída sobre uma base de madeiras nobres como patchouli, sândalo e pau-rosa, além de fava tonka, tabaco e musk. Para trazer delicadeza e elegância, são agregadas notas florais de jasmim, jacinto, íris e violeta. Notas cítricas refrescam a composição. Um clássico nacional que precisa ser revisitado.

Quasar23. Quasar (O Boticário, 1990). Seguindo a mesma vibe de barbearia do icônico Cool Water de Davidoff, O Boticário criou esta fragrância fougère masculina e energizante. Quasar tem uma saída cítrica efervescente, logo evoluindo para um aroma herbáceo picante e amargo de gálbano, lavanda, estragão e sálvia. Uma base de madeiras nobres e musk conclui a composição. Flankers foram lançados muito tempo depois: Fire (especiado) em 2005, Onyx (ambarado) em 2010, Oxygen (musky) em 2012, Quest (mentolado) em 2013, e Evolution (amadeirado) em 2015.

georgia24. Georgia (Chlorophylla, 1992). Muito antes de Georgia Fashion e Georgia Elegance terem sido lançados em 2015, a casa Chlorophylla apresentava no início dos anos 90 um feminino floral verde com topo laranja, folhas, maçã e morango, coração de jasmim, rosa, gardênia e figo, e fundo de almíscares sintéticos. A versão Fashion traz uma combinação semigourmand de lichia e âmbar, enquanto a versão Elegance traz a suculência do pêssego e abacaxi.

Connexion25. Connexion (O Boticário, 1992). Lançado no final da moda dos chipres masculinos, Connexion é um perfume viril e potente com notas cítricas, amadeiradas e picantes. Com uma saída de bergamota e tangerina, a composição começa a exalar, em seguida, um coração de gerânio e especiarias (cominho, estragão e alcarávia). No dry-down, notas de patchouli, musgo de carvalho e âmbar ajudam a sustentar seu aroma energizante e masculino por muitas horas. O flanker Connexion Woods, lançado em 2007, também foi descontinuado.

MamãeBebê26. Mamãe e Bebê (Natura, 1993). Dentro de uma cultura fascinada pelo perfume, nada mais natural que a criação de uma água de colônia feita especialmente para crianças. Mamãe e Bebê abre com cítricos e lavanda (uma paixão nacional), antes de começar a exalar um suave aroma de talco com notas de lilás, jasmim e muguê. Na base, um acorde de baunilha, sândalo e musk valorizam a nota de lavanda, proporcionando um efeito confortável e acolhedor. Em 2006, Natura lançou o flanker Mamãe e Bebê Flor de Laranjeira, ainda melhor.

Biografia27. Biografia (Natura, 1994). Como o próprio nome sugere, Natura lançou nos anos 90 uma fragrância em homenagem à vida, seguindo o estilo verde. A versão masculina é um amadeirado aromático à base de limão, verbena, noz moscada e madeiras secas, enquanto a versão feminina é um floral verde que recorre a notas de folha de cassis, frésia, lírio-do-vale e madeiras secas. Em 2011, a Natura lançou os flankers Biografia Campos ao Sul (masculino mais picante e feminino mais amendoado) e, em 2014, Biografia Desperte (masculino mais mentolado e feminino mais frutado).

Dimitri28. Dimitri (O Boticário, 1994). Dimitri é um amadeirado aromático bastante comum e seguro. O tema russo fica perdido na história. A composição abre com um acorde de mandarina, cassis e rosa, seguindo um caminho quente-gelado de menta, gerânio, lavanda e ervas finas. No dry-down, Dimitri produz um efeito crispy e seco graças a uma base de musgo de carvalho, cedro, sândalo e musk. Existe também na versão On The Rocks (acorde aquoso) e Redvolution (acorde âmbar).

Essencial29. Essencial (Natura, 1995). O masculino é um fougère bem masculino, aromático (notas de lavanda, zimbro e limão) e especiado (noz moscada e ervas finas). Alguns minutos depois da aplicação, começa a ficar bem vivo, exalando um acorde floral fresco (gerânio e jasmim), e depois uma base de madeiras nobres, bálsamos e musgo de carvalho. O flanker Exclusivo (2010) é a versão noturna do original, levando notas de conhaque, maçã, gengibre, manjericão, lavanda, gerânio, cedro e almíscar. Essencial Estilo (2015) aposta nas especiarias quentes (noz moscada, pimenta preta e cardamomo). Já as versões femininas são chipres construídos em torno de um acorde floral fresco de jasmim, frésia e magnólia. Essencial é oferecido como deo-parfum.

Inizzio30. Inizzio (L’acqua di Fiori, 1995). A linha Inizzio de L’acqua di Fiori teve início em 1995 com uma composição inovadora de cassis, groselha, pêssego, violeta, rosa, jasmim, vetiver e sândalo. Dez anos depois, veio o flanker Inizzio Amore, desta vez com flores mais frescas como magnólia, osmanthus, frésia e lírio-do-vale, além de notas de chá, pera e frutas cítricas. Em 2010, a casa lançou Inizzio Acqua, com predominância de notas cítricas, verdes e aquáticas, com um toque de gengibre. Dois anos depois, o flanker Inizzio Della Passione é apresentado com uma composição floral frutada cremosa com tons de cereja.

Kaiak31. Kaiak (Natura, 1996). Parecido com Chrome de Azzaro, Kaiak é um cítrico aromático com uma saída intensamente herbácea (cítricos, folha de cassis e gálbano), evoluindo para um coração floral fresco (lavanda, gerânio, lírio-do-vale, jasmim e flor de laranjeira), antes de concluir com uma base ambarada recortada de musgo de carvalho. A Natura lançou em seguida os flankers Aventura (2003, picante), Pulso (2010, cítrico), Urbe (2012, fougère), Fluir (2013, floral verde), Extremo (2014, intenso) e Expedição (2015, amadeirado). A versão feminina (2003), não tão conhecida, é um floral fresco com um moderno acorde de pimenta rosa, orquídea e frutas.

Uomini32. Uomini (O Boticário, 1997). Uomini é um aromático fougère bem masculino com notas verdes radiantes de bergamota, folha de limoeiro, gálbano, manjericão, tomilho, vetiver e musgo de carvalho. Similar a Dolce & Gabbana pour Homme, Uomini vai de um vibrante aroma cítrico e verde a um elegante aroma amadeirado e macio. O flanker Uomini Black, lançado dez anos depois, parte para o gênero oriental especiado com pimenta, canela, patchouli, fava tonka e baunilha. Em 2010, foi lançada a versão Sport com um efeito gelado e, em 2011, a versão Mediterrâneo, com frutas e ervas finas. Ambos descontinuados. O flanker Uomini Origem foi introduzido em 2015 com ênfase em madeiras escuras.

Homem33. Homem (Natura, 1997). Modernizando o estilo aromático fougère, Natura apresenta uma fragrância com notas de gengibre, noz moscada, pera e maçã. Homem abre cítrico e especiado, revelando, em seguida, um acorde frutado fresco. Para manter a composição fresca e intacta, a base consiste de madeiras secas (cedro e sândalo) e musk. Entre 2008 e 2012, Natura lançou os seguintes flankers inspirados em elementos químicos: Acqua (lavanda, ervas finas, madeiras), Nitro (lavanda, tonka, especiarias), Íon (âmbar, cedro, musk), Aurum (violeta, âmbar, noz moscada), Aurum Intenso (âmbar, especiarias, couro), Elemento (âmbar, tonka, conhaque), Madeiras (cítricos, madeiras, ervas finas) e Especiarias (cítricos, especiarias, vetiver). Apenas estes dois últimos, além do tradicional, continuam ativos.

Portinari34. Portinari (O Boticário, 1998). Ao final dos anos 90, O Boticário decide ousar com um perfume oriental amadeirado no estilo de Bvlgari Black. Portinari consegue oferecer uma proposta mais quente e doce, ao mesmo tempo arejada e apropriada para o clima brasileiro. A composição tem saída cítrica e herbácea, desenvolvendo um aroma picante e fresco por meio de ervas finas, lavanda e gerânio. Na secagem, especiarias, fava tonka, baunilha e musk concluem esta equilibrada fragrância. Já existiu na versão Blue (2005), um aquático descontinuado.Ototemo

35. Ototemo (L’acqua di Fiori, 1998). L’acqua di Fiori reuniu notas florais frescas como rosa, íris, jacinto, gardênia e flor de Lótus para criar este floral aquático com nuances atalcadas. A composição abre cítrica e picante (cardamomo), torna-se polvorosa e finaliza com uma textura amadeirada seca e macia. Nos anos seguintes, a casa lançou os flankers frutados Deep Blue (baunilha), Fantasy (violeta) e Happy (anis). Destaque para o frasco tricolor produzido pela Wheaton.

Accordes36. Accordes (O Boticário, 1998). Como o próprio nome sugere, Accordes é um perfume complexo, feito em camadas. Primeiramente, ele libera um aroma frutado intenso de cassis, maçã verde e ameixa; depois revela um buquê floral de rosa, jasmim, lírio-do-vale e ylang-ylang. Finalmente, a composição conclui com uma base amadeirada de vetiver, sândalo e musk. Existem também flankers, como Harmonia (atalcado), Lumière Silver (resinoso) e Lumière Gold (“chiprado”).

Myriad37. Myriad (O Boticário, 1998)Muitos se impressionam com a potência deste perfume e questionam sua classificação como deo-colônia – fato que só pode ser explicado pela alíquota de impostos reduzida que recebem as colônias desodorantes. Myriad é um oriental floral que abre com notas frutadas de mandarina, ameixa, bergamota e pêssego, evoluindo para um coração de jasmim e muguê temperados com canela. Na base, Myriad deixa um rastro cremoso e quente de sândalo, baunilha, âmbar e almíscar. Mais apropriado para uso noturno. O Boticário chegou a lançar o flanker Myriad Blanc (nota adicional de leite condensado) como edição limitada, mas hoje ele virou um unicórnio.

Floratta38. Floratta (O Boticário, 1998). Em 1998, O Boticário começou a desenvolver sua linha Floratta em torno de colônias florais bem leves. A primeira e mais conhecida foi Floratta in Blue, que reúne notas frescas como limão, gerânio e chá a notas florais suaves como gardênia, lírio-do-vale e jasmim-manga. Em seguida, foram lançadas Floratta in Gold (ênfase em pêssego e abacaxi), Floratta in Rose (rosa e damasco), Floratta Cerejeira em Flor (caramelo e chocolate), e Floratta Cerejeira em Pétalas (flores brancas e aquosas).

Ladro39. Ladro (L’acqua di Fiori, 1999). Este é um aromático especiado com topo de folhas verdes, centro de frutas e especiarias quentes, e base de madeiras nobres e musk. As más línguas dizem que ele foi baseado no best-seller Boss Bottled (Hugo Boss), lançado em 1998. Seja como for, Ladro vai ao encontro do gosto do brasileiro médio com uma proposta ao mesmo tempo refrescante e envolvente. Perfeitamente compartilhável.

Galbe40. Galbe (O Boticário, 2000). Galbe é um fougère aromático com nuances especiadas. A fragrância tem uma saída cítrica e adocicada por conta das notas de sândalo e elemi na base. Na evolução, Galbe sofre uma explosão aromática com folha de violeta, lavanda, gerânio, sálvia e alecrim. O resultado é verde, natural, gelado e picante, tudo ao mesmo tempo. A base recebe também uma boa dose de musk para amaciar a textura do perfume. Perfeito para dias quentes de verão.

Revelar41. Revelar (Natura, 2000). Saindo um pouco do foco em fragrâncias frescas para uso diurno, Natura investiu na linha Revelar, feita para momentos mais íntimos. O Revelar tradicional é construído ao redor de um acorde romântico de rosa, violeta e lírio-do-vale, cercado de notas cítricas, sândalo e baunilha. Já o flanker Revelar Momentos é mais intenso, adicionando frutas à saída e benjoim à base. O novíssimo Revelar Noite acrescenta uma nota sensual de cereja e dá mais ênfase à baunilha.

Sintonia42. Sintonia (Natura, 2000). Esta fragrância masculina de Natura é um amadeirado especiado seco e esfumaçado. Com um topo de bergamota, lavanda e noz moscada, Sintonia evolui para um coração farelento e crispy de cedro. No dry-down, a fragrância exibe um acorde sensual pero no mucho de âmbar, sândalo e musk. Sintonia é um perfume bom, porém seguro e comum. Em 2003, a casa lançou o flanker Sintonia Total (mentolado), em 2012 Sintonia Noite (balsâmico), e em 2013 Sintonia Maxx (picante).

Glamour43. Glamour (O Boticário, 2001). Fresco e atalcado, Glamour é um floral frutado lançado no meio da ascenção do gênero. O perfume abre com notas de mandarina, flor de laranjeira e ameixa, evoluindo para um coração floral polvoroso de íris, lilás e acácia, com uma pitada de canela. A base fica por conta de notas de patchouli, sândalo, baunilha e musk, tornando a composição sensual e confortável. Glamour também existe nas versões Exuberance (canela e cassis), Nuit (orquídea e patchouli), Secrets Black (chocolate ao leite), Secrets Rose (algodão doce) e Amour (caramelo).

LaFaçon44. La Façon (La Façon, 2001). A casa de fragrâncias paulista de Campinas investiu num conceito de nicho, posicionando-se como uma adaptação de fragrâncias ao estilo francês, porém levando em conta o gosto e clima nacional. Os frascos são simples e minimalistas, ainda que acondicionados dentro de caixas finas que lembram muito do conceito Jo Malone. A coleção de eaux de toilette consiste de: Argent d’Or (oriental amadeirado), Vanille de Tahaa (floral gourmand), Brasil Natural (cítrico aromático), Flor de Laranjeira e Lichia (floral frutado), Provence (fougère aromático) e Leblon Rio (floral aquático).

LaFaçonEDC45. Collection Privée (La Façon, 2001). A linha de fragrâncias Collection Privée da nacional (embora com cara afrancesada) La Façon reúne três colônias que podem ser usadas tanto para o corpo como para o ambiente. São elas: Pera e Freesia (floral fresco), Rosas e Cassis (floral frutado) e Pêssego e Limão Siciliano (cítrico frutado). As três composições podem também serem aplicadas simultaneamente, conforme a criatividade e ousadia de cada um.

Arbo46. Arbo (O Boticário, 2002). Como o próprio nome indica, esta é uma fragrância aromática e verde, com abertura mentolada (gerânio e hortelã) e cítrica (limão e néroli). Suas notas de coração são sálvia, artemísia e outras ervas, deixando clara a personalidade do perfume. Na secagem, Arbo revela-se cremoso e macio com notas de sândalo e almíscar. A versão feminina, hoje descontinuada, levava notas marcantes de pimenta rosa e flores aquáticas. Ambos remetem ao par 212 de Carolina Herrera. Em 2015, O Boticário lançou o flanker Arbo Liberté, seguindo o gênero fougère com a adição de lavanda.

Egeo47. Egeo (O Boticário, 2002). Com Egeo, O Boticário adere à tendência dos frutados gourmands. Enquanto a versão feminina é uma combinação doce e atalcada de cereja, íris e baunilha, a versão masculina é um fougère oriental com notas herbáceas de absinto, gálbano e lavanda. O flanker Egeo Dolce feminino remete a Fantasy de Britney Spears com suas notas de anis e bala de fruta; o masculino se dedica a patchouli e chocolate (descontinuado). Há também o Egeo Choc com aroma de chocolate e chantilly e o Egeo Provoke (rosa ambarada no feminino e abacaxi-maçã no masculino).

Linda48. Linda (O Boticário, 2003). Feito em homenagem à beleza feminina, Linda é um oriental floral com notas marcantes de frutas vermelhas. O perfume abre intensamente verde com cítricos, folha de violeta e bambu, antes de revelar um suculento coração floral frutado, apoiado sobre uma base oriental doce e cremosa. Em 2012, O Boticário lançou seus flankers Linda Fashion (floral tropical), Miami Sunset (floral oriental vanilla) e Radiance (floral aquático musky). O mais recente é Linda na Dança (2014, floral branco anisado).

Ekos49. Ekos (Natura, 2003). Em 2003, a Natura apelou para o marketing da sustentabilidade com um dos mais ousados projetos ecológicos do mundo, e não apenas considerando o segmento da perfumaria. A linha Ekos se baseia em ingredientes naturais obtidos diretamente da floresta amazônica através de parceiras com comunidades e cooperativas da região. O portfólio abrange dezenas de composições, com destaque para os temas de Açaí, Mate, Priprioca, Castanha, Pitanga, Cupuaçu, Buriti, Cacau, Maracujá, Breu Branco, Copaíba, Frescor Madeira e Jabuticaba. Todas águas de banho.

LaTerre50. La Terre (Mauá, 2003). Depois do sucesso da lavanda Mauá Vert, a casa artesanal brasileira lançou uma fragrância à base de patchouli em 2003, durante a Feira Internacional realizada em San Diego, Califórnia, ganhando o prêmio de melhor produto internacional. Oingrediente hoje tão utilizado na perfumaria mundial propicia um aroma natural, entre o canforado e o amadeirado, o melhor do odor de terra úmida da floresta depois da chuva. Leve e relaxante, La Terre foi feito para ser usado em grandes doses, no corpo todo.

Malbec51. Malbec (O Boticário, 2004). Grande sacada de marketing de O Boticário, Malbec une a tradicional arte de fazer perfume com a arte de fazer vinho – a essência da fragrância leva álcool vínico macerado em barris de carvalho francês. O perfume é um amadeirado especiado (cardamomo e pimenta) com notas marcantes de limão, carvalho, ameixa e baunilha. O sucesso de Malbec impulsionou a criação de flankers: Duo (chocolate e frutas) em 2011, Gran Reserva (chocolate, incenso e frutas) em 2012, Supremo (alcaçuz e couro) em 2014, e Noir (acorde fantasia “pinot noir”) em 2015.

Xtreme52. Xtreme (O Boticário, 2004). Xtreme é um aromático aquático com topo de notas cítricas, herbáceas, especiadas, tropicais e aquosas. Na evolução, a fragrância desenvolve um buquê gelado de lavanda, gerânio, magnólia e frésia que se contrapõe a um acorde quente de fava tonka, musgo de carvalho, sândalo, âmbar e musk. Agradável, porém mediano. A versão Xtreme Xplosion acrescenta especiarias quentes, jasmim-manga e baunilha.

ColôniasPhebo53. Colônias Phebo (Phebo, 2005). Em 2005, Phebo iniciou sua coleção de colônias, que hoje consiste de quatro fragrâncias principais: Cedro do Marrocos (chipre amadeirado com ervas finas), Figo da Turquia (aromático frutado com flores aquosas), Limão Siciliano (cítrico com ervas finas e flores atalcadas) e Tuberosa do Egito (floral branco com âmbar e patchouli).

LilyEssence54. Lily Essence (O Boticário, 2006). Lily Essence foi o primeiro eau de parfum criado por O Boticário, trazendo em sua fórmula óleo essencial de lírio obtido pela técnica de enfleurage. O perfume abre intenso com notas de mandarina, pera, pêssego, damasco e pimenta rosa. Em seu coração, a nota de lírio é enriquecida com osmanthus, gardênia, jasmim, rosa, íris, violeta e narciso, que criam um aspecto suculento. Na base, madeiras nobres, âmbar, baunilha e almíscar completam a composição. O Boticário lançou também os flankers Lily Divine (notas aquáticas, folha de violeta) e Lily Sensuelle Essence (ameixa, pêssego, rosa, tuberosa). 

Capricho55. Capricho (O Boticário, 2006). Pensando nas meninas-moças, O Boticário preparou uma composição floral fresca agradável e inofensiva. Com uma saída cítrica e verde, Capricho caminha para um buquê fresco com notas de cíclame, frésia e jasmim, salpicado com amêndoas. A secagem fica por conta de um acorde macio e adocicado. Disponíveis também nas versões Day (mais ambarado), Night (mais amadeirado), Rock (mais floral), Sweet (mais frutado) e Love (mais baunilha).

IsabelaCapeto56. Isabela Capeto (Isabela Capeto, 2007). Pouco conhecido e acessível, o primeiro perfume da estilista brasileira Isabela Capeto foge do lugar comum e adota o gênero oriental especiado. A composição abre picante com notas de louro, canela, pimenta preta, cardamomo, pimenta rosa e cominho. Mais à frente, um coração exótico de rosa, ameixa, osmanthus e tamarindo traz beleza e feminilidade à fragrância. Isabela Capeto deixa um rastro opulento de bálsamos e resinas quentes.

Zaad57. Zaad (O Boticário, 2007). Zaad é um eau de parfum (incomum na perfumaria nacional) sofisticado com embalagem e conteúdo luxuosos – e paga-se por isso. O Boticário afirma ter reunido os ingredientes mais exóticos, do patchouli da Indonésia à orquídea das Filipinas. O resultado final é um aroma amadeirado especiado chique com notas de cedro, musgo de carvalho, patchouli, noz moscada, orquídea e cravo (a flor, não o botão). A casa lançou também os flankers Zaad Amber (2010, mais balsâmico) e Zaad Vision (2015, oud e patchouli). Zaad é um sopro de vida para a perfumaria brasileira.

Coffee58. Coffee (O Boticário, 2008). Acabe com o preconceito em relação aos perfumes nacionais e prove esta belezura. Coffee Man de O Boticário está no mesmo nível das grandes fragrâncias estrangeiras. Sofisticado e sensual ao mesmo tempo, ele reúne notas quentes como café, noz moscada, tabaco, pimenta, couro e âmbar e notas frescas como toranja, folhas de bambu, gerânio, violeta e íris. A versão feminina troca as notas mais masculinas por flores brancas e maçã. Existem também os flankers Seduction (mais baunilha) e Passione (mais caramelo).

Tabak59. Tabak (Mahogany, 2009). Tabak é um fougère oriental que equilibra bem um acorde aromático com um acorde oriental. De um lado, notas de bergamota, limão, gerânio, lavanda e flores frescas energizam e relaxam. De outro, notas de musgo de carvalho, sândalo, fava tonka, baunilha e musk favorecem o hedonismo e a sensualidade. O resultado é um perfume um pouco doce, um pouco picante e muito masculino. Tabak é o fougère do homem moderno.

Intense60. Intense (O Boticário, 2009). Incrementando sua linha de maquiagem Intense, O Boticário lançou em 2009 esta fragrância que mescla notas de flores frescas e frutas vermelhas, suportadas por uma base aveludada de cedro e musk. A versão Intense Oopss vai um passo além, com um acorde adicional de rosa búlgara e patchouli. Fácil de confundir com o Oopss lançado pela casa em 1995 e com outra formulação.

Faces61. Faces (Natura, 2009). Faces saiu primeiro em 2009 na forma de um genérico floral frutado gourmand, como coadjuvante da nova linha de maquiagem de Natura. Em 2011, a casa lançou Faces SuperStilo (frutado amendoado) e Faces Ousada (frutado ácido). Por fim, Faces Intensa foi introduzido em 2013, desta vez com uma aura macia e leve de maçã verde e musk.

Humor62. Humor (Natura, 2009). Depois de Humor 1 (frutado), 2 (picante) e 4 (fougère), lançados em 2006, a Natura só emplacou mesmo a série com Humor 5 e seu forte cheiro sintético de gloss labial, com notas de frutas vermelhas, melão, abacaxi, rosa e jasmim. A casa lançou depois Humor 6 Paz e Humor (2010, fougère aromático), Humor 7 Bem Me Quer (2010, floral tropical), Fórmula do Humor (2011, fougère oriental), Humor no Ar (2012, floral oriental), Borbulhas de Humor (2013, floral frutado aldeídico), Humor a Rigor (2014, amadeirado especiado), Humor Perfeito (2015, floral oriental polvoroso) e Humor Secreto (2015, floral frutado polvoroso).

Wish63. Wish (Rosa Chá, 2009). A badalada grife de moda brasileira foi uma das primeiras a lançar uma fragrância assinatura própria. Com seu frasco redondo de laço franjado e líquido rosa, Wish é um aromático floral muito delicado, feito em torno do acorde de chá, pimenta rosa e gerânio. Temperado com bergamota, cardamomo, baunilha e cacau, a fragrância é uma excelente opção para quem curte um perfume doce, porém levinho e discreto. Some rapidinho, infelizmente.

AlfazemaGávea64. Alfazema Gávea (Visage, 2010). Esta pouco conhecida lavanda foi feita com o propósito específico de refrescar e trazer bem-estar ao usuário. Alfazema Gávea é uma colônia feita em torno da flor de lavanda, que é aqui combinada com cítricos e ervas finas diversas. A base fica por conta de madeiras leves e musk. Pode ser usada em grandes quantidades, no corpo inteiro, tanto por homens como mulheres.

IndiaMisteriosa65. Índia Misteriosa (Mahogany, 2010). Este é um oriental floral que faz uma longa viagem, parando em cada ponto. Primeiramente, o perfume é um coquetel de frutas com notas de limão, bergamota, mandarina, melão, pêssego e abacaxi. Em seguida, Índia Misteriosa desabrocha um buquê floral denso e opulento com notas de acácia, flor de lótus, tuberosa, jasmim e lírio-do-vale. Como esse jardim montado, a composição desenvolve um dry-down sensual de incenso, sândalo, patchouli e fava tonka. Um verdadeiro oriental feminino.

Anni66. Anni (O Boticário, 2010). Anni é um floral frutado de aspecto marcante cítrico e verde, mais lúdico e solto do que sensual e pretensioso. Feito para as moças descontraídas, o perfume é um buquê de flores brancas (jasmim, lírio-do-vale e frésia) cercado de frutas cítricas e tropicais (ênfase na nota lactônica de damasco). Na secagem, a composição desenvolve um aroma semioriental de sândalo, âmbar, baunilha e musk. Porém, não espere por uma fragrância doce e longeva.

MakeB67. Make B. (O Boticário, 2010). A casa investe neste eau de parfum que segue o gênero oriental floral. Make B. combina notas cítricas, frutas vermelhas, flores atalcadas, benjoim, patchouli e baunilha, criando uma atmosfera sedutora e envolvente. Para tornar atrativo e viável ao consumidor, O Boticário reduziu o volume para 30 ml, mesmo assim custando o dobro de uma fragrância comum. Disponíveis também nas versões Rio Sixties (amadeirado especiado), Tropical Colors (frutado picante), Universe (floral incensado), Lumina (frutado vanilla), e Urban Ballet (floral gourmand).

ForumClassicJeans68. Forum Classic Jeans (Tufi Duek, 2010). Seguindo o estilo de CK One e Chrome, esta criação olfativa de Tufi Duek é um aromático aquático com nuances cítricas e florais frescas. Com um topo de bergamota, mandarina, toranja, pera e flores aquáticas, Forum Classic Jeans segue com um delicado buquê de gardênia, frésia e flor de algodão. Para incrementar ainda mais o aspecto de maciez e limpeza, o perfume conclui com uma base de baunilha, madeiras leves e musk.

MelDasFlores69. Mel das Flores (Mahogany, 2010). A Mahogany aposta na tendência do chipre moderno de facetas melíflua e achocolatada com este perfume gourmand. Mel das Flores se apresenta praticamente em uma única fase, com uma nota de mel enriquecida com cítricos, frutas vermelhas, rosa, jasmim, patchouli, fava tonka, caramelo, baunilha e chocolate. Uma alternativa econômica para os caríssimos e de difícil acesso Elie Saab Le Parfum e L’Instant de Guerlain.

JasminDEgypte70. Jardin d’Egypte (Mahogany, 2010). Jardin d’Egypte é um floral fresco com notas dominantes de flores brancas e um fundo almiscarado. Com uma saída de bergamota, folhas verdes, cassis e tuberosa, a composição segue para um acorde delicado e soapy de flores diversas. Notas de musgo de carvalho e madeiras secas lhe conferem traços florestais, enquanto âmbar e musk trazem um toque de cremosidade. Uma fragrância versátil e fácil de agradar.

H2O71. H2O (L’acqua di Fiori, 2010). H2O fica entre o cítrico e o fougère aromático, entre o masculino e o feminino, com sua combinação de toranja, mandarina, gálbano, frutas, gerânio, musgo de carvalho e musk. A versão Lounge foi inspirada nas baladas de Ibiza, feita à base de toranja, limão siciliano, noz moscada e cardamomo. Na evolução, o perfume se aquece e se torna adocicado, graças a uma base de sândalo e musk. H2O Lounge continua mais para água do que para coquetel, feito basicamente para refrescar.

Hit72. Hit (L’acqua di Fiori, 2010). Com sua aura floral metálica e fresca composta por aldeídos e lírio-do-vale, Hit remete imediatamente ao clássico moderno Eternity de Calvin Klein. A composição faz-se limpa e feminina, um pouco mais refinada do que um simples cheiro de banho. Na evolução, o perfume vai mostrando um aspecto mais oriental com uma base de patchouli, âmbar e musk.

FragrânciasPhebo73. Belém-Pará (Phebo, 2011). Seis anos depois do lançamento de suas colônias, a Phebo decidiu investir em fragrâncias com temas mais ousados e encorpados. Assim, a tradicional casa brasileira lançou: Samambaia (floral verde, gálbano/jacinto), Rosa Imperial (floral aldeídico, aldeídos/rosa/musk), Guamá (aromático aquático, algas/cítricos/melão), Lichia e Pimenta (floral frutado, lichia / pimenta rosa), Carnaval (floral musky, flores brancas / pimenta preta), Baunilha (floral musky, íris/violeta/baunilha), Frangipani (floral vanilla, jasmim-manga/baunilha), Muaná (amadeirado aromático, madeiras/lavanda/especiarias), Patchouli (chipre floral, rosa/jasmim), Jacarandá (amadeirado aromático, artemísia/oud) e Âmbar (floral oriental, jasmim-manga/âmbar).

Aflora74. Aflorá (Eudora, 2011). Baseado em cítricos, flores frescas, madeiras leves, musk e baunilha, Aflorá é um floral perfeitamente compartilhável, apesar de seu frasco ultrafeminino insinuar o contrário. É claro que a Eudora faz o seu marketing da sensualidade, como se fosse o perfume da mulher fatal. Não se engane – Aflorá é agradável, discreto e inofensivo. Feito para aqueles e aquelas que curtem um cheirinho limpo e elegante para o dia a dia.

WildCat75. Wild Cat (Mahogany, 2011). Podendo ser classificada como um floral frutado, chipre moderno ou oriental floral, Wild Cat é uma interessante e moderna composição feminina ao estilo gourmand. Na saída, o perfume exala um aroma frutado com nuances aquáticas. Mais adiante, um buquê de flores brancas (peônia, tuberosa e lírio-do-vale) impõe feminilidade e beleza. A base fica por conta de patchouli, chocolate ao leite e musk. Wild Cat é feito para mulheres intensas e sedutoras.

PétalesRosesBlanches76. Pétales de Roses Blanches (Mahogany, 2011). Construído em torno da nota fantasia de rosa branca, esta fragrância é um agradável floral fresco e macio. Com uma saída verde e aquosa, Pétales de Roses Blanches logo apresenta seu buquê de peônia, rosa e lírio-do-vale, trazendo beleza e luminosidade na medida certa. A secagem fica por conta de uma base levemente âmbar e musky. Perfeito para o dia a dia.

rosewood77. Rosewood (Mahogany, 2011). Rosewood é um tributo à famosa madeira brasileira hoje em extinção – o pau rosa. A fragrância abre com limão siciliano, tangerina, pimenta preta e frutas, anunciando um coração de coentro, cíclame, íris e jasmim. A base fica por conta de notas amadeiradas de cedro, sândalo, vetiver, patchouli, baunilha e musk.

Amó78. Amó (Natura, 2011). O par de fragrâncias de Natura é marcado por notas especiadas envolventes. A versão feminina é construída em torno de um buquê floral (rosa, jasmim e lírio-do-vale), recortado por notas aromáticas e amadeiradas. Já o masculino puxa mais para o lado ambarado, mantendo o DNA amadeirado e picante da fragrância, contrapondo o fresco e o quente. Ambos feitos com o propósito de seduzir. Também disponíveis: Amó Amasso (2011, canela), Amó Chamego (2011, pimenta), Amó Xodó (2011, lavanda), Amó Esquenta (2012, conhaque), Amó Sussurro (2013, caramelo), Amó Provoca (2013, café), Amó Suspiro (2014, chocolate) e Amó Arrepio (2015, canela).

Eudora79. Eudora (Eudora, 2011). Em 2011, o Grupo Boticário decidiu criar uma nova marca, Eudora, para comercializar fragrâncias com um apelo mais sensual, quase erótico. Dentro da linha Eudora, destaca-se o perfume assinatura da casa, um intoxicante oriental floral. Esta composição EDP abre com bergamota, mandarina e damasco, antes de mostrar um coração floral de rosa, frésia e gardênia. Na evolução, Eudora vai tomando corpo e calor com um acorde de patchouli, âmbar e baunilha.

80. LL Cologne (Lenny Niemeyer, 2011). Mais conhecida no Rio de Janeiro, Lenny Niemeyer é uma designer de moda de praia que iniciou carreira em 1979 e que hoje conta com lojas no mundo todo. Sua fragrância assinatura, L Cologne, é um cítrico-aromático que reúne notas de limão siciliano, tangerina, flor de laranjeira, lírio-do-vale, pau-rosa e musgo de carvalho. Uma fragrância suave e marcante a ser descoberta.

AmirSlama81. Amir Slama (Phebo, 2012). Amir Slama é um estilista brasileiro que começou sua carreira como garçom e professor de História. Depois de ter sido responsável pela construção da marca Rosa Chá e depois sua divulgação no exterior, Slama trouxe o conceito de lifestyle para a moda praia. Em 2012, a Phebo lançou uma colônia em sua homenagem, com um frasco de 250 ml. A composição contém notas de lima da Pérsia, gengibre e pimenta preta, além de um fundo de almíscares sintéticos.

Carbon82. Carbon (Eudora, 2012). O carbono é um elemento da tabela periódica que normalmente está ligado ao escuro e queimado. Em sua interpretação, Eudora oferece um amadeirado especiado com topo de bergamota, limão e gengibre, um centro de pimenta rosa e folha de violeta, e uma base de patchouli, âmbar e musk. Fraco para ser um oriental e forte para ser um aromático, Carbon fica no meio termo, equilibrando leveza e força, como descreve a própria marca. Apesar da tentativa de ser sexy, trata-se de um perfume versátil, ótimo para o escritório.

QuemDisseBerenice83. Quem Disse Berenice (Quem Disse Berenice, 2012). Visando atingir o público das moças mais descoladas, o Grupo Boticário lançou em 2012 a grife Quem Disse Berenice com dez fragrâncias. As melhores opções da linha são: O Lado Rosa da Vida (floral musky com notas de bergamota, pimenta rosa, maçã verde, rosa, jasmim, lírio-do-vale, cedro e musk) e Mergulho Num Céu Azul (floral aquático com notas de bergamota, melancia, flores aquáticas, sândalo e musk. Todos muito leves e feitos para serem usados em abundância.

Diva84. Diva (Jequiti, 2012). Além de distribuir perfumes importados, a marca fundada por Silvio Santos também tem sua linha própria. O maior sucesso de Jequiti é a linha Diva e seus diversos flankers, lançados nesta ordem: Lazuli (rosa, baunilha e âmbar), Chic (rosa-violeta, canela e patchouli), Ébano (rosa-muguê, sândalo e benjoim), Púrpura (frutas vermelhas, rosa e caramelo), Rouge (rosa-violeta, patchouli e baunilha) e Pink (rosa-gardênia, pêssego e cacau). Todos com muito musk.

Stark85. Stark (Mahogany, 2012). A proposta mais interessante da Mahogany para homens é Stark, um amadeirado aromático bem parecido com Fierce de Abercrombie & Fitch e Legend de Montblanc. O perfume abre revigorante com notas cítricas (laranja e mandarina) e herbáceas (petitgrain e alecrim), além de cardamomo. O centro da composição consiste de um acorde floral fresco de rosa, jasmim e lírio-do-vale. Notas de vetiver, musgo de carvalho e musk compõem uma base seca e robusta.

Zanzibar86. Zanzibar (Mahogany, 2012). Zanzibar é um arquipélago na Tanzânia (África oriental) e também o nome de um perfume da Van Cleef & Arpels lançado em 2000 (descontinuado). A casa ousa ao abordar o gênero oriental floral com notas carnais e pungentes. Depois de uma saída metálica e refrescante de aldeídos, tangerina, petitgrain e frésia, Zanzibar segue com um buquê picante de flor de laranjeira, jasmim, muguê, cravo, rosa e calêndula. Seu dry-down é quente e cremoso graças a um acorde de sândalo, baunilha, fava tonka e musk.

AngicoBranco87. Angico Branco (Mahogany, 2012). Na linha de The One de Dolce & Gabbana, Angico Branco aposta na sinergia entre um acorde cítrico-frutado (bergamota, mandarina, pêssego e ameixa) e outro floral-oriental (rosa, jasmim, muguê, acácia, mel e baunilha). Notas de vetiver e musk na base ajudam a amenizar a combinação densa e adocicada, evitando que a fragrância se torne pesada e enjoativa.

EnglishRose88. English Rose (Mahogany, 2012). Quem gosta de uma rosa verde e refrescante precisa provar esta criação de Mahogany. English Rose é inspirada nas antigas colônias inglesas, com uma saída efervescente de bergamota, limão e jacinto, um coração luminoso e vibrante de pêssego, gerânio, rosa e magnólia, e uma confortável base oriental de sândalo, âmbar e musk. English Rose é uma rosa contemporânea e versátil, recomendada para o dia a dia.

SolLua89. Sol e Lua (Natura, 2012). Com vibe de protetor solar, Sol de Natura reúne notas frutadas como pimenta-rosa, framboesa, kiwi, mandarina e carambola. Na evolução, o perfume apresenta um aroma floral leve e brilhante de jasmim, lírio-do-vale, madressilva e peônia. Por fim, Sol deixa para trás um rastro cremoso e amendoado de sândalo, fava tonka, benjoim, âmbar, caramelo e musk. Para passar a sensação de anoitecer e mistério, Lua é uma composição soapy e atalcada à base de rosa, frésia, peônia e lírio-do-vale, recebendo um topo cítrico e tropical (abacaxi, damasco, maracujá) e uma base calorosa e envolvente de sândalo, âmbar e musk. Em 2013, a casa lançou Sol de Viver, um floral fresco e tropical, e Lua de Sonhar, um floral frutado polvoroso.

Una90. Una (Natura, 2012). O precursor de Luna, lançado em 2014, foi este chipre moderno com topo frutado de tangerina, pêssego, folha de cassis, cereja e pimenta rosa, centro floral de rosa, magnólia e lírio-do-vale, e fundo cremoso de sândalo, baunilha e musk. Em 2015, Natura decide lançar como edição especial a variante Una Intenso, agora somando cítricos na saída e patchouli na base, como um verdadeiro chipre deve ser. Além disso, o flanker leva uma nota gourmand de chocolate ao leite. Una é oferecido como um deo-parfum.

Kriska91. Kriska (Natura, 2013). Esta fragrância de Natura segue o clichê floral frutado da moda, apresentando um aroma tropical e açucarado como uma bala de mastigar. A composição incorpora notas aromáticas (bergamota, gálbano, folha de cassis, cardamomo), frutadas (ameixa, pêssego, amora, damasco) e florais (rosa, cravo, jacinto e flores brancas). No dry-down, Kriska se torna doce e cremoso com patchouli, fava tonka, benjoim, âmbar e baunilha. Disponíveis também os flankers Kriska Freedom (2013, flor de pêssego), Kriska Atitude (2014, nota aquática) e Kriska Descoberta (2015, baunilha).

CarameloDivertido92. Cupcake Me (L’acqua di Fiori, 2013). L’acqua di Fiori apresenta duas propostas gourmands. Cupcake Me Caramelo Divertido é uma composição que coloca um acorde fresco e cintilante de laranja, lírio-do-vale e gerânio em contraste com um acorde doce e encorpado de caramelo, canela, sândalo e patchouli. Já Cupcake Me Napolitano Chic mescla notas de toranja, lavanda, frutas vermelhas, jasmim, leite, sândalo e caramelo.

FeverGold93. Make Me Fever Gold (Mahogany, 2013). Com um frasco dourado que parece uma caixa de som vertical, esta fragrância da Mahogany é feita com base na rosa. A nota floral recebe no topo lichia e bergamota, que lhe conferem um efeito fresco e suculento. Na evolução, Make Me Fever Gold recebe gerânio e lírio-do-vale, que valorizam a suavidade e o brilho da rosa. A base é composta por cedro e musk, sustentando o desempenho do perfume por muitas horas na pele. A versão tradicional, Make Me Fever, é totalmente dispensável.

TardeToscana94. Uma Tarde na Toscana (Mahogany, 2013). Este floral musky da Mahogany foi criado em homenagem à região dos grandes artistas italianos. Na saída, o perfume exala um aroma cítrico-frutado (pera), logo seguindo para um coração floral (rosa e lírio-do-vale). O patchouli aparece para conferir um ar de floresta, enquanto a base de sândalo, âmbar e almíscar seguram o desempenho da composição com muito conforto. Sua alta quantidade de musk remete a fragrâncias como Lovely e Narciso Rodriguez for Her.

Club695. Club 6 (Eudora, 2013). Mirado no público masculino jovem e boêmio, Club 6 é um oriental fougère com “pegada” sexy. Por um lado, a composição é gelada e efervescente com notas de cítricos e menta; por outro, ela é quente e boozy com notas de carvalho, patchouli, sândalo e âmbar. Club 6 é um perfume comum e mediano, que poderia ter sido melhor recebido e explorado, tivera sido lançado vinte anos atrás. Seguindo a estratégia de Carolina Herrera, a marca lançou também o flanker VIP, mais picante e intenso.

PreludeS96. Prélude S. (Eudora, 2013). Baseado na doçura do mel e na cremosidade do leite, Prélude S. se insinua como um perfume íntimo, feito para as “preliminares”. Classificada pela marca como oriental gourmand, a fragrância está mais para um floral musky e atalcado de aura melíflua, apoiado sobre almíscares sintéticos. Recomendado apenas para aqueles e aquelas que gostam de cheiro de mel com um fundo lactônico de coco.

Urbano97. Urbano (Natura, 2014). A Natura criou Urbano para celebrar a arte de rua das cidades e concebeu frascos diferentes para celebrar seus artistas. Seu corpo é formado pela molécula sintetizada pela Givaudan chamada akigalawood – obtida a partir do patchouli, com ângulos herbáceos e cítricos. Enquanto sua saída é fresca e herbácea, seu corpo revela um caráter quente e especiado. A composição conclui com notas reconfortantes de âmbar, cedro, patchouli e musk. Em 2015, a Natura lançou o flanker Urbano Recria com outra nova molécula, desta vez Polygonum (um novo ângulo herbáceo).

Luna98. Luna (Natura, 2014)Não é novidade que a brasileira típica não goste de chipres, mas com a modernização do gênero parece que ele foi finalmente aceito. A Natura apostou na tendência e lançou o Luna, que parece ter sido inspirado em Coco Mademoiselle. A saída é cítrica com notas de toranja, bergamota e mandarina, logo revelando um coração floral de rosa e jasmim. A fragrância conclui com um acorde amadeirado, predominantemente de patchouli. Em 2015, a casa lançou o flanker Luna Rosé, ressaltando a faceta floral com uma injeção de pimenta rosa.

marinasmith99. Dia e Noite (Marina Smith, 2014). A especialista em maquiagem Marina Smith lança um par de fragrâncias, uma para o dia e outra para a noite. A diurna é um floral frutado que reúne notas de pêssego, romã, maracujá e papaya, além de um corpo de frésia e uma base de musk. A noturna é um floral atalcado rico em gerânio, rosa, peônia, íris, violeta, heliotrópio e flor de laranjeira e sustentado sobre um fundo oriental.

forumrio100. Forum Rio (Forum, 2014). Tufi Duek lança uma dupla de fragrâncias inspiradas na cidade maravilhosa. O masculino é um fougère aromático com topo de limão, laranja e notas verdes e aquáticas, um centro de maçã, patchouli e pimenta, e um fundo de musgo de carvalho e madeiras nobres. Já o feminino é um floral frutado com topo de bergamota, ameixa, cassis e damasco, um centro de jasmim e rosa, e um fundo de madeiras nobres e âmbar.

Veja também: Descontinuados Nacionais e Nacionais Mais Atuais

30 pensamentos sobre “Nacionais

  1. Pingback: 25 Perfumes Nacionais, por Daniel Barros |

  2. Muito boa a lista, Daniel. Faltou só colocar o ano do Marro, que tá 2015. Uma vez li que ele lembra o “Cacharel Pour Homme” e achei realmente semelhante. Você já fez essa comparação?

  3. Pingback: Dicas de Perfumes para as Estações mais Quentes do Ano | Nécessaire da Lou

  4. Bacana, Daniel! Fico tão contente quando vejo destaque à perfumaria nacional!
    . Citei uma outra vez e nem sei se conheceu e não gostou ou até mesmo se ainda não conheceu a lavanda Mauá e a alfazema Carrão. São perfumes bem antigos, muito difundidos no Rio de Janeiro, que conheci através da minha família e possuem um aroma diferenciado, ao menos a mim, que curto críticos e lavandas, por isso, sempre os tenho como pós-banho. A Mauá ganhou até um prêmio internacional e aproveitou para lançar o parfum da lavanda, que ainda não testei, mas parece excelente e diferente. já a Carrão, talvez pela ligação afetiva familiar, lembra mais um fim de tarde, depois daquele calorzão, um abraço de alfazema natural, pronto pra tomar um café com tapioca ! Dica: conversando com pessoal da empresa, soube que qto mais amarelado líquido da Carrao, melhor ela está pelo tempo de maturação.a exemplo, prefiro comprar as que têm data de validade próximas.
    Outra sugestão seriam os perfumes da La Façon, da Alfaroma e de Tânia Bulhoes( muitos saíram de linha)!
    Do primeiro, comprei recentemente O Leblon. Perfume limpo, cítrico meio herbal , floral e com excelente longevidade, lembrando em algum aspecto o grapefruti da Jo Malone, um dos meus prediletos. Ainda com essa pegada mais limpeza, frescor, nunca deixo de ter a lavanda Provence deles, cuja saída é fresca, mas com um toque aveludado à cânfora, garantindo até um pouco de calor; essa lavanda lembra muito uma antiga fórmula de maniupludada em farmácia chamada lavanda inglesa, muito usada em Recife no final dos anos 80/90.
    Com o acqua fresca e lavanda inglesa, a Alfaroma passa despercebida por quase todo Brasil, apesar de suas colônias terem excelente qualidade, nada muito diferente do que se espera de uma lavanda , mas ótimas para quem precisa enfrentar o calor do Nordeste e do Rio. Apesar de se assemelharem com o Gendarme e com o lavanda inglesa de Atiksons respectivamente, li que o objetivo da casa é manter originalidade em suas criações. Vale conferir!
    Tania Bulhoes tentou trazer o formato Jo Malone aos seus perfumes e ainda bem por isso! Os perfumes têm excelente fixação e projeção leve, mesmo não passando sem elogios quando os usa, até mais que muitos outros caros e importados. Dela, gosto muito do tropical Brasil( uso com toda parcimônia e o hidratante é excepcional), do chá branco e o Tânia usa Figo, infelizmente descontinuado. Na última compra aqui mesmo na loja dela no Leblon, soube que quase todos os perfumes sairão de linha, ficando apenas o chá branco e talvez a lavanda de Provence. Uma pena!
    Terminei me estendendo, mas o objetivo seria apenas tentar tocar essas Informações e quem sabe ouvir suas precepcoes adiante.
    Abraco

  5. Toda vez que uso o Urbano da Natura, as pessoas dizem que o cheiro é semelhante ao de maconha. Isso aconteceu-me várias vezes e apesar de gostar das notas de saída e tratar-se de um perfume que projeta muito bem na minha pele, abandonei o dito cujo. No trabalho estava causando certo constrangimento.

  6. Daniel, você já provou o Arbo Liberté? em minha opinião ele eclipsou o Arbo tradicional, a pimenta preta e o waterfall falaram alto e balancearam o ar fougere por duas vias opostas. Gostaria de vê-lo ao menos citado por vc na seção do Arbo, rs. Espero que goste dele se ainda não o provou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s