Nicho Retrô

NichoRetrôO prefixo “retro” vem do latim e significa “para trás”. A palavra “retrô” vem do francês e é a forma diminutiva de “rétrospectif”. O estilo retrô é aquele que deliberadamente busca inspiração em modas ou técnicas do passado, ou seja, é diferente de vintage (naturalmente envelhecido). Se por um lado um produto retrô possa ser nostálgico e cínico, ele também tem o poder de nos distanciar do presente para usufruir a herança deixada por outras gerações. O conceito evoluiu rapidamente com o tempo e, atualmente, consideramos retrô objetos um dia considerados modernos, como a máquina de escrever, o walkman e o fax. Na perfumaria, o nicho retrô homenageia heróis e personalidades do passado ou composições à moda antiga (geralmente francesa ou italiana), ou as duas coisas ao mesmo tempo. Casas de nicho retrô focam nos gêneros mais antigos como chipre, fougère e oriental, com grande participação de especiarias e ervas finas. Sua estética e apresentação também ilustram a busca por valores tradicionais, enfatizando cores mais discretas e sóbrias, com frascos simples e funcionais.

Nota: Para perfumes lançados de 2015 em diante, consulte Lançamentos de Nicho.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

Amoureuse1. Amoureuse (Parfums DelRae, 2002). Amoureuse é um floral branco e melífluo com um quê chipre e verde. Abrindo cítrico (tangerina) e picante (cardamomo), o perfume mergulha num coração de tuberosa, jasmim e lírio-do-vale, exaltando o brilho dessas flores. Na secagem, uma base de mel, sândalo e musgo de carvalho emerge, propiciando uma atmosfera tropical e levemente animálica. Amoureuse é uma fragrância bem feminina e charmosa com uma intoxicante cremosidade.

BoisDeParadis2. Bois de Paradise (Parfums DelRae, 2002). Buscando interpretar o aroma do jardim do Éden, Bois de Paradise reúne notas suculentas de frutas vermelhas e figo maduro, quentes de âmbar, incenso e especiarias, e naturais de cítricos, rosa e madeiras nobres. A nota de rosa é aqui trabalhada de forma profunda e exuberante, com seus lados frescos e frutados enriquecidos. A base ambarada e amadeirada serve para garantir sua performance, sem tornar o perfume doce demais.

Début3. Début (Parfums DelRae, 2002). Criado por Michel Roudnitska, Début é um floral verde de aura doce e tropical. A partir de um topo refrescante de bergamota, limão tahiti, folhas verdes e ylang-ylang, a composição assume um acorde floral suave de tília, cíclame e lírio-do-vale. Uma base amadeirada musky finaliza a fragrância com vetiver, sândalo e almíscar sintético, deixando para trás um interessante rastro verde e agridoce.

aire4. Aire (Profumi di Pantelleria, 2004). Segundo o site da marca, “Aire é limpo e crispy, porém uma fragrância fogosa”. Classificado como aromático frutado, Aire gira em torno de um acorde arejado e polvoroso de íris e musk. No topo, a composição recebe cítricos, kiwi e chá branco. Minutos depois, um buquê de íris, jasmim e pimenta emerge apoiado sobre um fundo de mate, fava tonka e musk.

Classic19205. Classic 1920 (Bois 1920, 2005). Classic 1920 é um oriental especiado criado originalmente em 1920, data de fundação da casa. A fragrância abre cítrica e picante com notas de bergamota, limão siciliano, pimentão vermelho, zimbro, manjericão e noz moscada. Na sequência, Classic 1920 incorpora um acorde floral frutado de rosa, jasmim, lavanda, osmanthus e damasco. O dry-down fica a cargo de uma base picante e esfumaçada de cominho, vetiver, tabaco, sândalo, âmbar, baunilha e musk, além de leves nuances marinhas.

1920Extreme6. 1920 Extrême (Bois 1920, 2005). Este chipre amadeirado une um acorde floral-aromático de jasmim, lavanda, gerânio e sálvia a um acorde amadeirado-resinoso de sândalo, cedro, fava tonka e baunilha. O resultado é um forte aroma herbáceo com nuances fougères. 1920 Extrême oferece uma experiência aromática completa, trabalhando diferentes lados da natureza, provando assim a força dos contrastes. Embora classificado como unissex, o perfume é elegante e mais masculino.

SushiImperiale7. Real Patchouly (Bois 1920, 2005). Real Patchouly trabalha o lado escuro e gelado do patchouli, diferente da maioria dos perfumes comerciais baseados nessa nota. Com seu aspecto realístico e natural, o perfume abre com cítricos, especiarias e ervas finas, antes de revelar um coração balsâmico e canforado de eucalipto, patchouli e labdanum. Mais adiante, Real Patchouly faz surgir notas doces e resinosas de sândalo, benjoim, âmbar e baunilha, envoltas em uma nuvem esfumaçada de tabaco e musk. O segredo de seu sucesso está na contraposição bem-sucedida entre o seco e defumado e o doce e gelado.

RealPatchouly8. Sushi Impériale (Bois 1920, 2005). Nostálgico e quase gourmand, Sushi Imperiale é um oriental especiado construído ao redor de canela, resinas e sândalo. O perfume abre cítrico e doce, com nuances de anis. Na evolução, um buquê de especiarias (canela, pimenta e noz moscada) emerge, apoiado sobre uma base de fava tonka, baunilha e madeiras nobres. Notas de rosa e jasmim podem ser sentidas no fundo. Sushi Impériale deixa um rastro sutil e discreto, tornando-se uma fragrância de pele.

1920Extreme9. 1920 Extreme (Bois 1920, 2005). Meio chipre, meio fougère, 1920 Extreme é herbáceo e amadeirado, com um topo cítrico e uma base resinosa. Inicialmente, 1920 Extreme é mais fresco e aromático, mostrando um contraste entre bergamota e fava tonka, mas, na evolução, o perfume é dominado pela força das madeiras secas (cedro e sândalo), produzindo um aspecto crispy e intenso. Um acorde gerânio-jasmim traz graça e ameniza a composição de grande profundidade amadeirada.

agrumiamaridisicilia10. Agrumi Amari di Sicilia (Bois 1920, 2005). Ao pé da letra “Cítricos Amargos da Sicília”, este é um cítrico aromático com pegada pesada na saída. O perfume abre com um acorde picante e efervescente de bergamota, laranja, limão, toranja, mandarina, petitgrain, folha de cassis e alcarávia. Em seguida, um coração suave emerge com jasmim, lavanda, patchouli e sândalo. Para manter o perfume leve e transparente. Agrumi Amari di Sicilia leva como base um manto de almíscares sintéticos.

sandalothe11. Sandalo e The (Bois 1920, 2005). Como sugere o nome, este é um amadeirado aromático que gira em torno das notas de sândalo e chá. Na saída, Sandalo e The apresenta um acorde refrescante de chá, alcarávia, limão, alecrim, laranja e lavanda, anunciando um buquê central de rosa, jasmim, gerânio e jacinto. A composição ganha virilidade na secagem, graças a um fundo amadeirado-balsâmico de cedro, patchouli, sândalo, tabaco e mirra.

josephine12. Josephine (Rancé 1795, 2005). Josephine é um floral oriental bem ao estilo dos anos 60. O perfume abre com um complexo acorde de bergamota, gálbano, folha de violeta, cassis, hibisco e cravo-da-índia. Minutos depois, ele desabrocha um imenso buquê de rosa, peônia, gerânio, íris, lilás, ylang-ylang e jasmim. Nesse ponto inebriante, Josephine conclui com uma base de sândalo, ébano, âmbar, baunilha e musk.

levainqueur13. Le Vainqueur (Rancé 1795, 2005). Este amadeirado aquático feito para o público masculino tem nuances especiadas e cítricas. A partir de uma saída arejada de cítricos, gengibre e melancia/melão, Le Vainqueur percorre um centro luminoso de lavanda, íris, gerânio, jasmim e lírio-do-vale temperado com noz moscada. A base fica por conta de um acorde sofisticado de couro, sândalo, vetiver, ambroxan e musk.

eugenie14. Eugénie (Rancé 1795, 2006). Agora com uma proposta floral frutada, Rancé lança Eugénie com toques cítricos e amadeirados. Com um estilo bem retrô, o perfume inicia suculento com bergamota, mandarina, maracujá, pêssego e melão, anunciando um coração romântico de lírio-do-vale, magnólia, flor de laranjeira, jasmim e rosa. O toque datado bem com a carga de musgo de carvalho no fundo, junto com orris, sândalo, vetiver, âmbar e baunilha.

MazzolariLui15. Mazzolari Lui (Mazzolari, 2006). Dentre as vinte criações de Mazzolari, esta é a que mais se destaca. Mazzolari Lui é um amadeirado especiado com vibe bruta e viril. Remetendo à antiga perfumaria da década de 60 e 70, esta fragrância abre com um potente odor canforado e animálico de patchouli. À medida que evolui, a composição revela um aspecto resinoso e picante, com um fundo de castoreum. Mais adiante, um acorde de couro, tabaco, baunilha e musk exala um aroma polvoroso e macio. Mazzolari Lui é selvagem sem fazer concessões.

Patchouly16. Patchouly (Mazzolari, 2006). Mazzolari dá um acabamento oriental ao patchouli, com especiarias, mel e âmbar. Patchouly apresenta seu ingrediente principal com aspecto bastante realístico e o torna denso e encorpado, preservando sua identidade, sem torná-lo cremoso. Trata-se de um perfume que leva um certo tempo para se desenvolver, mas que surpreende com seu dry-down fino e inebriante, cheio de sutilezas. Patchouly é uma excelente opção para os fãs da nota em seu aspecto natural.

Alessandro17. Alessandro (Mazzolari, 2006). Alessandro segue a linha oriental vanilla, combinando amêndoas, mel, baunilha e notas florais atalcadas. A fragrância imprime uma atmosfera natural de notas que costumam ser (e provavelmente aqui também são) sintéticas. Alessandro é um talco de bebê com nuances melífluas e amendoadas, transmitindo uma sensação mista de sensualidade e acolhimento. Uma das qualidades de Alessandro é ser altamente concentrado, com grande silagem.

Maestrale18. Maestrale (Profumi di Pantelleria, 2006). Feito para homens boêmios, Maestrale é um amadeirado aromático com aspecto boozy. Com uma saída cítrica e herbácea de bergamota, lavanda, gengibre e ruibarbo, o perfume caminha para um coração floral e picante de íris, cravo, coentro e cardamomo, na companhia de uma nota de rum. Uma base seca e macia de vetiver, cedro e musk garantem certa neutralidade, ressaltando a cabeça e o corpo da composição.

Gardénia19. Gardénia (Isabey, 2006). A marca Isabey existe desde 1924 e foi adquirida por Panouge em 2002. Com uma saída de tangerina e flor de laranjeira, o perfume desabrocha um coração floral de gardênia (absoluto), ylang-ylang, jasmim, íris e rosa. Nesse ponto, nota-se que Gardénia sintetiza o inebriante aroma das flores noturnas, com muita sensualidade e feminilidade. A base elegante e aveludada fica por conta de sândalo, âmbar gris e musk. Puro luxo.

NuitNoire20. Nuit Noire (Mona di Orio, 2006). Antes de a perfumista holandesa lançar sua famosa série Nombres d’Or, ela introduziu este oriental floral que mescla flores brancas, especiarias e couro. Com um topo de laranja, flor de laranjeira, cardamomo e gengibre, Nuit Noire segue para um buquê picante de tuberosa, cravo-da-índia e canela. O perfume se completa com um dry-down balsâmico e polvoroso de incenso, sândalo, âmbar, fava tonka e musk.

pontevecchiow21. Ponte Vecchio W (Nobile 1942, 2007). Este nostálgico floral amadeirado musky é construído em torno da íris florentina. Ponte Vecchio W é descrito pela marca como “uma fragrância floral sofisticada e altamente energética, ideal para a sedução porque ela envolve você num véu de mistério e sensualidade”. Acompanham a composição um topo de bergamota, mandarina e coentro, um coração de rosa e jasmim (além de íris), e um fundo de sândalo, âmbar e musk.

ambreasade 22. Ambre à Sade (Nez à Nez, 2008). Segundo o site da marca: “Somos pegos por um deleite fragrante. Desejos e sentimentos vêm juntos e se espalham. O âmbar espontaneamente provoca o lindo patchouli vestido de terno de couro com um ágil e flexível morango. O trio se perde numa quente névoa púrpura. A amora caminha junto com as paredes de baunilha para ser plantado no meio da luxúria. Framboesas espiam o ato com a perfeição de um corte feito por papel…” Este floral frutado gourmand é o perfume mais conhecido da casa.

bochebaie 23. Bouche Baie (Nez à Nez, 2008). “Boca da Baía” é um floral frutado de nuances tropicais e orientais. “O cassis e a amora são delicados mas não tímidos. As potentes frutas românticas são azuis e às vezes violetas. Sua união se torna sutil e sensível num leite pastel. O pecado da indulgência as atrai. A mistura é irresistível. As frutas se rebelam, derretem e mergem num véu branco.” Atenção para o fundo feito de amêndoas, coco, baunilha e mel.

marronchic24. Marron Chic (Nez à Nez, 2008). Nez à Nez nos convida a imaginar uma íris cultivada num solo de cacau. Seria um perfume inspirado em Dior Homme Intense? O perfume é classificado como um oriental amadeirado de traços picantes e atalcados. A íris recebe um reforço de violeta, enquanto o cacau é enriquecido com benjoim. No meio de tudo isso, encontramos também cítricos, flor de laranjeira, vetiver e labdanum.

atelierdartiste25. Atelier d’Artiste (Nez à Nez, 2008). Seguindo o DNA frutado da marca, Atelier d’Artiste desta vez segue por um caminho boozy com notas de uva e conhaque. Depois da saída fortemente alcoólica, a composição adentra um centro seco e especiado de zimbro, vetiver e patchouli para amenizar a fragrância. Uma atmosfera boêmia surge no dry-down graças a um acorde base de café, heliotrópio e tabaco. Mais um bom perfume de nicho com cara de perfumaria comercial.

vittoriaapuana26. Vittoria Apuana (Profumi del Forte, 2008). Vittoria Apuana é o paraíso tropical em formato perfume. Classificado como floral frutado gourmand, o perfume passa rapidamente de um topo de cítricos para um coração lactônico e frutado de banana, coco e flor de tiaré. No dry-down, sua base de sândalo e âmbar emerge para arredondar e deixar a fragrância com mais cara de acabada. Vittoria Apuana ganha pontos por trabalhar um tema tão polarizante na perfumaria.

romaimperiale27. Roma Imperiale (Profumi del Forte, 2008). Este é um oriental floral de traços atalcados e doces. Centrado na nota fantasia de orquídea, Roma Imperiale abre com um complexo acorde de bergamota, mandarina, néroli, folha de tomate, coentro e canela. Minutos depois, é a vez de um buquê floral aparecer com notas de rosa, ylang-ylang, íris, tuberosa, jasmim, seringa e, é claro, orquídea. A base fica por conta de musgo de carvalho, sândalo, baunilha, âmbar gris e civet.

vetiver28. Vetiver (Mazzolari, 2008). A casa italiana apresenta sua interpretação da nota clássica de vetiver seguindo o caminho amadeirado especiado. Vetiver abre efervescente com um topo de bergamota, toranja e limão tahiti. Em seguida, o vetiver aparece potencializado com notas de tabaco e especiarias, principalmente noz moscada. Notas florais dão um toque gracioso ao perfume.

ruerance29. Rue Rancé (Rancé 1795, 2008). Rue Rancé é uma proposta floral amadeirada musky que combina tanto com homens quanto mulheres. O gálbano está presente na saída de cítricos para dar um toque retrô, enquanto o coração é composto de chá verde, magnólia, lírio-do-vale, gerânio e noz moscada. Tudo isso é “amarrado” por um acorde base de sândalo e musk.

iris30. Iris (Odori, 2008). O mesmo dono da marca Bois 1920 resolve lançar uma segunda marca inspirada em notas famosas na perfumaria. Iris é um amadeirado aromático feito como um tributo ao símbolo da República de Florença na Idade Média. O perfume conta com um topo narcótico de anis estrelado e ylang-ylang, um coração polvoroso de íris e heliotrópio, e um fundo cremoso de âmbar e baunilha. Perfeito para fãs da preciosíssima nota de íris.

cuoio31. Cuoio (Odori, 2008). Inspirado na cidade de Florença, Cuoio faz uma rendição da nota fantasia de couro por meio de uma composição de bétula, vetiver e patchouli. Notas de laranja, âmbar, mel, gengibre e ylang-ylang são coadjuvantes porém essenciais para a originalidade. Inicialmente com aspecto medicinal, o perfume se atenua com um toque soapy de ylang-ylang e mel. Sua base balsâmica e amadeirada confere masculinidade, com um leve traço de gengibre. Pura classe.

tabacco32. Tabacco (Odori, 2008). O terceiro perfume da casa Odori é dedicado à nota de tabaco, aqui cercada de eucalipto, incenso, vetiver e musgo de carvalho. Notas de laranja amarga e jasmim aparecem para trazer luminosidade à composição. Tabacco abre cítrico e incensado, com a nota principal na retaguarda. A nota de tabaco emerge junto a eucalipto e vetiver, mostrando sua potência herbácea quente e seca. Uma base de baunilha adoça a fragrância, que ganha um apelo semifougère.

EmpressesJapan33. The Great Empresses of Japan (Roméa d’Améor, 2008). Criado para espantar pensamentos negativos, The Great Empresses of Japan é um oriental floral focado numa atmosfera polvorosa. Com uma interessante saída floral-frutada de ylang-ylang, melão e frésia, o perfume abre um atalcado buquê de íris, violeta, heliotrópio, rosa, peônia e lírio-do-vale. Para acentuar o aspecto polvoroso, The Great Empresses of Japan conta com uma base de vetiver, fava tonka, orris, baunilha e musk.

LouisXIV34. The Mistresses of Louis XIV (Roméa d’Améor, 2008). Para criar uma fragrância que representasse o brilho e a vitalidade, Roméa d’Améor elegeu o lírio-do-vale. Essa nota ganha um contorno verde e frutado com gálbano, cassis, melão e nectarina. Abrindo verde e picante (cravo-da-índia), The Mistresses of Louis XIV parte para uma evolução floral de lírio-do-vale, jasmim, rosa, íris e narciso. Uma base de âmbar e almíscar conclui este perfume que inspira inocência e romantismo.

triomphe35. Triomphe Millésime (Rancé 1795, 2009). Este perfume é dedicado ao triunfo de Napoleão Bonaparte. E como o imperador francês era fã de um cítrico aromático, assim é Triomphe Millésime. A composição abre com um acorde potente de bergamota, tangerina, laranja amarga e cardamomo. Em seguida, um coração de estragão, sálvia e canela emerge com explosividade. Na conclusão, Triomphe Millésime mostra um fundo de vetiver, gaiaco, patchouli, benjoim, âmbar, incenso e baunilha.

bynightwhite36. By Night White (Profumi del Forte, 2009). By Night White é um floral de traços cítricos e polvorosos. A partir de um acorde de cítricos, petitgrain, coentro e pimenta, a composição desabrocha um inebriante buquê de orquídea, violeta, rosa, jasmim e flor de laranjeira. O perfume ganha na secagem um ar bastante atalcado com a ajuda de um fundo de heliotrópio, fava tonka, benjoim, sândalo, baunilha e musk.

cara37. Cara (Farmacia SS. Annunziata, 2009). Farmacia SS. Annuziata investe num perfume atalcado para quem gosta desse estilo com toques bem doces. Abrindo com notas de baunilha e açúcar, Cara adentra um coração de amêndoas caramelizadas. Notas de íris, violeta e rosa compõem um acorde polvoroso que se funde a uma base de âmbar. Não poderia ser uma fragrância mais romântica.

chia38. Chia (Farmacia SS. Annunziata, 2009). Segundo o site da marca, “Chia é uma fragrância extravagante, sedutora e gourmand que exala charme e elegância”. A composição tem uma saída de notas cítricas e florais luminosas, anunciando um coração de rosas vermelhas e amêndoas açucaradas. A finalização fica a cargo de um fundo acolhedor de avelãs, baunilha, âmbar e musk.

patchoulinobile39. Patchouli Nobile (Nobile 1942, 2009). Esqueça do patchouli moderno e com seu tom achocolatado. A interpretação feita por Nobile 1942 é retrô, enfatizando seu lado canforado e terroso. Com uma saída de cítricos e pimenta branca, Patchouli Nobile adorna seu tema principal com notas de incenso, gaiaco, labdanum, cedro, âmbar, sândalo e fava tonka, além de um corpo floral de jasmim marroquino.

castadiva40. Casta Diva (Nobile 1942, 2009). Inspirado pela ópera de Vincenzo Bellini e na personagem Norma, Casta Diva é um floral almiscarado de nuances frutadas e balsâmicas. O perfume abre com folhas verdes e ylang-ylang, anunciando um coração de néroli, jasmim, osmanthus e frangipani. Tudo isso é envelopado por um acorde base de musgo de carvalho, âmbar, baunilha e musk.

FleurNocturne41. Fleur Nocturne (Isabey, 2009). Com o sucesso de Gardénia, Panouge decide recriar o emblemático Bleu de Chine, lançado em 1925. O perfume foi batizado de Fleur Nocturne, mantendo sua identidade floral intoxicante e tropical. Com uma saída de mandarina, pêssego e osmanthus, a composição revela um acorde central de jasmim, gardênia e magnólia. Para trazer corpo e cremosidade, notas de patchouli e baunilha são adicionadas à base. Fleur Nocturne representa o glamour da perfumaria francesa tradicional.

AmbraMediterranea42. Versilia Vintage Ambra Mediterranea (Profumi del Forte, 2009). Fãs incondicionais de fragrâncias à base de âmbar precisam provar esta composição multifacetada e original. O acorde fantasia é aqui formado por uma combinação de labdanum, olíbano, benjoim, coentro, bálsamo tolu, patchouli, baunilha e almíscar. O resultado é um perfume potente, denso e escuro com traços secos, defumados e canforados. Um toque de laranja, jasmim e ylang-ylang confere certo brilho e leveza, porém sem tirar a autenticidade e realismo do acorde âmbar. Uma verdadeira homenagem à antiga perfumaria.

Ambre43. Ambre (Mona Di Orio, 2010). Labdanum, bálsamo tolu, benjoim e baunilha foram as notas escolhidas para interpretar a nota fantasia de âmbar nesta composição. Ambre abre opulento e polvoroso com um acorde boozy e amendoado. O perfume evolui para um estilo old school com notas de ylang-ylang e aldeídos, remetendo aos clássicos barrocos como L’Heure Bleue e Habit Rouge. Ambre conclui com uma secagem confortável e elegante, datada e nostálgica.

Musc44. Musc (Mona Di Orio, 2010). Para fazer uma rendição do tema de almíscar, Mona di Orio elegeu as notas polvorosas e secas de angélica, heliotrópio e fava tonka. Um aspecto floral soapy é conferido por néroli e rosa. Naturalmente, Musc tem uma saída de musk limpo com uma atmosfera quente e atalcada, com nuances de especiarias. Durante a evolução, a nota de rosa surge com uma sensação de sabonete luxuoso. A base se constitui de almíscar e couro, mantendo a personalidade do perfume.

Cuir45. Cuir (Mona di Orio, 2010). Mona di Orio arrisca-se a compor uma fragrância à base de couro nos moldes do icônico Knize Ten, hoje considerado datado. Com um estilo retrô, Cuir abre adstringente com anis, zimbro e cardamomo. Na evolução, a nota de couro vai se tornando mais evidente, com uma base balsâmica (opoponax) e animálica (castoreum). Boa opção para quem curte um perfume de atmosfera defumada e oleosa.

ambranobile46. Ambra Nobile (Nobile 1942, 2010). Nobile 1942 leva realmente a sério o conceito do perfume e tenta reproduzir a nota de âmbar gris natural. Para tanto, o perfume abre com um acorde de cítricos e flor de laranjeira, já com um fundo de labdanum, patchouli e âmbar gris por trás. Notas de fava tonka, vetiver e cedro contributem para uma estrutura sólida e duradoura na pele. O resultado é polvoroso e levemente salino.

hiroshimamonamour47. Hiroshima Mon Amour (Nez à Nez, 2010). Nez à Nez segue no caminho frutado com um perfume à base de ameixa e cereja. Para tornar a fragrância mais interessante, Hiroshima Mon Amour leva um topo ácido e efervescente de mandarina e yuzu, um corpo especiado e defumado de zimbro e bétula, e um fundo quente e balsâmico de âmbar, baunilha, cera de abelha e almíscar. Trata-se de uma criação do perfumista Stéphane Humbert Lucas.

panache48. Panache (Parfums DelRae, 2010). A tradicionalíssima casa DelRae propõe um floral amadeirado musky para homens e mulheres. Com o nome de “Pluma” em francês, o perfume abre com um complexo acorde de bergamota, pimenta rosa, cardamomo, ambrette, magnólia e rum. Na evolução, um buquê de jasmim, ylang-ylang, madressilva, íris e gerânio compõe uma atmosfera romântica. O dry-down fica a cargo de madeiras nobres, incenso, âmbar, mel e almíscar sintético.

lei49. Lei (Mazzolari, 2010). Quatro anos depois de lançar Lui, a marca italiana decide lançar o par feminino com uma composição bastante distinta. Lei (ou “ela” em italiano) é um oriental amadeirado que reúne em seu centro notas secas e elegantes de patchouli, labdanum, sândalo, vetiver e cedro. A saída é formada por uma ácida bergamota, enquanto cacau e baunilha concluem com um fundo doce e cremoso.

helene50. Hélène (Rancé 1795, 2010). Segundo o site da marca, Hélène foi gerada pelo amor alegre, puro e apaixonado entre Napoleão e sua última amante. Este grande floral clássico inicia com um topo adstringente de néroli, cardamomo, ylang-ylang e canela. Em seguida, desabrocha um buquê feminino de rosa, jasmim e flor de laranjeira. Na secagem, Hélène se torna polvoroso graças a um acorde base de heliotrópio, orris, benjoim, sândalo e musk.

comelamore51. Come l’Amore (Bois 1920, 2011). Finalmente oferecendo uma composição feminina, Bois 1920 se rende às flores brancas com um floral amadeirado musky. “Como o Amor” abre alegre com notas de tangerina, frésia, ameixa e chá, anunciando um delicado coração de jasmim, gardênia, seringa, lírio, rosa e pimenta preta. Tudo isso é “amarrado” por uma base oriental de cedro, benjoim, estoraque e almíscar sintético.

classicmyrrh52. Classic Myrrh (Von Eudersdorff, 2011). Classic Myrrh é um oriental amadeirado de nuances polvorosas e especiadas. O perfume abre com um acorde verde e esfumaçado de petitgrain e incenso, anunciando um centro atalcado de violeta e cedro. O que sustenta a composição é uma base seca e amadeirada de cedro, vetiver e patchouli, além, é claro, de mirra. Um perfume austero e sofisticado que de nada lembra incenso de igreja.

classicvetiver53. Classic Vetiver (Von Eudersdorff, 2011). Desta vez com um amadeirado especiado, Von Eudersdorff apresenta uma composição com uma forte saída cítrica de bergamota, limão e toranja. Minutos depois, o foco se torna um coração adstringente e esfumaçado de gerânio, pimenta e elemi. O tema principal da composição, o vetiver, aparece com toda força na secagem, acompanhado de patchouli e cedro. Bastante usável e feito especialmente para amantes de um vetiver refrescante.

versiliaaurum54. Versilia Aurum (Profumi del Forte, 2011). De difícil classificação, Versilia Aurum é um perfume com características chipre, floral, oriental e gourmand. O perfume abre frutado e suculento com notas de laranja, ameixa e morango. Em seguida, um enorme buquê emerge com pétalas de orquídea, rosa, íris, heliotrópio, tuberosa, ylang-ylang, jasmim e lírio-do-vale. Tudo isso é sustentado por um fundo oriental de bálsamo tolu e peru, sândalo, fava tonka, âmbar, baunilha e musk.

chyprenobile55. Chypre Nobile (Nobile 1942, 2011). Chypre Nobile é um perfume feito em  homenagem à atriz italiana Anna Magnani, falecida em 1973. Segundo o site da marca, tratava-se de “uma mulher inteligente de forte caráter, orgulho e beleza não convencional”. A tradução olfativa é um chipre clássico com topo de bergamota, mandarina e flor de laranjeira, um corpo de tuberosa, jasmim, rosa e benjoim, e um fundo de patchouli, sândalo, âmbar, fava tonka e baunilha.

Tubéreuse56. Tubéreuse (Mona di Orio, 2011). Em Tubéreuse, a perfumista Mona di Orio busca equilibrar o lado carnal-sombrio e fresco-luminoso da flor de odor intoxicante. Assim, a composição tem uma saída de aldeídos, bergamota e pimenta rosa, seguindo com o seu acorde central de tuberosa e heliotrópio. Na secagem, Tubéreuse mostra um aspecto cremoso e polvoroso graças às notas de benjoim e musk. Ideal para quem busca uma interpretação mais suave de tuberosa.

Vanille57. Vanille (Mona Di Orio, 2011). A nota de baunilha é aqui retratada com um aspecto licoroso e picante, longe do lugar comum. Vanille abre cítrico e boozy, com uma insistente base de notas escuras (couro, bálsamo tolu e gaiaco) empurrando a composição. A assinatura decadente e melancólica de Mona di Orio fica nítida com esta fragrância doce, polvorosa e defumada, como se tivesse sido criada há cem anos. Distante do universo gourmand, Vanille é cheio de classe e intimidante.

Vétyver58. Vétyver (Mona Di Orio, 2011). Este oriental amadeirado gira em torno da nota de vetiver, com seu lado limpo e herbáceo enriquecido por gengibre, violeta e feno, enquanto seu lado “sujo” e terroso é ressaltado por patchouli, labdanum e tabaco. Inicialmente com um aroma de tabaco cítrico, Vétyver segue mostrando seu lado picante de gengibre, cravo-da-índia e noz moscada. O dry-down é musky e atalcado, ao mesmo tempo em que preserva a essência verde e natural da fragrância.

OudhOsmanthus59. Oud Osmanthus (Mona di Orio, 2011). Este perfume é um fiel tributo ao oud da perfumaria árabe. Mona di Orio apresenta a nota com toda sua complexidade, iniciando com um acorde suave de cítricos e osmanthus, nesse ponto perfazendo uma aura amadeirada fresca. Durante a evolução, Oud gradualmente torna-se mais corpulento e oleoso, mostrando tons escuros e animálicos. Em seu ápice, o perfume é complexo, pungente e inesquecível.

LAmbreDeCarthage60. L’Ambre de Carthage (Isabey, 2011). A primeira fragrância masculina da casa Isabey é este oriental feito em tributo à cidade tunisiana de Cartago. Seus ingredientes principais são exatamente os que costumavam ser vendidos no local séculos atrás. Com um topo de bergamota e chá, L’Ambre de Carthage logo evolui para um coração de incenso, osmanthus e jasmim. Finalmente, a composição termina com um acorde de sândalo, patchouli, âmbar e musk. Exótico, chique e sensual.

ClassicPatchouli61. Classic Patchouli (Von Eusersdorff, 2011). Sediada em Nova York, Von Eusersdorff segue a tradição da família alemã e fabrica seus perfumes em Grasse. Devido à rendição natural e realística do patchouli nesta composição, fica claro o estilo retrô e tradicional da casa. Classic Patchouli reúne, além do ingrediente principal, notas de bergamota, sândalo, fava tonka e baunilha. O resultado é um patchouli denso, escuro e potente com um fundo polvoroso e adocicado.

AmbraNera62. Ambra Nera (Farmacia SS. Annunziata, 2011). O acorde fantasia de âmbar é aqui produzido com notas aromáticas e balsâmicas. Por um lado, eucalipto, cipreste, vetiver e patchouli propiciam um clima árido e herbáceo de nuances amadeiradas; de outro, labdanum, benjoim, opoponax e baunilha conferem corpo e doçura com traços esfumaçados. Ambra Nera é um oriental seco e austero, com a medida certa de sensualidade e opulência. Mas o objetivo dele é realmente mostrar classe.

VanigliaMadagascar63. Vaniglia del Madagascar (Farmacia SS. Annunziata, 2011). A melhor baunilha do mundo supostamente vem de Madagascar, e ela é aqui combinada a notas cítricas, florais e ambaradas para compor uma personalidade mais interessante. O caráter denso, cremoso e doce do ingrediente principal ganha um aspecto mais natural e gracioso com o mix de flores e resinas. Confortável e multifacetado, Vaniglia del Madagascar é opção obrigatória para os amantes de baunilha.

BombayBling64. Bombay Bling (Neela Vermeire, 2012). O espírito da Índia moderna com todo seu esoterismo, alto astral e diversidade é capturado por esta criação de Neela Vermeire. O perfume abre com um coquetel de frutas tropicais e especiarias, antes de adentrar um coração de rosa, ylang-ylang e flores brancas. Para deixar a composição unissex, foram adicionadas notas de tabaco e madeiras nobres. O resultado é uma fragrância que combina o oriental amadeirado com o floral frutado.

Mohur65. Mohur (Neela Vermeire, 2012). O nome se refere à mais valiosa moeda de ouro na história da Índia, não mais produzida desde 1918. Mohur se baseia no opulento acorde rosa-oud típico do Oriente com um romântico acorde íris-violeta típico do Ocidente. O perfume abre picante e balsâmico, evoluindo para um coração polvoroso de rosa, íris, violeta e heliotrópio. Uma base balsâmica e cremosa de oud, fava tonka, sândalo, patchouli, benjoim e baunilha conclui esta imponente composição.

Trayee66. Trayee (Neela Vermeire, 2012). Este perfume faz referência à tríade dos Vedas, os mais antigos textos sagrados da Índia. Para compor uma fragrância baseada nos velhos rituais religiosos e medicina ayurvédica, Neela Vermeire escolheu incenso, mirra e oud, amparados por uma combinação de especiarias e madeiras nobres, além de um toque de jasmim. Trayee tem uma saída herbácea e picante, antes de revelar toda sua personalidade balsâmica e esfumaçada. Perfume de meditação.

Id67. Id (Mendittorosa, 2012). Italiana e com estilo totalmente retrô, Medittorosa atua desde 2012. Um de seus primeiros perfumes foi Id, um oriental especiado. Inicialmente parecendo um floral verde, a composição exala um acorde fresco de jasmim e íris com traços de noz moscada. Na evolução, a faceta oriental emerge com notas de canela, bétula, labdanum e oud. O resultado é uma fragrância quente e acolhedora que deixa um rastro sofisticado de couro e especiarias.

RoseÉtoileDeHollande68. Rose Étoile de Hollande (Mona di Orio, 2012). Sempre fazendo rendições inovadoras de temas clássicos, Mona di Orio oferece aqui uma rosa diferente e inusitada. Abrindo com aldeídos, pêssego e cravo-da-índia, Rose Étoile de Hollande anuncia um centro de rosa, heliotrópio e gerânio. Picante e suculenta, a nota principal é ainda enriquecida com uma base encorpada de cedro, patchouli, bálsamo peru, baunilha e benjoim. Um perfume simultaneamente ingênuo e provocante.

ladanzadelalibelule69. La Danza della Libelulle (Nobile 1942, 2012). La Danza della Libelulle é um floral frutado de traços gourmands e especiados. Abrindo fresco e adocicado com bergamota e maçã, a fragrância percorre um coração seco e picante de canela e cedro. Por fim, La Danza della Libelulle desemboca num fundo cremoso de coco, baunilha e musk. Um perfume otimista feito para um público mais jovem.

talcgourmand70. Talc Gourmand (Farmacia SS. Annunziata, 2012). Como o próprio nome sugere, Talc Gourmand remete a um talco de bebê, porém com notas bem doces. Assim, a composição recebe um topo de mel e caramelo, anunciando um coração de heliotrópio, violeta e íris acompanhados de baunilha e chocolate. Um fundo amadeirado e polvoroso de sândalo e fava tonka mantém o caráter doce e atacaldo da fragrância.

George71. George (Jardins d’Écrivains, 2012). George é um aromático especiado focado na nota de tabaco. Na saída, o perfume produz uma aura floral translúcida de bergamota e néroli. Durante a evolução, George revela um acorde macio e picante de tabaco, mel, café, anis e heliotrópio. A base fica por conta de uma combinação quente e esfumaçada de patchouli, mirra e musk. Com uma fórmula original e inusitada, George exala um aroma sério, elegante e confortável.

Camelias72. La Dame Aux Camélias (Jardins d’Écrivains, 2013). Este é um floral atalcado e musky seco ao extremo, remetendo a giz em pó. A nota de rosa está no centro da composição, acompanhada de íris e camélia. Um topo de cardamomo, zimbro, néroli e verbena propicia um toque cítrico e herbáceo, enquanto uma base de fava tonka e musk cria uma aura seca e polvorosa. La Dame Aux Camélias passam a impressão de “perfume de mulher velha”, o que talvez seja a proposta.

EauAbsolue73. Eau Absolue (Mona di Orio, 2013). Depois de tantas criações potentes e opulentas, Mona di Orio apresenta um minimalista cítrico feito com inspiração no Mediterrâneo. Eau Absolue abre com um acorde de bergamota, tangerina, mandarina e petitgrain. Aos poucos, a composição exibe seu centro de pimenta rosa, gerânio, louro e vetiver. Para manter a fragrância seca e refrescante, sua base leva cedro, labdanum e musk. Confortável e elegante.

VioletteFumée74. Violette Fumée (Mona di Orio, 2013). Concebido por Mona di Orio em homenagem ao seu sócio Jeroen Oude Sogtoen, este é um fougère oriental feito em torno da nota de violeta. Abrindo com bergamota, lavanda, folha de violeta e sálvia, Violette Fumée segue para um centro de rosa, violeta (flor), musgo de carvalho e vetiver. A base fica por conta de um acorde oriental macio e quente de mirra, opoponax e cashmeran. O fresco e o quente em perfeita harmonia.

ClassicOrange75. Classic Orange (Von Eusersdorff, 2013). Para criar uma fragrância com o tema de laranja, a casa Von Eudersdorff escolheu a variedade sanguínea, mais doce e suculenta, além de ser mais contemporânea. Classic Orange abre com petitgrain, chá e osmanthus, antes de apresentar a nota principal temperada com coentro. Alegre e radiante, a composição tem um dry-down macio e seco com notas de sândalo, camurça e musk.

Ashoka76. Ashoka (Neela Vermeire, 2013). Desta vez mais aromático, porém sem deixar de lado a assinatura oriental, Neela Vermeire apresenta uma composição feita em tributo ao imperador indiano homônimo e sua conversão para a humildade. Ashoka tem um lado herbáceo e vívido com notas de folha de figo, flor de lótus, acácia, osmanthus e abeto, mas também um lado balsâmico e robusto de vetiver, couro, estoraque, incenso, mirra e fava tonka. Uma combinação exótica e eficiente.

Montecristo77. Montecristo (Masque, 2013). Este perfume é inspirado numa antiga casa de campo na Toscana, com toda sua atmosfera quente e acolhedora. Do assoalho de madeira velha à lareira com carvão, do sofá de couro desgastado à mesa de centro com resquícios de tabaco e rum, tudo é levado em conta. Montecristo leva em sua composição notas de rum, tabaco, aipo, benjoim, labdanum, estoraque, gaiaco e patchouli, além de uma marcante nota animálica. O resultado é uma fragrância aromática herbácea e balsâmica com uma forte identidade escura e selvagem.

Tango78. Tango (Masque, 2013). O estilo dramático da casa Masque continua com este oriental floral e picante. Com uma saída de bergamota, canela, cominho e cardamomo, a composição revela um inebriante coração de rosa, jasmim e rum. Nesse ponto o aroma indólico e especiado remete a uma sensualidade quase selvagem. No dry-down, notas de benjoim, âmbar, baunilha, sândalo e gaiaco esquentam o perfume ainda mais, tornando-o narcótico e irresistível. Excelente desempenho na pele.

terralba79. Terralba (Masque, 2013). Alessandro Brun apresenta mais uma criação amadeirada aromática, desta vez buscando emular o odor da areia da praia junto à vegetação banhada pela água salina. A partir de uma saída revigorante de tangerina, limão e sálvia, Terralba percorre um centro herbáceo de immortelle, tomilho, mirto e curry. Tudo isso é sustentado por um fundo de zimbro, cipreste, lentisco e cedro.

patchoulyindonesiano80. Patchouly Indonesiano (Farmacia SS. Annunziata, 2013). A tradicional casa de fragrâncias italiana resolve fazer um tributo à clássica nota de patchouli, listando apenas ela para, segundo o site deles, compor “uma fragrância profunda, obscura e exótica”. Tendo ido buscar seu ingrediente na Indonésia, não podemos esperar que o resultado seja um patchouli achocolatado moderno, e sim uma interpretação fiel da planta.

ventonelvento81. Vento nel Vento (Bois 1920, 2013). Como parte da Limited Art Collection lançada em 2013 para invocar o legado da família Galardi e prestar homenagem aos usuários leais da marca, Vento nel Vento aparece como um oriental floral feito para mulheres e homens. O perfume conta com um topo de peônia, elemi e pimenta rosa, centro de olíbano, alcaçuz e musk, e base de oud, sândalo, patchouli, labdanum, benjoim e âmbar gris.

relativamenterosso82. Relativamente Rosso (Bois 1920, 2013). Um dos membros mais conhecidos da coleção limitada Art Collection lançada em 2013 pela marca italiana é este oriental floral de nuances doces e amadeiradas. Construído em torno da nota de rosa, Relativamente Rosso (“Relativamente Vermelho”) tem uma saída de rosa, olíbano e açúcar, um coração de immortelle, sândalo e davana, e uma base de patchouli, vetiver, madeiras nobres, baunilha e âmbar gris.

north83. North (Mendittorosa, 2013). Mendittorosa brinca com o clássico e o moderno nesta criação floral amadeirada musky com toques de aldeídos e especiarias quentes. Com uma base amadeirada de cedro, vetiver e patchouli, North desenvolve um centro de jasmim temperado com pimenta preta e noz moscada. As notas de saída de bergamota, aldeídos e ozônio ajudam na formação de uma aura arejada.

cafechantant84. Café Chantant (Nobile 1942, 2013). A inspiração desta fragrância sãos os cafés cantantes da Belle Époque, um tempo em que Paris era revitalizada por boêmios no final do século XIX. O perfume abre com um sopro de cereja e especiarias frescas portando um toque licoroso. Em seguida, Café Chantant adentra um coração polvoroso de íris e heliotrópio sustentado por um fundo denso e profundo de patchouli, benjoim, baunilha e musk.

aiglevictoire85. L’Aigle de la Victoire (Rancé 1795, 2013). “A Águia da Vitória” é um chipre couro de nuances esfumaçadas e balsâmicas. Com a mão pesada no couro, o perfumista Giovanni Rancé escolheu um topo efervescente de bergamota e toranja, um centro frutado de framboesa, e um fundo sofisticado de bétula, vetiver, oud, sândalo, cedro, patchouli e baunilha. Excelente opção para os fãs do tema de couro.

vaniglia86. Vaniglia (Mazzolari, 2013). Vaniglia é um oriental gourmand minimalista que segue a combinação moderna de orquídea e caramelo. O desafio de qualquer perfume à base de baunilha é que ele não seja figurativo, ou seja, que não passe a percepção de se estar “besuntado” de caramelo. Não é o caso de Vaniglia de Mazzolari. Notas sintéticas florais ajudam a criar um aroma que impede o perfume de se tornar enjoativo e funcional. Obrigatório para os fãs deste tema!

222 87. 222 (Le Galion, 2014). 222 é um oriental fougère de nuances amadeiradas e polvorosas. Com um topo floral masculino de violeta, gerânio e lavanda à la old school, o perfume segue com um centro de seco e crispy de cedro, sândalo, couro e musgo de carvalho. A base fica por conta de uma combinação balsâmica de estoraque, mirra, fava tonka e baunilha. 222 é rústico, feito para os amantes de violeta!

irisgallion88. Iris (Le Galion, 2014). A interpretação de íris de Le Galion ganha proporções inesperadas. O perfumista Thomas Fontaine decide exaltecer o lado verde da nota com bergamota, gálbano, lírio, cidra e hibisco, enquanto o lado polvoroso é favorecido com o emprego de rosa, mimosa, cedro e musk. O resultado é um perfume à base de íris que contrapõe o vegetal-seco e o doce-cremoso.

whip89. Whip (Le Galion, 2014). Adotando o gênero chipre, Whip tem um quê de retrô. O perfume abre com um acorde verde e especiado de bergamota, cidra, gálbano e cardamomo, anunciando um centro floral de gerânio e lavanda acompanhados de estragão. No dry-down, a composição mantém-se seca e crispy graças à adoção de um acorde base de patchouli, cedro, vetiver, couro e musgo de carvalho.

Sortilège90. Sortilège (Le Galion, 2014). Originalmente fundada em 1930 pelo príncipe Murat, Le Galion veio à falência nos anos 70 e foi finalmente retomada por Nicolas Chabot em 2014. Um dos ícones da casa é Sortilège, um encorpado floral aldeídico. Com uma saída luminosa de aldeídos, lilás e ylang-ylang, a composição expande seu buquê com notas de jasmim, acácia, rosa, íris e narciso. A base é formada por madeiras nobres, âmbar e musk. O novo Sortilège é um floral de vibe moderna.

SpecialForGentlemen91. Special for Gentlemen (Le Galion, 2014). Special for Gentlemen é um fougère aromático com fundo animálico. O perfume abre com um acorde fresco de bergamota e cidra, antes de revelar uma lavanda temperada com canela. A base consiste de uma complexa seleção de musgo de carvalho, patchouli, couro, âmbar, baunilha, opoponax e castoreum. Special for Gentlemen é um fougère diferenciado, com notas sofisticadas e aura old school.

EauNoble92. Eau Noble (Le Galion, 2014). Este é um aromático especiado rico em notas herbáceas e florais. Na saída, Eau Noble exala um potente aroma cítrico e vegetal de laranja, mandarina, cidra, gálbano e camomila. O coração da composição consiste puramente de flores frescas como lavanda, gerânio, néroli e jasmim, acompanhadas de sálvia e manjerona. No dry-down, Eau Noble imprime uma atmosfera balsâmica com notas de patchouli, musgo de carvalho, sândalo, labdanum, civet e almíscar.

RussianTea93. Russian Tea (Masque, 2014). Com seu característico estilo retrô, Masque oferece uma composição à base de chá com nota marcante de bétula (couro russo). Aqui os polos opostos aromático e defumado são colocados lado a lado com um acorde de chá, menta, framboesa e magnólia e outro de couro, incenso, immortelle, labdanum e pimenta. Russian Tea abre com um aroma herbáceo e mentolado sobre um fundo de cigarro e chiclete. Mais adiante, a composição é dominada por uma atmosfera sofisticada de couro e incenso, com nuances florais e terrosas. Ousado e inovador.

Wit94. Wit (Parfums Del Rae, 2014). Seguindo o estilo de fragrâncias femininas e florais intensos, a casa Parfums DelRae elege desta vez a controversa flor de acácia (ou mimosa) como protagonista. Acácia é uma nota difícil pois é narcótica, melíflua, indólica e plástica, remetendo a pólen. Wit tem uma saída cítrica e herbácea (angélica), antes de mostrar um acorde central exuberante e polvoroso de acácia, ylang-ylang, narciso e jasmim. Na secagem, âmbar, baunilha e musk finalizam com um toque quente e cremoso.

LeMat95. Le Mat (Mendittorosa, 2014). Seguindo o gênero oriental floral, Le Mat tem nuances especiadas e polvorosas. A composição tem uma saída boozy e intoxicante de cravo-da-índia, pimenta e noz moscada, mas quem tem o holofote é o acorde rosa e gerânio no centro. A base fica por conta de immortelle, patchouli e cashmeran. A nota de immortelle confere um delicioso efeito de açúcar queimado, apenas na dose suficiente para harmonizar a fragrância.

Marlowe96. Marlowe (Jardin d’Écrivains, 2014). Construído em torno da tuberosa e seus tons animálicos, Marlowe abre soapy com aldeídos, elemi e tuberosa. Em seguida, a fragrância desenvolve um acorde de pot-pourri e incenso, antes de concluir com uma base de madeiras secas, labdanum, couro, musgo de carvalho, cashmeran e musk. O resultado é um luxuoso sabonete branco com nuances de folhas secas. Marlowe é um perfume de ar retrô, ultrafeminino e imponente.

Anubis97. Anubis (Papillon Artisan, 2014). Adotando os mais tradicionais métodos da perfumaria clássica, Papillon Artisan destaca-se com este vibrante oriental balsâmico. O nome da criação foi escolhido em homenagem à deusa egípcia da vida após a morte, carregando consigo uma misteriosa fragrância à base de jasmim, flor de lótus, immortelle, olíbano, mirra, açafrão e camurça. As notas de tonalidades marrom e preta foram escolhidas acertadamente para executar o tema de reencarnação proposto.

TobaccoRose98. Tobacco Rose (Papillon Artisan, 2014). Feito em torno de um acorde fresco e luminoso de gerânio e rosa (búlgara e francesa), Tobacco Rose pretende criar um clima opulento através de uma combinação de notas ricas e esfumaçadas como cera de abelha, bálsamo peru e âmbar gris. Um toque de feno e musgo de carvalho passa a impressão de floresta úmida e escura, contrastando com a exuberância das flores. Em geral, um perfume agradável que balanceia bem facetas masculinas e femininas.

Salome99. Salome (Papillon Artisan, 2014). O próprio nome já insinua uma personalidade feminina madura e sexy. Para tanto, Papillon Artisan escolheu um topo refrescante de bergamota e laranja amarga, um centro inebriante de flor de laranjeira, jasmim, rosa, cravo, tabaco e cominho, e uma base herbácea e animálica de musgo de carvalho, feno, patchouli, estoraque, bétula e castoreum. Salome é um claro tributo aos antigos florais pungentes, feitos com o propósito de parar o trânsito.

Maai100. Maai (Bogue, 2014). Um dos mais aclamados e surpreendentes lançamentos, Bogue traz ao presente a espontaneidade e autenticidade do estilo oitentista. Maai é um potente floral aldeídico e animálico construído ao redor de rosa, jasmim e tuberosa, sem fazer concessões. Na base, uma combinação de resinas, civet e almíscar acende a fragrância, deixando aquele saudoso rastro “ardido” e intoxicante dos perfumes datados. Para os amantes da perfumaria, Maai é uma luz no fim do túnel.

Veja também: Nicho Indie e Nicho Cult

Um pensamento sobre “Nicho Retrô

  1. Adorei o post e estou desejando vários deles! Ambra Aurea, Real Patchouly e Speak Easy foram os que mais despertaram a minha curiosidade. Obrigada e parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s