Flankers Sensuais

SensuaisO perfume sempre esteve associado a duas coisas: luxo e sexo. Enquanto o primeiro é opcional, o segundo é involuntário. Por qualquer lugar que passemos, sentimos odores que estimulam ou inibem a nossa libido. Cada pessoa tem um histórico de associações olfativas, infelizmente impossível de mapear completamente. Já sabemos que feromônios não funcionam com seres humanos e que não existe um sequer aroma universalmente afrodisíaco (uma teoria defende que o sintético hedione, derivado do jasmim, cumpra com essa função). Resta o marketing. As grandes casas de perfumes começaram, no final do último milênio, a explorar versões sexy dos perfumes de maior sucesso comercial. Usando termos como “night”, “red”, “elixir”, “noir”, “sensuelle”, “midnight”, “sexy”, “nude” e “passion”, a indústria de perfumes acertou em cheio, tocando no ponto fraco (ou forte) de cada um. Por que tentar descobrir o aroma afrodisíaco universal se o marketing pode oferecer a fantasia completa? De frascos vermelhos, roxos e pretos a modelos em poses sensuais e provocantes, esses flankers tipicamente contém notas mais potentes e inebriantes, mais doces e picantes. Ou seja, definitivamente não recomendáveis para usar numa entrevista de emprego. Tudo aqui é feito com um propósito: arrasar na balada e não voltar para casa sozinho.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

XeryusRouge1. Xeryus Rouge (Givenchy, 1995). O primeiro perfume oriental para homens da Givenchy, Xeryus Rouge é um dos favoritos dos clubbers – não há nada melhor para provar o sucesso de um perfume que o teste do tempo. Primeiro você sente o aroma fresco e verde do cacto e estragão. Depois vem o aroma ardente da pimenta vermelha e gerânio africano. Finalmente chega o aroma cremoso do cedro, sândalo, âmbar e almíscar. Curiosamente este flanker fez tanto sucesso que ninguém se lembra do Xeryus tradicional lançado em 1986.

OrganzaIndecence2. Organza Indécence (Givenchy, 1999). Se o Organza original já era extravagante, prepare-se para sua versão “indecente”. O perfume abre com um narcótico aroma de pudim de canela com um fundo amadeirado de patchouli e pau-rosa. A cremosidade central vai aos poucos dando lugar a uma baunilha resinosa, defumada e musky. O resultado final é uma fragrância doce e picante com aura misteriosa, sensual e intensa. Descontinuado no passado, Organza Indécence foi relançado como parte da coleção Les Parfums Mythiques de Givenchy.

DeepRed3. Deep Red (Hugo Boss, 2001). Feito para mulheres fortes e ativas, Deep Red é uma comportada e deliciosa composição floral frutada. Na saída, o perfume abre com notas de laranja-de-sangue, frutas vermelhas, cassis e pera. Minutos depois da aplicação, podemos sentir um acorde floral de frésia, hibisco e tuberosa incrementado com gengibre. Para manter a fragrância fresca e arejada, Deep Red incorpora uma base de madeiras secas, baunilha e musk. Bastante feminino e casual.

BLVNotte4. BLV Notte pour Femme (Bvlgari, 2004). Completamente distinto do BLV pour Femme tradicional, este flanker toma liberdade para criar uma atmosfera noturna de mistério e sensualidade exalando na saída um aroma intoxicante de vodca contracenando com notas de açúcar e musk. Essa introdução fresca e vibrante abre caminho para as notas reconfortantes e sedutoras de íris e tabaco. O fundo ambarado com chocolate e incenso conclui a composição, produzindo um efeito quente e cremoso.

BritRed5. Brit Red (Burberry, 2004). Um ano depois do lançamento do semigourmand Brit de Burberry, a casa apresenta uma versão com notas vermelhas de ruibarbo e rosa, além de um toque afrodisíaco de gengibre. Abrindo com um aroma cítrico e vegetal, Brit Red revela um coração sensual e encorpado de rosa, jasmim, gengibre e patchouli. A base fica por conta do acorde cremoso e adocicado de sândalo, benjoim e baunilha. O truque está justamente no contraste entre o amargo (ruibarbo e patchouli) e o doce (resinas).

VeryIrresistibleSensual6. Very Irrésistible Sensual (Givenchy, 2005). O que era floral frutado agora virou floral vanilla. Very Irrésistible Sensual mantém o característico acorde de rosa, peônia e anis, porém deixando de lado as notas mais frescas de cassis, verbena e magnólia. Por outro lado, o flanker assume uma base encorpada e cremosa de patchouli e baunilha. O frasco roxo tem tudo a ver com a proposta, já que o aroma lembra de uma bala escura e picante. A nota de anis tem importância vital para criar o clima de sedução.

AllureSensuelle7. Allure Sensuelle (Chanel, 2005). Enfim uma alternativa da Chanel para as mulheres que gostam de um bom oriental floral. Bem diferente do Allure tradicional, esta versão é encorpada e rica em resinas e especiarias. A saída é potente com um forte odor cítrico e pungente (pimenta rosa). Na evolução, o patchouli domina e dá o tom sensual à fragrância, abraçando as notas de flores (íris, rosa e jasmim), frutas secas, especiarias diversas e madeiras nobres. A baunilha de fundo confere ao perfume um tom quente e adocicado. Allure Sensuelle deixa um rastro irresistível de fazer cabeças girarem.

PoloBlack8. Polo Black (Ralph Lauren, 2005). Este flanker do clássico Polo (verde) de Ralph Lauren se tornou um dos maiores best-sellers da marca por conseguir ser ao mesmo tempo refrescante e sexy, caindo bem tanto no escritório quanto na balada. Centrado na nota de manga, o perfume traz ainda cítricos (tangerina e limão siciliano) e ervas (sálvia e absinto), apoiando-se sobre uma envolvente base de sândalo, patchouli e fava tonka. Apesar de um tanto sintético, Polo Black é gostoso e fácil de agradar.

212Sexy9. 212 Sexy (Carolina Herrera, 2005). Dominado pela maciez do musk e pungência da pimenta rosa, 212 Sexy é uma fragrância quente e sensual. Com uma saída cítrica e frutada e um coração floral (principalmente gardênia), o perfume vai aos poucos se aquecendo. Na secagem, as notas de sândalo e baunilha deixam um rastro cremoso e doce. Sintético e com aroma de algodão-doce, 212 Sexy é uma fragrância moderna feita para mulheres mais jovens. Recomendado para uso noturno.

BlackXS10. Black XS (Paco Rabanne, 2005). Contraindicado para diabéticos, esta criação de Paco Rabanne é puro chocolate. A saída cítrica logo é abafada por notas sintéticas de chocolate e caramelo, amparadas pela masculinidade das notas de patchouli e canela. O aroma de pau-rosa confere um ar de romantismo e sensualidade à composição, que recebe grande quantidade de ambroxan. Recomendado para os mais jovens que frequentam baladas modernosas.

212SexyMen11. 212 Sexy Men (Carolina Herrera, 2006). O perfumista Alberto Morillas recorreu a notas florais polvorosas e madeiras escuras para compor este sedutor oriental fougère. Com uma saída intensamente herbácea e cítrica, 212 Sexy Men logo começa a desabrochar um coração de íris, rosa e violeta, temperado com cardamomo e pimenta preta. Para assegurar o potencial “seduzante” do perfume por muitas horas, a composição leva uma base de composta de gaiaco, sândalo, âmbar, baunilha e musk.

BvlgariPHSoir12. Bvlgari pour Homme Soir (Bvlgari, 2006). Mantendo o DNA de chá da casa Bvlgari, este flanker toma o elegante original como base para se tornar mais intimista e confortável. Uma atenuação de especiarias e uma injeção de âmbar ajudam a produzir uma atmosfera mais sensual, com a ajuda de musks. Com poucos elementos masculinos, Bvlgari pour Homme Soir é mais andrógino e especialmente apreciado por mulheres.

LolitaMidnight13. Lolita Lempicka Midnight (Lolita Lempicka, 2006). Este flanker se parece bastante com o tradicional, mantendo as mesmas notas, porém com destaque para a violeta. O acorde violeta-anis gera um interessante efeito atalcado levemente especiado e canforado. Uma base balsâmica de mirra, fava tonka e baunilha promove um irresistível efeito gourmand que chama a atenção dos outros e traz conforto para quem o aplica. Lolita Lempicka Midnight tem um delicioso aroma de pirulito de uva.

RobertoCavalliBlack14. Roberto Cavalli Black (Roberto Cavalli, 2006). Com uma saída potente de ervas (estragão) e especiarias (pimenta), Roberto Cavalli Black mergulha no acorde fougère clássico de lavanda com fava tonka. Para torná-lo mais interessante, notas aromáticas de gerânio e bambu são introduzidas. Na base, o perfume traz um aspecto cremoso de madeiras e musks. O resultado final é bem balanceado e confortável. Mais um excelente fougère oriental composto pelo perfumista Olivier Cresp.

RedDeliciousMen15. Red Delicious Men (Donna Karan, 2006). Para a versão sexy de Be Delicious Men, a designer americana introduz uma composição repleta de notas boozy e picantes. Depois de uma curta saída cítrica com um toque de maçã, Red Delicious Men passa a exalar um intoxicante aroma atalcado de íris e orquídea acompanhado de cardamomo, rum e café. Para preservar a atmosfera inebriante, a base incorpora notas de musgo de carvalho, sândalo e patchouli. Doce e “xaroposo”.

RalphHot16. Ralph Hot (Ralph Lauren, 2006). Seis anos depois do lançamento do discreto Ralph tradicional, a grife americana introduz uma versão mais picante e envolvente. O acorde floral frutado do original passa do centro para o topo, voltando toda a atenção para um coração macio e polvoroso de orquídea e amêndoas. No dry-down, uma base doce, quente e cremosa de especiarias, sândalo, âmbar, baunilha e musk finaliza esta composição oriental vanilla.

BlackXSHer17. Black XS for Her (Paco Rabanne, 2007). Este é um moderno floral frutado de Paco Rabanne que leva um toque gourmand de chocolate. Abrindo com um aroma frutado e especiado de cranberry, pimenta rosa e tamarindo, Black XS evolui para o acorde atalcado de batom (rosa e violeta) combinado com cacau. O fundo é amadeirado e quente com um patchouli terroso, uma baunilha doce e um sândalo cremoso. Black XS for Her é romântico e sensual, com uma vibe rock-gótica.

NarcisoMusc18. Narciso Rodriguez Musc for Him (Narciso Rodriguez, 2007). Enquanto o Narciso Rodriguez for Him é um fougère carregado de patchouli, folha de violeta e musk, esta versão busca valorizar o aspecto macio do almíscar sintético. Para tanto, o perfume introduz uma nota atalcada de íris, acompanhada de uma nota discreta de frutas vermelhas. Com menos teor de patchouli e folha de violeta, este flanker é mais leve e delicado, com um ar romântico e nostálgico.

NarcisoHerMusc19. Narciso Rodriguez Musc for Her (Narciso Rodriguez, 2007). Seguindo a construção do original, Narciso Rodriguez for Her contém notas de bergamota, flor de laranjeira, osmanthus, vetiver, patchouli, âmbar, baunilha e musk. A diferença está no acréscimo de almíscar sintético e diminuição do patchouli e flor de laranjeira. Discreto e confortável, Narciso Rodriguez Musc for Her remete aos attares árabes feitos à base de almíscar, porém sem o aspecto animálico.

AbsolutelyIrrésistible20. Absolutely Irrésistible (Givenchy, 2008). Absolutely Irrésistible vai um passo adiante na direção da sensualidade. No momento da borrifada, o perfume tem um aroma cítrico e frutado dominado por uma nota picante de pimentão vermelho. Logo em seguida, um coração de jasmim, flor de laranjeira e heliotrópio balanceia a composição com um toque floral polvoroso. Especiarias como canela e noz moscada esquentam a fragrância na evolução, que conclui mais escura e profunda com uma base oriental de cedro, patchouli e âmbar.

AmourParfum21. Amour Le Parfum (Kenzo, 2008). Diferente do Amour tradicional, este flanker diminui a potência das notas florais e injeta uma boa dose de incenso, benjoim e patchouli, tornando-se uma fragrância mais noturna. O acorde central de arroz e frangipani (que produz um aroma delicioso de pão de ló) continua na composição, porém agora um tanto abafado por um incenso quente e esfumaçado. Na secagem, todavia, Amour Le Parfum se acalma e evolui para um aroma resinoso levemente doce. Sexy!

FleurDefendue22. Fleur Defendue (Lolita Lempicka, 2008). Ele continua com notas verdes, alcaçuz, cereja, íris, violeta, amêndoas e musk. Então o que mudou? Fleur Defendue (ou “flor proibida”) bane as notas de baunilha e o chocolate ao leite para adicionar folha de morango, absinto, peônia e acácia. Essas flores carnais e polvorosas trazem um aspecto mais feminino, com um pé no sexual. Fleur Defendue é uma fragrância atalcada e aveludada com vibe de creme de amêndoas.

FBlack23. F by Ferragamo Black (Salvatore Ferragamo, 2009). O flanker sensual de F by Ferragamo acrescenta notas de coentro e fava tonka, mantendo sua assinatura fougère oriental de maçã verde, lavanda, pimenta preta e labdanum. A composição destaca desde o início o diferencial picante, mas a atenção vai mesmo para uma maior polarização entre a faceta gelada de maçã-lavanda e a faceta quente de tonka-âmbar, criando um efeito mais dramático e sedutor.

AngelLiqueur24. Angel Liqueur de Parfum (Thierry Mugler, 2009). No final da década passada, Thierry Mugler decidiu lançar a versão liqueur de seus best-sellers Angel, A*Men, Alien e Womanity, a começar pelo primeiro deles. O frasco luxuoso de 30 ml contém uma composição do Angel tradicional com uma nota marcante de conhaque. Inebriante, esta versão é perfeita para ir a uma festa ou evento mais elaborado. O que já era doce agora se torna intoxicante.

LaNuit25. La Nuit de l’Homme (Yves Saint Laurent, 2009). Este é um daqueles perfumes que não devem ser testados cheirando o spray do frasco, naquela passada rápida pelo duty free. La Nuit passa por várias fases até mostrar sua cara. Uma verdadeira guerra de notas vai tomar conta da sua pele: cardamomo, bergamota, lavanda, cedro, cominho e vetiver. Vale a pena esperar pelo cessar-fogo: uma sensação de bem estar, sensualidade e elegância. Sua longevidade é incrível, mas se mesmo assim você quiser mais é só comprar La Nuit de L’Homme Le Parfum. Para o trabalho, melhor usar o L’Homme, sua versão tradicional.

PureMalt26. A*Men Pure Malt (Thierry Mugler, 2009). Da série A*Men, este é o que mais me surpreendeu. Ao lançar Angel e descobrir que a tal molécula funcionava bem em fragrâncias, Mugler decidiu continuar a brincadeira lançando flankers (couro, menta, café, pimenta e malte). Com cheiro de uísque cafeinado e um toque de licor de cereja, Pure Malt provoca a seguinte pergunta: por que ninguém pensou nisso antes?

DeliciousNight27. Delicious Night (Donna Karan, 2009). Este flanker oriental floral aposta no poder de fogo do gengibre, incenso e mirra. Delicious Night tem como saída um acorde de toranja, amora, frésia e gengibre, com um potente fundo esfumaçado. O centro de orquídea, jasmim e íris trazem polvorosidade e feminilidade, porém logo é dominado por uma base oriental de patchouli, âmbar, incenso e mirra. O resultado é uma fragrância escura e defumada, ao mesmo tempo doce e viscosa como geleia.

StellaNude28. Stella Nude (Stella McCartney, 2009). O dueto rosa-peônia de Stella McCartney troca a sua roupagem de laranja ambarada por um efervescente acorde de toranja, pimenta rosa e baunilha. A nova combinação ressalta as tonalidades florais do perfume, compondo uma aura mais luminosa e vibrante. Durante o dry-down, Stella Nude esquenta e vai se tornando mais cremoso e sensual. O perfume não necessariamente tem mais intensidade, mas sim uma textura mais intimista.

EauSensuelle29. Eau Sensuelle (Rochas, 2009). Praticamente esquecida, a colônia Eau de Rochas ganhou, quatro décadas depois de seu lançamento, um flanker sensual. O topo da composição é enriquecido com notas suculentas de manga e laranja-de-sangue, enquanto uma nota de íris é adicionada ao centro de flores brancas e delicadas. A base fica por conta de pimenta rosa, frutas secas e musk. O resultado é uma fragrância moderna e discreta, apesar de mais quente e vibrante que o original.

AlienLiqueur30. Alien Liqueur de Parfum (Thierry Mugler, 2009). A versão licorosa de Alien conserva a fórmula original de laranja, jasmim, madeiras nobres e âmbar, apenas adicionando um acorde de rum, mel, amêndoas e carvalho. O perfume cresce e se torna inebriante com o novo acorde boozy, que remete a um ambiente boêmio de alto nível. Enquanto o Alien tradicional gosta de provocar, Alien Liqueur de Parfum não perde tempo e vai direto ao ponto.

CabotineSensuel31. Cabotine Sensuelle (Grès, 2009). Um dos diversos flankers do famoso chipre floral é Cabotine Sensuelle. A estrutura básica do original se mantém, porém com maior ênfase para a moderna base de heliotrópio, patchouli, baunilha e musk. O lado fresco da versão tradicional continua lá, com suas notas de cítricos, frutas e flores delicadas. Por outro lado, o efeito cremoso e amendoado desta versão é mais perceptível, sem forçá-la a mudar para o gênero oriental. Muito macio e confortável.

BossBottledNight32. Boss Bottled Night (Hugo Boss, 2010). Boss Bottled Night deixa de lado o aspecto juvenil com cheiro de torta de maçã do original para investir num “look” mais seco e envolvente. Girando em torno do acorde violeta-lavanda, o perfume estabelece uma harmonia entre o aromático e o soapy, remetendo a um talco luxuoso. Notas de couro e musk na base ampliam ainda mais seu potencial sedutor. Ideal para homens (ou mulheres) que curtem fragrâncias limpas e macias.

HPEauSensuelle33. Hypnotic Poison Eau Sensuelle (Dior, 2010). Para tornar Hypnotic Poison ainda mais sensual, o perfumista François Demachy introduziu as notas de orquídea e rosa damascena (mais frutada do que o normal). O jasmim da versão anterior foi substituído por ylang-ylang, uma nota mais exuberante e feminina. Hypnotic Poison Eau Sensuelle é uma versão mais voluptuosa e concupiscente do Hypnotic Poison tradicional.

ClassiqueX34. Classique X (Jean-Paul Gaultier, 2010). Se o Classique tradicional já é um perfume sensual, esta versão é apenas uma nova alternativa. Enquanto o primeiro é um potente oriental floral com foco em notas de anis, flor de laranjeira, baunilha e âmbar, Classique X enfatiza o contraste entre laranja e baunilha, colocando no centro um acorde atalcado de íris, peônia e flor de laranjeira. Assim, o perfume resulta num caráter mais atrevido e casual do que o original.

ArtesanBlack35. Artisan Black (John Varvatos, 2010). A fragrância regada a laranja e gengibre de John Varvatos ganha uma versão mais sensual e duradoura, desta vez com uma base escura e esfumaçada. Depois de um festival ácido e cítrico (tangerina), Artisan Black foca na combinação de flores brancas, gengibre, cardamomo e coentro. O melhor vem na secagem e sua aura defumada de orris, vetiver, patchouli, couro e âmbar. Delicioso equilíbrio entre o aromático verde e o oriental amadeirado.

212Vip36. 212 VIP (Carolina Herrera, 2010). Inspirado na vida noturna de Nova Iorque, esta fragrância de Carolina Herrera buscou transmitir exclusividade e provocação – estar na lista e ter acesso à área VIP é a ambição da típica jovem nova-iorquina. Para tanto, 212 VIP abre com uma combinação estonteante de rum e maracujá, com um aspecto ao mesmo tempo fresco e sedutor. O coração é feito de uma moderna gardênia almiscarada, apoiada sobre uma base de baunilha e fava tonka. Doce e cremoso, 212 VIP foi feito para “causar” nas baladas.

212VipMen37. 212 VIP Men (Carolina Herrera, 2011). Este perfume tornou-se um dos mais vendidos no Brasil logo após seu lançamento. Não é surpresa, sabendo que ser VIP e agregar valor ao camarote estão na ordem do dia. Inspirado na vida da elite nova-iorquina, este é um perfume playboy que se concentra nas notas de vodca e gin. 212 VIP Men abre com uma nota de caviar (marketing esperto), passa para notas especiadas e licorosas e culmina num acorde âmbar-couro. Não dá pra negar: tem cheiro de riqueza.

ForbiddenEuphoria38. Forbidden Euphoria (Calvin Klein, 2011). O maior sucesso comercial de Calvin Klein ganhou diversos flankers, sendo Forbidden Euphoria o melhor deles. Na saída, a nota de romã é substituída por framboesa, enquanto o acorde central de orquídea e flor de lótus é reforçado com peônia e jasmim. Para produzir uma secagem mais macia, a base de âmbar e mogno dá lugar a patchouli e cashmeran, mantendo o fundo sedoso de musk. Se o tradicional é mais mulher, Forbidden Euphoria é mais menina.

JasminNoirEssence39. Jasmin Noir l’Essence (Bvlgari, 2011). O inebriante dueto de jasmim e amêndoas de Bvlgari ficou ainda mais sensual com esta versão. Jasmin Noir l’Essence preserva o topo floral verde de gardênia e a base de madeiras escuras, fava tonka e alcaçuz, apenas acrescentando uma nota de pimenta rosa na saída e outra de mirra no dry-down. O resultado é um jasmim polvoroso e esfumaçado, mais quente e hipnótico que o original. O leve e brilhante em equilíbrio perfeito com o denso e escuro.

RumbaPassion40. Rumba Passion (Ted Lapidus, 2012). A polêmica bomba floral de Ted Lapidus ganha sua versão mais quente. Deixando as notas frutadas de lado, Rumba Passion abre com flor de laranjeira, antes de evoluir para um coração minimalista de jasmim e rosa. A base dispensa os bálsamos, couro e musgo de carvalho, mantendo apenas o acorde de patchouli, mel e baunilha. Rumba Passion é como o original sem o aspecto polvoroso dominante. A interação de um patchouli terroso com um mel viscoso amplifica a carga sexual da composição.

BlackXsExcès41. Black XS l’Excès for Him (Paco Rabanne, 2012). Depois do inofensivo XS e do semigourmand Black XS, Paco Rabanne lança uma variação mais aromática e madura com nuances tropicais e marinhas. O perfume é uma bomba de abacaxi (apesar de não listar a nota por ser tão polêmica) que envolve notas de limão siciliano, lavanda, cipreste e patchouli. O resultado é uma fragrância mais seca e escura que deixa de lado o doce para usar o suculento como arma de sensualidade. Criativo e eficiente.

PrincessNight42. Princess Night (Vera Wang, 2012). Se o Princess tradicional é um oriental gourmand com frutas tropicais e chocolate, este flanker noturno não é exatamente uma opção mais madura, mas sim mais glamourosa. Princess Night abre com um intenso aroma de frutas vermelhas, evoluindo para um centro floral e, em seguida, uma base de baunilha e açúcar. No dry-down, Princess Night é predominantemente um sorvete de creme com sorbet de framboesa. Mesma vibe de Fantasy.

DeclarationSoir43. Déclaration d’un Soir (Cartier, 2012). Com a mudança de seu criador Jean-Claude Ellena da casa Cartier para a Hermès, a perfumista Mathilde Laurent ficou incumbida de fazer uma variação romântica do Déclaration sem prejudicar a essência “cardamômica” do original. O resultado é espetacular: uma nota de rosa passou a predominar na fórmula, fazendo cumprir sua intenção: acelerar os corações, incentivando os homens a se expressarem.

PoloRed44. Polo Red (Ralph Lauren, 2012). Para o flanker vermelho de Polo, Ralph Lauren elegeu cranberry e outras notas quentes como sálvia, açafrão, café e âmbar para representar a força, energia e ferocidade do homem. Com uma saída fresca de toranja e cranberry, Polo Red segue um caminho especiado até chegar na secagem semigourmand de café. Um pouco como Rochas Man e Allure Homme Sport, o perfume mistura quente e frio, deixando uma impressão sintética. Mais voltado para os jovens.

CocoNoir45. Coco Noir (Chanel, 2012). Enquanto o Coco original foca numa rosa cercada de especiarias e bálsamos, este novo flanker traz tudo isso ao mesmo tempo e ainda adiciona uma nota esfumaçada de incenso. A saída cítrica abre espaço para um coração floral de rosa, gerânio, jasmim e narciso. Sua base é bem oriental e revela notas de olíbano, patchouli, sândalo, fava tonka, baunilha e musk. Diferente e imprevisível, Coco Noir flerta sem perder a compostura.

CodeUltimate46. Code Ultimate (Armani, 2012). O famoso oriental amadeirado de Armani ganha uma dose de amêndoas e baunilha para se tornar ainda mais sexy. Com o mesmo topo cítrico e anísico do original, Code Ultimate mostra um centro herbáceo e polvoroso de cipreste, folha de oliva e amêndoas. O flanker deixa de lado as sofisticadas notas de tabaco e couro para exaltar seu poder sedutor com fava tonka e baunilha. Code Ultimate tem a mesma vibe boêmia de Bvlgari Black e Midnight in Paris.

BossNuit47. Boss Nuit pour Femme (Hugo Boss, 2012). Enquanto Boss Jour pour Femme é um floral mais cítrico e verde, a versão noturna recorre a uma elegante combinação retrô de aldeídos, pêssego e musgo de carvalho. Um buquê de violeta e flores brancas traz um aspecto mais suave e moderno, enquanto uma base de sândalo confere classe e sofisticação. O perfume não é muito fiel ao seu nome por ser versátil e apropriado para qualquer ocasião.

PotionRoyalBlack48. Potion Royal Black (Dsquared2, 2013). Destoando enormemente do Potion original, este flanker eau de parfum foca no acorde rosa-incenso-couro com uma pitada de pimenta malagueta e um véu de cashmeran. Apesar de tantos ingredientes aparentemente conflitantes, Potion Royal Black tem uma composição harmoniosa e bem-balanceada. A nota de rosa se torna viril na presença de incenso e couro, e o musk dá um acabamento final de conforto e sensualidade.

SexyAmber49. Sexy Amber (Michael Kors, 2013). O designer Michael Kors arriscou-se ao lançar um perfume com mais cara de senhora, em vez de seguir a moda. Com relação ao original, ficaram apenas as notas de flores brancas (jasmim, tuberosa, lírio-do-vale). O acréscimo de sândalo e âmbar trouxe uma aura mais resinosa e cremosa, com nuances esfumaçadas, sem comprometer a elegância e maciez do buquê floral. Sexy Amber é a fragrância da mulher ousada e independente.

HugoRed50. Hugo Red (Hugo Boss, 2013). Apesar de ser classificado como oriental especiado, Hugo Red segue o padrão inofensivo e sintético do original. A fragrância abre com um agradável acorde cítrico e metálico. Em seguida, notas de gálbano, ruibarbo e pimenta rosa formam um aspecto amargo e picante, em contraste com um abacaxi suculento e ozônico. Uma base de fava tonka e âmbar confere leve doçura e cremosidade à composição. Feito para quem prefere fragrâncias discretas.

WomanityLiqueur51. Womanity Liqueur de Parfum (Thierry Mugler, 2013). Além do polêmico acorde de figo e caviar do original, Womanity Liqueur de Parfum adiciona uma nota de vodca, acentuando o lado verde e fresco da fragrância. Já no lado doce e lactônico, notas de especiarias, frutas secas e avelãs surgem para dar mais corpo e aumentar a polaridade quente-frio. Este flanker perde toda a sua controvérsia para seguir um caminho mais conhecido e apreciado, especialmente nas baladas.

TheOneDesire52. The One Desire (Dolce & Gabbana, 2013). O famoso oriental floral frutado de Dolce & Gabbana agora está disponível na versão gourmand. The One Desire mantém o topo cintilante de laranja, muguê e lichia, para desta vez focar no coração de tuberosa e seu odor inebriante. A base fica a cargo de sândalo, âmbar, baunilha e caramelo. Segundo os criadores, esta é uma fragrância para mulheres sensuais que são o foco da atenção onde quer que estejam, sem nunca serem vulgares.

VivaLaJuicyNoir53. Viva la Juicy Noir (Juicy Couture, 2013). Cinco anos depois do lançamento do original, Juicy Couture lança o flanker noturno Viva La Juicy Noir. Ao contrário do que a intuição possa indicar, a composição não aumenta a dose gourmand, mas sim reforça a suculência de seu acorde cítrico-frutado, amplificando assim o contraste entre o lúdico e o sexy. Se a versão tradicional é uniformemente doce e cremosa, esta é mais instigante e curiosa. Juicy Couture fez a escolha certa.

GuiltyBlack54. Guilty Black (Gucci, 2013). Depois do flanker Intense, a casa italiana apresenta a variação sensual de seu oriental floral atalcado. O topo é reforçado com notas suculentas de cranberry, pêssego e framboesa, enquanto a base ganha uma ênfase em patchouli e âmbar, conferindo uma aura mais escura e misteriosa. O efeito de coquetel de frutas é marcante, fazendo de Guilty Black uma fragrância simultaneamente alegre e sapeca.

55. Dark Obsession (Calvin Klein, 2013). Descrito como poderosamente masculino e intensamente DarkObsessionMensensual, Dark Obsession segue a temática oriental amadeirada. Deixando de lado o foco nas especiarias quentes, o perfume abre com um inebriante acorde de absinto e guaraná, seguindo com um centro seco e herbáceo de agulhas de pinho, vetiver e sálvia. A base é feita de notas de labdanum, camurça e baunilha, propiciando uma textura quente e aveludada.

EauDeNuit56. Eau de Nuit (Armani, 2013). O novo perfume de Armani é um fougère oriental com aspecto atalcado. Eau de Nuit abre com um acorde picante de bergamota e pimenta rosa, seguindo para um coração polvoroso e especiado de íris, heliotrópio, cardamomo e noz moscada. A base fica por conta de cedro, âmbar e fava tonka. Como o nome sugere, Eau de Nuit é uma fragrância confortável e relaxante, perfeita para usar à noite em casa depois de um dia difícil. Talvez não seja a melhor opção para uma balada.

OneManShowRuby57. One Man Show Ruby (Jacques Bogart, 2013). O infame chipre picante e canforado de Jacques Bogart agora é transformado num fougère oriental de traços melífluos e defumados. Com uma saída de maçã verde, lavanda e petitgrain, One Man Show Ruby segue com seu DNA de agulhas de pinho e couro, finalizando com um acorde sensual de frutas secas, mel, oud e incenso. One Man Show Ruby sabe muito bem capitalizar sobre seu potencial intoxicante. 

LadyMillionEauMyGold58. Lady Million Eau My Gold (Paco Rabanne, 2014). Dois anos depois do lançamento de Lady Million Absolutely Gold, Paco Rabanne lança este flanker com uma proposta mais lúdica e sensual. Incentivando o hedonismo da mulher, Lady Million Eau My Gold recorre à atmosfera do Mediterrâneo com um acorde tropical de cítricos, néroli e manga. O corpo floral é formado por violeta e flor de laranjeira, enquanto o fundo consiste de cedro, sândalo, âmbar e musk. O resultado é um alegre floral frutado de nuances soapy.

KenzoHommeNight59. Kenzo Homme Night (Kenzo, 2014). O designer japonês oferece uma interpretação tropical e sensual de sua fragrância assinatura. Feito para o homem que se aventura e assume riscos, o perfume é construído em torno da nota de manga, acompanhada de gerânio, especiarias (coentro, cardamomo) e ervas (artemísia, absinto). Com um topo de toranja e uma base cremosa, Kenzo Homme Night gravita entre o gelado e o quente. Aroma de coquetel, gostoso de cheirar na pele.

MidnightRomance60. Midnight Romance (Ralph Lauren, 2014). Dezesseis anos depois do lançamento de Romance, seguido de diversos flankers, o designer americano lança Midnight Romance como uma “irmã mais velha, com um amor mais maduro”. O floral frutado delicado se torna agora um oriental floral, com a base mudando de seca e amadeirada para doce e cremosa (muita baunilha). O resultado é mais doce e polvoroso, com mais frutas vermelhas e íris. O ambroxan na base expande a fragrância, conferindo uma textura sedosa.

NuitDIssey61. Nuit d’Issey (Issey Miyake, 2014). Do original, o perfumista Dominique Ropion manteve apenas a vibrante saída de bergamota e toranja. Nuit d’Issey é focado na dualidade do fresco-cítrico e quente-esfumaçado. O centro de couro, vetiver e pimenta traz um aspecto viril e pungente, enquanto a base de patchouli, incenso e fava tonka contribui com uma atmosfera escura e sensual. Nuit d’Issey é perfeitamente harmonioso, ainda que não seja inovador.

BlackOpium62. Black Opium (Yves Saint Laurent, 2014). Não espere por qualquer semelhança com o icônico Opium lançado em 1977. Com uma saída de pimenta rosa, alcaçuz e flor de laranjeira, Black Opium evolui para um aroma à la Angel de Thierry Mugler. Um acorde-bloco de jasmim, café, baunilha, patchouli e sândalo toma conta da fragrância, de fato com atmosfera intensa e sensual. O jasmim e o café duram pouco, favorecendo o floral, picante e cremoso. Black Opium é bom, mas comum.

ManInBlack63. Bvlgari Man in Black (Bvlgari, 2014). Distanciando-se do original, Bvlgari Man in Black foca em notas orientais como especiarias, resinas e couro. O perfume abre com um aroma licoroso de rum, evoluindo para um coração com notas de couro, tuberosa e íris. A base é composta de benjoim, fava tonka e gaiaco. O resultado é uma fragrância amadeirada doce e polvorosa, transpirando sensualidade. Não há nada de gourmand aqui – Bvlgari Man in Black é sofisticado e intrigante.

SexyRio64. Sexy Rio de Janeiro (Michael Kors, 2014). O objetivo aqui é compor uma atmosfera tropical para o buquê de flores brancas do original. O perfume abre com uma nota suculenta de manga, além de tília e madressilva. No centro, uma potente tuberosa divide espaço com notas de gardênia, jasmim e lírio-do-vale. A base de baunilha contribui para um aspecto floral doce, ainda que o perfume se mantenha limpo e fresco. Uma bela homenagem à cidade maravilhosa.

EuphoriaGold65. Euphoria Liquid Gold (Calvin Klein, 2014). Mantendo o DNA de orquídea do original, Euphoria Liquid Gold segue uma linha oriental amadeirada com notas de sândalo e canela. Com uma estrutura minimalista, o perfume surpreende com seu poder de silagem e aspecto oriental realístico, mesmo com inúmeros sintéticos envolvidos. Traços de mel, chocolate e frutas dão um acabamento final à composição. Euphoria Liquid Gold é uma excelente opção para seduzir.

EuphoriaGoldMen66. Euphoria Liquid Gold for Men (Calvin Klein, 2014). Se o Euphoria for Men tradicional é um amadeirado especiado com notas marcantes de sálvia e manjericão, esta versão se aprofunda no gênero oriental com uma combinação de sândalo, açafrão e pimenta preta. Do estilo “mauricinho”, a fragrância parte para a sensualidade do macho alfa com sua nova densidade e intensidade. Euphoria Liquid Gold for Men deixa um intoxicante rastro balsâmico no ar.

AmorAmorSoir67. Amor Amor Mon Parfum du Soir (Cacharel, 2015). Para o flanker noturno de Amor Amor, o perfumista Dominique Ropion adotou um tom licoroso, adicionando à composição original um acorde de rosa, amora e açúcar. A base aqui é composta de patchouli e baunilha, em vez de âmbar e fava tonka, contribuindo para uma aura mais sofisticada, além de enfatizar o lado floral e frutado da fragrância. Ainda assim, Amor Amor Mon Parfum du Soir é destinado às meninas mais novas.

LoverdoseRedKiss68. Loverdose Red Kiss (Diesel, 2015). Enquanto a versão tradicional é construída em torno de alcaçuz, flores brancas e baunilha, Loverdose Red Kiss aposta no poder do cacau, açúcar e café. Com uma saída frutada macia, a composição revela uma flor de laranjeira caramelizada com nuances de damasco. Na evolução, as notas gourmands emergem, apoiadas sobre uma base de patchouli, fava tonka e âmbar. O aspecto floral e amendoado prevalece, tornando o perfume mais maduro.

CHMenPrivé69. CH Men Privé (Carolina Herrera, 2015). Com um frasco em forma de cantil luxuoso para bebidas, Carolina Herrera continua a apostar no público descolado da vida noturna. Adotando o gênero oriental amadeirado com nota de couro, CH Men Privé abre com um intoxicante acorde de toranja e uísque. Mais adiante, o aroma se torna herbáceo e especiado com notas de lavanda, sálvia, tomilho e cardamomo. A base fica por conta de uma mistura cremosa e sofisticada de fava tonka, benjoim e couro. Tudo em equilíbrio e com bom desempenho.

DarkRebel70. Dark Rebel (John Varvatos, 2015). Tabaco, couro, ervas e um toque de rum. Dark Rebel é feito para homens independentes que não ligam para a opinião dos outros. A composição tem uma saída de artemísia, sálvia, cardamomo, rum e açúcar, anunciando um pungente acorde de pimenta preta, agulhas de pinho, estoraque e couro. A base é intoxicante e sofisticada com notas de madeira, cannabis, zimbro, castoreum, tabaco e baunilha. Inapropriado para o escritório.

12188630_10207238006501255_1494703824_n71. Aramis Black (Aramis, 2015). Uma das maiores referências do gênero couro na perfumaria ganha um flanker voltado para a sedução. Aramis Black incrementa seu potencial envolvente com notas polvorosas e especiadas de elemi, lentisco e fava tonka, finalizando com um acorde boozy de conhaque e vetiver. O perfume deixa para trás um rastro esfumaçado e intoxicante de incenso e ervas finas.

NarcisoBleuNoir72. Narciso Rodriguez for Him Bleu Noir (Narciso Rodriguez, 2015). O estilista hispânico pelo jeito não pensa em abandonar a estratégia de flankers tão cedo. Com mais esta versão de Narciso Rodriguez for Him, a grife oferece uma opção mais intensa e envolvente, graças à adição de cardamomo e noz moscada. A assinatura limpa e musky permanece, porém mais escura com o uso da madeira de ébano na base. O nome se deve ao gosto do designer pelo tom azul escuro, quase negro.

LiquidCashmereBlack73. Liquid Cashmere Black (Donna Karan, 2015). Um ano depois de lançar Liquid Cashmere, uma fragrância que busca engarrafar o aspecto macio e sofisticado de uma caxemira, a estilista americana lança sua variação gourmand. Liquid Cashmere Black abre com um acorde intoxicante de cereja e chocolate ao leite, antes de mostrar seu coração floral de rosa e jasmim. Uma base de sândalo e patchouli cria um aspecto cremoso e amendoado.

UltraMâle74. Ultra Mâle (Jean-Paul Gaultier, 2015). Um dos maiores sucessos comerciais da história, Le Mâle já ganhou diversas roupagens e intensidades. Ultra Mâle preserva a combinação de menta, canela, lavanda e baunilha do original, porém se moderniza com um acorde gourmand de frutas e chocolate. De uma saída de bubble gum, a fragrância vai tomando corpo até atingir sua maturidade com uma base oriental. Bem ao estilo 1 Million, Ultra Mâle deve fazer sucesso nas baladas.

SignorinaMisteriosa75. Signorina Misteriosa (Salvatore Ferragamo, 2016). Seguindo o mesmo formato da versão original, o frasco de Signorina Misteriosa desta vez chega na cor preta para bem ilustrar a proposta de seu nome. O que era um ingênuo floral frutado é agora um opulento oriental floral construído em torno de flores brancas como flor de laranjeira e tuberosa. Antes de revelar seu mistério, a composição abre com um acorde efervescente de néroli e cassis, para então finalizar com um dry-down de patchouli, baunilha e chantilly. Mais maduro e sofisticado que o original.

1MillionPrivé76. 1 Million Privé (Paco Rabanne, 2016). Todo glamour e ostentação de 1 Million de Paco Rabanne é transferido para sua nova versão privé, introduzida com foco no público jovem e baladeiro. O frasco, que antes remetia a uma barra de ouro, agora é marrom como uma barra de chocolate. Para tornar a composição mais opulenta, 1 Million Privé faz um incremento nas notas de mirra e tabaco.

BlackOpiumNuitBlanche77. Black Opium Nuit Blanche (Yves Saint Laurent, 2016). A perfumista Nathalie Lorson revisita a sua ideia usada no flanker Black Opium para desta vez dar-lhe uma cara mais boêmia e ousada. Feito em homenagem ao festival anual que ocorre uma vez por ano em Paris, Black Opium Nuit Blanche une a sensualidade do café, baunilha e pimenta à feminilidade da flor de laranjeira. A perfumista recorreu a um acorde de arroz, sândalo, baunilha e musk para conferir à base da fragrância um aspecto confortável.

BvlgariManBlackOrient78. Bvlgari Man Black Orient (Bvlgari, 2016). Flanker de flanker. Enquanto Bvlgari Man é um amadeirado ozônico e adocicado para o dia a dia e Bvlgari Man in Black acrescenta rum, couro e especiarias, Bvlgari Man Black Orient une tudo isso a um acorde opulento e tipicamente árabe de rosa, tuberosa e oud. O perfume é claramente pensado para os consumidores do Oriente Médio, que apreciam grifes de luxo mas sem abrir mão dos aromas a que estão acostumados. Os ocidentais, contudo, podem levar algum tempo para se acostumarem.

ladymillionprive79. Lady Million Privé (Paco Rabanne, 2016). Lady Million Privé é um floral oriental de traços gourmands e melífluos. O perfume abre com uma nota delicada e luminosa de flor de laranjeira, se expandindo para um coração floral frutado de morango e heliotrópio. Por fim, Lady Million Privé faz emergir um acorde base oriental composto por patchouli, baunilha, mel e chocolate. Um típico perfume baladeiro.

modernmusenuit80. Modern Muse Nuit (Estée Lauder, 2016). De acordo com o site da marca, Modern Muse Nuit é “um perfume intoxicante que incorpora o mistério, glamour e sensualidade de uma noite para se lembrar”. Com uma saída de mandarina e cassis, a composição logo desabrocha um buquê de jasmim, lírio-do-vale e heliotrópio. No dry-down, é a vez de um acorde oriental amadeirado mostrar a cara – patchouli, sândalo, fava tonka, baunilha, âmbar e musk.

ckonegold81. CK One Gold (Calvin Klein, 2016). Com pouco a ver com a versão tradicional, CK One Gold é uma fragrância jovial que segue o gênero amadeirado floral. O perfume inicia com um acorde aromático de bergamota, figo e sálvia, aos poucos adentrando um coração floral mas unissex de jasmim, néroli e violeta. A base amadeirada de patchouli, gaiaco e vetiver segura o desempenho da fragrância, porém não mais que duas horas.

deepeuphoria82. Deep Euphoria (Calvin Klein, 2016). Na forma de um chipre floral moderno, Deep Euphoria gira em torno do acorde rosa-patchouli. A fragrância – feita para mulheres mais jovens – abre com notas marinhas, petitgrain e pimenta, anunciando um centro ultrafeminino de gerânio, rosa, peônia e jasmim. Tudo é muito bem amarrado por um fundo de madeiras nobres, patchouli e musk. Talvez o aspecto marinho incomode algumas pessoas.

lanuittresorcaresse83. La Nuit Trésor Caresse (Lancôme, 2016). Lancôme persevera com sua assinatura moderna gourmand em La Nuit Trésor Caresse. Este é um oriental vanilla com nuances frutadas e florais. O perfume tem uma saída de bergamota, lichia, framboesa e pimenta rosa. Mais adiante, La Nuit Trésor Caresse desabrocha um buquê de rosa, jasmim e flor de amêndoas. Para concluir, o perfume acrescenta uma base de patchouli, fava tonka, baunilha, orquídea e musk.

langenoir84. L’Ange Noir (Givenchy, 2016). Seguindo o gênero oriental floral, este flanker de Ange ou Démon aposta na combinação do amendoado com o polvoroso. De cara, a fragrância abre com um acorde de bergamota, pimenta rosa e amêndoas. Na evolução, L’Ange Noir passa a exalar íris, acompanhada de uma nota de gergelim. Para deixar tudo mais atalcado, nada melhor que um fundo de fava tonka, ambrette e âmbar.

 

Veja também:

Diversos

Intensos

Elixires

Florais

Madeiras/Couro

Oud

Frescos

Aquáticos

Sport

Summer

Ed. Limitada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s