Nicho Vegano

NichoNaturalExiste uma frequente confusão entre os termos “natural”, “orgânico” e “vegano”. Natural é o produto que não foi alterado quimicamente ou sintetizado de alguma forma, enquanto orgânico é aquele produto que não teve seus componentes cultivados artificialmente. Já vegano significa não ter de alguma forma explorado animais. Nem todo natural é orgânico, assim como nem todo vegano é natural. Na perfumaria, supõe-se que uma casa natural seja também vegana. O movimento naturalista surgiu na Califórnia nos anos 70, o que explica a predominância das casas americanas nesse mercado. April Aromatics tem como missão confeccionar fragrâncias sem a utilização de ingredientes derivados de animais; uma base de óleo de jojoba ou álcool vínico orgânico é usada nos desodorantes e perfumes. Ava Luxe declara não usar matérias-primas animais e ser vegana, com um grande foco no místico e na espiritualidade. Pacifica utiliza álcool de grão natural para fragrâncias líquidas e cera de soja com coco para as sólidas; a empresa não usa produtos naturais sob ameaça de extinção. Honoré des Prés afirma ser 100% natural e vegana, sem uso de químicos derivados de petróleo, fragrâncias sintéticas e agentes colorantes. Lush é vegana e diz usar óleos essenciais de plantas e frutas orgânicas, além de sintéticos seguros.

Nota: Para perfumes lançados de 2015 em diante, consulte Lançamentos de Nicho.

(ordem cronológica por ano de lançamento)

Karma1. Karma (Lush, 1995). Esta fragrância vegana com ar hippie é um aromático cítrico para homens e mulheres. A composição consiste basicamente de três notas: laranja (cabeça), agulhas de pinho (coração) e patchouli (base). Karma ganha um frescor amendoado com a nota de lavanda, uma leve suculência frutada com cassis e uma cremosidade doce com canela e elemi. Como todo perfume da Lush, é necessário um teste na pele e paciência para poder avaliá-lo corretamente. Karma começou a ser vendido no Brasil recentemente no site e lojas da própria marca.

PerfectVanilla2. Perfect Vanilla (Sarah Horowitz, 1998). Este âmbar alaranjado na linha de Ambra di Venezia combina a suculência das frutas com a opulência dos bálsamos. A partir de um topo agridoce de laranja-de-sangue, Perfect Vanilla logo revela seu cerne picante e adocicado de baunilha (em cinco variantes ao redor do mundo), labdanum, estoraque, benjoim e almíscar. Perfect Bliss foi feito para ser íntimo e carnal, com uma textura de pele.

HinduKush3. Hindu Kush (La Via Del Profumo, 1999). O francês Dominique Dubrana, depois de ter se convertido sufi durante suas viagens à África e Oriente Médio, decidiu iniciar seu negócio de fragrâncias voltadas para a espiritualidade. Hindu Kush é um oriental especiado focado na oposição entre o sagrado (incenso) e o profano (especiarias). Uma nota fresca e energizante de gengibre abre a fragrância, que depois mostra um acorde picante-esfumaçado de alcarávia, noz moscada, pimenta e incenso.

Tabac4. Tabac (La Via Del Profumo, 1999). Totalmente diferente das fragrâncias modernas à base de tabaco, esta composição de La Via del Profumo oferece uma interpretação natural e realística do ingrediente in natura. Na saída, Tabac se mostra escuro e animálico com uma mistura de folhas secas, musgo de carvalho e civet. Um aroma adstringente se forma na evolução, com a presença de especiarias diversas. A base é formada por tabaco e resinas doces. Perfeita sensação de perfume vintage.

Grezzo5. Grezzo d’Eleganza (La Via Del Profumo, 1999). Balsâmico e animálico, Grezzo d’Eleganza não é para qualquer um. Um forte odor ardido e oleoso de castoreum invade o perfume na saída, logo seguido de um acorde aromático de bergamota, néroli e folhas verdes. Na evolução, a fragrância ganha notas de rosa, incenso e baunilha, com um fundo de almíscar animálico. Grezzo d’Eleganza remete aos antigos e imponentes orientais florais.

Kai6. Kai (Kai, 1999). Depois do sucesso de sua boutique de roupas femininas, Gaye Straza Rappaport decidiu vendê-la para focar apenas na perfumaria. Sua única fragrância, Kai, é uma composição feminina que busca reproduzir a atmosfera do Havaí. Para tanto, Gaye elegeu uma combinação de absolutos naturais de flores brancas diversas. Kai é fiel à natureza e propicia uma aura exuberante que remete a um buquê de gardênia, jasmim, muguê e tuberosa, com seu aspecto indólico (animálico) intacto.

PerfectVeil7. Perfect Veil (Sarah Horowitz, 1999). A perfumista americana Sarah Horowitz trabalha desde os anos 80 com fragrâncias customizadas e projetos em grandes lojas como Nordstrom e Barney’s. Dentre as opções de sua linha pessoal, Perfect Veil é a que mais se destaca. Como o nome sugere, este é um perfume de textura, concentrado em musk. Notas de limão, bergamota, sândalo e baunilha ajudam a criar uma sensação doce e atalcada, macia e confortável, como se fosse uma segunda pele. Por ser inofensivo, Perfect Veil cai bem em qualquer lugar e ocasião.

Signature8. Signature (Jack Black, 2001). O perfumista americano especializado em fragrâncias naturais apresenta um amadeirado especiado rico em ingredientes naturais da floresta. Com uma saída refrescante de bergamota, tangerina, sálvia, louro e cipreste, a composição parte para um acorde central gelado-quente de lavanda, gerânio, eucalipto, pimenta preta e cardamomo. Uma base seca e robusta de papyrus, cedro, patchouli e âmbar confere uma secagem crispy, prolongando o efeito aromático do perfume.

levoyage9. Le Voyage (JoAnne Bassett, 2001). Um dos primeiros perfumes compostos pela perfumista artesã americana é esta “combinação superior de flores exóticas e óleos sagrados que criam um buquê romântico”. Le Voyage abre com cítricos, anunciando um coração de flor de lótus e tília, rosa, ylang-ylang e jasmim. A finalização fica por conta de um acorde base de sândalo e incenso.

PerfectBliss10. Perfect Bliss (Sarah Horowitz, 2002). Sarah Horowitz une frutas tropicais e flores carnais para reproduzir a atmosfera lânguida e afrodisíaca do Tahiti. Perfect Bliss começa com um acorde diurno e solar de laranja-de-sangue, mamão e manga madura, aos poucos evoluindo para um acorde noturno e lunar de gardênia, jasmim e tuberosa. Para o dry-down, a perfumista escolheu uma combinação madura e sofisticada de cedro, patchouli, baunilha e musk. Duas facetas do prazer no mesmo perfume.

Cimabue11. Jitterbug (Dawn Spencer Hurwitz, 2003). “Jitterbug” é o nome de uma dança saltitante popular nos anos 40. Com um estilo old school, o perfume é um oriental especiado com toques florais e frutados. Na saída, Jitterbug é ácido e pungente com notas de limão, bergamota, amora e pimenta preta. Mais à frente, a composição forma um buquê especiado de cravo, rosa e jasmim, firmado sobre uma base de patchouli, labdanum, âmbar, incenso e almíscar. Elétrico e sexy, Jitterbug faz jus ao seu nome.

Cimabue12. Piment et Chocolat (Dawn Spencer Hurwitz, 2003). Este é um gourmand picante construído ao redor do dueto pimenta-chocolate. Notas de pimentão vermelho, cravo-da-índia, noz moscada e canela compõem uma faceta erótica, enquanto uma base de patchouli, cacau e chocolate amargo traz um aspecto lúdico à composição. Figurativa e literalmente gostoso, Piment e Chocolat é uma fragrância rica e esfumaçada, sem pretensão alguma de ser doce e enjoativa.

SnakeOil13. Snake Oil (Black Phoenix Alchemy Lab, 2004). O laboratório californiano Black Phoenix Alchemy Lab se especializa em óleos perfumados com inspiração no gótico, pagão e mitológico. Com 172 fragrâncias em seu portfólio, este oriental vanilla é o mais conhecido. Depois de uma saída tipicamente medicinal de óleos naturais, Snake Oil apresenta um coração de especiarias com traços de incenso e tabaco. Uma base de heliotrópio, patchouli, baunilha e almíscar conclui esta intrigante composição.

jackblacksignatureblack14. Jack Black Signature Black (Jack Black, 2005). O flanker Black de Jack Black Signature é um chipre couro feito para homens. Composto pelo perfumista Yann Vasnier, Jack Black Signature Black abre adstringente com coentro, zimbro e açafrão. Na evoluçao, o perfume traz à tona sua base seca e esfumaçada de couro. O resultado é um couro aromático que pode ser usado em qualquer ocasião.

CaféNoir15. Café Noir (Ava Luxe, 2005). Com este fougère oriental, Ava Luxe traz uma combinação de ervas finas, especiarias quentes e resinas doces. Café Noir inicia com um aroma intoxicante de café tostado, ressaltado por notas de cardamomo, lavanda e pimenta preta. O acorde central de rosa, patchouli e baunilha propicia beleza e elegância andróginas, enquanto a base cremosa e boozy de sândalo e benjoim finaliza a composição com muito estilo.

 Silk16. Silk (Jalaine, 2005). Na forma de óleo perfumado super concentrado disposto dentro de um frasco de 6 ml, Jalaine Sommers apresenta um inusitado oriental com nuances salinas. Utilizando ingredientes naturais como frutas cítricas, flores brancas e bálsamos (labdanum, benjoim, estoraque e baunilha), Silk propõe uma interpretação do caríssimo e raro âmbar gris. O resultado é uma equilibrada composição de caráter quente e cremoso, acima de tudo confortável e envolvente.

1Patchouli7. Patchouli (Jalaine, 2005). Para esta criação, a perfumista americana investiu na complexa nota de patchouli, usando extratos naturais da folha. Com notas adicionais de baunilha e almíscar, Patchouli ressalta o efeito herbáceo, esfumaçado e terroso do ingrediente principal, harmonizando-o com as características polvorosa e cremosa do acorde vanilla-musk. Trata-se, acima de tudo, de uma elegante fragrância de pele, íntima e naturalística.

Cimabue18. Cimabue (Dawn Spencer Hurwitz, 2005). Trabalhando desde 1991 com o nicho conceitual, a perfumista americana Dawn Spencer Hurwitz já desenvolveu mais de 200 fragrâncias. Dentre elas, chama atenção Cimabue, um picante chipre frutado. Aqui o caráter gelado de néroli, cítricos e gerânio faz contraposição com especiarias e bálsamos, tendo notas florais (tuberosa, jasmim e rosa) como ponto de apoio. O resultado é um delicioso bolo de Natal com toda sua doçura e polvorosidade.

Tango19. Tango (Aftelier, 2006). Localizada na Califórnia e gerenciada pela perfumista Mandy Aftel, Aftelier dedica-se à composição de perfumes orgânicos, tanto na forma líquida quanto sólida. Tango é um original floriental que reúne notas de laranja, gengibre, champaca, tabaco branco, mel, café e fava tonka. Quente e sedutor como seu nome insinua, Tango abre esfumaçado e levemente picante, desabrochando com notas florais e finalizando com uma base resinosa, melíflua e amendoada.

MagazineStreet20. Magazine Street (Strange Invisible Perfumes, 2006). Strange Invisible Perfumes é uma casa de fragrâncias naturais fundada pela perfumista Alexandra Balahoutis na Califórnia. Combinando botânica com filosofia, Balahoutis foca na pureza de suas composições. Magazine Street é um delicado floral musky com notas de magnólia, ambrette, vetiver e baunilha. Inicialmente seco e farelento como giz, o perfume vai esquentando com vetiver, antes de formar uma aura doce, macia e brilhante.

BurtsBees21. Natural Cologne (Burt’s Bees, 2007). Fundada no estado do Maine em 1984, Burt’s Bees é um especialista em produtos para a casa e cuidados pessoais. Esta é uma criação feita 100% com produtos naturais (seu frasco, inclusive, é produzido com vidro reciclado). Natural Cologne combina notas cítricas (bergamota, laranja, limão, tangerina) e herbáceas (manjericão, patchouli, agulhas de pinho, cipreste) para conferir um aroma refrescante com atmosfera florestal.

2322. No. 23 (Ava Luxe, 2007). A perfumista Serena Ava Franco lançou em 2004 sua própria linha de fragrâncias inspiradas na música e arte, mitos e sonhos. Dentre as 72 criações, a mais conhecida é No. 23, um delicado oriental amadeirado. O perfume abre aromático com notas de gerânio, rosa e lavanda, antes de revelar um acorde doce e polvoroso de sândalo, incenso e musk. Descomplicado e relaxante, No. 23 é mais do que um perfume – é uma sessão de terapia engarrafada.

TibetMountainTemple23. Tibetan Mountain Temple (Pacifica, 2007). Originária de velas para aromaterapia, Pacifica evoluiu para fragrâncias e produtos para o corpo com a ajuda do marketing boca a boca. Tibetan Mountain Temple reúne notas como gengibre, vetiver, patchouli e incenso para invocar uma atmosfera de meditação. O perfume abre bem picante e cítrico, logo evoluindo para um coração quente e macio de chá e violeta. Um aroma terroso e esfumaçado invade e domina a composição no dry-down.

IlangILang24. Ilang Ilang (Tsi-La, 2007). As ativistas Natalie Szapowalo e Annie Morton usaram princípios da aromaterapia e botânica para fundar sua empresa, Tsi-La. Sempre com foco no bem-estar através de composições orgânicas, Ilang Ilang foi criado para exaltar a exuberância do ylang-ylang. Com uma saída cítrica, Ilang Ilang segue um caminho floral com notas de ylang-ylang, orquídea e jasmim, finalizando com uma base de baunilha. O resultado é um perfume com aura tropical e suculenta.

Kesu25. Kesu (Tsi-La, 2007). Desta vez com um foco amadeirado e esfumaçado, Tsi-La apresenta uma criação com ingredientes de todas as famílias olfativas. A combinação de notas de limão siciliano, absinto, especiarias quentes, jasmim, incenso, âmbar e madeiras nobres produz uma atmosfera florestal, harmonizando o arejado e o defumado, como uma fogueira acesa entre flores, árvores e plantas diversas. 100% natural.

ChamansParty26. Chaman’s Party (Honoré des Prés, 2008). Este é um oriental amadeirado de notas herbáceas marcantes. Místico e contemplativo, como sugere o nome, Chaman’s Party reúne manjericão, feno, vetiver, cravo-da-índia, madeiras nobres e flores brancas. Honoré des Prés consegue produzir um aroma natural e realístico das raízes arbóreas, equilibrando notas aromáticas, picantes e esfumaçadas. Seco até não poder mais, Chaman’s Party resulta numa fragrância vibrante e afrodisíaca.

Trip27. Honoré’s Trip (Honoré des Prés, 2008). Trabalhando aqui com uma composição fresca e aromática, a casa francesa se aprofunda da diversidade dos cítricos. 100% natural, Honoré’s Trip combina notas de bergamota, laranja, tangerina, mandarina, limão siciliano e tahiti, usando uma base de resinas doces e especiarias quentes (especialmente pimenta preta) como base. A fragrância maximiza o contraste entre ácido-pungente e doce-cremoso, deixando prevalecer um aroma de laranja picante.

LovesTruishLight28. Love’s True Bluish Light (Ava Luxe, 2008). Para celebrar o amor verdadeiro, Ava Luxe propõe esta fragrância à base de baunilha e leite. Essa combinação gera um aspecto cremoso e reconfortante, ganhando a força da paixão com o incremento de um âmbar quente e sensual. Uma boa dose de almíscar é usada na base para formar uma atmosfera polvorosa e macia. Se o amor verdadeiro é uma emoção sedosa e envolvente, Love’s True Bluish Light cumpre com sua missão.

PinkFrangipani29. Pink Frangipani (Lucy B, 2008). Criada pela maquiadora Lucy Baldock-Sacchi, a casa Lucy B foca em quatro flores selvagens da Austrália: jasmim-manga rosa, jasmim silvestre, gardênia tropical e tiaré. Pink Frangipani é um floral frutado que simboliza o espírito australiano com suas notas de toranja, abacaxi, coco, heliotrópio e jasmim-manga. A nota floral claramente domina com seu aspecto cremoso e aveludado, cercada de frutas tropicais e apoiada sobre uma base deliciosamente atalcada.

CocoaTuberose30. Cocoa Tuberose (Providence, 2009). A marca de perfumes naturais Providence foi fundada em 2008 por Charna Ethier. Cocoa Tuberose é um semigourmand dedicado às notas de cacau e tuberosa. Sua saída é aromática, consistindo de notas de toranja, pimenta rosa e absinto. Na evolução, tuberosa e champaca emplacam um tom levemente floral, antes de desembocar numa base densa e cremosa de patchouli, cacau, âmbar e baunilha. O resultado é um realístico aroma de bolo de chocolate.

HungryHungry31. Hungry Hungry Hippies (Smell Bent, 2009). Sob comando do perfumista Brent Leonesio, Smell Bent oferece fragrâncias veganas com composições inusitadas. A mais famosa é Hungry Hungry Hippies, uma bem-humorada alusão aos hippies dos anos 70 e sua fascinação por ervas como patchouli e cannabis. O perfume tem um realístico aroma de chocolate amargo com traços herbáceos que remetem a maconha. Na secagem, Hungry Hungry Hippies ganha um aspecto terroso e natural.

Lilac32. Lilac (Demeter, 2009). Demeter é uma casa de fragrâncias com mais de 300 criações dedicadas à construção de uma biblioteca olfativa. Com preços bem razoáveis, sua linha é uma das mais acessíveis do mercado. Dentre as opções 100% naturais (Demeter Naturals), destaca-se Lilac, um floral verde que valoriza a maciez e delicadeza do lilás. Com um aspecto natural e atalcado, o perfume pode ser usado para reforçar outras composições (layering) à base de íris ou violeta.

Cimabue33. Dirty Rose (Dawn Spencer Hurwitz, 2009). Fazendo uma interpretação da rainha das flores com uma roupagem old school, Dawn Spencer Hurwitz oferece este floral oriental de notas quentes e esfumaçadas. Uma saída de bergamota, pimentão vermelho, cassis e pimenta rosa prepara o terreno para um coração erótico de rosa, gerânio, incenso, mirra e tabaco. Na secagem, Dirty Rose forma uma aura florestal com ajuda de madeiras escuras, couro, musgo de carvalho, labdanum e estoraque.

Vanillary34. Vanillary (Lush, 2009). Este oriental vanilla é construído em torno de um jasmim natural e suculento. A nota de baunilha ressalta suas características doce e cremosa, enquanto a nota de fava tonka traz um aspecto amendoado e balsâmico. O nome do perfume pode gerar mal-entendidos, já que o aroma de jasmim prevalece sobre a baunilha, podendo ser enjoativo ou repugnante para quem não curte florais brancos. Pense em Vanillary como um protetor solar, limpo e polvoroso, bem feminino.

Green35. Green (A Perfume Organic, 2009). Orgânico, com 100% de conteúdo natural, Green é um verdadeiro tributo ao poder terapêutico das plantas. Um buquê de ervas finas e folhas escuras é trabalhado com notas de camomila, rosa, ylang-ylang, trufa (cogumelo), especiarias quentes e madeiras nobres. O resultado é um perfume aromático e floral, pendendo para o quente e escuro. Green é oferecido em frascos roll-on reciclados com 12 ml de volume. Excelente longevidade na pele.

Soivohle36. Green Oakmoss (Soivohle, 2009). Como o próprio nome indica, esta é uma criação feita em cima da nota úmida e escura de líquen. Adotando a linha chipre clássica, Green Oakmoss aposta num topo pungente de bergamota e cravo-da-índia, um centro exuberante de tuberosa, gerânio e rosa, e uma base amadeirada de musgo de carvalho, vetiver, patchouli, couro, labdanum e musk. Green Oakmoss remete aos antigos chipres masculinos com seu aspecto amargo e canforado.

Incensed 37. Incensed (Smell Bent, 2009). Incenso, baunilha e almíscar juntos para uma experiência meditativa. Posicionado dentro de um frasco de 8 ml com aplicador, Incensed é um potente extrato oriental amadeirado que pode deixar a casa com cheiro de fogueira durante dias. A nota de incenso é obtida através de mirra e olíbano, conferindo um efeito seco e defumado, aos poucos atenuado com a base de baunilha, madeiras nobres e musk. Bem natural e harmonioso.

ChileVanilli38. Chile Vanilli (Smell Bent, 2010). Desta vez, os meninos de Smell Bent resolvem fazer uma homenagem à canela. Seguindo o gênero oriental especiado, Chile Vanilli utiliza notas de patchouli e baunilha para criar uma atmosfera ao mesmo tempo seca e doce, canforada e balsâmica. Devido ao uso de extratos naturais, o perfume pode de início assustar com seu odor medicinal, mas logo a composição se assenta, tornando-se um delicioso semigourmand.

StTropez39. St Tropez Dispenser (Smell Bent, 2010). Divertida e exótica, esta composição floral frutada emprega notas de jasmim e coco para reproduzir a atmosfera luxuosa de férias do famoso destino de verão na França. Notas de aloe vera e almíscar vegetal são aplicadas para proporcionar frescor e maciez, respectivamente. St Tropez Dispenser tem vibe de protetor solar, meio químico e plástico, possivelmente devido ao uso de ingredientes naturais.

VampNY40. Vamp à NY (Honoré des Prés, 2010). Quem gosta de tuberosa não pode deixar de provar esta fragrância. Honoré des Prés é uma casa francesa que foca em composições naturais em parceria com a perfumista Olivia Giacobetti. Como o nome sugere, Vamp à NY é um perfume feito para mulheres sedutoras e perigosas, construído ao redor da tuberosa. Notas de rum, baunilha, benjoim e bálsamos tolu e peru garantem um cremoso aroma potente e intoxicante. Uma bomba ultrafeminina.

ILoveCarottes41. I Love les Carottes (Honoré des Prés, 2010). Com a temática de cenoura, esta inusitada criação de Honoré des Prés mergulha no universo do vegetal e polvoroso. Orgânico e 100% natural, I Love les Carottes apresenta um aroma fresco, seco e esfarelado de cenoura, valorizado com notas de laranja, orris, patchouli, benjoim e baunilha. O resultado é simultaneamente doce e amargo, limpo e terroso, acima de tudo realístico e elegante.

LoveCoco42. Love Coco (Honoré des Prés, 2010). Desta vez com uma atmosfera tropical e otimista, a casa francesa explora as facetas lactônica e doce da nota de coco. Praticamente se desenvolvendo em uma única fase, Love Coco combina o exotismo de seu ingrediente principal com coentro, fava tonka, cedro e baunilha. Se, por um lado, essa combinação de notas acentua o caráter cremoso do coco, por outro, acrescenta nuances picantes e sensuais.

Mejica43. Mejica (A Perfume Organic, 2010). Com fragrâncias certificadas como orgânicas, a perfumista americana Amanda Walker confecciona sempre em pequenos lotes para garantir a pureza de suas criações. Mejica é um oriental especiado que abre doce e amadeirado, com traços de musk. Na evolução, um buquê de especiarias emerge para aquecer a composição. A base fica por conta de benjoim, madeiras nobres e baunilha, invocando uma aura nostálgica como de bibliotecas ou templos.

BreathOfGod44. Breath of God (Lush, 2010). Um dos perfumes mais esquisitos já feitos, Breath of God é inclassificável. Inicialmente, o perfume tem um odor herbáceo e mentolado com nuances frutadas (melão e zimbro) e soapy (néroli, ylang-ylang e rosa), remetendo a produto de limpeza. Logo seu aspecto se torna medicinal com a combinação de especiarias (principalmente cravo-da-índia e pimenta), incenso e couro. Breath of God resulta numa interessante mistura de lavanderia com igreja.

Lust45. Lust (Lush, 2010). O nome pode significar “desejo”, “luxúria” ou “tesão” em português. Trata-se de um floral vanilla com um buquê inebriante de jasmim, rosa e ylang-ylang. Uma base de sândalo e baunilha potencializa o efeito intoxicante do perfume, conferindo um aspecto quente e cremoso, doce e atalcado. Quem não está acostumado com o odor das flores em sua forma mais natural pode se espantar com os traços animálicos e melífluos.

ImogenRose46. Imogen Rose (Lush, 2010). Construído em torno da rainha das flores, esta é uma fragrância oriental floral picante e atalcada. Imogen Rose abre fresco e arejado com bergamota e manjericão, logo evoluindo para uma suculenta nota central de rosa. Na secagem, notas de orris, vetiver, fava tonka e musk vegetal completam a criação madura e sensual, acima de tudo feminina. Imogen Rose é uma rosa tridimensional que deixa para trás um sofisticado aroma polvoroso.

 Daphne47. Daphne (Lord’s Jester, 2010). Lord’s Jester é uma casa especializada em fragrâncias naturais, formada por artesãos que seguem técnicas tradicionais. Um aroma de floresta cheia de plantas e flores é transportado para esta composição. Daphne tem um topo aromático e picante de cítricos, gengibre, cipreste e calêndula, um centro floral e carnal de magnólia, jasmim, jasmim-manga, rosa e immortelle, e uma base chipre clássica reforçada com âmbar, agulhas de pinho e musk.

SecretGarden48. Secret Garden (Aftelier, 2010). Secret Garden é um opulento oriental floral de nuances animálicas. Feito à moda antiga, o perfume tem uma saída cítrica e mentolada de bergamota, laranja-de-sangue e gerânio, aos poucos mostrando um acorde central de rosa, jasmim, flor de lótus e framboesa. Uma base de patchouli, benjoim, baunilha, civet e castoreum finalizam o retrato de um jardim secreto com seus arbustos cheirosos e animais selvagens neles escondidos.

Mecca49. Balsamo della Mecca (La Via del Profumo, 2010). A casa de nicho ítalo-árabe faz um tributo à complexidade do incenso com notas de bergamota, jasmim, rosa, tabaco, olíbano, mirra, labdanum, fava tonka, benjoim e oud. Balsamo della Mecca é uma verdadeira jornada ao universo da perfumaria árabe, explorando o poder intoxicante e místico do incenso. O aspecto solene e litúrgico do perfume é amenizado com as notas cítricas e florais, deixando um pequeno espaço para o profano e hedonista.

MuschioDiQuercia50. Muschio di Quercia (La Via del Profumo, 2010). Este é um chipre amadeirado clássico que insinua tratar-se de um potente musgo de carvalho, quando, na verdade, é uma composição equilibrada do líquen com vetiver, sândalo e musk. O resultado é um aroma úmido e florestal, natural e realístico, muito diferente do que se vê por aí na perfumaria comercial. Uma fragrância simples porém autêntica.

icon51. Icon (Lush, 2010). Icon é um cítrico aromático de nuances balsâmicas e amadeiradas. Segundo o site da Lush, trata-se de uma fragrância “byronesca” que remete a jovens que ficam até a tarde da noite escrevendo sobre poesia apaixonada. Icon abre com mandarina e bergamota, anunciando um coração de flor de laranjeira. Finalmente, a fragrância conclui com um fundo misterioso de mirra e sândalo.

1000kisses52. 1000 Kisses (Lush, 2010). Construído em torno da nota de damasco, 1000 Kisses é uma proposta floral frutada de traços resinosos. A partir de um topo de cítricos (principalmente mandarina) e damasco, 1000 Kisses parte para um centro relaxante de gerânio e osmanthus. No dry-down, o perfume faz emergir um fundo de alcarávia, mirra e labdanum, entre outras resinas.

carmine53. Carmine (House of Matriarch, 2011). Este é um complexo chipre floral 100% natural de caráter opulento e animálico. Na saída, Carmine apresenta um acorde de tagetes, pimenta preta e tchai. Minutos depois, seu coração emerge com notas florais de davana e champaca, apoiadas sobre uma base de vetiver, musgo de carvalho, patchouli, fava tonka, sândalo, tabaco e âmbar.

timeless54. Timeless (JoAnne Bassett, 2011). Timeless é um oriental amadeirado rico em incenso. O perfume tem uma saída aromática de abeto, cassis e angélica. Em seguida, a composição trabalha um centro esfumaçado de rosa com incenso e vetiver. A aura oriental se completa na secagem com um acorde base balsâmica de sândalo, elemi, mirra e labdanum.

Sharif55. Sharif (La Via del Profumo, 2011). Traduzindo do árabe, “sharif” significa “homem nobre”. Para fazer jus ao seu nome, o perfume emprega ingredientes de alta qualidade, seguindo o estilo oriental balsâmico e especiado. Sharif une notas macias e sofisticadas de amêndoas e couro a uma combinação quente e sensual de madeiras nobres, especiarias quentes e resinas doces. Na secagem, uma nota de civet torna a fragrância mais natural e realística, ao mesmo tempo íntima e confortável.

HolyWater56. Holy Water (La Via del Profumo, 2011). Com o nome polêmico de “água benta”, este perfume retrata olfativamente uma rosa de aura incensada. O aspecto naturalístico e atalcado da rosa se harmoniza perfeitamente com o caráter mineral e esfumaçado das resinas de olíbano e mirra. Embora Holy Water abra marcadamente floral, a fragrância é, na maior parte, quente e balsâmica.

Dirty57. Dirty (Lush, 2011). Dirty é perfeito para homens e mulheres que gostem de fragrâncias à base de menta. A nota é aqui trabalhada em conjunto com lavanda, estragão, tomilho e néroli, e apoiada sobre uma base de sândalo e musgo de carvalho. Como esperado de um perfume da Lush, a saída é agressiva e inebriante, acalmando-se minutos depois. Dirty tem tudo para cheirar funcional como pasta de dente ou chiclé de menta, porém a composição é aqui muito bem construída. De “dirty” (sujo), este perfume não tem nada.

LusciousRoses58. Luscious Roses (JoAnne Bassett, 2011). Luscious Roses é um potente floriental balsâmico e atalcado feito em torno da nota de rosa, com óleos essenciais vindos de quatro países diferentes. Com uma concentração de 36% sobre uma base orgânica de óleo de jojoba, este perfume mostra toda exuberância e feminilidade da nota principal com a ajuda de cítricos, patchouli, olíbano, especiarias e baunilha. O resultado é aveludado e aconchegante. Perfeito para os amantes de rosa.

BohemianSpice59. Bohemian Spice (April Aromatics, 2011). Bohemian Spice é uma interpretação balsâmica e aromática do patchouli natural, valorizando seu aspecto canforado e defumado. Uma nota seca e terrosa vetiver atenua o caráter obscuro da composição, trazendo certo brilho. Em contrapartida, a nota de olíbano (incenso do Omã) compõe uma atmosfera mineral, picante e balsâmica, enquanto um toque de lavanda e baunilha confere um interessante aspecto fougère oriental.

TaintedLove60. Tainted Love (Tokyo Milk, 2011). A marca retrô Tokyo Milk com sede em Denver, Estados Unidos, apresenta a coleção “Dark”, inspirada em fragrâncias mais intensas. Tainted Love abre atalcado com notas de orquídea e sândalo, além de traços de chá e frutas. Mais adiante, a baunilha emerge e passa a interagir com o sândalo, até que a composição se torna bem doce e cremosa. Graças à potência da nota floral, Tainted Love não fica pesado e enjoativo. Longevidade moderada.

AmbraNera61. Ambra Nera (Ortiglia Sicilia, 2011). Ambra Nera é um fougère oriental que reúne extratos naturais de especiarias quentes e madeiras nobres. O perfume abre com atmosfera florestal devido às notas de alcaçuz, musgo de carvalho, gálbano, cedro e patchouli. Na evolução, Ambra Nera se fortalece, projetando um aroma seco, quente e defumado graças a uma eficiente base oriental de especiarias, bálsamos e resinas. Definitivamente, um âmbar negro.

Soivohle62. Rivertown Road (Soivohle, 2011). Este é um complexo fougère oriental com traços florais e picantes. A partir de um topo cítrico-aromático de bergamota, limão tahiti, lavanda, feno e louro, Rivertown Road parte para um buquê floral especiado de canela, cravo, rosa, acácia, jasmim e violeta. Durante a evolução, o perfume ganha tons esfumaçados e polvorosos com patchouli, vetiver, cedro, orris, incenso, musgo de carvalho, tabaco, fava tonka, âmbar, bálsamo tolu e almíscar vegetal. Com tantas notas, Rivertown Road acaba resumido a um elegante incenso limpo e canforado.

Shiso63. Shiso (Aftelier, 2011). Shiso é um aromático verde que contrapõe o gelado e o quente. De um lado, o perfume exala um acorde amargo, vegetal e mentolado de shiso, pimentão verde, gerânio e patchouli; de outro, um acorde quente, balsâmico e especiado de oud, sândalo e cravo-da-índia exala como uma floresta em chamas. Shiso é uma excelente opção para os amantes de fragrâncias realmente verdes e potentes ao estilo de Amazingreen de Comme des Garçons.

opulence64. Opulence (JoAnne Bassett, 2012). Opulence é um tributo à rainha das flores. Construído em torno da rosa (das variedades branca e vermelha), o perfume se completa com um topo luminoso e efervescente de néroli e flor de laranjeira e uma base sofisticada e confortável de sândalo e âmbar gris. Amantes de rosas com aspecto natural não se decepcionarão.

entendre65. En Tendre (House of Matriarch, 2012). En Tendre é um floral que gira em torno da rosa. O nome é um trocadilho com a palavra “entendre” do francês, que significa ouvir, enquanto “tendre” significa macio. A casa lista apenas duas notas – além da principal, o sândalo aparece na lista. House of Matriarch certamente investiu pesado na fórmula, já que só usam naturais e o sândalo está ameaçado de extinção (e, portanto, caríssimo) há anos.

alpha66. Alpha (House of Matriarch, 2012). Desta vez com um fougère aromático, House of Matriarch aposta no contraste entre o quente e o gelado. De um lado, a composição traz notas verdes e refrescantes; de outro, notas balsâmicas e quentes de copal e olíbano, além de madeiras nobres. Mas Alpha é mais recomendado para quem está acostumado a perfumes 100% naturais, do contrário ele pode assustar.

ambreloup67. Ambre Loup (Rania J, 2012). Segundo Ranja J, Ambre Loup (“Âmbar Lobo”) é o coração com um batimento e envolvimento de âmbar que vibra sobre a pele. Trata-se de um oriental amadeirado que abre com especiarias quentes, sobretudo cravo-da-índia. Em seguida, a composição adentra um território amadeirado e balsâmico composto de cedro, gaiaco, oud, labdanum, bálsamo peru e baunilha.

lavande4468. Lavande 44 (Rania J, 2012). A perfumista Ranija Jouaneh oferece um aromático especiado construído em torno da clássica nota de lavanda. Segundo a marca “toda sua intensidade e elegância é envolvida por notas amadeiradas de vetiver e cedro; a fava tonka e o patchouli dão ao acorde uma dimensão de calor e doçura, poderosa e delicada; sensual, moderno e único”. Notas de bergamota e petitgrain acompanham a lavanda na saída.

roseishtar69. Rose Ishtar (Rania J, 2012). Entre o chipre floral e o floriental está Rosh Ishtar – uma homenagem ao símbolo eterno da feminilidade. Segundo o site da casa, a rosa, doce e leve, se misturam com notas de fava tonka, gaiaco e patchouli para revelar na pele uma fragrância fresca, atalcada, amadeirada e com um leve toque gourmand; uma fragrância lúdica, elegante e muito feminina”. Notas de cassis e heliotrópio ajudam a rosa a ter um aspecto powdery e adocicado.

PreciousWoods70. Precious Woods (April Aromatics, 2012). Essencialmente amadeirado, esta composição é fruto de uma viagem à Índia feita pela perfumista Tanja Bochnig. Sofisticado e revigorante, Precious Woods combina notas de cedro, vetiver, sândalo, agulhas de pinho e mirra. O resultado é uma fragrância florestal de aspecto simultaneamente terroso e esfumaçado, limpo e arejado. Precious Woods é uma verdadeira caminhada pelo bosque durante um dia de céu aberto e brisa.

NectarOfLove71. Nectar of Love (April Aromatics, 2012). Como sugere o nome, Nectar of Love investe no poder de atração das frutas, trabalhando-as com notas de rosa, jasmim, tuberosa, sândalo e âmbar. Feito para causar, o perfume une o aspecto carnal e selvagem dos absolutos de flores brancas à suculência de néctares frutados. Depois de um começo floral luminoso, Nectar of Love acaba se transformando num creme doce e sensual.

LiquidDreams72. Liquid Dreams (April Aromatics, 2012). A perfumista Tanja Bochnig introduz um floral frutado que gira em torno do acorde osmanthus-narciso. Com essas duas notas florais mas que têm vibe suculenta, Liquid Dreams abre fresco e vibrante. Aos poucos, o perfume se torna mais belo e romântico, com um ar natural e bucólico.

MossGown73. Moss Gown (Providence, 2012). Em tributo aos chipres clássicos, esta criação de Providence não poupa esforços para reproduzir um líquen amargo, úmido e escuro como encontrávamos antigamente. Com uma saída viscosa como tinta, Moss Gown é amenizado com um acorde aromático de bergamota, camomila e folha de violeta. Mais adiante, o perfume recebe um buquê seco e aveludado de acácia, girassol, lilás, rosa e narciso, anunciando um dry-down terroso e esfumaçado de sândalo e musgo de carvalho.

BotanicalEssence74. Botanical Essence No. 15 (Liz Earle, 2012). Com um total de 15 ingredientes, esta fragrância é um oriental especiado com nuances florais. No início cítrico e picante com notas de bergamota, pimenta rosa, canela, cravo-da-índia e elemi, Botanical Essence No. 15 transita para um acorde chipre de rosa, patchouli e vetiver. Algumas horas depois, o perfume mostra seu caráter oriental com uma base quente e amendoada de sândalo, gaiaco, benjoim, fava tonka e baunilha. Devido ao uso de ingredientes naturais, Botanical Essence No. 15 pode ser mentolado e enjoativo para alguns.

Rodin75. Rodin (Rodin Olio Lusso, 2012). A casa se especializa em óleos essenciais derivados de flores e plantas, sem qualquer aditivo químico. Para sua fragrância assinatura, Rodin elegeu o jasmim, ressaltando seu aroma incomparavelmente floral e fresco com cítricos, néroli e lírio-do-vale. O perfume abre intenso e indólico, aos poucos se suavizando. Oferecido em frascos de 30 ml e concentração parfum, Rodin é bem rente à pele.

Blackbird76. Black Bird (House of Matriarch, 2012). A mais conhecida criação da casa americana especialista em perfumes 100% naturais é este oriental à base de couro e notas canforadas. Com uma estrutura minimalista de agulhas de pinho, cannabis, algas marinhas, tabaco, vetiver, couro e oud, Black Bird abre de cara esfumaçado, com um acorde medicinal narcótico e picante. Aos poucos, a composição vai escurecendo, revelando uma base balsâmica e ligeiramente salina. Black Bird é o encontro da sensualidade com a sofisticação.

CocoBlanc77. Coco Blanc (House of Matriarch, 2013). Tomando por base um aroma de manteiga de cacau, Coco Blanc é um oriental vanilla polvoroso e lactônico que reúne notas de chá, sândalo, chocolate branco, baunilha e musk. Feito para poucos, este é um perfume lânguido e acolhedor, gourmand porém sofisticado. Seu caráter cremoso e amanteigado pode ser enjoativo para muitos, mas certamente Coco Blanc é uma fragrância para ser experimentada sem preconceito.

BohemianBlack78. Bohemian Black (House of Matriarch, 2013). Para compor um âmbar multifacetado e original, vegano e 100% natural, House of Matriarch reuniu notas florais brancas e boozy. Abrindo verde e refrescante, Bohemian Black tem um ar masculino e retrô que remete aos anos 70. A composição harmoniza acordes aromáticos com jasmim, sândalo, benjoim, incenso e oud, mostrando complexidade principalmente nas primeiras duas horas. Perfeito para os homens da noite VIP.

Soivohle79. Carpathian Oud (Soivohle, 2013). O frescor e sofisticação das madeiras é aqui acentuado com ervas e flores diversas. Carpathian Oud abre com um aroma narcótico e medicinal de oud, logo atenuado graças ao um mix floral e herbáceo. Uma marcante nota de musgo de carvalho aponta para uma aura de bosque composta por notas de cedro, bálsamos e tintura de terra. Ao contrário do esperado, Caparthian Oud vai perdendo a força do tema principal, ganhando um aspecto mais herbáceo na secagem.

SikkimGirls80. Sikkim Girls (Lush, 2013). Inspirado no conto do músico Sheema Mukherjee em que garotas do nordeste indiano seduziram o filho do dono de um café, Sikkim Girls é um excitante floral à base de tuberosa. As facetas doce e animálica da flor são reforçadas com um acorde tropical e cremoso de jasmim-manga, jasmim e baunilha. Devido ao uso de absolutos, o perfume assusta com seu potente odor indólico, que mais parece um inseticida à base de dama da noite. Fãs de tuberosa vão amar.

CallingAllAngels81. Calling All Angels (April Aromatics, 2013). Na busca por uma fragrância etérea e angelical, April Aromatics decidiu unir um potente incenso a notas delicadas e doces. Apesar de natural e realístico, o incenso é aqui cercado de mel e resinas como opoponax, benjoim, elemi, fava tonka, labdanum e baunilha, que o tornam gourmand. Cravo-da-índia e canela acrescentam pungência. Calling All Angels é inicialmente melífluo, mas aos poucos vai se tornando esfumaçado e doce, quase comestível.

HiramGreen82. Moon Bloom (Hiram Green, 2013). O perfumista canadense Hiram Green opera seu negócio na Holanda, oferecendo fragrâncias naturais em pequenos lotes. Moon Bloom é dedicado à tuberosa, valorizando seu lado floral com absolutos de jasmim e ylang-ylang e frutado com coco. Notas verdes ajudam a compor sua aura natural, enquanto especiarias e resinas trazem calor e sofisticação. Moon Bloom resulta numa realística tuberosa com traços tropicais e animálicos intactos.

CuirGardénia83. Cuir Gardénia (Aftelier, 2013). Animálico e polvoroso, este perfume une os acordes de couro e gardênia, propondo um contraste entre o selvagem e o delicado. Uma dose de civet e almíscar favorecem o primeiro aspecto, enquanto um toque de jasmim enaltece a aura floral da composição. Uma bela sugestão para os amantes da flor de gardênia que buscam algo mais carnal.

sexmagic84. Sex Magic (House of Matriarch, 2013). Segundo o site da casa, “Sex Magic é uma combinação de treze variedades de cedro, sândalo exótico e um toque de oud. Inquestionavelmente vívidas e sonoras, essas madeiras cantam com a ressonante voz antiga do didgeridoo aborígene. Esses arômatas datam de milhares de anos e seus tons contemplativos esfumaçados brincam com o inconsciente coletivo do usuário”. A fragrância exibe também notas de âmbar, agulhas de pinho, musgo de carvalho e violeta.

epiphany85. Epiphany (House of Matriarch, 2013). Entre o chipre e o fougère, Epiphany de House of Matriarch traz uma saída revigorante de bergamota, lavanda, coentro e pimenta, anunciando um delicado coração de lírio-do-vale (obtido pelo incomum método de enfleurage) e mel. Na evolução, sua base se revela oriental com notas marcantes de tabaco, sândalo, oud, âmbar e musgo de carvalho.

rosejam86. Rose Jam (Lush, 2013). Feito à base de rosas turcas, a ideia de Rose Jam é ser uma geleia de rosas em formato perfume. E parece que a ideia é concretizada. Apesar de a Lush revelar apenas duas outras notas – limão siciliano e gerânio – a baunilha é bastante evidente na base. Tudo é muito equilibrado para que o perfume resulte num aroma realístico, confortável e bonito.

oudassam87. Oud Assam (Rania J, 2013). Rania Jouaneh trabalha o tema de oud sem a costumeira combinação de rosa. Oud Assam tem uma efervescente saída cítrica de mandarina, laranja amarga e bergamota, conduzindo a composição para a nota principal. No dry-down, o perfume faz emergir um potente acorde oriental de vetiver, cedro, pimenta, incenso, fava tonka e almíscar sintético.

jasmimkama88. Jasmim Kâma (Rania J, 2013). Jasmim Kâma adota o gênero chipre para fazer sua interpretação da tão famosa nota de jasmim. Aqui, a flor ganha um topo de bergamota e rosa, ao passo em que é apoiado sobre uma base oriental de heliotrópio, patchouli, sândalo, baunilha e musk. O jasmim é brilhantemente fundido às outras notas de forma que ele praticamente se reinventa como uma nova flor limpa e calmante.

thabanero89. T. Habanero (Rania J, 2014). Na forma de um oriental especiado, T. Habanero é centrado na nota de tabaco. O perfume abre adstringente com cardamomo, pimenta rosa e preta, antes de exibir seu tema central esfumaçado. Na evolução, T. Habanero traz um fundo quente e sensual de sândalo, couro, incenso, oud e mirra. Recomendado a todos que curtem as notas de tabaco e couro reproduzidas de forma realística.

smugglerssoul90. Smuggler’s Soul (Lush, 2014). Smuggler’s Soul é um tributo à nota de sândalo. Como essa é uma matéria-prima em escassez, a fórmula reproduziu seu aroma com a ajuda de tagetes, capim-limão e vetiver, além de componentes sintéticos como geraniol e linalol. O resultado é uma fragrância amadeirada e balsâmica que remete ao sândalo natural, com agradáveis toques florais.

FlowersBarrow91. Flower’s Barrow (Lush, 2014). O nome do perfume refere-se a um forte da Inglaterra construído há cerca de 2500 anos e tomado pelos romanos. Hoje o local, parcialmente inundado pelo mar, é considerado assombrado pelos habitantes da região. Flower’s Barrow reúne notas tão heterogêneas quanto cassis, sálvia, tomilho, camomila, rosa e gerânio para criar uma atmosfera fresca e herbácea.

KerbsideViolet92. Kerbside Violet (Lush, 2014). Este floral musky é construído em torno da nota de violeta e sustentado por uma base de pau rosa. Fresco e natural, Kerbside Violet mostra sua nota central com um aspecto verde, amargo e úmido como se fosse a flor in natura. Ótima oportunidade para quem tenha vontade de saber como uma violeta deveria cheirar num perfume.

AmunRe93. Amun Re The Tears of Ra (Soivohle, 2014). Inspirado no folclore do antigo Egito e seus deuses mitológicos, Amun Re The Tears of Ra é um marcante oriental floral. Abrindo com aldeídos, folhas verdes, tília e cidra, a composição segue com um coração floral e macio de ylang-ylang, angélica e espinheiro-alvar. A secagem fica a cargo de um acorde balsâmico e denso de mel, ambrette, gaiaco, opoponax, baunilha e âmbar.

ShangriLa94. Shangri La (Hiram Green, 2014). O segundo perfume de Hiram Green é um chipre floral que invoca um paraíso fragrante místico. Depois de uma saída de cítricos e pêssego, Shangri La revela um buquê de íris, rosa e jasmim temperado com especiarias quentes. Um fundo terroso de musgo de carvalho e vetiver finaliza a composição. Shangri La é um chipre à moda antiga, bem ao estilo de Mitsouko.

Kiöri95. Kiöri (Kiöri, 2014). Oferecida em forma de óleo com um frasco roll-on de 7,5 ml, esta criação de Lisa Wallos é um oriental vanilla com foco no patchouli. Kiöri foi feito com o propósito de ser um perfume afrodisíaco, captando o poder de atração das flores e sedução da baunilha. O extrato natural de patchouli é macerado sobre uma base de óleo de jojoba. Com um aroma final doce e intoxicante, Kiöri é íntimo e rente à pele.

Bergamoss96. Bergamoss (Aftelier, 2014). Tomando por base o acorde chipre clássico, a perfumista Mandy Aftel desta vez apresenta um perfume em formato sólido, armazenado dentro de um pequeno estojo metálico como os de maquiagem. A partir de um topo de bergamota, laranja e pêssego, Bergamoss percorre uma trilha florestal e esfumaçada com notas de flores e ervas diversas, noz moscada, musgo de carvalho, fava tonka e civet. A mistura sólida é dissolvida em óleo de jojoba e cera de abelha, ambos orgânicos.

Provanilla97. Provanilla (Providence, 2014). Fãs da perfumaria indie orgânica precisam experimentar esta fragrância feita com cinco variedades baunilha. Para trazer beleza e corpo, Provanilla traz notas de rosa e coco, respectivamente, além de notas balsâmicas de mirra e bálsamo peru. A partir de uma vibe de protetor solar, a composição esquenta e se expande em profundidade com a ajuda da base oriental. Provanilla é um ótimo perfume calmante e revigorante para quem aprecia baunilha.

TemptedMuse98. Tempted Muse (April Aromatics, 2014). Hoje líder em fragrâncias naturais no mercado indie, April Aromatics introduz um floral frutado com nota marcante de baunilha. Com uma alegre saída de frutas tropicais, Tempted Muse desenvolve um inebriante coração floral de rosa, ylang-ylang, jasmim-manga e tuberosa. A base fica por conta de notas de sândalo e fava tonka. Tempted Muse cumpre com a promessa de entregar um aroma feminino e sedutor, sem muita pretensão.

Erdenstern99. Erdenstern (April Aromatics, 2014). Do alemão, “A Estrela da Terra”, Erdenstern é um amadeirado musky feito com foco nas notas de cacau e tabaco. Para compor a fragrância, a perfumista Tanja Bochnig acrescenta vetiver, fava tonka, opoponax, âmbar gris e musk. Erdenstern equilibra basicamente dois acordes: um amadeirado e terroso, outro cremoso e gourmand. Tudo na medida certa.

samarina100. Samarinda (Providence, 2014). A casa de perfumes naturais americana aposta numa fórmula gourmand de aspecto levemente salino. Samarinda abre adstringente com notas de laranja, cardamomo e pimenta rosa. Em seguida, a composição adentra um buquê de cravo, heliotrópio e flor de laranjeira. Tudo é sustentado por um fundo exótico de café, rum, couro, arroz, carvalho, baunilha e conchas.

Veja também: Nicho Árabe e Nicho Indie

4 pensamentos sobre “Nicho Vegano

  1. Muito interessante esta linha de perfumes naturais, por gentileza,onde posso encontrá-los?Gosto muito da linha Oriental marcante,os tipos verdes amadeirados e os que remetem a barbearias retrô

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s